top of page

01/03/2024

Equatorial Energia investirá R$ 2,6 bi para conectar 280 mil pessoas à rede elétrica

A Equatorial Energia assinou contrato com o governo federal para realizar investimentos de R$ 2,6 bilhões no âmbito do programa de universalização de energia Luz para Todos.
Os investimentos serão realizados no Pará, atendendo, até 2025, a 280 mil pessoas que não contam com energia elétrica. Serão realizadas cerca de 70 mil ligações em 55 municípios no período.
As ligações se dividem em convencionais e remotas. As ligações convencionais envolvem a realização de 415 travessias e 14 mil quilômetros de rede para atendimento de cerca de 40 mil ligações, além de ampliações em 18 subestações. 
Já as remotas, afirmou a companhia, envolvem o uso de painéis solares, para realizar quase 30 mil conexões.
O contrato foi assinado em cerimônia que contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e do governador do Pará, Helder Barbalho, além do presidente da companhia, Augusto Miranda. 
Desde que assumiu a concessão no Pará, a Equatorial Energia já realizou mais de 170 milligações pelo programa Luz para Todos.

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359060&sid=105

Transição energética pode turbinar futura abertura de capital da UCB

A demanda por sistemas de armazenamento de energia em baterias no Brasil deve impulsionar os resultados da UCB, antiga Unicoba, este ano e pavimentar o caminho da empresa para uma abertura de capital na Bolsa (IPO, da sigla em inglês), com a expectativa de movimentar mais de R$ 1 bilhão.
Após uma tentativa frustrada de IPO em 2021, e da entrada do fundo de investimentos Spectra entre seus principais acionistas, a empresa almeja para este ano um crescimento de 38,5% no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), em relação aos R$ 130 milhões obtidos no ano passado, alcançando R$ 180 milhões. Esse é considerado um passo importante na preparação da empresa para o IPO, que é planejado para a próxima janela do mercado de capitais.
Para o diretor-presidente da companhia, George Fernandes, a meta é ousada, mas plenamente factível, uma vez que a empresa já vem crescendo anualmente, em média, 25% nos últimos cinco anos, e a evolução do setor elétrico, com o avanço de participação de fontes intermitentes como eólica e solar fotovoltaica, aumenta a relevância de sistemas de armazenamento...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358993&sid=105

CPFL Transmissão incorpora Cone Sul

A CPFL Energia anunciou que foi aprovada a incorporação, pela CPFL Transmissão, de sua controladora direta, Cone Sul. Segundo a companhia, após esse movimento será possível a simplificação da estrutura societária e de governança do grupo econômico em que as sociedades estão inseridas, o aumento da eficiência operacional, resultando em uma melhor utilização de recursos e redução de custos e despesas administrativas. A incorporação foi aceita pela Aneel.
Em razão da incorporação, a totalidade das ações de emissão da CPFL Transmissão de titularidade da Cone Sul serão canceladas e novas ações serão atribuídas à sua única sócia, CPFL Brasil, em substituição a sua participação no capital social da Cone Sul, e a Cone Sul será extinta e seu acervo líquido será absorvido pela CPFL Transmissão.
Diante deste cenário, o capital social da CPFL Transmissão será aumentado em R$ 20 milhões, passando de R$ 981 milhões para R$ 1 bilhão.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271942/cpfl-transmissao-incorpora-cone-sul

Amapá recebe primeira subestação móvel da WEG

A WEG forneceu a primeira subestação móvel do Amapá para a CEA Equatorial. A aquisição tem como objetivo, garantir a eficiência e confiabilidade no fornecimento de energia para os amapaenses.
Dentro da subestação móvel, são alocados equipamentos e dispositivos de alta complexidade, com um enfoque constante na obtenção de confiabilidade, bem como na otimização de peso e dimensões. Essa abordagem atenderá as regulamentações de tráfego, permitindo a rápida mobilidade entre diversas localidades, de maneira ágil e prioritária.
De acordo com a WEG, o componente central é o transformador de potência, o qual foi concebido para operar em múltiplas faixas de tensão, abrangendo tanto níveis de alta quanto de baixa tensão. Especificamente, trata-se de um transformador com capacidade de 30 MVA, configurado para tensões primárias de 138 kV e 69 kV, e secundárias de 34,5 kV e 13,8 kV. Essa versatilidade permite o transformador a desempenhar funções em diversas subestações da rede de energia elétrica da CEA Equatorial, assegurando o atendimento de uma ampla gama de subestações, de acordo com suas necessidades particulares.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271905/amapa-recebe-primeira-subestacao-movel-da-weg

Equatorial Alagoas realiza operação de combate ao furto de energia

A Equatorial Alagoas divulgou na última terça-feira, 27 de fevereiro, o balanço da “Operação Verão”, desencadeada na 1ª semana de janeiro, na cidade de Maragogi, com inspeções para combater o furto de energia elétrica conhecido também como “gato”. Até o momento a distribuidora já constatou mais de 1.200 irregularidades.
Segundo a concessionária, durante as inspeções realizadas, não apenas em residências, foram contabilizadas 238 fraudes em estabelecimentos comerciais, de pequeno e grande porte, à exemplo de mercadinhos, hotéis, pousadas, bares e restaurantes. Foram constatadas irregularidades entre ligações clandestinas e intervenções ilegais no sistema de distribuição de energia da companhia.
Somente em Maragogi, ao todo, 1.249 autuações foram lavradas por fraude e de acordo com dados da Distribuidora, o volume de energia recuperada é suficiente para abastecer aproximadamente 5.833 residências por um ano ou fornecer energia para a cidade de São Miguel dos Campos durante o período de um mês.
A distribuidora destacou que apenas profissionais qualificados e autorizados podem realizar qualquer intervenção na rede e as ligações irregulares, por sua vez, são feitas por pessoas sem a devida capacitação para executar o serviço, sem seguir os critérios técnicos e de segurança necessários que garantem a qualidade, integridade da rede e continuidade do fornecimento.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271892/equatorial-alagoas-realiza-operacao-de-combate-ao-furto-de-energia

Análise de maior pena para furto de cabos de energia é adiada no Senado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal adiou nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, a análise e votação do projeto que aumenta a pena para o crime de furto e receptação de equipamentos relacionados ao fornecimento de serviços públicos, como cabos de energia elétrica, telefonia, televisão e internet.
A proposta (PL 2.459/2022) da senadora Leila Barros (PDT-DF), que modifica o Código Penal e Lei 2.848, de 1940, recebeu parecer favorável do relator, senador Jorge Kajuru (PSB-GO), o qual sugeriu um ajuste de redação, acatando uma emenda do senador Fabiano Contarato (PT-ES). O texto foi retirado de pauta e teve a votação adiada a pedido do relator.
A emenda acatada estabelece o abrandamento da pena para réus primários. Nesses casos, se o objeto furtado for de pequeno valor, poderá ser aplicada uma pena menor em regime semiaberto ou apenas multa. Segundo o PL, a pena pode aumentar entre um terço e o dobro, saindo dos atuais um a quatro anos e multa. Já para quem adquirir os equipamentos roubados, a penalidade será aplicada em dobro e poderá chegar até reclusão de oito anos.
O texto é analisado de forma terminativa pela CCJ. Depois de aprovado pelo colegiado será encaminhado para a Câmara dos Deputados, caso não haja recurso para a votação em Plenário.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271881/analise-de-maior-pena-para-furto-de-cabos-de-energia-e-adiada-no-senado

Engie participará de leilão de transmissão e vê AES com um ativo interessante

A Engie Brasil Energia afirmou nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, que a AES tem um bom retorno e pode agregar ao seu portfólio. “Os ativos são bem interessantes e não tenho dúvidas. Não estou dizendo que a gente vai entrar ou não, mas são boas usinas no Sudeste brasileiro e bem posicionadas e eu acho que pode ser que dentro desse processo a gente tenha algum interesse”, disse o diretor presidente da companhia, Eduardo Sattamini.
Durante teleconferência com investidores, o executivo também afirmou que eles vão participar do próximo leilão de transmissão, marcado para março. “Estamos olhando alguns nortes e estudando profundamente para que a gente possa manter os retornos requeridos e adequados. Estamos trabalhando muito na otimização e performance dos nossos ativos”, explicou.
Quando questionado sobre a participação no próximo leilão de capacidade com as usinas Jaguara e Salto Santiago, Sattamini declarou que acredita que o certame não deverá ocorrer em abril desse ano e vê isso como uma possibilidade para preparar e discutir amplamente a participação das hidrelétricas necessárias...

Fonte:Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271895/engie-participara-de-leilao-de-transmissao-e-ve-aes-com-um-ativo-interessante

Governo cria GT técnico para avaliar privatizações recentes no setor

Foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 28 de fevereiro, a portaria 177/2024, que cria Grupo de Trabalho Técnico para acolher e sistematizar percepções e propostas da sociedade civil relacionadas aos processos recentes de desestatizações no setor elétrico e suas consequências. O relatório final será entregue no prazo de 120 dias, a partir da realização da sua primeira reunião.
De acordo com a portaria, o GTT está abrigado na Secretaria-Geral da Presidência da República -a quem será entregue o relatório final – e a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais e Articulação de Políticas Públicas prestará apoio administrativo aos trabalhos do grupo. Participarão do grupo indicados por órgãos e entidades da administração pública, relacionados à sua finalidade.
O grupo também poderá convidar para participar das reuniões, as organizações da sociedade civil, movimentos sociais e especialistas para prestar informações e contribuições. As reuniões serão semanais e as deliberações serão tomadas por consenso. É permitida a prorrogação por prazo determinado, por meio de ato do Ministro de Estado da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271862/governo-cria-gt-tecnico-para-avaliar-privatizacoes-recentes-no-setor

Por que as distribuidoras demoram tanto para restabelecer o fornecimento de energia?

A Resolução Normativa 1.000/2021 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) determina que todos os consumidores afetados por falhas na rede elétrica devem ter a sua energia restabelecida pelas distribuidoras num prazo de até 24h para moradores de zonas urbanas e de até 48h para clientes de zonas rurais.
Contudo, o que tem se visto, na prática, é algo diferente disso. Somente nos últimos meses, várias concessionárias vem sendo processadas por moradores e órgãos públicos em razão de quedas de energia causadas por fortes chuvas. 
No dia 3 novembro de 2023, uma tempestade que caiu na Região Metropolitana de São Paulo deixou mais de 2 milhões de imóveis sem acesso à luz, num apagão que para muitos imóveis durou mais de uma semana.
Somente nos estabelecimentos comerciais desses municípios foram mais de R$ 126 milhões em prejuízo calculados pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo)...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/por-que-as-distribuidoras-demoram-tanto-para-restabelecer-o-fornecimento-de-energia/

04/03/2024

Oferta de energia cresce mais que consumo, e Brasil 'joga fora' excesso; entenda

O Brasil vive uma situação contraditória: o país produz energia renovável em excesso, mas ainda precisa ligar usinas termelétricas — mais caras e poluentes — para suprir a demanda em momentos de pico. O cenário tem como consequência um custo maior ao consumidor e desafios para a operação do sistema.
Segundo projeção do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em 2028, o Brasil terá uma demanda de 110,98 gigawatts de energia, contra uma oferta que pode chegar a 281,56 gigawatts ao final de 2027. Ou seja, a oferta vai superar a demanda em 2,5 vezes (veja arte abaixo). 1 gigawatt de capacidade pode iluminar mais de 1 milhão de residências por ano, a depender da fonte.
Essa situação de oferta maior que a demanda não é totalmente positiva, já que implica em desperdício e aumenta custos (entenda mais abaixo).
No setor, “vertimento” acontece quando se abre o vertedouro, que controla o fluxo de água da usina hidrelétrica, para deixar correr a água que não vai ser utilizada para geração de energia. Também para as fontes solar e eólica, significa deixar de usar o recurso natural para geração de energia - é como “jogar fora” a capacidade de gerar…

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2024/03/04/oferta-de-energia-cresce-mais-que-consumo-e-brasil-joga-fora-excesso-entenda.ghtml

Novo modelo de empresas surge a partir do mercado livre de energia

O mercado livre de energia deu força a dois novos "atores" na cena do mercado energético: o consumidor, que aos poucos vai ganhar poder de escolher de onde quer receber sua energia, e o setor privado, que aumenta sua participação e as possibilidades de atuação nesse segmento. Daí é que surgem as "energytechs", startus de tecnologia focadas em energia.
Alexandre Sperafico, que é CEO de uma empresa do mercado de energia sustentável, diz que esse movimento beneficia várias partes do processo.
Atualmente, o Brasil tem mais de 200 empresas nesse modelo. E a oferta de geração de energia no país está crescendo. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, 2023 teve recorde histórico e 2024 deve ocupar o segundo lugar entre os anos com maior geração de energia da história.

Fonte: CBN

Leia mais em:

https://cbn.globo.com/economia/noticia/2024/03/04/novo-modelo-de-empresas-surge-a-partir-do-mercado-livre-de-energia.ghtml

Após colapso de 2023, Enel destina US$ 3 bi para manutenção de rede

O novo presidente da Enel Brasil, Antônio Scala, quebra o silêncio e fala pela primeira vez sobre os episódios de apagões que afetaram suas distribuidoras, deixando 2,1 milhões de consumidores sem luz por dias em São Paulo após as fortes chuvas de novembro, além de diversas cidades do interior do Rio de Janeiro. A companhia, que atribui a queda de energia em suas áreas de concessões a eventos climáticos extremos - e não à falta de manutenção da rede -, disse ao Valor que o plano de investimento será de US$ 3,6 bilhões (cerca de R$ 18 bilhões) de 2024 a 2026. 
Scala contou que 80% desses recursos serão destinados ao aprimoramento da infraestrutura de distribuição de energia nas concessões de São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará. O aporte, no entanto, já estava previsto antes da crise e tinha como foco dar mais robustez à rede e também ao contexto da renovação das concessões das distribuidoras nos próximos anos. A diferença é que a fatia para manutenção aumentou de 53% para 80%...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359085&sid=105

Engenheiros terão acesso ilimitado à visualização das normas ABNT

Se antes os profissionais registrados e adimplentes com o Sistema Confea/Crea e Mútua tinham até 60 minutos para poderem pré-acessar as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), agora esse prazo já não existe mais. 
Isso porque as entidades firmaram um acordo, na última quarta-feira (28), para que o tempo seja ilimitado a partir de agora. O acordo abrangerá também as normas da AMN (Associação Mercosul de Normalização). 
“Essa é uma parceria que, se iniciada no Confea e na ABNT, chega direto na ponta, beneficia por completo o profissional. O engenheiro que está no campo anda com a norma ABNT embaixo do braço e, nessas horas, ele se lembra que o Confea está aqui para ser parceiro dele”, disse o presidente do Confea, Vinicius Marchese. 
Em 2023, o site da ABNT contabilizou 242.193 horas de pré-visualização de normas. Foi um aumento de 544% em relação a 2022...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/engenheiros-terao-acesso-ilimitado-a-visualizacao-das-normas-abnt/

Expansão das renováveis impediu que emissões de CO2 triplicassem no mundo

Mesmo com o planeta precisando urgentemente reduzir a quantidade de gases de efeito estufa lançados na atmosfera para limitar o aquecimento global em 1,5°C sobre os níveis pré-industriais, o setor energético registrou um novo aumento anual de emissões. 
O segmento produziu 37,4 bilhões de toneladas de dióxido de carbono no ano passado, um crescimento de 410 milhões de toneladas (1,1%) em relação a 2022, segundo informações do relatório “CO₂ Emissions in 2023”, da IEA (Agência Internacional de Energia, sigla em Inglês).
Apesar disso, a entidade destaca que a situação teria sido bem pior se não fosse a expansão recorde das energias limpas, principalmente solar e eólica, e do aumento da participação dos veículos elétricos no setor de transportes.
Sem o uso das renováveis, o aumento global das emissões de CO2 nos últimos cinco anos teria sido três vezes maior. O ano passado, inclusive, foi o primeiro em que pelo menos metade da produção de eletricidade de países desenvolvidos, como Alemanha e Estados Unidos, veio de renováveis...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/expansao-das-renovaveis-impediu-que-emissoes-de-co2-triplicassem-no-mundo/

Equatorial Energia investirá R$ 2,6 bi para conectar 280 mil pessoas à rede elétrica

A Equatorial Energia assinou contrato com o governo federal para realizar investimentos de R$ 2,6 bilhões no âmbito do programa de universalização de energia Luz para Todos.
Os investimentos serão realizados no Pará, atendendo, até 2025, a 280 mil pessoas que não contam com energia elétrica. Serão realizadas cerca de 70 mil ligações em 55 municípios no período.
As ligações se dividem em convencionais e remotas. As ligações convencionais envolvem a realização de 415 travessias e 14 mil quilômetros de rede para atendimento de cerca de 40 mil ligações, além de ampliações em 18 subestações. 
Já as remotas, afirmou a companhia, envolvem o uso de painéis solares, para realizar quase 30 mil conexões.
O contrato foi assinado em cerimônia que contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e do governador do Pará, Helder Barbalho, além do presidente da companhia, Augusto Miranda. 
Desde que assumiu a concessão no Pará, a Equatorial Energia já realizou mais de 170 milligações pelo programa Luz para Todos.

Fonte: Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359060&sid=105

Abertura do mercado deve ocorrer essa década, avalia Rodrigo Ferreira, da Abraceel

A declaração de que o mercado livre poderá chegar até a baixa tensão em 2030, dada pelo ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, é vista pelo setor como uma sinalização de que o tema da abertura total está na pauta do governo. A afirmação foi bem recebida pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia, que está otimista e diz que é possível a abertura antes desse prazo, uma vez que há estudos que demonstram um cronograma viável para comércio e indústria em baixa tensão em 2026 e todos os residenciais em 2028.
O presidente executivo da Abraceel, Rodrigo Ferreira, disse em entrevista ao CanalEnergia Live da última quinta-feira, 29 de fevereiro, que a declaração sinaliza que a abertura deverá ocorrer até 2030, ou seja, que poderemos ter essa medida ainda nesta década. Mas afirma que seria possível um cronograma mais ágil, tendo como foco o ano de 2026. “O que o ministro sinaliza é de que teremos ainda nesta década a abertura”, comentou ele...

Fonte:Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272095/abertura-do-mercado-deve-ocorrer-essa-decada-avalia-rodrigo-ferreira-da-abraceel

Isa Cteep conquista certificação ISO 14.001 em mais 18 subestações

A Isa Cteep anunciou a conquista da certificação ISO 14.001 para mais 18 subestações próprias. A norma internacional, que estabelece padrões para os sistemas de gestão ambiental, evidencia o comprometimento da companhia com a adoção das melhores práticas ambientais em suas operações.
A certificação ISO 14001, dedicada à Operação e Manutenção de Subestações de Transmissão de Energia Elétrica, foi recentemente concedida a subestações distribuídas nos estados de São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Assim, a empresa ampliou o alcance de nove ativos, em 2022, para 27 subestações certificadas, o que corresponde a mais de 20% de seu parque instalado.
Segundo a companhia, essa conquista representa um marco com a responsabilidade ambiental, além de impulsionar a melhoria contínua com foco em aumentar a eficiência operacional e reduzir impactos ambientais adversos, alinhando-se aos padrões internacionalmente reconhecidos. Até 2030, a empresa pretende implementar a certificação ISO 14.001 em 100% de seus ativos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272005/isa-cteep-conquista-certificacao-iso-14-001-em-mais-18-subestacoes

06/03/2024

GreenYellow fecha novo acordo com Prime Energy, da Shell, para 16,93 MWp em usinas solares

A francesa GreenYellow fechou um acordo com a Prime Energy, comercializadora de energia do grupo Shell (NYSE:SHEL) no Brasil, para a construção de três usinas solares, somando 16,93 megawatts-pico (MWp) de capacidade instalada, disseram as empresas à Reuters.
A energia produzida pelas novas fazendas fotovoltaicas, que ficarão nos Estados do Piauí e São Paulo, será comercializada para clientes finais pela Prime por meio de suas operações de geração distribuída compartilhada.
A modalidade de geração compartilhada atende consumidores com energia renovável produzida remotamente, dispensando instalação de painéis solares no local de consumo. Os clientes recebem energia da rede e passam a ver descontos em relação às tarifas cobradas pelas distribuidoras no mercado regulado, dados os incentivos regulatórios ao segment.
A nova contratação de fazendas solares expande um primeiro acordo fechado entre as companhias no ano passado, quando a Prime havia fechado a construção de 26,39 MWp em usinas solares nos Estados da Bahia, Piauí e Ceará.
"Planejamos operar 100 MWp de geração descentralizada ainda em 2024, o que deve nos posicionar como um dos maiores players de 'GD compartilhada' do Brasil, com operação em 14 concessionárias", afirmou Guilherme Perdigão, CEO da Prime Energy, em nota…

Fonte: Investing

Leia mais em:

https://br.investing.com/news/stock-market-news/greenyellow-fecha-novo-acordo-com-prime-energy-da-shell-para-1693-mwp-em-usinas-solares-1217356

Brasil está pronto para abertura total do mercado livre de energia, diz VP da Delta

Com meta de captar 15% dos novos clientes no mercado livre de energia, a Delta vê com bons olhos a sinalização do governo de uma abertura geral do ambiente de contratação em que o consumidor negocia diretamente a aquisição de eletricidade, mas defende um cronograma mais acelerado: até 2026.
“Houve essa sinalização do governo que falou em 2030. Nós achamos que a sinalização é super válida, mas o prazo pode ser antecipado. Vamos ver o que acontece esse ano”, comenta Luiz Fernando Vianna, VP Institucional e Regulatório da Delta Energia em entrevista à agência epbr.
Citando um levantamento da consultoria Bain & Company, que indica que a economia de energia é prioridade para 25% dos brasileiros em 2024, Vianna afirma que o mercado está pronto para ser aberto.
Em entrevista à TV Globo, em fevereiro, o ministro de Minas e Energia (MME), Alexandre Silveira (PSD), disse que é possível abrir totalmente o mercado livre até 2030, o que significaria que consumidores residenciais também poderiam escolher sua fornecedora de eletricidade.

Fonte: Epbr

Leia mais em:

https://epbr.com.br/brasil-esta-pronto-para-abertura-total-do-mercado-livre-de-energia-diz-vp-da-delta/

Brasil melhora em ranking que avalia liberdade do consumidor de energia

Com a expansão do mercado livre de energia, que inclui os consumidores de média e alta tensão com demanda menor que 500 kW entre aqueles autorizados a escolher o fornecedor, conforme consta na Portaria 50/2022 do Ministério de Minas e Energia (MME), o Brasil subiu da 47ª para a 41ª posição em um ranking global.
Atualizado pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), o ranking analisa 56 países em que há alguma regra autorizando consumidores a participarem de mercados onde há liberdade na escolha de energia. Em 2019, o País estava na 55ª posição. Em 2023, na 47ª.
“O Brasil subiu algumas posições no ranking e isso se justifica pela nova fase de abertura do mercado que vivemos atualmente, com acesso de um novo grupo de consumidores aos produtos e serviços desse mercado. A Portaria 50 é uma tremenda conquista da sociedade ao permitir que todos os consumidores de energia em média e alta tensão, inclusive os de menor porte, antes sem acesso, possam escolher o fornecedor de energia”, comemorou o presidente-executivo da Abraceel, Rodrigo Ferreira...

Fonte: Diário do Comércio

Leia mais em:

https://diariodocomercio.com.br/economia/brasil-melhora-ranking-liberdade-consumidor-energia/#gref

Saiba quem são os principais investidores chineses no setor de energia no Brasil

O interesse do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB, na sigla em inglês) em acelerar investimentos no Brasil pode ser a senha para que investidores chineses intensifiquem ainda mais o financiamento de projetos de infraestrutura energética no país. 
Entre 2007 e 2022, empresas chinesas investiram US$ 71,6 bilhões no Brasil, com o setor de eletricidade absorvendo 45,5% do total, seguido pelas áreas de extração de petróleo (30,4%), conforme os dados mais recentes do Conselho Empresarial Brasil-China. 
Há anos, o setor elétrico tem atraído capital chinês. As estatais controladas pelo governo de Xi Jinping State Grid e China Three Gorges (CTG) lideram os investimentos no Brasil, com negócios de grande porte, como a aquisição da CPFL Energia, (State Grid) e a compra das usinas de Jupiá e Ilha Solteira (CTG).
Entretanto, a chegada de novos atores tem acelerado a exportação de capital chinês ao país, junto com comércio exterior e oferta de serviços financeiros, o que sinaliza uma nova onda bilionária de investimentos, principalmente em energia no Brasil...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359123&sid=105

EUA voltam a apostar na energia nuclear após décadas de inércia

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou por esmagadora maioria a legislação destinada a acelerar o desenvolvimento de uma nova geração de usinas nucleares, o mais recente sinal de que uma fonte de energia antes controversa está agora atraindo amplo apoio político em Washington.
A votação de 365 votos a 36, na semana passada, refletiu a natureza bipartidária do projeto de lei, conhecido como Atomic Energy Advancement Act. Ele recebeu o apoio dos democratas que apoiam a energia nuclear porque ela não emite gases de efeito estufa e pode gerar eletricidade 24 horas por dia para complementar a energia solar e eólica. Também recebeu o apoio dos republicanos que minimizaram os riscos da mudança climática, mas que afirmam que a energia nuclear poderia reforçar a economia e a segurança energética do país.
“Tem sido fascinante ver como a energia nuclear avançada se tornou bipartidária”, disse Joshua Freed, que lidera o programa de clima e energia da Third Way, um think tank de centro-esquerda. “Essa não é uma questão em que haja uma grande divisão partidária ou ideológica.”...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359126&sid=105

Aneel aprova redução de até 37% nas bandeiras tarifárias, cobrança extra na conta de energia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (5) a redução de até 37% nos valores das bandeiras tarifárias, taxas extras que são cobradas na conta de luz para custear usinas mais caras, quando o cenário de geração de energia apresenta piora.
O sistema de bandeiras sinaliza o custo da geração de energia. Quando o nível de chuvas é menor e a geração por usinas hidrelétricas cai, a Aneel aciona as bandeiras para custear termelétricas, que são mais caras.
As bandeiras amarela e vermelha – patamar 1 ou 2 – representam maior custo para o consumidor na conta de luz. Ou seja, quando são aplicadas, o valor pago pela energia utilizada fica mais caro.
A Aneel não aciona as bandeiras amarela ou vermelha desde abril de 2022. A última vez ocorreu em consequência da crise hídrica do ano anterior. Ou seja, a bandeira verde está em vigor há quase dois anos, sem custo extra para o consumidor.
A decisão da agência desta terça-feira (5) vai reduzir as tarifas extras gradativamente. Com a mudança, quando a bandeira amarela for acionada, por exemplo, o consumidor vai pagar 37% menos do que pagaria antes...

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2024/03/05/aneel-aprova-reducao-de-ate-37percent-nas-bandeiras-tarifarias-cobrancas-extras-na-conta-de-energia.ghtml

Brasil tem a maior hidrelétrica em geração de energia do mundo; conheça Itaipu

Como todo megaprojeto, a usina hidrelétrica de Itaipu viveu uma jornada de muito trabalho, desafios e investimentos até se tornar o que é hoje: a maior geradora de energia acumulada do planeta, ou seja, a que mais produziu energia limpa e renovável desde sua estreia, em 1984. Construída no rio Paraná, na fronteira entre Brasil e Paraguai, o empreendimento possui, ao todo, 7.919 m de extensão em barragens, com o obstáculo principal alcançando os 196 metros — o mesmo que um prédio de 65 andares, segundo cálculos da Celere. 
Esta é a terceira de uma série de reportagens sobre megaprojetos ao redor do mundo. O Olhar Digital já abordou a construção da ilha artificial de Dubai e até o Lincoln Tunnel, o túnel subaquático de Nova York...

Fonte: Olhar Digital

Leia mais em:

https://olhardigital.com.br/2024/03/05/ciencia-e-espaco/brasil-tem-a-maior-hidreletrica-em-geracao-de-energia-do-mundo-conheca-itaipu/

Com mercado livre de energia, consumidores de alta e média tensão podem ter economia de até 30% na energia, projeta empresa

Desde 1º de janeiro deste ano, indústrias, estabelecimentos comerciais, prestadores de serviço e instituições de saúde, entre outros, enquadrados como consumidores de energia em alta e média tensão (grupo A), com carga instalada acima de 75 kW, já tem a possibilidade de escolher seu fornecedor de energia, com flexibilidade para negociar preços.
Essa oportunidade pode representar uma economia no custo da energia de 30%, segundo a vice-presidente de Soluções Energéticas do grupo Energisa e líder da (re)energisa, Roberta Godoi.
A (re)energisa foi criada pelo grupo em 2020 para atuar neste segmento e em outros atendendo empresas de todos os portes na cidade e no campo, com produtos e serviços personalizados em geração distribuída por meio de fontes renováveis, comercialização de energia no mercado livre, serviços de valor agregado, biometano e biofertilizante...

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/ms/mato-grosso-do-sul/noticia/2024/03/05/com-mercado-livre-de-energia-consumidores-de-alta-e-media-tensao-podem-ter-economia-de-ate-20percent-na-energia-projeta-empresa.ghtml

Growatt atualiza série de inversores para mercado brasileiro

A Growatt atualizou a sua série de inversores X2, especificamente adaptada para o mercado brasileiro. O modelo MIC 3000TL-X2, por exemplo, apresentou uma ampliação na faixa de tensão MPPT, indo de 50-550 V.
Além disso, a corrente de entrada foi aumentada de 13 A para 16 A, tornando-o compatível com módulos de maior potência. A proteção também foi aprimorada, passando de IP65 para IP66, garantindo maior resistência contra poeira e água.
Já o modelo MIN 5000-6000TL-X2 oferece uma faixa de tensão MPPT mais ampla de 40-550 V. A corrente máxima de entrada foi elevada de 13,5 A para 16 A, e a proteção IP66 proporciona maior robustez em diversas condições ambientais.
Demais atualizações
Segundo a empresa, o modelo MID 15-25KTL3-XL2 destaca-se pela maior corrente de entrada por rastreador MPP, atingindo 32 A. A presença de 4 MPPTs oferece flexibilidade no projeto e instalação, possibilitando a integração de painéis solares com diferentes orientações ou especificações. A proteção IP66 garante desempenho consistente em diversas condições ambientais.
Por fim, o modelo MID 20-50KTL3-X2 também alcança uma corrente de entrada mais alta, atingindo 32 A. Com 2/3/4 MPPTs disponíveis, proporciona flexibilidade no projeto e instalação, adaptando-se a condições específicas ou preferências do cliente.

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/growatt-atualiza-serie-de-inversores-para-mercado-brasileiro/

Copel aprova R$ 2,1 bilhões para reforço na distribuição de energia

A Copel e o Governo do Paraná anunciaram um plano recorde de investimentos de R$ 2,1 bilhões na área de distribuição de energia, de um total de R$ 2,4 bilhões aprovados no orçamento da companhia. Os recursos serão aplicados em obras por todas as regiões do estado. Serão 18 novas subestações, 12 linhas de distribuição, além da ampliação e modernização de outras 80 subestações, instalação e substituição de transformadores, novas redes e o aporte nos principais programas Paraná Trifásico e Rede Elétrica Inteligente.
O objetivo do pacote é fortalecer a rede e melhorar o serviço ao consumidor, dando vazão a todo crescimento do estado, principalmente no interior. Desde 2019 até o começo de 2024, o aporte da empresa na área totaliza R$ 12,7 bilhões.
Das 18 SEs com construção em andamento, três de 138 mil volts devem entrar em operação ainda em 2024: Petrópolis, em Francisco Beltrão, Morangueira, em Maringá, e São Miguel do Iguaçu, no município homônimo do Oeste. Dentre as 15 restantes, sete são de 138 mil volts e estão sendo erigidas em Capanema, Capitão Leônidas Marques, Cianorte, Campo Mourão, Apucarana, Paiçandu e Piraí do Sul. As outras oito vão operar em 34,5 mil volts, beneficiando diretamente Mallet, Santa Mônica, Brasilândia do Sul, Balsa Nova, Vitorino, Almirante Tamandaré, Ponta Grossa e Paula Freitas...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272357/copel-aprova-r-21-bilhoes-para-reforco-na-distribuicao-de-energia

Chinesa fecha parceria para avançar com solar e baterias no Brasil

A multinacional chinesa SolaX Power tem agido para expandir sua atuação no mercado brasileiro, onde começou em 2021 por meio de parceiros comerciais, vendendo inversores na modalidade O&M. A empresa acaba de fechar parceria com a distribuidora de equipamentos fotovoltaicos CorSolar, do Grupo Melo Cordeiro, potencializando assim sua estratégia de tornar o mercado de armazenamento por meio de baterias uma realidade acessível em todo país.
A tendência que já acontece em outros países é motivada pela inviabilidade de continuar injetando energia na rede e em alguns casos trazer economias em relação a construção de novos trechos de transmissão ou distribuição. De acordo com a Mordor Intelligence, a previsão é de que o mercado brasileiro fotovoltaico cresça em mais de 23% durante o período de 2023 a 2028, com as instalações não atingindo ainda nem 3% das residências brasileiras, o que demonstra todo potencial para a tecnologia.
Além dos inversores e soluções em armazenamento, atualmente o portfólio da multinacional fundada em 2012 com sede em Hangzhou, China, e filiais em vários países, incluindo Holanda, Alemanha, Reino Unido, Austrália, Japão e EUA, é composto também por carregadores veiculares e sistemas avançados de gerenciamento de energia...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272368/chinesa-fecha-parceria-para-avancar-com-solar-e-baterias-no-brasil

08/03/2024

CPFL Energia moderniza segurança cibernética com a Cisco para proteger a rede elétrica

Os ataques cibernéticos às concessionárias de energia elétrica estão aumentando: de 2020 a 2022, o número de ocorrências semanais mais que duplicou. Os hackers exploram uma vulnerabilidade em dispositivos eletrônicos inteligentes (IEDs, na sigla em inglês), com o unidades de distribuição de energia, relés e disjuntores. Corrigir e detectar essas fragilidades assim que elas são relatadas pode parecer uma tarefa simples, mas representa um desafio significativo para as concessionárias.
A CPFL Energia, concessionária brasileira com 10,3 milhões de clientes, buscava reforçar a segurança nas suas mais de 600 subestações de distribuição, onde a eletricidade de alta tensão é transformada em tensão mais baixa para distribuição a residências e empresas. Para enfrentar esse desafio, a CPFL contou com o apoio das soluções da Cisco para integrar sua operação e atingir uma maior eficiência no mapeamento e combate de ameaças…

Fonte: BN Americas

Leia mais em:

https://www.bnamericas.com/pt/noticias/cpfl-energia-moderniza-seguranca-cibernetica-com-a-cisco-para-proteger-a-rede-eletrica

Brasil está pronto para abertura total do mercado livre de energia, diz VP da Delta

O Brasil subiu seis posições no ranking global de liberdade do consumidor de energia, elaborado pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel). O país passou de 47º para 41º em relação ao levantamento de 2023. Conforme a entidade, o avanço é consequência à nova fase de expansão do mercado livre de energia, que permite a inclusão de consumidores de energia em média e alta tensão com demanda menor que 500 kW.
O Ranking Internacional de Liberdade de Energia Elétrica da Abraceel analisa 56 países que instituíram algum nível de abertura no mercado de energia elétrica, através de dados apurados anualmente pela Agência Internacional de Energia (IEA).
O líder global é o Japão. O ranking não teve nenhuma alteração em relação aos 35 primeiros colocados, referentes a países onde todos os consumidores são livres para escolher seu fornecedor de energia elétrica.
Com as novas regras, o Brasil ultrapassou a Argentina, Uruguai, Peru, Panamá, Guatemala e Colômbia. O país se tornou o segundo mercado de energia mais liberalizado da América Latina, ficando atrás apenas de El Salvador, que ocupa a 33ª posição geral…

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/mercado/mercado-livre/brasil-sobe-seis-posicoes-em-ranking-de-liberdade-de-consumo-de-energia

The biggest market trends according to energy experts at DISTRIBUTECH International

With opinions ranging from AI to electrification and renewables, as well as plays made by non-traditional entrants, this edition of Smart Energy’s Power Playbook lays down how experts analyse the evolving energy market.
Digital adaptation
According to Brad Johnson, director of solution management for tech company Bentley, a key talking point has been blending in automation, from AI – the core focus during the DISTRIBUTECH conference – to machine learning and augmented reality.
“One of the trends we’ve noticed professionals talking about is how to blend all these technologies into utility practices in a way that’s approachable for professionals.”
To do so, he adds, human assistance will be crucial as a “first step into automation. Rather than just pushing the button and trusting the output will match, it means keeping close supervision on the technology.
“AI and ML technologies will offer that ability to peer into the process, provide supervision and remove barriers to adoption.”...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/finance-investment/the-biggest-market-trends-according-to-energy-experts-at-distributech-international/

Neoenergia reduz em mais de 35% a falta de luz no DF em três anos

A Neoenergia investiu mais de R$ 800 milhões em tecnologia e modernização da rede elétrica desde que assumiu o fornecimento de energia do Distrito Federal, em março de 2021. Esse aporte financeiro resultou em uma importante melhoria da qualidade da energia para a população. Após a privatização, quando comparado com a época da CEB Distribuição, foi registrada redução de 37% na quantidade de interrupções da energia e 24% na redução do tempo das interrupções, em comparação ao mesmo período. Todos esses indicadores são públicos, apurados e auditados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e estão disponíveis no site da agência reguladora.
Outros números se destacam nesses três anos, como a capacidade para regularizar novos clientes. Por meio do programa Energia Cidadã – alinhado ao programa Energia Legal do GDF, a Neoenergia regularizou a energia para mais de 37 mil famílias, levando desenvolvimento econômico, social e mais dignidade para essa parcela da população que, com energia de qualidade, mais segurança e cidadania, ainda terá acesso a inúmeros outros benefícios proporcionados pela distribuidora...

Fonte: Abinee - Correio Braziliense

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359186&sid=105

Matriz elétrica brasileira alcança 200 GW de potência

O Brasil atingiu a marca de 200 gigawatts (GW) em capacidade de geração centralizada em seu sistema elétrico, informou nesta quinta-feira (7) a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Desde total, 84,25% são de fontes renováveis e 15,75%, de fontes não renováveis, sendo 1% de geração nuclear.
Ainda de acordo com a Aneel, as três maiores fontes renováveis que compõem a matriz de energia elétrica brasileira são à base de geração hídrica (55%), eólica (14,8%) e biomassa (8,4%). Entre as fontes não renováveis, as maiores são movias à gás natural (9%), petróleo (4%) e carvão Mineral (1,75%).
Somente em 2024, em pouco mais de dois meses, a agência já liberou 2 GW para operação comercial. A potência de 200 GW foi alcançada graças ao Despacho nº 690, emitido nessa quinta-feira (7) pela Aneel. 
O documento autoriza o início da operação comercial da usina fotovoltaica Boa Sorte I, localizada em Paracatu Minas Gerais, com 44,1 megawatts (MW) de potência. O aval dado à usina permitiu que o país ultrapassasse 200 GW de geração em sua matriz...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359183&sid=105

Copa Energia inaugura usina fotovoltaica e planeja novos projetos de energia solar

A Copa Energia acaba de inaugurar a primeira usina fotovoltaica para abastecer sua unidade de Mataripe, na Bahia.
A usina tem potência capaz de suprir o consumo equivalente a mil residências, gerando até 1.400 MWh por ano em condições climáticas normais. A unidade está instalada em uma área de 10.000 m². Com isso, a empresa pretende garantir a autossuficiência energética da unidade - agora, 100% sustentável.
Maior empresa da América Latina em engarrafamento, comercialização e distribuição de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), a Copa Energia prevê a inauguração mais usinas fotovoltaicas entre o segundo semestre de 2024 e o primeiro semestre de 2025. A companhia detém as marcas Copagaz e Liquigás que, juntas, atendem 10,5 milhões de residências por mês.
A primeira fase de investimento em usinas fotovoltaicas tem a potência total de 3,8 MWp e atendem as necessidades de consumo na Bahia, no Rio de Janeiro e em São Paulo, já em construção...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/esg/copa-energia-inaugura-usina-fotovoltaica-e-planeja-novos-projetos-de-energia-solar/

Santander passa a deter 65% da FIT Energia, Carf derruba cobrança de R$ 4 bi contra CSN

O radar corporativo desta quinta-feira (7) traz prévia operacional da empresa de logística portuária Wilson Sons (PORT3) em fevereiro. Já o Santander (SANB11) concluiu investimento na FIT Energia.
Depois do fechamento do mercado, várias empresas divulgam seus resultados trimestrais, com destaque para os números da Petrobras (PETR4).
Na temporada de balanços, CSN Mineração (CMIN3) teve lucro de R$ 1,35 bilhão no quarto trimestre, alta anual de 56%. Já a CSN (CSNA3) viu o lucro saltar mais de quatro vezes no 4º trimestre, para R$ 851 milhões. Ainda no radar da companhia, segundo o Valor, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) derrubou na quarta-feira uma cobrança de R$ 4 bilhões contra a siderúrgica...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/mercados/santander-passa-a-deter-65-da-fit-energia-carf-derruba-cobranca-de-r-4-bi-contra-csn/

Adesão ao mercado livre de energia bate recorde

A adesão ao mercado livre de energia está aquecida nesses primeiros meses do ano. Segundo a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), em janeiro e fevereiro, já foram 3.866 novas migrações, o que corresponde a 52% do total de registros em 2023. 
Ao total, foram 44.988 cargas, referente a 10 mil unidades a mais do que no começo de março do ano passado.
Para o presidente do Conselho de Administração da CCEE, Alexandre Ramos, o crescimento refere-se às vantagens da livre negociação e o empenho da Câmara para que as migrações acontecessem da melhor forma.
“Fomos muito além do dia a dia operacional e atuamos junto às empresas para orientá-las sobre a abertura. Também otimizamos os nossos processos internos e oferecemos uma extensão dos prazos para que os agentes pudessem resolver eventuais pendências para ingressarem no segmento”, frisou Ramos...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/adesao-mercado-livre-energia-bate-recorde/

Itaipu deve atingir marca de 3 bilhões de MWh

A usina de Itaipu deve atingir no próximo sábado, 9 de março, a produção de 3 bilhões de megawatts-hora (MWh) de energia acumulada desde o início de sua operação, em maio de 1984. A estimativa é da Diretoria Técnica, área responsável pela operação do empreendimento binacional.
Depois de Itaipu, a usina de Três Gargantas, na China, com uma potência instalada de 22.600 MW, ante 14 mil MW de Itaipu, foi a hidrelétrica que teve a melhor produção acumulada. A chinesa gerou um total de 1,66 bilhão de MWh até 2023, ou seja 55% do total produzido pela usina brasileiro-paraguaia.
De acordo com a Binacional, a conquista da nova marca acontece num dos anos mais importantes para a história da hidrelétrica, tanto do ponto de vista operacional quanto do empreendimento. Em 5 de maio de 2024, a usina completa 40 anos de produção e, no dia 17 do mesmo mês, serão comemorados 50 anos da criação da empresa binacional.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272556/itaipu-deve-atingir-marca-de-3-bilhoes-de-mwh

Após lucro de R$ 1 bi, Taesa diz que não participará de leilão de LTs

A Taesa registrou um lucro líquido regulatório de R$ 301 milhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), uma queda de 22,2% em relação aos R$ 386 milhões do trimestre anterior. No ano de 2023, a companhia apresentou um lucro de R$ 1,09 bilhão, uma alta de 4,3% na comparação com o ano anterior (R$ 1,04 bilhão).
O ebitda regulatório ficou em R$ 484 milhões no 4T23, uma alta de 4,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já no ano, o número ficou em R$ 2 bilhões, um crescimento de 8,5% na comparação com 2022.
A receita líquida regulatória registrou R$ 592 milhões no 4T23, ganhos de 6,1% em relação ao 4T22. No ano, o resultado apresentou ganhos de 9%, atingindo os R$ 2,4 bilhões. Segundo a companhia, esse resultado é explicado principalmente pelo início da operação de Saíra (1ª fase), entrada em operação de novas fases de Sant’Ana (95% da RAP total habilitada), pelo reajuste inflacionário em IPCA do ciclo da RAP 2023- 2024, e por uma menor parcela variável...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272541/apos-lucro-de-r-1-bi-taesa-diz-que-nao-participara-de-leilao-de-lts

11/03/2024

Usina de Itaipu alcança produção recorde de 3 bilhões de megawatts-hora

A usina Itaipu Binacional alcançou no sábado, 9, a produção de 3 bilhões de megawatts-hora (MWh) desde que começou a funcionar em 1984. Operada por Paraguai e Brasil, a hidrelétrica teria capacidade para abastecer todo o mundo por 43 dias e se tornou a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta.
De acordo com a Itaipu, “esse montante (3 bilhões de megawatts-hora) dificilmente será superado nas próximas décadas por qualquer outra hidrelétrica.”
O volume de energia de Itaipu também poderia abastecer o Brasil por 5 anos e 11 meses.
Atrás de Itaipu, está a usina de Três Gargantas, na China, que gerou 1,66 bilhão de MWh até 2023.
A usina de Itaipu foi inaugurada em 5 de maio de 1984 e só alcançou a marca de 1 bilhão de MWh produzidos em junho de 2001. Em 2012, alcançou a produção de 2 bilhões de MWh…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359242&sid=105

Ciclo de investimento em energia será de R$ 225 bilhões até 2026

Depois de atrair US$ 35 bilhões (cerca de R$ 175 bilhões) em investimentos já contratados para a descarbonização em 2023, o Brasil se prepara para um novo ciclo de aportes bilionários entre este ano e 2026. O setor de energia vai demandar cerca de R$ 225 bilhões em novos investimentos para viabilizar a expansão da geração de eletricidade e redes de transmissão para fazer chegar energia a todas as regiões do país. 
O levantamento foi feito pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculado ao Ministério de Minas e Energia (MME), a pedido do Valor, e mapeou os principais investimentos anunciados e os previstos que serão necessários para atender as necessidades do país. 
Para viabilizar a expansão da geração do cenário de referência do Plano Decenal de Expansão (PDE), até o ano de 2031, estima-se que, quase R$ 192 bilhões devem ser captados até o fim de 2026...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359240&sid=105

Pernambuco recuperou energia desviada em 2023 suficiente para suprir Olinda por seis meses, diz Neoenergia

Ações de prevenção e combate a desvios de energia realizadas pela Neoenergia Pernambuco levaram à recuperação recorde de cerca de 195 milhões de quilowatts-hora (kWh), entre janeiro e dezembro de 2023. 
O número é 28% superior ao mesmo período de 2022. O montante de energia é suficiente para abastecer a cidade de Olinda por seis meses.
Para alcançar esses resultados, foram realizadas ações como inspeções e regularização de clientes, com o uso de soluções inovadoras, como analytics e sensores inteligentes.
"A tecnologia nos permite agir de forma estratégica e assertiva, combatendo desvios com mais eficiência, seja com foco em consumidores residenciais ou empresariais. Além de permitirem a recuperação de energia, essas ações permitem que as pessoas tenham acesso aos serviços com ainda mais qualidade e segurança", afirma o gerente de recuperação de energia da Neoenergia Pernambuco, Hugo Cézar...

Fonte: Diário de Pernambuco

Leia mais em:

https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/vidaurbana/2024/03/pernambuco-recuperou-energia-desviada-que-supria-olinda-seis-meses.html

Estudo da Wood Mackenzie revela três cenários para transição energética

Reduzir as emissões globais de gases tóxicos na atmosfera para níveis pré-industriais e alcançar a neutralidade de carbono representam um dos maiores desafios para a humanidade.
Essa é a principal conclusão apresentada por um novo estudo realizado pela Wood Mackenzie, ‘Serviços de transição energética’ , que cita três rotas diferentes com grandes ambições para que o mundo alcance  a tão sonhada transição energética
Cenário mais provável
O primeiro cenário citado no estudo é o “Cenário mais provável”, que incorpora a evolução das políticas atuais e o avanço tecnológico que ocorrerão no futuro. “Os projetos de captura CCUS (Carbon capture – captura de carbono) e de hidrogênio de baixo carbono entram em fase de execução” afirmou o estudo. “Contudo, a sua contribuição para a redução das emissões é limitada nesta década porque a economia ainda não funciona sem subsídios”, completou...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/estudo-da-wood-mackenzie-revela-tres-cenarios-para-transicao-energetica/

Light convoca Assembleia Geral de Credores

A Light informou que a 3ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro determinou, nos autos da recuperação judicial da Companhia, a convocação da Assembleia Geral de Credores para o dia 25 de abril de 2024, em primeira convocação, e em 03 de maio de 2024, em segunda convocação, bem como a publicação do edital correspondente e demais providências de praxe.
Vale lembrar que no dia 12 de maio de 2023, a Light S.A. comunicou ao mercado, via fato relevante, o ajuizamento do pedido de Recuperação Judicial perante a 3ª Vara Empresarial, o qual foi deferido no dia 15 de abril de 2023.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272787/light-convoca-assembleia-geral-de-credores

Quais estados do Brasil produzem mais energia eólica?

De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), hoje o Brasil possui 1.039 parques eólicos e existem mais de 11.000 aerogeradores em operação. Sendo que a capacidade instalada em operação comercial e em teste chega a 31 GW. Ao todo já são 12 estados com operações dessa fonte limpa, mas quais são os melhores estados para produzir energia eólica, afinal? Será que há uma região com maior destaque?
A verdade é que os bons ventos do nordeste lideram esse ranking, sendo uma das melhores regiões para o investimento. Descubra agora o top três entre os estados que fazem parte da indústria eólica brasileira capaz de ajudar no enfrentamento até mesmo da emergência climática...

Fonte: Olhar Digital

Leia mais em:

https://olhardigital.com.br/2024/03/10/ciencia-e-espaco/quais-estados-do-brasil-produzem-mais-energia-eolica/

Governo marca leilão de reserva de energia e inclui hidrelétricas

O Ministério de Minas e Energia publicou portaria nesta 6ª feira (8.mar.2024) autorizando a abertura de consulta pública sobre um leilão de reserva de energia. A disputa será no dia 30 de agosto e será destinada à contratação de potência elétrica de usinas de geração novas e existentes com o objetivo de garantir o fornecimento de energia elétrica no país. Eis a íntegra da portaria 774 de 2024 (PDF – 252 kB).
O governo estabeleceu que o leilão, além de contratar potência de usinas termelétricas como é habitual, também terá a participação de hidrelétricas. Empreendimentos hídricos terão contratação assegurada em uma das modalidades da disputa, atendendo a um pleito desses geradores, que ficaram de fora do leilão de 2021. Neste ano, há um temor de agentes do setor quanto aos níveis dos reservatórios das hidrelétricas no período seco...

Fonte: Poder 360

Leia mais em:

https://www.poder360.com.br/energia/governo-marca-leilao-de-reserva-de-energia-e-inclui-hidreletricas/

Petrobras poderá disputar leilão de capacidade com térmicas

A Petrobras analisará a sua participação no próximo leilão de reserva de capacidade na forma de potência, cujas diretrizes foram colocadas em consulta pública nesta sexta-feira 08 de março. A empresa acredita que suas térmicas que estão descontratadas poderão participar do certame que é previsto para ser realizado em 30 de agosto.
O diretor executivo de Transição Energética e Sustentabilidade, Maurício Tolmasquim, classifica como uma possibilidade concreta da empresa disputar o certame com as usinas existentes. E os planos da empresa ainda envolvem mais uma UTE a ser construída no Gaslub. Contudo, destacou ele em entrevista sobre os resultados da empresa, essa última não deverá ficar pronta a tempo de acordo com as diretrizes do MME.
“Essa não daria tempo, entraria depois do prazo, mas para os leilões futuros pode ser viabilizada”, disse ele...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272729/petrobras-podera-disputar-leilao-de-capacidade-com-termicas

MME abre consulta com diretrizes do leilão para contratação de potência

O Ministério de Minas e Energia abriu consulta publica até 28 de março com as diretrizes do Leilão de Reserva de Capacidade para contratação de potência, a partir de empreendimentos de geração novos e existentes. O certame está previsto para 30 de agosto desse ano.
A minuta de portaria publicada no Diário Oficial desta sexta-feira, 8 de março, estabelece que o montante total contratado será definido pelo MME, com base em estudos da Empresa de Pesquisa Energética e do Operador Nacional do Sistema Elétrico. O objetivo é garantir a continuidade do fornecimento de energia elétrica, para atendimento à necessidade de potência do Sistema Interligado.
O leilão vai negociar contratos de reserva de capacidade (CRCAPs) de empreendimentos termelétricos novos ou existentes, sem inflexibilidade operativa. E de projetos de ampliação da capacidade instalada de usinas hidrelétricas existentes, despachadas centralizadamente e que não foram prorrogadas ou licitadas nos termos da Lei nº 12.783, de 2013...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272677/mme-abre-consulta-com-diretrizes-do-leilao-para-contratacao-de-potencia

Matriz elétrica nacional ultrapassa os 200 GW de capacidade instalada

A matriz elétrica brasileira atingiu 200 GW de potência centralizada. De acordo com dados da Aneel, 84,25% são de fontes renováveis e 15,75% de não renováveis, sendo 1% de nuclear. O último despacho foi da usina fotovoltaica Boa Sorte I, localizada em Paracatu (MG), com 44,1 MW. Atualmente as três maiores tecnologias limpas são hídrica (55%), Eólica (14,8%) e Biomassa (8,4%). Já as fontes fósseis correspondem ao Gás Natural (9%), Petróleo (4%) e Carvão Mineral (1,75%).
Neste ano foram 2 GW liberados para operação comercial. A previsão de crescimento até dezembro é de 10,1 GW, o que representaria o segundo maior avanço anual já verificado pela Agência desde sua criação em 1997, atrás apenas do crescimento de 10,3 GW em 2023.
Micro e minigeração distribuída acumula 27,7 GW
Outro crescimento na oferta vem da micro e minigeração distribuída (MMGD). São mais de 2,4 milhões de sistemas conectados à rede de distribuição de energia elétrica, com potência instalada superior a 27,7 GW. E mais de 3,5 milhões de unidades consumidoras utilizam os excedentes e os créditos da energia gerada nos sistemas instalados...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272569/matriz-eletrica-nacional-ultrapassa-os-200-gw-de-capacidade-instalada

13/03/2024

Brasil precisa dobrar investimentos para liderar transição energética, diz BNDES

Em evento promovido pela consultoria Clean Energy Latin América (Cela), a diretora de Infraestrutura e Mudança Climática do BNDES, Luciana Costa, enfatizou a necessidade de o Brasil dobrar o volume de investimentos para se posicionar como líder global na transição energética.
Costa destacou que o Brasil possui vantagens competitivas que podem ser aproveitadas para liderar a transição energética global. A matriz energética brasileira é 47% renovável, com 88% da matriz elétrica proveniente de fontes limpas, como ahidrelétrica, eólicas e solares. Isso coloca o país em uma posição privilegiada em relação aos países da OCDE, que têm uma matriz energética mais dependente de combustíveis fósseis.
“No ano passado, o Brasil investiu um pouco mais de R$ 200 bilhões em infraestrutura, mas precisamos investir R$ 400 bilhões por ano, considerando tanto o setor público quanto o privado”, ressaltou…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359285&sid=105

Cemig estreia na autoprodução de energia, negocia mais contratos para complexos solares

A Cemig começará a entregar seus primeiros projetos de autoprodução de energia em maio e já negocia contratos da modalidade com clientes potenciais somando 300 megawatts (MW) médios, disse nesta quarta-feira o vice-presidente de comercialização da companhia, à Reuters.
O primeiro contrato de autoprodução firmado pela Cemig foi com a rede de atacarejo Mart Minas, que passará a produzir 20 MW em duas usinas solares do complexo fotovoltaico Jusante, em construção pela Cemig em São Gonçalo do Abaeté (MG).
Projetos de autoprodução, no qual o consumidor de energia geralmente compra uma fatia ou investe no empreendimento, têm impulsionado a geração de energia renovável no Brasil, com as companhias buscando descarbonizar suas operações.
O acordo, que envolveu 108 milhões de reais em investimentos nos parques solares, suprirá cerca de um terço do consumo total de energia do grupo Mart Minas em lojas em Minas Gerais e Rio de Janeiro...

Fonte: Uol

Leia mais em:

https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2024/03/13/cemig-estreia-na-autoproducao-de-energia-negocia-mais-contratos-para-complexos-solares.htm

Santander compra 70% da América Gestão de Energia

O Santander Brasil anunciou a aquisição de 70% da América Gestão de Energia, braço de consultoria e gestão da holding América Energia. Com a operação, diz a instituição financeira que não revelou o valor da operação, o portfólio de produtos e serviços oferecidos aos clientes abastecidos pelo mercado livre e cativo de energia se completa. E dessa forma o banco se consolida como uma das principais empresas de soluções no mercado de energia.
A América conta com mais de 20 anos de atuação, fazendo a gestão estratégica e operacional de energia para consumidores e geradores dos mais diversos portes, nos mercados livre e cativo, incluindo contratação de energia, geração distribuída e autoprodução. Entre as soluções aos clientes estão a gestão estratégica e operacional de energia para consumidores e geradores no mercado livre e cativo, estruturação e gestão de autoprodução e geração distribuída, gestão de gás natural no mercado cativo e livre. Bem como a assessoria na projeção de tarifas de energia e gás para elaboração de budget e análises e monitoramento de consumo em tempo real...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273054/santander-compra-70-da-america-gestao-de-energia

PSR: leilão de reserva poderia ter mais produtos e clareza na disputa

O leilão de reserva de capacidade, que deve acontecer em 30 de agosto desse ano trouxe como grande novidade a inserção do produto hidrelétrica para 2028. Mas o alcance do leilão poderia ser mais abrangente. Na concepção do líder em Assuntos Regulatórios da PSR, Jairo Terra, seria muito mais interessante considerar outras tecnologias como baterias e as UHEs reversíveis como integrantes da competição de soluções que podem se mostrar mais viáveis nos períodos de contratação. No caso em questão são sete anos para o produto das UTEs e 15 anos para as hídricas.O certame, que teve consulta pública divulgada na última sexta-feira (8), prevê a participação de capacidade de expansão dessas UHEs com poços vazios em suas estruturas e não apenas as térmicas.
“Seria o momento para trazer mais neutralidade tecnológica, apesar do aprimoramento trazer as UHEs para esse leilão. Poderia ser ampliado para as usinas cotistas, com algumas dessas soluções atualmente bem pensadas”, avalia o especialista. Para ele, pelo lado da demanda, é preciso que se defina melhor as necessidades do sistema em condições de despacho e forma de aferição dos produtos, o que não se encontra na atual portaria. “Para viabilizar oferta e suprir as necessidades do sistema é importante uma definição clara do produto, horas de duração do despacho, momento e como viabilizar tudo”, acrescenta...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272920/psr-leilao-de-reserva-poderia-ter-mais-produtos-e-clareza-na-disputa

ANEEL quer que satisfação do consumidor tenha peso na conta de luz

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) abriu uma consulta pública com o objetivo de buscar soluções que contribuam para o aumento da satisfação dos consumidores das distribuidoras de energia elétrica. 
A proposta sugere a criação de um componente chamado “Satisfação do Usuário” a ser incorporado ao cálculo da conta de luz, de modo que um desempenho insatisfatório de uma distribuidora – apurado pela ANEEL junto aos consumidores por meio de pesquisa nacional e outros indicadores – se reflita em uma redução do valor da tarifa. 
Pela proposta do regulador, a satisfação do consumidor – medida pelo indicador “Iasc” – se tornaria um dos componentes do cálculo do “Fator X”, um indicador que mede a eficiência das distribuidoras de energia e determina repasses de eventuais ganhos aos consumidores por meio de redução direta de tarifas.
Em 2022, só 0,02% das unidades consumidoras brasileiras alcançaram um Iasc acima de 70, valor regulatório mínimo de uma faixa que vai até 100. Para quase 60% dos consumidores, o Iasc ficava abaixo de 60...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/aneel-satisfacao-consumidor-conta-luz/

Projeto de Lei quer vedar distribuidoras de atuar em GD

O deputado federal Delegado Marcelo Freitas (União Brasil/MG) apresentou um Projeto de Lei que altera a lei 14.300/2022. A ideia é a de vedar que as concessionárias e permissionárias de distribuição atuem na micro e minigeração distribuída, bem como suas controladas, coligadas ou controladoras.
Caso a proposta fosse aprovada da forma que está as empresas com atividades em GD deverão “regularizar a situação” em até seis meses a partir da publicação da lei. Ou seja, a lei estabelece que essas empresas saiam desse segmento.
De acordo com a justificativa do texto apresentado na segunda-feira, 11 de março, a criação de subsidiárias de geração distribuída por parte das distribuidoras de energia elétrica ou de suas controladoras pode criar situações de conflito de interesse, monopólio e competição desleal e ocupar espaços que deveriam ser reservados a pequenos geradores...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272935/projeto-de-lei-quer-vedar-distribuidoras-de-atuar-em-gd

Isa Cteep recebe licença de operação para subestação Caxias Norte

A Isa Cteep recebeu a licença de operação emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), do Rio Grande do Sul, para a subestação Caxias Norte, que é uma das maiores subestações de transmissão de energia no Estado, com 195 mil m² de área instalada, sendo 77 mil m² de área energizada. O novo empreendimento integra o Projeto Minuano, que também contemplará a construção de 115 km de linhas de transmissão.
Com 2.700 MVA de potência, a nova subestação contribuirá com o aumento da flexibilidade e a confiabilidade do sistema de transmissão da Serra Gaúcha, assim como a ampliação da disponibilidade de energia e potência para indústrias locais, fomentando o desenvolvimento econômico, tecnológico e social na região.
Arrematado no Leilão de Transmissão nº 02/19, realizado pela Aneel, o empreendimento tem Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 48,3 milhões (ciclo 2023/2024). O investimento previsto pelo regulador é superior a R$ 681 milhões e o prazo de entrega é março de 2025. E durante todo o

período da obra, será utilizada mão de obra local com previsão de contratação de 1.363 profissionais diretos e indiretos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272850/isa-cteep-recebe-licenca-de-operacao-para-subestacao-caxias-norte

CEEE Equatorial inaugura SE e aplica mais R$ 12 mi em melhorias na rede

A CEEE Equatorial vai inaugurar nessa terça-feira, 12 de março, a nova subestação Salso, localizada entre as cidades de Santa Vitória do Palmar e Chuí, extremo sul do estado. A obra de 11 meses contou com investimento de R$ 16 milhões que, aliado aos demais já realizados pela concessionária, garante mais confiabilidade e segurança para o fornecimento de energia e o desenvolvimento de aproximadamente 40 mil clientes e a produção arrozeira na região, que demanda bastante energia no período de irrigação.
Com a nova unidade de 25 MVA, a companhia afirma ter infraestrutura para atender plenamente esse mercado regional pelos próximos dez anos, pelo menos. Foram construídos também quatro novos alimentadores e uma nova rede trifásica de 16,6 km, com 320 novos postes de concreto, num aporte planificado em R$ 1,7 milhão...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272805/ceee-equatorial-inaugura-se-e-aplica-mais-r-12-mi-em-melhorias-na-rede

Autoprodução impulsiona contratos de longo prazo de energia renovável no ACL, aponta CELA

O volume de contratos de longo prazo de energia renovável (solar e eólica) no ACL foi impulsionado pelos projetos de autoprodução no país, segundo estudo divulgado pela consultoria CELA (Clean Energy Latin America). Dos 23 contratos de longo prazo celebrados no último ano, 20 foram alocados no modelo de autoprodução de energia no ACL.
O estudo mostra que os PPAs celebrados em 2023, que são contratos de longo prazo entre consumidores e geradores de energia renovável que comercializam no mercado livre, equivalem a 969 megawatts médios (MWmédios) contratados, um crescimento de 63% em relação ao ano anterior, quando foram registrados um patamar de 594 MWmédios. Este aumento é especialmente devido a entrada no estudo de três geradores importantes com dados de PPAs assinados em 2023, que não participaram da pesquisa da CELA em anos anteriores.
Segundo a CEO da CELA, Camila Ramos, nos últimos dois anos houve uma maior aposta no mercado livre em projetos de autoprodução, modalidade que viabilizou praticamente todos os PPAs ao longo 2023, inclusive com avanço no modelo de negócios de arrendamento de usinas...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272828/autoproducao-impulsiona-contratos-de-longo-prazo-de-energia-renovavel-no-acl-aponta-cela

15/03/2024

Eletrobras confirma participação no leilão de transmissão da Aneel, em março

A Eletrobras confirmou, nessa quinta-feira (14), que participará do leilão de transmissão promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que ocorrerá no dia 28 de março na sede da B3, em São Paulo. 
O primeiro leilão de transmissão de 2024 prevê investimentos da ordem de R$ 18,2 bilhões e se destina à construção e manutenção de quase 6.500 quilômetros em linhas de transmissão distribuídos em 15 lotes que passam por 14 Estados. 
“Estamos estudando para o leilão de março e para o que vai acontecer em setembro. Temos muita sinergia”, disse o vice-presidente executivo de estratégia e de desenvolvimento de negócios da empresa, Élio Wolff. 
A empresa administra 73,8 mil quilômetros de linhas e 282 subestações por meio de suas subsidiárias – Chesf, Furnas Eletronorte e CGT Eletrosul. Entretanto, a companhia teve desempenho tímido nos últimos eventos e no certame ocorrido em dezembro – a Eletrobras não arrematou nenhum lote…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359353&sid=105

Governo considera incluir sistemas de baterias no leilão de reserva de capacidade de energia

O governo considera a possibilidade de incluir baterias e soluções de armazenamento de energia no leilão de reserva de capacidade, previsto para acontecer em 30 de agosto, apurou o Valor. Em 8 de março, o Ministério de Minas e Energia (MME) publicou no Diário Oficial da União (DOU) uma portaria com as diretrizes do certame, limitando a contratação de potência elétrica apenas às usinas termelétricas e hidrelétricas.
Havia a expectativa de que o leilão contemplasse a combinação entre fontes renováveis e sistemas de armazenamento, o que permitiria gerar energia quando há sol ou vento e utilizá-la em momentos de alta demanda. No entanto, o governo decidiu não incluir a tecnologia no leilão por entender que há lacunas significativas para o uso de baterias.
“Para incluir sistemas bateria existem dois desafios. O primeiro é definir a quantidade de horas diárias que elas deverão atender ao chamado do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Isso não está na portaria do MME e afeta diretamente o dimensionamento dos projetos. O segundo é a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) conseguir traduzir essa inovação em contrato e procedimentos de rede para o ONS. É um novo modelo de contrato”, disse uma fonte a par do tema...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359352&sid=105

Cemig e Mart Minas assinam contrato de autoprodução

A Cemig e o Mart Minas concluíram a negociação de um contrato de autoprodução de energia. Segundo a Cemig, o acordo no mercado livrea vai garantir o arrendamento de parte do parque solar da usina fotovoltaica (UFV) Jusante, no município de São Gonçalo do Abaeté-MG. Essa unidade será responsável pela autoprodução de 20 MW de energia renovável, que abastecerá 62 lojas mineiras do Mart Minas e 19 lojas do Dom Atacadista, pertencentes ao grupo e localizadas no Rio de Janeiro.
A construção do parque solar tem investimentos estimados em R$ 377 milhões. Deste total, R$ 108 milhões foram destinados para as duas usinas arrendadas para o Mart Minas e Dom Atacadista. O projeto foi desenvolvido integralmente pela engenharia da Cemig e viabilizado por meio de negociações entre as empresas.
A autoprodução é uma modalidade disponível no Mercado Livre de Energia, na qual as empresas geram sua própria energia, utilizando fontes renováveis e ecologicamente responsáveis. Dessa forma, o Mart Minas e Dom Atacadista se tornarão os primeiros clientes supermercadistas a operar com autoprodução de energia elétrica.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273248/cemig-e-mart-minas-assinam-contrato-de-autoproducao

Quantum Engenharia e Celesc firmam acordo para três novas SEs em SC

A Quantum Engenharia e a Celesc assinaram um novo contrato que beneficiará o sistema elétrico de Santa Catarina. Com investimentos que somam R$ 41 milhões, o acordo contará com três obras de construção, reforma e ampliação de subestações de distribuição de energia. O novo contrato prevê obras em Treze Tílias, Lages e Joinville, todas com previsão de início em maio de 2024 e inauguração no primeiro semestre de 2025.
Com outras sete obras já contratadas para 2023 e 2024, a parceria soma 10 projetos com capacidade instalada de 508 MVA (Mega Volt Ampère) de potência, ampliando a possibilidade de atendimento da rede para mais 579 mil unidades consumidoras. Ainda em 2024, serão finalizados os projetos em Guaramirim, Santo Amaro da Imperatriz, São José e Otacílio Costa.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273202/quantum-engenharia-e-celesc-firmam-acordo-para-tres-novas-ses-em-sc

Relação da China com o Brasil evoluirá em energia verde e inovação, diz cônsul-geral

O cônsul-geral da China em São Paulo, Yu Peng, disse nesta sexta-feira, 15, que a China segue buscando estreitar laços comerciais com o Brasil, em meio a um movimento da segunda maior economia do mundo para expandir sua troca bilateral com economias desenvolvidas. Yu fez os comentários em seminário sobre modernização da economia chinesa, em São Paulo.
Yu mencionou também que a relação entre Brasil e China vai continuar se desenvolvendo nos setores de energia verde, veículos elétricos e inovação. Segundo ele, este tem se tornado o foco do governo chinês. "O relatório do último Congresso Nacional chinês enfatiza os objetivos para atualizar o sistema industrial, com forças produtivas pautadas na alta tecnologia, eficiência e qualidade", disse, ao afirmar que, para atingir estes objetivos, a relação diplomática com o Brasil é fundamental.

Fonte: Gaucha ZH

Leia mais em:

https://gauchazh.clicrbs.com.br/mundo/noticia/2024/03/relacao-da-china-com-o-brasil-evoluira-em-energia-verde-e-inovacao-diz-consul-geral-cltsu44ct005r01f5sxu8elhu.html

Eletrobras pode cobrar dívidas da Amazonas Energia na Justiça

A Eletrobras está em busca de alternativas para receber os valores que a Amazonas Energia deve à companhia. A empresa relata que até outubro de 2023 a concessionária, que no passado já pertenceu à ex-estatal e agora está sob o comando da Oliveira Energia manteve-se adimplente. Desde o início do quatro trimestre de 2023, quando a Aneel recomendou a caducidade essa situação mudou.
“A empresa estava adimplente com as despesas correntes até outubro. Com a caducidade recomendada observamos a deterioração grande da distribuidora e a inadimplência”, relatou o VP de Regulação e de Relações Institucionais, Rodrigo Limp. Ele contou ainda em teleconferência com analistas e investidores que a Eletrobras está buscando mitigar o risco como receber os valores devidos da CCC diretamente, sem passar pela concessionária amazonense. Mas lembra que ainda há exposição financeira à distribuidora.
“Temos buscado que outros créditos que seriam pagos à Amazonas sejam repassados a empresa diretamente para que evite a mais inadimplência”, comentou. Limp lembrou que a companhia recebeu R$ 46 milhões diretamente ação essa que evita uma deterioração maior da distribuidora...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273237/eletrobras-pode-cobrar-dividas-da-amazonas-energia-na-justica

Neoenergia aprova lançamento de OPA da Neoenergia Cosern

A Neoenergia aprovou o lançamento de oferta pública de aquisição de ações (OPA) ordinárias e preferenciais da Neoenergia Cosern para conversão de registro de emissor categoria A para B. A operação será destinada à aquisição da totalidade das ações em circulação de emissão da Neoenergia Cosern, que, nesta data, correspondem a 11.575.837 ações, sendo 8.843.530 ONs, 1.488.125 PNAs e 1.244.182 PNBs, representando aproximadamente 6,89% do total de ações de emissão da companhia.
A OPA será lançada ao preço de R$ 13,73 por ON, R$ 15,10 por PNA e R$ 15,10 por PNB, a ser pago em moeda corrente nacional aos acionistas que aderirem à conversão de registro. O lançamento da oferta e sua eficácia estão sujeitos ao seu registro perante a CVM e a B3.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273188/neoenergia-aprova-lancamento-de-opa-da-neoenergia-cosern

Enel SP registrou mais de 11 mil ocorrências de furtos de cabos em 2023

Em 2023, a Enel SP registrou 11,6 mil ocorrências de furtos de cabos da rede elétrica na Grande São Paulo. Esses incidentes abrangeram as redes aéreas e subterrâneas operadas pela empresa em toda a sua área de concessão, que abrange 24 municípios. Para combater este tipo de crime, a companhia afirma que reforçou os investimentos em tecnologia para supervisionar equipamentos, incluindo alarmes, sensores e o monitoramento remoto da rede para flagrar a atuação dos criminosos.
A maior parte das ocorrências estão na rede aérea da capital, com 9.140 casos, seguida pelos municípios de Osasco (1.072), Santo André (623), Mauá (144), Carapicuíba (69) e Diadema (49). Apesar disso, dos 11.660 casos de furto de cabos em 2023, 147 foram na rede subterrânea, causando transtornos aos consumidores localizados na região central da capital, que concentra este tipo de rede.
Pelo seu alto valor, o objetivo dos criminosos é o cobre que é geralmente é vendido a ferros velhos. Para combater também essa fase do crime, a Enel SP tem mantido uma parceria com o Poder Público e a Polícia Militar na identificação desses estabelecimentos e tomado as devidas providências...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273106/enel-sp-registrou-mais-de-11-mil-ocorrencias-de-furtos-de-cabos-em-2023

Tusd e Tust integram base de cálculo do ICMS sobre energia, decide STJ – Migalhas

Sob o rito dos recursos especiais repetitivos (Tema 986), a 1ª seção do STJ estabeleceu, por unanimidade, que devem ser incluídas na base de cálculo do ICMS de energia elétrica a Tusd - Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição e a Tust - Tarifa de Uso do Sistema de Transmissão, nas situações em que são lançadas na fatura de energia como um encargo a ser pago diretamente pelo consumidor final - seja ele livre (aquele que pode escolher seu próprio fornecedor de energia) ou cativo (os contribuintes que não possuem tal escolha).
Como o julgamento foi realizado sob o sistema dos repetitivos, a tese deve ser aplicada em processos semelhantes em trâmite nos tribunais de todo o país - as ações estavam suspensas até agora para a definição do precedente qualificado pelo STJ.
Após a definição do tema repetitivo, o colegiado decidiu modular os efeitos da decisão, estabelecendo como marco o julgamento, pela 1ª turma do STJ, do REsp 1.163.020, tendo em vista que, até esse momento, a orientação das turmas de Direito Público do STJ era favorável aos contribuintes...

Fonte: Migalhas

Leia mais em:

https://www.migalhas.com.br/quentes/403425/tusd-e-tust-integram-base-de-calculo-do-icms-sobre-energia-decide-stj

Aclara to implement Utilidata’s AI in smart meters

Aclara is to bring NVIDIA’s Jetson AI to the grid edge by embedding Utilidata’s Karman platform in its smart meters.
Karman is built on a custom module that leverages the NVIDIA Jetson platform for AI in order to capture and analyse data to improve grid operations and manage distributed energy resources (DERs).
A first for the Karman platform, the integration should bring a new level of data insights to Aclara smart meter implementers, with up to a stated 100 times more processing power than traditional solutions.
Local AI models also will continuously learn to improve in areas such as grid planning, grid operations, load management, customer service and more.
“As the grid becomes increasingly more complex and dynamic, utilities need more technology options to operate a clean and reliable grid,” comments Erik Christian, Division President, Grid Automation of Hubbell, of which Aclara is a division...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/aclara-to-implement-utilidatas-ai-in-smart-meters/

ABB announces tech initiatives in Brazil in build up to Formula E

With season 10 of the FIA Formula E Championship around the corner of São Paulo, Brazil, title sponsor ABB has announced several initiatives to assist with deployment of low carbon solutions, including numerous fast-charging solutions to improve e-mobility in the country.
Under a partnership agreement between the Swiss tech group and the Graal Group, more than 40 ABB fast and semi-fast chargers are being installed on Graal forecourts and service stations in five of Brazil’s major states: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina and Rio Grande do Sul.
The ten fast and 31 semi-fast chargers will contribute to Brazil’s transition from a mobility network that is heavily dependent on fossil fuels to one that incorporates an EV charging network.
The collaboration will allow Rede Graal, a network of bus stations in Brazil, to offer EV drivers the convenience of ultra-fast charging, capable of replenishing a vehicle’s battery in less than 30 minutes, thanks to the same technology used in the ABB FIA Formula E World Championship...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/electric-vehicles/abb-announces-tech-initiatives-in-brazil-in-build-up-to-formula-e/

ONS lança programa para startups apresentarem soluções ao setor elétrico brasileiro

O ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) lançou o InovAberta, programa de inovação que visa conectar startups e grandes empresas ao Operador para o desenvolvimento de soluções para grandes questões do setor elétrico brasileiro.
As inscrições ficarão abertas até dia 7 de abril, e somente podem ser feitas por meio do site da iniciativa. As startups inscritas irão participar do processo de seleção conduzido pelo ONS e pela Liga Ventures, empresa parceira na realização do InovAberta.
A seleção se dará por meio de avaliações e entrevistas e os projetos selecionados serão apresentados no Pitch Day ao time do ONS.
O programa vai selecionar três startups capazes de desenvolver Provas de Conceito (PoCs), que serão testadas durante um período de três meses.
De acordo com o Operador, a ação busca estimular a criação de soluções criativas e eficazes, que possam contribuir para o aprimoramento e a modernização dos processos relacionados a cinco temas:
Estimar manutenção no prospectivo;
Modelos matemáticos “descasados” com a realidade;
Diagramas unifilares elétricos;
Liquidação simplificada; e
O impacto de carros elétricos...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/ons-lanca-programa-para-startups-apresentarem-solucoes-ao-setor-eletrico-brasileiro/

Crea-SP lança cartilha para fiscalização de instalações com energias renováveis

O Crea-SP (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de São Paulo) lançou a nova cartilha de instruções para melhorar a fiscalização de seus agentes em instalações com fontes renováveis, sobretudo de energia solar. 
O processo passou por algumas etapas até a sua oficialização. Em novembro, o órgão se reuniu com profissionais do setor fotovoltaico e de distribuidoras de energia elétrica para discutir pontos que poderiam ser abordados no manual. 
O texto formulado e com as sugestões elaboradas foi aprovado no Plenário do Crea-SP. Nos próximos dias, a cartilha já começa a fazer parte da fiscalização diária dos agentes estaduais. 
No caso do setor de energia solar, o objetivo do manual é melhorar o trabalho de fiscalização para conter o avanço de empresas “aventureiras” no mercado. 
Ou seja, profissionais e empresas que realizam instalações sem qualquer tipo de preparo técnico e que acabam colocando projetos e pessoas em risco, além de atrapalharem o desenvolvimento e a credibilidade de empresas sérias que atuam no setor fotovoltaico como um todo...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/crea-sp-fiscalizacao-energias-renovaveis/

Júnior Ferrari é eleito presidente da Comissão de Minas e Energia

O deputado Júnior Ferrari (PSD-PA) foi eleito nesta quarta-feira (13) presidente da Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados. Os ocupantes dos demais cargos da Mesa da comissão também foram escolhidos. São eles: os deputados Hugo Leal (PSD-RJ) (1º vice-presidente), Samuel Viana (Republicanos-MG) (2º vice-presidente) e Carlos Veras (PT-PE) (3º vice-presidente).
Ferrari afirmou que o colegiado é um dos mais importantes da Casa, pois os temas impactam diretamente a economia brasileira. “Vamos conduzir nossos trabalhos com muita ética, com muita responsabilidade e muita transparência. Vamos respeitar o Regimento Interno e cada parlamentar", afirmou.
Ferrari lembrou que o setor de mineração é muito importante e representa mais de 3% do PIB brasileiro. "Somos um dos maiores produtores de minério do mundo”, afirmou o parlamentar. Ele substitui o deputado Rodrigo de Castro (União-MG)...

Fonte: Migalhas

Leia mais em:

https://www.migalhas.com.br/quentes/403425/tusd-e-tust-integram-base-de-calculo-do-icms-sobre-energia-decide-stj

18/03/2024

Consumidor ficou, em média, 10,4 horas sem energia em 2023, aponta Aneel

Apesar de grandes apagões provocados por tempestades no ano passado, como em São Paulo e no Rio Grande do Sul, o brasileiro ficou, em média, menos tempo sem energia em 2023. Segundo levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o consumidor ficou 10,4 horas sem eletricidade no ano passado, com cinco cortes de fornecimento no ano. 
O levantamento representa dado médio, tempo e número de eventos de interrupções divididos pelo total de consumidores. Em 2022, o brasileiro ficou 11,2 horas sem energia, com 5,47 cortes de fornecimento, em média, para cada um. 
Segundo a agência, houve melhora na qualidade de prestação do serviço entre 2022 e 2023, com redução no tempo médio e na frequência das quedas de energia. 
Pagamentos de compensações à Aneel 
Em 2023, as concessionárias pagaram R$ 1,08 bilhão à agência reguladora, contra R$ 765 milhões em 2022…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359396&sid=105

Enel é responsável por quedas de energia para 62% dos paulistanos, diz Datafolha

Transtorno que aparece como o segundo mais recorrente na percepção dos moradores de São Paulo, as quedas de energia têm como principal culpada a distribuidora de energia Enel, segundo 62% das pessoas ouvidas na pesquisa Datafolha sobre problemas e prioridades da cidade.
A empresa detentora da concessão pública para levar eletricidade às residências e empresas paulistanas não é, porém, a única instituição sobre a qual recai a responsabilidade pelos apagões ocorridos nos últimos 12 meses. A gestão do prefeito Ricardo Nunes (MDB) é apontada como a maior responsável pelo problema por 18% dos entrevistados.
Na sequência aparecem o governo estadual de Tarcísio de Freitas (Republicanos), com 7%, seguido pela gestão federal do presidente Lula (PT), com 4%, de acordo com resultado da pesquisa espontânea --quando o entrevistador não apresenta alternativas para a resposta...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359395&sid=105

Companhias aceleram preparativos para leilão de transmissão

A corrida para arrematar os lotes do primeiro leilão de transmissão de 2024 entrou na reta final. Empresas, fabricantes e construtoras já estão finalizando propostas e orçamentos para um certame que volta aos moldes tradicionais de bastante concorrência e expectativa de grande deságio. 
O leilão de transmissão de 2024 está agendado para o dia 28 de março, na B3, em São Paulo, com projeção de investimentos de R$ 18,2 bilhões. O certame abrange a construção e manutenção de quase 6.500 quilômetros de linhas de transmissão, distribuídos em 15 lotes em 14 Estados. O objetivo é facilitar o escoamento da energia solar e eólica para os centros de consumo, além de fortalecer a segurança operacional do Sistema Interligado Nacional (SIN).
Eletrobras, Alupar e Engie confirmaram participação. A Taesa desistiu pelo nível de endividamento. A Copel vai focar em disciplina financeira e descarta participação em leilão. Já a colombiana Isa Cteep tem R$ 15 bilhões a executar nos próximos anos e também não participará. São esperados ainda CPFL, Energisa e Neoenergia...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359393&sid=105

Sistema não invasivo que detecta falhas em geradores avança em SC

A AQTech está avançando com o desenvolvimento do sistema que detecta falhas em geradores de energia elétrica ainda em estágio inicial. O denominado “MagAnalyzer” é fruto de um projeto do programa de Pesquisa & Desenvolvimento da Aneel em conjunto com a Engie, Itasa, além de pesquisadores e estudantes do Grupo de Concepção e Análise de Dispositivos Eletromagnéticos (GRUCAD) da Universidade Federal de Santa Catarina.
A solução consiste em um equipamento não invasivo para análises preditivas em geradores síncronos através do campo magnético externo, O início da operação ocorreu em 2012 com desenvolvimento de softwares experimentais. Em 2019, a multinacional catarinense ingressou no processo de industrialização do protótipo criado, que até então tinha dois pilotos instalados.
Agora a ferramenta está em lote pioneiro. A fase atual iniciou em agosto de 2023 e tem previsão de conclusão em até 30 meses. Cerca de 30 colaboradores participam de forma direta nesse período, sob liderança do professor do Departamento de Engenharia Elétrica e Eletrônica da UFSC, Nelson Jhoe Batistela, que idealizou o projeto tido pela empresa como inédito no setor elétrico...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273256/sistema-nao-invasivo-que-detecta-falhas-em-geradores-avanca-em-sc

Urgente! China lança primeiro sistema de armazenamento de energia por gravidade

A Energy Vault anunciou a conexão de seu primeiro sistema comercial de armazenamento de energia por gravidade, o EVx, à rede elétrica na China, marcando um avanço significativo na implementação de soluções inovadoras para o armazenamento de energia.
Este sistema, localizado em Rudong, possui capacidade de 25 MW/100 MWh e foi conectado em dezembro de 2023. O projeto agora prossegue para a fase de comissionamento completo.
Além deste, a empresa deu início à construção de três outros sistemas no país, totalizando uma capacidade adicional de 468 MWh.
A Energy Vault, em colaboração com seus parceiros locais China Tianying (CNTY) e Atlas Renewable, tem atualmente outros nove projetos EVx em desenvolvimento na China, somando 3,7 GWh de capacidade.
Entre os novos projetos, destacam-se:
– Um sistema de 17 MW/68 MWh em Zhangye, Província de Gansu, próximo a uma usina de energia renovável e um ponto de interconexão com a rede nacional.
– Um sistema de 50 MW/200 MWh em Ziuquan, Condado de Jinta, Província de Gansu.
– Um sistema de 25 MW/100 MWh em Huailai Cunrui, Condado de Zhangjiakou, Província de Hebei...

Fonte: O Cafezinho

Leia mais em:

https://www.ocafezinho.com/2024/03/17/urgente-china-lanca-primeiro-sistema-de-armazenamento-de-energia-por-gravidade/

Aneel quer evitar manipulação nas migrações ao mercado livre

O diretor da Aneel, Ricardo Tili, determinou a abertura de um processo para identificar eventuais manipulações no processo de adesão ao mercado livre. Durante o último painel no evento Agenda Setorial, que aconteceu na última quarta-feira (13) no Rio de Janeiro, Tili explicou que essas eventuais práticas anti-competitivas podem acontecer por parte das distribuidoras em diminuir prazo de migração para beneficiar algum varejista, pertencente ao mesmo grupo econômico, o que será fiscalizado pela Agência, inclusive com dados que a CCEE vai passar a deter mais explicitamente com o Sistema de Gestão de Informações.
“Vamos apurar quais consumidores, em que área de concessão estão e se o tratamento foi dado a todos naquela região, sob pena de discussão de multa às distribuidoras”, disse o diretor, afirmando que por vezes o tratamento de demandas como essa na Agência não está na mudança regulatória, mas nos processos de fiscalização, com avaliação constante devido à dinâmica dos processos envolvendo o setor...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273170/aneel-quer-evitar-manipulacao-nas-migracoes-ao-mercado-livre

Eneva acredita em alta demanda no leilão de capacidade

A Eneva nutre boas expectativas quanto ao tamanho do leilão de capacidade que deve acontecer em 30 de agosto com produtos térmicos e hídricos de sete e 15 anos. Em teleconferência ao mercado nessa sexta-feira, 15 de março, o diretor-presidente da companhia, Lino Cançado, destacou que existem várias visões de qual é a demanda necessária para a competição, cujo foco da geradora recai na recontratação das UTEs Parnaíba 1 e 3 e a viabilização da expansão do Hub de gás no Sergipe.
“Acreditamos que a demanda deve ser alta devido ao crescimento da carga e inserção de fontes intermitentes no sistema. Mas tem muita incerteza, entre parâmetros e premissas que sensibilizam essa questão”, avalia o executivo.
Ele ponderou que existem diversos projetos de térmicas já existentes para o leilão, o que as torna mais competitivas, mas que a grande questão é a definição da solução de suprimento de gás no requisito exigido como 100% flexível. “Apesar de olhar no planejamento do sistema um volume grande de UTEs não acreditamos que 100% delas vão ter condições de participar de forma competitiva, assim como em 2021”, lembra...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273321/eneva-acredita-em-alta-demanda-no-leilao-de-capacidade

20/03/2024

Gestora Pátria Investimentos ingressa no mercado livre de energia

Investidora de ativos de geração e transmissão de energia, a gestora Pátria Investimentos colocou os pés no segmento da comercialização, mercado em alta nos últimos anos e no qual se espera um salto de negócios em 2024. A empresa associou-se a executivos ligados à comercialização e juntos fundaram a Tria Energia, com foco em negociações de curto prazo (trading) e em operações de crédito e gestão de riscos. 
Ao Pátria, sócio majoritário na Tria, se uniram os executivos Daniel Lima, Thiago Natacci, Rodrigo Pelizzon e Heloy Rudge, todos ex-Targus Energia, comercializadora comprada pela Vibra em 2021. Inicialmente, a nova empresa negociará contratos diretamente, mas não descarta entrar em atividades como transações na BBCE, ambiente de negociação bilateral (balcão) e até mesmo em bolsa, como a recém-criada N5X…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359447&sid=105

Enel desiste de vender sua subsidiária na Argentina, em voto de confiança no governo Milei

A gigante italiana de energia Enel SpA confirmou que suspendeu a venda de sua subsidiária de distribuição de energia Edesur na Argentina. A empresa avalia que as medidas do presidente Javier Milei para liberalizar o setor de energia do país terão efeitos positivos, de acordo com uma porta-voz da empresa.
Integrantes da diretoria da Enel, incluindo o CEO Flavio Cattaneo, reuniram-se com o chefe de gabinete Nicolas Posse e o ministro da Economia, Luis Caputo, na segunda-feira em Buenos Aires. Após a reunião, elogiaram a estratégia de Milei, que assumiu o cargo em 10 de dezembro, de desregulamentar o setor de energia da Argentina.
A Enel é a primeira grande multinacional a mudar sua estratégia na Argentina, principalmente devido ao plano econômico de terapia de choque de Milei.
A empresa já havia vendido duas subsidiárias antes de decidir adiar a venda da Edesur, uma vez que o presidente argentino prometeu eliminar os generosos subsídios e controles de preços que resultaram em prejuízos para a empresa...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359448&sid=105

Câmara aprova texto base do Programa de Aceleração da Transição Energética

A Câmara dos Deputados aprovou na noite da última terça-feira, 19 de março, o texto base do Projeto de Lei 327/21, que institui o Programa de Aceleração da Transição Energética para incentivar projetos de desenvolvimento sustentável com recursos de créditos de empresas perante a União. Com o texto base aprovado, hoje serão votados os substitutivos ao PL.
De acordo com o substitutivo da relatora, deputada Marussa Boldrin (MDB-GO), as empresas com projeto aprovado no programa também poderão fazer uma negociação de suas dívidas de tributos federais por meio da transação, sistemática criada para conceder descontos e parcelamento de créditos de difícil recuperação.
Na área de tecnologia e produção de combustíveis renováveis terão prioridade aqueles relacionados ao etanol, ao bioquerosene de aviação, ao biodiesel, ao biometano, ao hidrogênio de baixa emissão de carbono, à bioenergia com captura e armazenamento de carbono, e à recuperação e valorização energética de resíduos sólidos...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273721/camara-aprova-texto-base-do-programa-de-aceleracao-da-transicao-energetica

MME convoca presidente da Enel a esclarecer novo apagão em SP

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, convocou o presidente da Enel Brasil para prestar esclarecimentos em Brasília sobre o apagão que afetou pelo menos 35 mil consumidores em São Paulo na última segunda-feira (18), incluindo alguns hospitais.
Também foi encaminhada um ofício à Aneel determinando a célere e rígida apuração da interrupção, bem como a responsabilização e punição rigorosa da concessionária que tem apresentado problemas recorrentes na prestação dos serviços.
A última ocorrência se soma a diversas outras falhas da distribuidora na capital paulista, o que na visão de Silveira demonstra a atual incapacidade da companhia em fornecer eletricidade com confiabilidade à população. Sendo assim, ele coloca como urgente a comprovação de que a Enel seja capaz de continuar atuando em suas concessões no país.
A empresa tem obrigações estabelecidas no seu contrato de concessão, devendo manter índices de qualidade no atendimento aos consumidores e disponibilização de meios para regularização do fornecimento em caso de falhas. São padrões estabelecidos e classificados como “adequados” para um serviço público essencial à vida das pessoas...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273580/mme-convoca-presidente-da-enel-a-esclarecer-novo-apagao-em-sp

Isa Cteep desiste de participar do leilão de transmissão da Aneel; entenda os motivos

A transmissora colombiana Isa Cteep confirmou que não vai participar do leilão de transmissão de energia promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que ocorrerá no dia 28 de março de 2024 na sede da , em São Paulo.
O primeiro certame de transmissão de 2024 prevê investimentos de R$ 18,2 bilhões e se destina à construção e manutenção de quase 6.500 quilômetros em linhas de transmissão distribuídos em 15 lotes que passam por 14 Estados.
Os motivos que levaram a maior vencedora dos leilões de transmissão de 2023 a desistir do primeiro certame do ano é que a empresa está comprometida com uma série de projetos que somam cerca de R$ 15 bilhões até 2028.
Ao Valor, o presidente da empresa, Rui Chammas, e a diretora financeira, Carisa Cristal, explicam que são 250 projetos de modernização do sistema de transmissão do Estado de São Paulo que somam R$ 5 bilhões. Há ainda outros sete empreendimentos que totalizam mais de R$ 10 bilhões para a expansão do sistema de transmissão nacional que a empresa ganhou a licitação nos últimos leilões...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359421&sid=105

Mercado Livre de Energia cresce 430% em um ano no Rio de Janeiro

O Mercado Livre de Energia cresceu 430% no Rio de Janeiro entre janeiro de 2023 e o mesmo mês em 2024. 
O número de UCs (unidades consumidoras) saltou de 101 para 435, segundo dados da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica).
Além disso, o número de MW médios contratados aumentou de 18,19 para 50,02 neste período. 
No estado, a empresa com maior número de UCs no ambiente de contratação livre é a TYR Energia, com 67 unidades, seguida pela Genial Energy e pela EDP Smart Energy.
“Estamos muito otimistas com o crescimento do Mercado Livre de Energia no estado do Rio de Janeiro. A modalidade traz uma revolução na maneira de lidar com a conta de energia, reduzindo custos em até 40% e aumentando a eficiência energética das empresas, graças ao monitoramento do consumo de energia em tempo real”, explicou a diretora executiva da TYR Energia, Joana Waldburger.
Apesar do ACL (Ambiente de Contratação Livre) ter crescido ao longo dos últimos anos, a executiva aponta que ainda há um potencial enorme de crescimento com a entrada de pequenas e médias empresas neste mercado...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/mercado-livre-energia-rio-de-janeiro/

MME pede punição rigorosa à Enel por falta de energia em São Paulo

O MME (Ministério de Minas e Energia) convocou o presidente da Enel-SP para comparecer até a sede da Pasta, em Brasília (DF), para prestar esclarecimentos sobre um novo apagão ocorrido na cidade de São Paulo nesta segunda-feira (18).
O incidente causou prejuízos para cerca de 35 mil moradores, afetando hospitais, comércio e outras atividades. Em algumas regiões, o fornecimento de energia perdura por mais de 24 horas.
O Ministério informou que também encaminhou um ofício à ANEEL pedindo que haja uma “célere e rígida apuração dos fatos” ocorridos nesta semana, bem como uma “responsabilização e punição rigorosa da concessionária”.
Segundo a Pasta, a Enel-SP tem “de forma reiterada” apresentado problemas na qualidade da prestação dos serviços junto aos moradores da capital paulista e cidades da região metropolitana. 
“A interrupção nesta segunda-feira, se soma a diversas outras falhas na prestação dos serviços de energia elétrica pela concessionária ENEL-SP, que tem demonstrado incapacidade de prestação dos serviços de qualidade à população”, disse o MME, em comunicado enviado à imprensa...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/punicao-enel-falta-de-energia/

Assinatura de energia via geração compartilhada está na mira do TCU

O TCU (Tribunal de Contas da União) determinou a abertura de uma investigação diante de supostos indícios de comercialização ilegal de créditos de energia elétrica no âmbito do segmento de micro e minigeração distribuída.
A decisão foi tomada após a AudElétrica (Unidade de Auditoria Especializada em Energia Elétrica e Nuclear), protocolar uma representação contra a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), visando a implementação de ações fiscalizatórias e aprimoramento da regulação sobre as assinaturas de energia.
Segundo entendimento preliminar da AudElétrica, os atuais modelos de “assinatura”, em que há locação da usina geradora, apresenta “característica análoga a uma comercialização dentro do mercado cativo”.
“Não se trata de uma simples representação. O documento da AudElétrica contém 35 páginas, é muito bem fundamentado e conta com exame de casos concretos de empresas que operam nesse mercado, oferecendo descontos nas contas de energia”, destaca Thiago Bao Ribeiro, advogado especialista em GD (geração distribuída) e CEO do escritório Bao Ribeiro Advogados...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/assinatura-energia-geracao-compartilhada-tcu/

Leilão da Emae é marcado para 19 de abril

O leilão de privatização da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae) foi marcada para 19 de abril. O Governo de São Paulo publicou nesta segunda-feira, 18 de março, o edital para alienação das participações diretas e indiretas do estado na empresa vinculada à Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil). Os interessados deverão entregar no dia 15 de abril, entre 9h e 10h, todos os envelopes com todas as informações exigidas no edital. A abertura do envelope com as ofertas de preço será realizada, às 15h, na sede da B3, em São Paulo.
O vencedor do certame será o consórcio que apresentar o maior valor unitário a ser pago por ação acima do preço mínimo de R$ 52,85 por ação. Haverá ainda a possibilidade de viva-voz durante a sessão, caso haja lance até 20% inferior à melhor proposta apresentada. Também será preciso que os proponentes apresentem garantias financeiras de 1% do valor total estipulado para a alienação dos títulos...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273494/leilao-da-emae-e-marcado-para-19-de-abril

22/03/2024

Energisa compra a Clarke, um “corretor e contador” do mercado livre de energia

A Energisa acaba de anunciar que está comprando a Clarke Energia, uma startup que atua no mercado de gestão de energia intermediando a compra e venda de megawatts para empresas que operam na média e alta tensão. O valor da aquisição não foi revelado, mas a Energisa disse que comprou 70% da Clarke, com os fundadores ficando com os 30% restantes. Os vendedores foram fundos de venture capital que investiram na Clarke no início da operação, incluindo a Canary, a Niu Ventures, a CSN Ventures e a EDP Ventures.  A transação foi estruturada com uma secundária – que limpou o cap table – e uma primária que injetou recursos no caixa para ajudar a empresa a crescer.  O modelo de gestão de energia já existe há décadas no Brasil, mas a Clarke inovou ao levar este mercado do analógico para o digital. O co-fundador da Clarke, Pedro Rio, disse ao Brazil Journal que a atuação de um gestor de energia é como se fosse “a mistura de um corretor com um contador.”…
Fonte: Brazil Journal

Leia mais em:

https://braziljournal.com/energisa-compra-a-clarke-um-corretor-e-contador-do-mercado-livre-de-energia/

Após quedas de energia, Nunes volta a pedir a rescisão do contrato com a Enel

Durante mais uma crise no abastecimento de energia elétrica que a capital paulista enfrenta, o Prefeito Ricardo Nunes teceu mais críticas à concessionária responsável pelo serviço — a Enel — e pediu a rescisão imediata do contrato. A fala foi feita na manhã desta quinta (21), durante a entrega de melhorias do terminal Pinheiros, zona oeste de São Paulo.
“A Enel tem o contrato de concessão até 2028, existe até a possibilidade de renovação do vínculo, mas a Prefeitura de São Paulo pede a rescisão da concessão”, ressaltou Nunes.
O Prefeito também citou que a responsabilidade da manutenção do contrato depende de outros órgãos, como o Governo Federal e ressaltou a necessidade da articulação de uma lei federal para os municípios poderem avaliar as concessões e cobrar os serviços prometidos com veemência.
“Uma senhora veio me cobrar na padaria o porquê de ela estar sem energia elétrica. Eu tentei explicar que eu não tenho o que fazer do ponto de vista de multar, autuar, de tirar ela daqui, porque isto só cabe aos órgãos federais. A Prefeitura e outros municípios precisam ter algum tipo de ferramenta para defesa dos seus munícipes”...

Fonte: CNN Brasil

Leia mais em:

https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/apos-quedas-de-energia-nunes-volta-a-pedir-a-rescisao-do-contrato-com-a-enel/

Ministro compara combustíveis fósseis ao cigarro e quer dinheiro do petróleo na transição energética

Os combustíveis fósseis serão tão "repudiados" quanto os cigarros, disse o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, que defende uma descarbonização global mais rápida, porém equitativa, para os países em desenvolvimento."A transição energética se dará de um jeito ou do outro, mas ela se dará também por outro fator que é a questão cultural. As novas gerações já começam a repudiar os combustíveis fósseis, como repudiaram [o tabaco] nos últimos 20 anos: uma mudança cultural no mundo muito forte com relação à indústria do cigarro", disse Silveira em entrevista à AFP na quarta-feira, 20, em Houston, no estado americano do Texas.
"As petroleiras têm que reconhecer isso até pela própria sustentabilidade no médio prazo", acrescentou o ministro, que participa no fórum global de Energia CeraWeek.
Silveira usou o exemplo do tabaco ao lembrar que houve uma "consciência política" dos malefícios que o cigarro causa à saúde pública, o que gera custos para os países. "O mesmo vai acontecer com o petróleo", insistiu...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/esg/ministro-compara-petroleo-ao-cigarro-e-apoia-dinheiro-do-petroleo-na-transicao-energetica/

Novo Cadastro Institucional da ANEEL será lançado nesta segunda-feira (25)

Cadastro Institucional da ANEEL (CDA) será substituído pelo CDA2 a partir desta segunda-feira (25/3). No novo sistema, passará para os agentes a responsabilidade de manter suas informações atualizadas, algo que era feito antes via ANEEL. Outro benefício é que a identificação do setor ao qual uma determinada entidade será feita de forma automática pelos sistemas que gerenciam as outorgas.
O Cadastro Institucional da ANEEL é o sistema oficial de informações de interesse da Agência e alcança pessoas físicas e jurídicas. Ele promove a integração de dados com as principais bases governamentais do Brasil: a Receita Federal do Brasil (RFB), o Login Único (Gov.Br), o SIORG, o ComprasNet e os Correios (ECT).
A realização do cadastro é obrigatória para agentes setoriais, potenciais agentes, pessoas contratadas ou que tenham interesse em celebrar contrato de fornecimento de bens ou serviços com a ANEEL, conselhos de consumidores de energia elétrica e outras pessoas físicas e jurídicas que queiram usar os serviços digitais da Agência. Não será necessário, contudo, realizar o cadastro institucional para registrar reclamações, pedidos de informações, dúvidas, sugestões e elogios de consumidores de energia elétrica. Essas demandas são feitas por meio do Sistema de Gestão de Ouvidoria (SGO), apartado do CDA2...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2024/novo-cadastro-institucional-da-aneel-sera-lancado-nesta-segunda-feira-25

Eletronuclear busca capital com os acionistas para estender vida útil de Angra 1 por 20 anos

A Eletronuclear busca apoio financeiro de seus acionistas - a Energia Nuclear e Binacional S.A. (ENBPar) e Eletrobras - para estender a vida útil da usina Angra 1 por mais 20 anos, investimento estimado em R$ 3 bilhões, e para concluir Angra 3, ao custo previsto de R$ 20 bilhões. 
A licença de operação da Angra 1, que completa 40 anos neste ano, termina em dezembro - os aportes, incluindo impostos, são necessários para estender a capacidade por mais duas décadas. 
Já o projeto da usina nuclear de Angra 3 se arrasta desde os anos 1980 e parou por conta da crise econômica da década perdida e de denúncias de corrupção. Até o momento, foram investidos R$ 7,8 bilhões e são necessários quase o triplo desse valor para colocá-la em pé. Já foram realizados 67% da obra civil. Se concluída, a usina terá uma capacidade instalada de 1,4 GW...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359504&sid=105

Fiscalização em distribuidoras apura recusa de conexão de GD

A Agência Nacional de Energia Elétrica iniciou fiscalização na Neoenergia Coelba (BA), Cemig (MG), CPFL Paulista (SP), Elektro (SP) e RGE (RS), que são acusadas por micro e minigeradores de dificultar o acesso à rede, alegando inversão de fluxo de potência. As cinco distribuidoras tiveram o maior número de reclamações relacionadas ao tema, em enquete realizada pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica com seus associados.
Na Coelba e na Cemig, o processo será conduzido pela Superintendência de Fiscalização da Aneel. Uma inspeção está sendo feita in loco esta semana na concessionária que atua na Bahia, enquanto na de Minas Gerais a fiscalização está prevista para maio.
CPFL Paulista e Elektro serão fiscalizadas pela Arsesp, a agência reguladora do estado de São Paulo, ambas com visitas agendadas para março. A RGE , que atua no Rio Grande do Sul, também terá fiscalização in loco da agência gaúcha Agergs, entre o fim do mês de março e o início de abril...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273883/fiscalizacao-em-distribuidoras-apura-recusa-de-conexao-de-gd

Setor de GD reage a suspeita de venda ilegal de créditos levantada pelo TCU

O segmento de GD reagiu à determinação do Tribunal de Contas da União para que a Agência Nacional da Energia Elétrica se manifeste em 15 dias sobre indícios de possível comercialização ilegal de créditos de energia na micro e minigeração distribuída. Executivos da Absolar e da ABGD defenderam o modelo de geração compartilhada e afirmaram que se houver alguma prática nesse sentido, ela é resultante da ação de uma minoria.
Um despacho assinado no último dia 13 pelo ministro Antônio Anastasia autoriza a unidade técnica responsável pelos processos do setor elétrico no TCU a ouvir a Aneel sobre as suspeitas de irregularidades levantadas pelos auditores na contratação de GD por assinatura. O documento também pede uma avaliação da agência sobre a possibilidade de o TCU exigir a elaboração de um plano de fiscalização em 60 dias, para identificar e aplicar penalidades por descumprimento do marco legal da GD (Lei 14.300), além da apresentação em 80 dias de uma proposta para regulamentar o tema...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273813/setor-de-gd-reage-a-suspeita-de-venda-ilegal-de-creditos-levantada-pelo-tcu

Inmetro coordena estudo para otimizar medições de biometano

O Inmetro está coordenando um estudo colaborativo com 10 cilindros de biogás para averiguar os resultados dos analisadores de gases e de cromatógrafos. O objetivo é entender se esses métodos se comprovam como intercambiáveis e se podem ser utilizados como aferição, para no caso uma mudança ou adequação dos padrões regulatórios. A informação foi passada pela pesquisadora do Laboratório de Análises de Gases, Cristiane Augusto, durante evento realizado pela Associação Brasileira do Biogás (ABiogás) e apoiado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) para tratar das oportunidades e desafios do setor de biogás e biometano.
Cristiane disse que a diretoria de metrologia cientifica do Instituto está buscando promover melhorias como no método de medição do biometano, que é extremamente caro e que muitas vezes prejudica a viabilidade econômica dos projetos. E que é preciso uma portaria conjunta entre a Instituição e o ANP para questões envolvendo controles de vazão, como de composição...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273771/inmetro-coordena-estudo-para-otimizar-medicoes-de-biometano

ANEEL impulsiona a inovação no setor elétrico com foco no hidrogênio

Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) está prestes a dar um grande passo em direção à inovação no setor elétrico brasileiro. A Chamada Estratégica de Projeto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDI) n.º 23, com foco no "Hidrogênio no Contexto do Setor Elétrico Brasileiro", foi aprovada pela diretoria colegiada da ANEEL na 7ª Reunião Pública de Diretoria, em 12 de março de 2024. O movimento reforça o compromisso da ANEEL com a transição energética e o desenvolvimento tecnológico sustentável.
A documentação completa da Chamada está disponível na Biblioteca Virtual da ANEEL. Acesse aqui.
Contexto e Importância
Em resposta às orientações do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e alinhada com o Programa Nacional do Hidrogênio (PNH₂), a ANEEL está direcionando esforços para fomentar o uso de hidrogênio como vetor energético. O hidrogênio, especialmente quando produzido a partir de fontes renováveis, apresenta-se como uma alternativa promissora para a descarbonização da economia brasileira...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2024/aneel-impulsiona-a-inovacao-no-setor-eletrico-com-foco-no-hidrogenio

25/03/2024

Gato de energia legal: A solução milagrosa para economizar até 40% na conta de luz?

Economizador de Energia: um meio legal de reduzir a conta de luz em até 40% – verdadeiro aliado ou gato por lebre?
A busca por formas mais econômicas e sustentáveis de consumo de energia é uma constante na vida moderna. E, nesse cenário, surgem novidades que prometem reduções significativas nas contas de luz. É o caso do “gato de energia legal”, uma expressão que ganhou popularidade no Brasil em 2021.
O “gato legal” refere-se a um dispositivo conhecido como Energy Filler, importado da Alemanha pela empresa brasileira Luminus. Esse equipamento é comercializado como um meio legal de reduzir a conta de luz em até 40%. Essa promessa atraiu a atenção de muitos consumidores em busca de economia.
A princípio, o Energy Filler pareceu cumprir sua promessa. Relatos de consumidores indicavam economias significativas em suas contas de energia, gerando uma onda de recomendações e adoções do dispositivo. Empresários também aderiram ao equipamento, economizando milhares de reais mensalmente.
No entanto, investigações posteriores revelaram que o Energy Filler e dispositivos similares funcionam, na maioria das vezes, como redutores de potência de carga. Em vez de otimizar o consumo, esses aparelhos simplesmente diminuem a quantidade de energia entregue aos dispositivos, o que pode resultar em mau funcionamento e até mesmo danos aos equipamentos…

Fonte: Click Petróleo e Gás

Leia mais em:

https://clickpetroleoegas.com.br/gato-de-energia-legal-a-solucao-milagrosa-para-economizar-ate-40-na-conta-de-energia/

Novas linhas de transmissão ampliam capacidade de escoamento de renováveis

A capacidade de transmissão de energia renovável proveniente da região Nordeste terá ganhos significativos no Brasil a partir do mês de abril por causa da conclusão dos empreendimentos que fizeram parte do Leilão de Transmissão nº 02 de 2018.
A previsão da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) é que novas linhas de transmissão passem a integrar o SIN de abril a junho, permitindo que mais energia renovável seja transmitida para outras regiões. 
No ano passado, os leilões de transmissão de energia realizados no país totalizaram R$ 37,4 bilhões em investimentos, com 6,1 mil km de extensão. Para 2024, a previsão é que os novos certames somem R$ 22 bilhões em novos investimentos. 
Serão interligadas as subestações: Pacatuba, Jaguaruana II, Russas II, no Ceará, e Mossoró IV e Açu III, no Rio Grande do Norte. 
As linhas de transmissão possuem um total de 480 km de extensão, distribuídos em 230 kV e 500 kV. Já as novas subestações contam com uma capacidade de transformação total de 3.100 MVA...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/linhas-transmissao-escoamento-renovaveis-brasil/

Novo Cadastro Institucional da ANEEL já está disponível

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) lançou nesta segunda-feira (25/3) o novo Cadastro Institucional (CDA2). A nova ferramenta permite que os agentes mantenham suas informações atualizadas. Além disso, a identificação do setor ao qual uma determinada entidade pertence passa a ser automática por meio dos sistemas que gerenciam as outorgas.
O Cadastro Institucional da ANEEL é o sistema oficial de informações de interesse da Agência e alcança pessoas físicas e jurídicas. Ele promove a integração de dados com as principais bases governamentais do Brasil: a Receita Federal do Brasil (RFB), o Login Único (Gov.Br), o Siorg, o ComprasNet e os Correios (ECT).
A realização do cadastro é obrigatória para agentes setoriais, potenciais agentes, pessoas contratadas ou que tenham interesse em celebrar contrato de fornecimento de bens ou serviços com a ANEEL, conselhos de consumidores de energia elétrica e outras pessoas físicas e jurídicas que queiram usar os serviços digitais da Agência. Não será necessário, contudo, realizar o cadastro institucional para registrar reclamações, pedidos de informações, dúvidas, sugestões e elogios de consumidores de energia elétrica. Essas demandas são feitas por meio do Sistema de Gestão de Ouvidoria (SGO), apartado do CDA2...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2024/novo-cadastro-institucional-da-aneel-ja-esta-disponivel

ApexBrasil e Absolar fazem aliança para novos investimentos em transição energética

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) anunciaram a celebração de uma parceria estratégica para atração de mais investimentos estrangeiros para o processo de transição energética no país, com destaque para o desenvolvimento da fonte solar, do hidrogênio verde e do armazenamento por baterias no território nacional.
A parceria, que deve ser oficializada nas próximas semanas, prevê ampliação dos acordos internacionais com grandes players do setor de energias renováveis e com representantes de governos, no sentido de trazer mais capital externo para a nova industrialização do país, com foco no incremento da cadeia produtiva nas áreas de energias renováveis e tecnologias correlatas, incluindo avanços em pesquisa, inovação e sustentabilidade econômica, social e ambiental.
Entre as iniciativas previstas, destaca-se a busca por novos investimentos nas missões estabelecidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI) do plano Nova Indústria Brasil (NIB) para descarbonização e transição energética segura para as novas gerações, assim como nas diretrizes do novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) nas áreas de transição e segurança energética...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274029/apexbrasil-e-absolar-fazem-alianca-para-novos-investimentos-em-transicao-energetica

ANA: investimentos em prevenção evitam perdas em caso de evento extremo

Estudo lançado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico conclui que que o emprego dos dados na configuração e implementação de sistemas de alerta para eventos climáticos extremos, como secas e inundações, pode evitar perdas de até R$ 661 para cada R$ 1 investido, relação quantificada a partir das perdas e custos evitados em decorrência de alertas para inundações em áreas urbanas.
A publicação ‘Avaliação de Custos e Benefícios da Rede Hidrometeorológica Nacional – Estudos de Casos’, traz um levantamento inédito sobre a relação entre o valor investido na rede e o retorno que ela proporciona para a sociedade. O estudo foi financiado pela ANA e desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Hidráulicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
O estudo também apresenta o levantamento realizado em dois municípios do Rio Grande do Sul – São Sebastião do Caí e Montenegro – sujeitos a cheias frequentes no rio Caí. Neles os dados e informações da RHN permitem o mapeamento de áreas inundáveis com seus respectivos períodos de retorno – periodicidade estimada entre ocorrências de tais eventos. Se empregadas no planejamento urbano, de modo a restringir ocupações em áreas inundáveis, essas informações poderiam trazer um retorno (em danos e perdas evitadas) de até R$ 14 para cada R$ 1 investido...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273978/ana-investimentos-em-prevencao-evitam-perdas-em-caso-de-evento-extremo

Iberdrola pretende investir € 41 bilhões até 2026 para acelerar a eletrificação

A Iberdrola irá investir cerca de € 41 bilhões e contratar 10 mil pessoas até 2026 para acelerar a eletrificação. A companhia também anunciou a compra de 18,4% da Avangrid.
Além disso, a companhia destacou que os parceiros ligados as energias renováveis contribuirão com € 5 bilhões, elevando o investimento líquido para € 36 bilhões ou 70% do investimento em crescimento. Segundo a Iberdrola, o crescimento será baseado em redes elétricas (60% dos investimentos), sendo € 21 bilhões para expandir e fortalecer redes nos EUA, Reino Unido, Brasil e Espanha.
A companhia ainda destacou em comunicado que os ativos da rede elétrica crescerão 38%, para € 54 bilhões. Já em energias renováveis, os investimentos ficarão em torno de € 15 bilhões, incluindo 5 bilhões contribuídos por parceiros em projetos em curso. Além disso, mais de 50% serão destinados à energia eólica offshore nos EUA, Reino Unido, França e Alemanha...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274075/iberdrola-pretende-investir-e-41-bilhoes-ate-2026-para-acelerar-a-eletrificacao

Desinvestimentos potencializaram lucro da Cemig em 2023

Durante teleconferência de resultados nesta sexta-feira, 22 de março, o CEO da Cemig, Reynaldo Passanezi, revelou que o bom desempenho financeiro da companhia mineira em 2023 – lucro líquido, investimentos e Ebitda recordes – foi potencializados pelos desinvestimentos em ativos considerados complexos, fora do ‘core’ da empresa e não estratégicos, como Light, Renova e a UHE Santo Antônio. “Light, Renova e Santo Antônio Energia tiveram necessidade de aumento de capital. Significa que caso a Cemig tivesse as participações e quisesse manter, teria que fazer esses aportes”, explica. Ainda segundo ele, estar dentro das metas regulatórias e foco na eficiência também determinaram o bom resultado.
De acordo com o executivo, ainda há desinvestimentos em vista, como Aliança Energia, Taesa e a UHE Belo Monte. Porém, esses processos foram considerados por Passanezi como mais lentos de execução.
Os desinvestimentos na UHE Santo Antônio (R$ 55 milhões), UHE Baguari (421 milhões), UHE Retiro Baixo (218 milhões) e em 15 PCHs/ CGHs (R$ 101 milhões) somaram R$ 795 milhões. As vendas trouxeram R$ 2,9 bilhões ao caixa desde 2019, o preservou e evitou um aporte de R$ 4,9 bilhões nas participações, além de R$ 1 bilhão em créditos fiscais. Segundo o CFO Leonardo Magalhães, caso os aportes fossem feitos, a dívida líquida poderia aumentar em cerca de R$ 8 bilhões. A decisão também permitiu que investimentos fossem direcionados em negócios com mais familiaridade...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274077/desinvestimentos-potencializaram-lucro-da-cemig-em-2023

Novo patamar de qualidade deve entrar na renovação das concessões, diz CPFL

A CPFL Energia acredita que possa haver alguma nova exigência quanto a qualidade do fornecimento de energia a ser colocado no processo de renovação das concessões. Segundo o CEO da companhia, Gustavo Estrella, todas as distribuidoras enfrentam atualmente um desafio relevante em seus negócios com os eventos climáticos cada vez mais extremos, algumas com maiores dificuldades e outras menos, situação que trouxe para discussão o Congresso Nacional e o governo.
“Talvez uma demanda para que sejamos cobrados nesses dias de eventos críticos, numa exigência de qualidade colocada como pré-condição para o processo de renovação”, comentou o executivo durante teleconferência da empresa ao final da manhã dessa sexta-feira, 22 de março.
Estrella ressaltou que em geral a realidade atual é muito diferente do período de assinatura dos contratos, de dez a 20 anos, sendo natural que se façam essas discussões para um melhor serviço. E que na média o segmento investe mais de R$ 30 bilhões por ano no país, o que só poderá continuar ocorrendo com uma perspectiva de médio e longo prazo das concessões...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274011/novo-patamar-de-qualidade-deve-entrar-na-renovacao-das-concessoes-diz-cpfl

Equatorial conclui venda da Intesa

A Equatorial Energia conclui a venda para Infraestrutura e Energia Brasil S.A., com interveniência e anuência da CDPQ, da Integração Transmissora de Energia S.A. (Intesa). Foi efetivada a alienação de 100% das ações representativas do capital social da Intesa, pela Equatorial à compradora. O valor do negócio foi de aproximadamente R$ 320 milhões.
O comunicado destaca ainda que adicionalmente e, conforme já divulgado em 01 de novembro de 2023, resta valor remanescente de até R$ 84,49 milhões referente a earn-out, baseado no processo de revisão da Intesa, atualizado pela variação do CDI entre a “data-base” e a presente data, bem como demais ajustes, positivos ou negativos, conforme previsto no Contrato. Eventuais valores serão pagos conforme as condições estabelecidas no Contrato.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273981/equatorial-conclui-venda-da-intesa

27/03/2024

Equatorial Piauí realiza mais de 109 mil inspeções por furto de energia em 2023

A Equatorial Piauí realizou em 2023 mais de 109 mil inspeções em unidades consumidoras com o intuito de coibir o furto de energia, que é considerado crime previsto no código penal brasileiro (Art. 155 e 171). As vistorias são ações permanentes viabilizadas pela Distribuidora para o combate ao uso irregular de energia. As operações são resultado da análise diária, utilizando técnicas de inteligência agregada ao uso de equipamentos de monitoramento remoto para acompanhamento do consumo das unidades consumidoras, selecionando os alvos para fiscalização.
“Periodicamente, realizamos inspeções nas unidades consumidoras e, constatando a irregularidade, de imediato são adotadas as medidas para regularização, coibindo, assim, a prática do furto de energia. Só em 2023, realizamos mais de 109 mil inspeções, que resultaram em 33 mil irregularidades identificadas. Na prática, a cada 10 fiscalizações realizadas, encontramos irregularidades em 3. Reforçamos que o furto de energia é crime e pode causar diversos prejuízos ao fornecimento de energia elétrica e aumento no valor da fatura dos consumidores usam a energia de forma regular”, informa Conrado Calado, Executivo de Recuperação de Energia da Equatorial Piauí…

Fonte: Equatorial Energia

Leia mais em:

https://pi.equatorialenergia.com.br/2024/03/27/equatorial-piaui-realiza-mais-de-109-mil-inspecoes-por-furto-de-energia-em-2023/

Redes subterrâneas: Aneel prorroga Tomada de Subsídios

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prorrogou a Tomada de Subsídios que questiona a viabilidade de redes subterrâneas. Inicialmente, o prazo seria até a última segunda-feira, 25. Com a dilação, as contribuições podem ser enviadas até 9 de abril, no site da autarquia.
A Tomada em questão (nº 002/2024) busca “obter subsídios para avaliar a necessidade de intervenção regulatória associada ao aumento da resiliência do sistema de distribuição e de transmissão a eventos climáticos extremos “. A implementação de redes subterrâneas é questionada como uma das alternativas.
A nota técnica colocada em discussão destaca que as distribuidoras possuem ampla liberdade na escolha do tipo de rede a ser adotada na regulação atual e o percentual de redes subterrâneas ainda é reduzido, principalmente por conta do custo...

Fonte: Abinee - Tele.Síntese

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359677&sid=105

Postes: Aneel adia proposta para avaliar novas contribuições técnicas

Em reunião nesta manhã, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), prorrogou o prazo de vistas à proposta de aprimoramentos da regulamentação relativa ao compartilhamento de postes entre os setores de distribuição de energia elétrica e de telecomunicações. A decisão foi unânime, em bloco.
Este é o segundo adiamento desde que o processo foi suspenso em outubro do ano passado e envolve o pedido de novas contribuições técnicas (saiba mais abaixo).  
Em 23 de janeiro, a diretoria concedeu prazo adicional de oito reuniões para que o autor do voto-vista, Fernando Luiz Mosna, retornasse com o processo para deliberação. Com isso, as conclusões teriam de ser apresentadas até esta terça-feira, 26, mas o diretor pediu mais tempo, de praxe, mais oito reuniões. 
A proposta foi formulada conjuntamente entre a Aneel e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), após consulta pública, e precisa da aprovação unânime de ambas autarquias. O Conselho Diretor da Anatel deu o aval, e o relator da Aneel, Hélvio Guerra, também apresentou voto favorável, só que não recebeu o apoio da maioria...

Fonte: Abinee - Tele.Síntese

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359646&sid=105

Petrobras vai iniciar estudos sobre geração no mar

A Petrobras vai dar início a estudos sobre eólicas offshore no país. O segmento é um dos que interessam à companhia no âmbito da transição energética. Um dos estudos envolve a realização de projetos-pilotos em dois Estados. Outro envolve simulações internas do desempenho da Petrobras em futuros leilões de áreas. 
Segundo o diretor de transição energética e sustentabilidade da Petrobras, Mauricio Tolmasquim, a companhia pretende instalar dois aerogeradores marinhos, um no Rio Grande do Norte e outro no Rio de Janeiro, próximo ao Porto do Açu, que fica no norte do Estado. O objetivo é ganhar experiência e conhecimento no tema e se preparar para quando chegar o momento de viabilizar os projetos. 
A empresa possui cerca de 30 gigawatts (GW) cadastrados no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Após participar do Brazil Offshore Wind Summit, Tolmasquim afirmou que os aerogeradores serão parte de um projeto de pesquisa e desenvolvimento (P&D), inteiramente tocado pela companhia, com previsão de implantação concluída em 2029...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359667&sid=105

Novo leilão de transmissão deve ter Eletrobras e disputa acirrada

O Ministério de Minas e Energia e a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) realizarão na 5ª feira (28.mar.2024) o 1º leilão de transmissão de energia elétrica de 2024. A sessão pública está marcada para às 10h, na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo).
Segundo apurou o Poder360, especialistas do mercado avaliam que o certame deve ter disputa acirrada e participação de grandes empresas do setor. A principal expectativa é por lances da Eletrobras, que confirmou interesse em lotes ofertados.
Esse será o 3º leilão de transmissão realizado no atual governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) –foram duas licitações em 2023. Na nova disputa, a expectativa é contratar R$ 18,2 bilhões em investimentos para a construção de 6.464 km de linhas e subestações com 9.200 MW em capacidade de transformação.
Serão ofertados 15 lotes. A maioria dos empreendimentos visa a expandir a rede básica do Nordeste para possibilitar o pleno escoamento das usinas já contratadas na região e fazer frente à expectativa de contratação de elevados montantes de energia provenientes de novos empreendimentos de produção renovável, com destaque para as usinas eólicas e solares...

Fonte: Poder 360

Leia mais em:

https://www.poder360.com.br/energia/novo-leilao-de-transmissao-deve-ter-eletrobras-e-disputa-acirrada/

BYD implantará nove usinas solares em parceria com Raízen Gera Desenvolvedora

A BYD firmou parceria com a Raízen Gera Desenvolvedora, joint venture entre a Raízen e o Grupo Gera dedicada a projetos de geração distribuída, para ampliar a capacidade de geração de energia limpa. A aliança envolve a utilização da expertise da greentech em Full EPC (Engenharia, Compras e Construção, em português) nos processos de desenvolvimento de um projeto que engloba nove plantas solares fotovoltaicas .
As usinas estão distribuídas em Betânia, Boa Viagem e Amontada, no Ceará; Fazenda São João e Goytacazes, no Rio de Janeiro; Ceará Mirim, no Rio Grande do Norte; e Santarém, no Pará. Já em construção, as plantas devem começar a gerar energia no mês de maio. Com um pico representativo de potência, a capacidade total do projeto é de 26,5 MW, o que corresponde ao abastecimento mensal de energia de 5.500 residências, mais de 27 mil pessoas, considerando um gasto médio de 600 kWh/mês de cada unidade consumidora...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274304/byd-implantara-nove-usinas-solares-em-parceria-com-raizen-gera-desenvolvedora

ANEEL autoriza repasse de recursos da CCC a fornecedores da BBF para evitar apagões

A diretoria da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) autorizou, nesta terça-feira (26), o repasse direto dos custos com combustível – por meio da CCC (Conta de Consumo de Combustíveis) – para os fornecedores de óleo diesel da empresa BBF (Brasil Biofuels).
A decisão tem como objetivo evitar que haja uma suspensão do fornecimento de energia para cerca de 110 mil consumidores que vivem em localidades isoladas nos estados do Acre, Rondônia, Amazonas e Roraima.
Atualmente, a BFF é dona de mais de 20 usinas de energia na região Norte. A empresa, contudo, alega não ter caixa para pagar seus fornecedores, devido a uma grave crise financeira.
Durante a reunião da ANEEL, os diretores destacaram que a situação econômica atravessada pela companhia é “insustentável” e que a solução proposta pela Agência é temporária, uma vez que ela tem como objetivo evitar que um risco iminente de falta de combustível culmine no desabastecimento de energia nas localidades atendidas pela BBF...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/aneel-repasse-ccc-fornecedores-bbf-apagoes/

N5X: nova bolsa de energia iniciará negociações no segundo trimestre

A N5X, uma nova plataforma de negociação de energia elétrica no Brasil, está programada para iniciar suas operações no segundo trimestre deste ano. Até lá, geradoras, distribuidoras, instituições financeiras e comercializadoras de energia já podem se cadastrar.
A N5X oferece aos participantes do Mercado Livre de Energia a oportunidade de formalizar contratos de energia dentro da plataforma, o que promete trazer mais segurança e agilidade aos processos de negociação entre clientes e fornecedores.
De acordo com Dri Barbosa, CEO da N5X, o objetivo da nova bolsa é impulsionar o mercado de energia. “Queremos aumentar a liquidez no mercado de energia do Brasil, seguindo a evolução pela qual passaram países já liberalizados. Ouvimos o mercado, buscamos a melhor experiência do trader e desenvolvemos a nova plataforma N5X, que vem facilitar e dar mais segurança e transparência às negociações”, diz a executiva.
A N5X conta com o apoio de acionistas como o Venture Builder, um fundo de investimento independente da B3, e a Nodal (subsidiária americana do Grupo EEX, maior bolsa de energia do mundo)...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/n5x-nova-bolsa-de-energia-iniciara-negociacoes-no-segundo-trimestre/

Em dois meses, mais de 4,4 mil consumidores decidiram pelo Mercado Livre de Energia

O ritmo de migração para o Mercado Livre de Energia continua acelerado no Brasil. Nos primeiros dois meses deste ano, 4.403 consumidores já notificaram sua intenção de deixar o mercado regulado entre 2024 e 2025. 
De acordo com dados atualizados pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e apurados pelo Canal Solar, somente em fevereiro, 2.244 unidades escolheram a liberdade de selecionar seu fornecedor de energia.
O relatório de migração potencial revela que um total de 19.035 consumidores planejam ingressar no ACL (Ambiente de Contratação Livre) entre 2024 e 2025. Desse contingente, 94,66% (18.018) são unidades com consumo inferior a 500 kW, classificadas como clientes varejistas. 
As distribuidoras que mais perderam clientes são Copel (Paraná), Enel SP (São Paulo), Celesc (Santa Catarina), CPFL Paulista (São Paulo), Cemig (Minas Gerais), RGE (Rio Grande do Sul), Neoenergia Elektro (São Paulo), ENEL CE (Ceará) e Light (Rio de Janeiro)...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/dois-meses-consumidores-mercado-livre-energia/

Elevar energia alcança reconhecimento internacional em ESG

A Elevar Energia foi reconhecida pelo Latin American Quality Institute como "Empresa Brasileira do Ano 2024", destacando sua gestão de negócios e práticas reconhecidas pelo instituto através do “Modelo Q – ESG – O Diferencial Competitivo do Futuro”. A empresa busca contribuir não apenas em prol de seus interesses comerciais, mas também para o bem-estar das comunidades e a preservação do meio ambiente por meio de suas práticas ESG. Isso inclui o compromisso com a transparência, governança e compliance em todas as operações relacionadas à energia,
O Latin American Quality Institute é uma organização privada sem fins lucrativos, fundada na Cidade do Panamá em 2001, com o propósito de incentivar e apoiar a competitividade das empresas e organizações latino-americanas. Controla programas de reconhecimento para promover a eficácia dos sistemas empresariais. A LAQI (Latin American Quality Institute) é signatária dos projetos Global Compact e PRME (Principles for Responsible Management Education), ambos da Organização das Nações Unidas, e tem sede na Cidade do Panamá, Panamá...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359609&sid=105

Impacto da GD deve ser incluído nas perdas não técnicas das distribuidoras

A Agência Nacional de Energia Elétrica estuda incluir o impacto da micro e minigeração distribuída sobre o mercado de baixa tensão no cálculo das perdas não técnicas das distribuidoras. A proposta envolve o reconhecimento na tarifa da energia compensada de GD, da mesma forma como foi feito no cálculo das perdas técnicas nos processos tarifários de 2023. Os efeitos, segundo a Aneel, serão diferenciados por área de concessão.
As alternativas regulatórias de tratamento do tema vão ser discutidas em consulta pública, de 28 de março a 12 de maio. A Aneel já tinha realizado uma tomada de subsídios para tratar do aprimoramento dos dados do balanço energético para apuração das perdas de energia, sondando também o mercado sobre a possibilidade de homologação das perdas não técnicas sobre o mercado de baixa tensão medido.
A opção considerada a mais adequada pela Aneel deduz a energia injetada do cálculo da energia requerida para o mercado BT da distribuidora, considerando o valor medido no cálculo das perdas comerciais. Ela envolve alterações nos Procedimentos de Regulação Tarifária e nas planilhas de cálculo dos processos de reajuste e de revisão...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274371/impacto-da-gd-deve-ser-incluido-nas-perdas-nao-tecnicas-das-distribuidoras

Abraceel: 19 mil empresas vão ingressar no mercado livre

Até o dia 29 de fevereiro, cerca de 19.046 empresas já informaram às distribuidoras que vão migrar para o mercado livre de energia em busca de preços mais baixos e melhores serviços, o que ocorrerá ao longo de 2024 e 2025, segundo dados da Aneel levantados pela Associação Brasileira de Comercialização de Energia. Desse total, 18.027 unidades consumidoras (95%) são empresas de menor porte, com demanda menor de 500 kW, beneficiadas pela Portaria 50/2022.
A Abraceel considera que o ritmo de migração de consumidores do ambiente regulado para o mercado livre de energia está acelerado e que esse movimento deve se intensificar conforme os demais consumidores recebem informação sobre funcionamento e benefícios de poder escolher o fornecedor de energia. Segundo o presidente-executivo da entidade, Rodrigo Ferreira, o mercado livre é sinônimo de preços mais baixos, mas também de melhores serviços, inovação, eficiência e sustentabilidade, o que atende anseios dos consumidores de energia...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274330/abraceel-19-mil-empresas-vao-ingressar-no-mercado-livre

Light registra lucro líquido de R$ 49 milhões no quarto trimestre de 2023

A Light terminou o quarto trimestre de 2023 com lucro líquido de R$ 49 milhões, uma alta em relação ao prejuízo de R$ 619 milhões registrado no mesmo período do ano anterior. No ano, o resultado ficou em R$ 255 milhões.
O ebitda ajustado foi de R$ 619 milhões, um acréscimo em relação aos R$ 53 milhões registrados um ano antes. A receita líquida da companhia chegou a R$ 3 bilhões no 4T23, uma alta de 18% em relação ao mesmo período de 2022. No ano, a receita apresentou R$ 14 bilhões, uma alta de 5,1%.
Já o resultado financeiro ficou R$ 130 milhões, uma queda de 61% em relação aos R$ 337 milhões do ano de 2022. Em 2023, o resultado ficou em R$ 721 milhões, uma baixa de 58%.
Por fim, a despesa operacional ficou em R$ 3,3 bilhões, uma alta de 1,5% em relação ao mesmo período do ano anterior quando atingiu os R$ 3,2 bilhões. No acumulado do ano, o resultado ficou em R$ 12 bilhões, uma queda de 0,2%.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274256/light-registra-lucro-liquido-de-r-49-milhoes-no-quarto-trimestre-de-2023

UHE Jirau usa aplicativo digital em atividades de campo

As equipes de serviço da Operação e Manutenção da Usina Hidrelétrica Jirau implementaram em suas atividades de campo em 2023, o aplicativo Despacho Digital de Serviço (DDS). Essa iniciativa, que marcou a fase 2 do projeto, seguiu uma série de treinamentos intensivos ministrados às equipes envolvidas na Operação e Manutenção (incluindo as áreas da elétrica, mecânica e proteção digital), Engenharia Civil e seus respectivos empregados de empresas terceirizadas.
O projeto nasceu em 2020, em sua primeira fase, momento de maturação do escopo, onde a área de Tecnologia e Informação alinhou as expectativas e necessidades das áreas técnicas e iniciou o desenvolvimento do aplicativo com o objetivo de otimizar o despacho e realização das atividades de campo, reduzindo os riscos operacionais e de acidentes, aprimorando a logística dos trabalhos.
Todo o processo de gestão das atividades, distribuição das ordens de serviços, mapeamento de perfil de trabalho, gestão da disponibilidade de técnicos em operação e monitoramento de certificações são realizadas através da interface. No aplicativo, segundo a companhia, também é possível gerir a produtividade das equipes, o que auxilia na tomada de decisão de maneira dinâmica e assertiva...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274172/uhe-jirau-usa-aplicativo-digital-em-atividades-de-campo

Tolerância de consumidor com apagões prolongados não existe mais, alerta Feitosa

A mudança no comportamento do consumidor de energia elétrica e os eventos extremos tem enviado sinais que não podem ser ignorados pelo regulador, empresas e formuladores de políticas públicas, na avaliação do diretor-geral da Aneel, Sandoval Feitosa. O dirigente cobrou na semana passada uma mudança de postura das concessionárias de distribuição, para compatibilizar as necessidades do consumidor com as obrigações previstas nos contratos de concessão.
“Nós não podemos, no momento atual, conviver com a realidade que estamos tendo. A tolerância do consumidor para interrupções prolongadas de energia elétrica simplesmente não existe mais”, afirmou Feitosa, durante a entrega do Prêmio Aneel de Satisfação do Consumidor na última sexta-feira, 22 de março. A insatisfação dos clientes tem piorado a avaliação do índice Iasc, apurado anualmente pela agência, especialmente com grandes concessionárias...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274187/tolerancia-de-consumidor-com-apagoes-prolongados-nao-existe-mais-alerta-feitosa

bottom of page