top of page

01/03/2024

Equatorial Energia investirá R$ 2,6 bi para conectar 280 mil pessoas à rede elétrica

A Equatorial Energia assinou contrato com o governo federal para realizar investimentos de R$ 2,6 bilhões no âmbito do programa de universalização de energia Luz para Todos.
Os investimentos serão realizados no Pará, atendendo, até 2025, a 280 mil pessoas que não contam com energia elétrica. Serão realizadas cerca de 70 mil ligações em 55 municípios no período.
As ligações se dividem em convencionais e remotas. As ligações convencionais envolvem a realização de 415 travessias e 14 mil quilômetros de rede para atendimento de cerca de 40 mil ligações, além de ampliações em 18 subestações. 
Já as remotas, afirmou a companhia, envolvem o uso de painéis solares, para realizar quase 30 mil conexões.
O contrato foi assinado em cerimônia que contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, e do governador do Pará, Helder Barbalho, além do presidente da companhia, Augusto Miranda. 
Desde que assumiu a concessão no Pará, a Equatorial Energia já realizou mais de 170 milligações pelo programa Luz para Todos.

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359060&sid=105

Transição energética pode turbinar futura abertura de capital da UCB

A demanda por sistemas de armazenamento de energia em baterias no Brasil deve impulsionar os resultados da UCB, antiga Unicoba, este ano e pavimentar o caminho da empresa para uma abertura de capital na Bolsa (IPO, da sigla em inglês), com a expectativa de movimentar mais de R$ 1 bilhão.
Após uma tentativa frustrada de IPO em 2021, e da entrada do fundo de investimentos Spectra entre seus principais acionistas, a empresa almeja para este ano um crescimento de 38,5% no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), em relação aos R$ 130 milhões obtidos no ano passado, alcançando R$ 180 milhões. Esse é considerado um passo importante na preparação da empresa para o IPO, que é planejado para a próxima janela do mercado de capitais.
Para o diretor-presidente da companhia, George Fernandes, a meta é ousada, mas plenamente factível, uma vez que a empresa já vem crescendo anualmente, em média, 25% nos últimos cinco anos, e a evolução do setor elétrico, com o avanço de participação de fontes intermitentes como eólica e solar fotovoltaica, aumenta a relevância de sistemas de armazenamento...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358993&sid=105

CPFL Transmissão incorpora Cone Sul

A CPFL Energia anunciou que foi aprovada a incorporação, pela CPFL Transmissão, de sua controladora direta, Cone Sul. Segundo a companhia, após esse movimento será possível a simplificação da estrutura societária e de governança do grupo econômico em que as sociedades estão inseridas, o aumento da eficiência operacional, resultando em uma melhor utilização de recursos e redução de custos e despesas administrativas. A incorporação foi aceita pela Aneel.
Em razão da incorporação, a totalidade das ações de emissão da CPFL Transmissão de titularidade da Cone Sul serão canceladas e novas ações serão atribuídas à sua única sócia, CPFL Brasil, em substituição a sua participação no capital social da Cone Sul, e a Cone Sul será extinta e seu acervo líquido será absorvido pela CPFL Transmissão.
Diante deste cenário, o capital social da CPFL Transmissão será aumentado em R$ 20 milhões, passando de R$ 981 milhões para R$ 1 bilhão.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271942/cpfl-transmissao-incorpora-cone-sul

Amapá recebe primeira subestação móvel da WEG

A WEG forneceu a primeira subestação móvel do Amapá para a CEA Equatorial. A aquisição tem como objetivo, garantir a eficiência e confiabilidade no fornecimento de energia para os amapaenses.
Dentro da subestação móvel, são alocados equipamentos e dispositivos de alta complexidade, com um enfoque constante na obtenção de confiabilidade, bem como na otimização de peso e dimensões. Essa abordagem atenderá as regulamentações de tráfego, permitindo a rápida mobilidade entre diversas localidades, de maneira ágil e prioritária.
De acordo com a WEG, o componente central é o transformador de potência, o qual foi concebido para operar em múltiplas faixas de tensão, abrangendo tanto níveis de alta quanto de baixa tensão. Especificamente, trata-se de um transformador com capacidade de 30 MVA, configurado para tensões primárias de 138 kV e 69 kV, e secundárias de 34,5 kV e 13,8 kV. Essa versatilidade permite o transformador a desempenhar funções em diversas subestações da rede de energia elétrica da CEA Equatorial, assegurando o atendimento de uma ampla gama de subestações, de acordo com suas necessidades particulares.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271905/amapa-recebe-primeira-subestacao-movel-da-weg

Equatorial Alagoas realiza operação de combate ao furto de energia

A Equatorial Alagoas divulgou na última terça-feira, 27 de fevereiro, o balanço da “Operação Verão”, desencadeada na 1ª semana de janeiro, na cidade de Maragogi, com inspeções para combater o furto de energia elétrica conhecido também como “gato”. Até o momento a distribuidora já constatou mais de 1.200 irregularidades.
Segundo a concessionária, durante as inspeções realizadas, não apenas em residências, foram contabilizadas 238 fraudes em estabelecimentos comerciais, de pequeno e grande porte, à exemplo de mercadinhos, hotéis, pousadas, bares e restaurantes. Foram constatadas irregularidades entre ligações clandestinas e intervenções ilegais no sistema de distribuição de energia da companhia.
Somente em Maragogi, ao todo, 1.249 autuações foram lavradas por fraude e de acordo com dados da Distribuidora, o volume de energia recuperada é suficiente para abastecer aproximadamente 5.833 residências por um ano ou fornecer energia para a cidade de São Miguel dos Campos durante o período de um mês.
A distribuidora destacou que apenas profissionais qualificados e autorizados podem realizar qualquer intervenção na rede e as ligações irregulares, por sua vez, são feitas por pessoas sem a devida capacitação para executar o serviço, sem seguir os critérios técnicos e de segurança necessários que garantem a qualidade, integridade da rede e continuidade do fornecimento.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271892/equatorial-alagoas-realiza-operacao-de-combate-ao-furto-de-energia

Análise de maior pena para furto de cabos de energia é adiada no Senado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal adiou nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, a análise e votação do projeto que aumenta a pena para o crime de furto e receptação de equipamentos relacionados ao fornecimento de serviços públicos, como cabos de energia elétrica, telefonia, televisão e internet.
A proposta (PL 2.459/2022) da senadora Leila Barros (PDT-DF), que modifica o Código Penal e Lei 2.848, de 1940, recebeu parecer favorável do relator, senador Jorge Kajuru (PSB-GO), o qual sugeriu um ajuste de redação, acatando uma emenda do senador Fabiano Contarato (PT-ES). O texto foi retirado de pauta e teve a votação adiada a pedido do relator.
A emenda acatada estabelece o abrandamento da pena para réus primários. Nesses casos, se o objeto furtado for de pequeno valor, poderá ser aplicada uma pena menor em regime semiaberto ou apenas multa. Segundo o PL, a pena pode aumentar entre um terço e o dobro, saindo dos atuais um a quatro anos e multa. Já para quem adquirir os equipamentos roubados, a penalidade será aplicada em dobro e poderá chegar até reclusão de oito anos.
O texto é analisado de forma terminativa pela CCJ. Depois de aprovado pelo colegiado será encaminhado para a Câmara dos Deputados, caso não haja recurso para a votação em Plenário.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271881/analise-de-maior-pena-para-furto-de-cabos-de-energia-e-adiada-no-senado

Engie participará de leilão de transmissão e vê AES com um ativo interessante

A Engie Brasil Energia afirmou nesta quarta-feira, 28 de fevereiro, que a AES tem um bom retorno e pode agregar ao seu portfólio. “Os ativos são bem interessantes e não tenho dúvidas. Não estou dizendo que a gente vai entrar ou não, mas são boas usinas no Sudeste brasileiro e bem posicionadas e eu acho que pode ser que dentro desse processo a gente tenha algum interesse”, disse o diretor presidente da companhia, Eduardo Sattamini.
Durante teleconferência com investidores, o executivo também afirmou que eles vão participar do próximo leilão de transmissão, marcado para março. “Estamos olhando alguns nortes e estudando profundamente para que a gente possa manter os retornos requeridos e adequados. Estamos trabalhando muito na otimização e performance dos nossos ativos”, explicou.
Quando questionado sobre a participação no próximo leilão de capacidade com as usinas Jaguara e Salto Santiago, Sattamini declarou que acredita que o certame não deverá ocorrer em abril desse ano e vê isso como uma possibilidade para preparar e discutir amplamente a participação das hidrelétricas necessárias...

Fonte:Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271895/engie-participara-de-leilao-de-transmissao-e-ve-aes-com-um-ativo-interessante

Governo cria GT técnico para avaliar privatizações recentes no setor

Foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 28 de fevereiro, a portaria 177/2024, que cria Grupo de Trabalho Técnico para acolher e sistematizar percepções e propostas da sociedade civil relacionadas aos processos recentes de desestatizações no setor elétrico e suas consequências. O relatório final será entregue no prazo de 120 dias, a partir da realização da sua primeira reunião.
De acordo com a portaria, o GTT está abrigado na Secretaria-Geral da Presidência da República -a quem será entregue o relatório final – e a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais e Articulação de Políticas Públicas prestará apoio administrativo aos trabalhos do grupo. Participarão do grupo indicados por órgãos e entidades da administração pública, relacionados à sua finalidade.
O grupo também poderá convidar para participar das reuniões, as organizações da sociedade civil, movimentos sociais e especialistas para prestar informações e contribuições. As reuniões serão semanais e as deliberações serão tomadas por consenso. É permitida a prorrogação por prazo determinado, por meio de ato do Ministro de Estado da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53271862/governo-cria-gt-tecnico-para-avaliar-privatizacoes-recentes-no-setor

Por que as distribuidoras demoram tanto para restabelecer o fornecimento de energia?

A Resolução Normativa 1.000/2021 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) determina que todos os consumidores afetados por falhas na rede elétrica devem ter a sua energia restabelecida pelas distribuidoras num prazo de até 24h para moradores de zonas urbanas e de até 48h para clientes de zonas rurais.
Contudo, o que tem se visto, na prática, é algo diferente disso. Somente nos últimos meses, várias concessionárias vem sendo processadas por moradores e órgãos públicos em razão de quedas de energia causadas por fortes chuvas. 
No dia 3 novembro de 2023, uma tempestade que caiu na Região Metropolitana de São Paulo deixou mais de 2 milhões de imóveis sem acesso à luz, num apagão que para muitos imóveis durou mais de uma semana.
Somente nos estabelecimentos comerciais desses municípios foram mais de R$ 126 milhões em prejuízo calculados pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo)...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/por-que-as-distribuidoras-demoram-tanto-para-restabelecer-o-fornecimento-de-energia/

bottom of page