top of page

18/03/2024

Consumidor ficou, em média, 10,4 horas sem energia em 2023, aponta Aneel

Apesar de grandes apagões provocados por tempestades no ano passado, como em São Paulo e no Rio Grande do Sul, o brasileiro ficou, em média, menos tempo sem energia em 2023. Segundo levantamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o consumidor ficou 10,4 horas sem eletricidade no ano passado, com cinco cortes de fornecimento no ano. 
O levantamento representa dado médio, tempo e número de eventos de interrupções divididos pelo total de consumidores. Em 2022, o brasileiro ficou 11,2 horas sem energia, com 5,47 cortes de fornecimento, em média, para cada um. 
Segundo a agência, houve melhora na qualidade de prestação do serviço entre 2022 e 2023, com redução no tempo médio e na frequência das quedas de energia. 
Pagamentos de compensações à Aneel 
Em 2023, as concessionárias pagaram R$ 1,08 bilhão à agência reguladora, contra R$ 765 milhões em 2022…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359396&sid=105

Enel é responsável por quedas de energia para 62% dos paulistanos, diz Datafolha

Transtorno que aparece como o segundo mais recorrente na percepção dos moradores de São Paulo, as quedas de energia têm como principal culpada a distribuidora de energia Enel, segundo 62% das pessoas ouvidas na pesquisa Datafolha sobre problemas e prioridades da cidade.
A empresa detentora da concessão pública para levar eletricidade às residências e empresas paulistanas não é, porém, a única instituição sobre a qual recai a responsabilidade pelos apagões ocorridos nos últimos 12 meses. A gestão do prefeito Ricardo Nunes (MDB) é apontada como a maior responsável pelo problema por 18% dos entrevistados.
Na sequência aparecem o governo estadual de Tarcísio de Freitas (Republicanos), com 7%, seguido pela gestão federal do presidente Lula (PT), com 4%, de acordo com resultado da pesquisa espontânea --quando o entrevistador não apresenta alternativas para a resposta...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359395&sid=105

Companhias aceleram preparativos para leilão de transmissão

A corrida para arrematar os lotes do primeiro leilão de transmissão de 2024 entrou na reta final. Empresas, fabricantes e construtoras já estão finalizando propostas e orçamentos para um certame que volta aos moldes tradicionais de bastante concorrência e expectativa de grande deságio. 
O leilão de transmissão de 2024 está agendado para o dia 28 de março, na B3, em São Paulo, com projeção de investimentos de R$ 18,2 bilhões. O certame abrange a construção e manutenção de quase 6.500 quilômetros de linhas de transmissão, distribuídos em 15 lotes em 14 Estados. O objetivo é facilitar o escoamento da energia solar e eólica para os centros de consumo, além de fortalecer a segurança operacional do Sistema Interligado Nacional (SIN).
Eletrobras, Alupar e Engie confirmaram participação. A Taesa desistiu pelo nível de endividamento. A Copel vai focar em disciplina financeira e descarta participação em leilão. Já a colombiana Isa Cteep tem R$ 15 bilhões a executar nos próximos anos e também não participará. São esperados ainda CPFL, Energisa e Neoenergia...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359393&sid=105

Sistema não invasivo que detecta falhas em geradores avança em SC

A AQTech está avançando com o desenvolvimento do sistema que detecta falhas em geradores de energia elétrica ainda em estágio inicial. O denominado “MagAnalyzer” é fruto de um projeto do programa de Pesquisa & Desenvolvimento da Aneel em conjunto com a Engie, Itasa, além de pesquisadores e estudantes do Grupo de Concepção e Análise de Dispositivos Eletromagnéticos (GRUCAD) da Universidade Federal de Santa Catarina.
A solução consiste em um equipamento não invasivo para análises preditivas em geradores síncronos através do campo magnético externo, O início da operação ocorreu em 2012 com desenvolvimento de softwares experimentais. Em 2019, a multinacional catarinense ingressou no processo de industrialização do protótipo criado, que até então tinha dois pilotos instalados.
Agora a ferramenta está em lote pioneiro. A fase atual iniciou em agosto de 2023 e tem previsão de conclusão em até 30 meses. Cerca de 30 colaboradores participam de forma direta nesse período, sob liderança do professor do Departamento de Engenharia Elétrica e Eletrônica da UFSC, Nelson Jhoe Batistela, que idealizou o projeto tido pela empresa como inédito no setor elétrico...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273256/sistema-nao-invasivo-que-detecta-falhas-em-geradores-avanca-em-sc

Urgente! China lança primeiro sistema de armazenamento de energia por gravidade

A Energy Vault anunciou a conexão de seu primeiro sistema comercial de armazenamento de energia por gravidade, o EVx, à rede elétrica na China, marcando um avanço significativo na implementação de soluções inovadoras para o armazenamento de energia.
Este sistema, localizado em Rudong, possui capacidade de 25 MW/100 MWh e foi conectado em dezembro de 2023. O projeto agora prossegue para a fase de comissionamento completo.
Além deste, a empresa deu início à construção de três outros sistemas no país, totalizando uma capacidade adicional de 468 MWh.
A Energy Vault, em colaboração com seus parceiros locais China Tianying (CNTY) e Atlas Renewable, tem atualmente outros nove projetos EVx em desenvolvimento na China, somando 3,7 GWh de capacidade.
Entre os novos projetos, destacam-se:
– Um sistema de 17 MW/68 MWh em Zhangye, Província de Gansu, próximo a uma usina de energia renovável e um ponto de interconexão com a rede nacional.
– Um sistema de 50 MW/200 MWh em Ziuquan, Condado de Jinta, Província de Gansu.
– Um sistema de 25 MW/100 MWh em Huailai Cunrui, Condado de Zhangjiakou, Província de Hebei...

Fonte: O Cafezinho

Leia mais em:

https://www.ocafezinho.com/2024/03/17/urgente-china-lanca-primeiro-sistema-de-armazenamento-de-energia-por-gravidade/

Aneel quer evitar manipulação nas migrações ao mercado livre

O diretor da Aneel, Ricardo Tili, determinou a abertura de um processo para identificar eventuais manipulações no processo de adesão ao mercado livre. Durante o último painel no evento Agenda Setorial, que aconteceu na última quarta-feira (13) no Rio de Janeiro, Tili explicou que essas eventuais práticas anti-competitivas podem acontecer por parte das distribuidoras em diminuir prazo de migração para beneficiar algum varejista, pertencente ao mesmo grupo econômico, o que será fiscalizado pela Agência, inclusive com dados que a CCEE vai passar a deter mais explicitamente com o Sistema de Gestão de Informações.
“Vamos apurar quais consumidores, em que área de concessão estão e se o tratamento foi dado a todos naquela região, sob pena de discussão de multa às distribuidoras”, disse o diretor, afirmando que por vezes o tratamento de demandas como essa na Agência não está na mudança regulatória, mas nos processos de fiscalização, com avaliação constante devido à dinâmica dos processos envolvendo o setor...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273170/aneel-quer-evitar-manipulacao-nas-migracoes-ao-mercado-livre

Eneva acredita em alta demanda no leilão de capacidade

A Eneva nutre boas expectativas quanto ao tamanho do leilão de capacidade que deve acontecer em 30 de agosto com produtos térmicos e hídricos de sete e 15 anos. Em teleconferência ao mercado nessa sexta-feira, 15 de março, o diretor-presidente da companhia, Lino Cançado, destacou que existem várias visões de qual é a demanda necessária para a competição, cujo foco da geradora recai na recontratação das UTEs Parnaíba 1 e 3 e a viabilização da expansão do Hub de gás no Sergipe.
“Acreditamos que a demanda deve ser alta devido ao crescimento da carga e inserção de fontes intermitentes no sistema. Mas tem muita incerteza, entre parâmetros e premissas que sensibilizam essa questão”, avalia o executivo.
Ele ponderou que existem diversos projetos de térmicas já existentes para o leilão, o que as torna mais competitivas, mas que a grande questão é a definição da solução de suprimento de gás no requisito exigido como 100% flexível. “Apesar de olhar no planejamento do sistema um volume grande de UTEs não acreditamos que 100% delas vão ter condições de participar de forma competitiva, assim como em 2021”, lembra...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273321/eneva-acredita-em-alta-demanda-no-leilao-de-capacidade

bottom of page