top of page

22/03/2024

Energisa compra a Clarke, um “corretor e contador” do mercado livre de energia

A Energisa acaba de anunciar que está comprando a Clarke Energia, uma startup que atua no mercado de gestão de energia intermediando a compra e venda de megawatts para empresas que operam na média e alta tensão. O valor da aquisição não foi revelado, mas a Energisa disse que comprou 70% da Clarke, com os fundadores ficando com os 30% restantes. Os vendedores foram fundos de venture capital que investiram na Clarke no início da operação, incluindo a Canary, a Niu Ventures, a CSN Ventures e a EDP Ventures.  A transação foi estruturada com uma secundária – que limpou o cap table – e uma primária que injetou recursos no caixa para ajudar a empresa a crescer.  O modelo de gestão de energia já existe há décadas no Brasil, mas a Clarke inovou ao levar este mercado do analógico para o digital. O co-fundador da Clarke, Pedro Rio, disse ao Brazil Journal que a atuação de um gestor de energia é como se fosse “a mistura de um corretor com um contador.”…
Fonte: Brazil Journal

Leia mais em:

https://braziljournal.com/energisa-compra-a-clarke-um-corretor-e-contador-do-mercado-livre-de-energia/

Após quedas de energia, Nunes volta a pedir a rescisão do contrato com a Enel

Durante mais uma crise no abastecimento de energia elétrica que a capital paulista enfrenta, o Prefeito Ricardo Nunes teceu mais críticas à concessionária responsável pelo serviço — a Enel — e pediu a rescisão imediata do contrato. A fala foi feita na manhã desta quinta (21), durante a entrega de melhorias do terminal Pinheiros, zona oeste de São Paulo.
“A Enel tem o contrato de concessão até 2028, existe até a possibilidade de renovação do vínculo, mas a Prefeitura de São Paulo pede a rescisão da concessão”, ressaltou Nunes.
O Prefeito também citou que a responsabilidade da manutenção do contrato depende de outros órgãos, como o Governo Federal e ressaltou a necessidade da articulação de uma lei federal para os municípios poderem avaliar as concessões e cobrar os serviços prometidos com veemência.
“Uma senhora veio me cobrar na padaria o porquê de ela estar sem energia elétrica. Eu tentei explicar que eu não tenho o que fazer do ponto de vista de multar, autuar, de tirar ela daqui, porque isto só cabe aos órgãos federais. A Prefeitura e outros municípios precisam ter algum tipo de ferramenta para defesa dos seus munícipes”...

Fonte: CNN Brasil

Leia mais em:

https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/apos-quedas-de-energia-nunes-volta-a-pedir-a-rescisao-do-contrato-com-a-enel/

Ministro compara combustíveis fósseis ao cigarro e quer dinheiro do petróleo na transição energética

Os combustíveis fósseis serão tão "repudiados" quanto os cigarros, disse o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, que defende uma descarbonização global mais rápida, porém equitativa, para os países em desenvolvimento."A transição energética se dará de um jeito ou do outro, mas ela se dará também por outro fator que é a questão cultural. As novas gerações já começam a repudiar os combustíveis fósseis, como repudiaram [o tabaco] nos últimos 20 anos: uma mudança cultural no mundo muito forte com relação à indústria do cigarro", disse Silveira em entrevista à AFP na quarta-feira, 20, em Houston, no estado americano do Texas.
"As petroleiras têm que reconhecer isso até pela própria sustentabilidade no médio prazo", acrescentou o ministro, que participa no fórum global de Energia CeraWeek.
Silveira usou o exemplo do tabaco ao lembrar que houve uma "consciência política" dos malefícios que o cigarro causa à saúde pública, o que gera custos para os países. "O mesmo vai acontecer com o petróleo", insistiu...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/esg/ministro-compara-petroleo-ao-cigarro-e-apoia-dinheiro-do-petroleo-na-transicao-energetica/

Novo Cadastro Institucional da ANEEL será lançado nesta segunda-feira (25)

Cadastro Institucional da ANEEL (CDA) será substituído pelo CDA2 a partir desta segunda-feira (25/3). No novo sistema, passará para os agentes a responsabilidade de manter suas informações atualizadas, algo que era feito antes via ANEEL. Outro benefício é que a identificação do setor ao qual uma determinada entidade será feita de forma automática pelos sistemas que gerenciam as outorgas.
O Cadastro Institucional da ANEEL é o sistema oficial de informações de interesse da Agência e alcança pessoas físicas e jurídicas. Ele promove a integração de dados com as principais bases governamentais do Brasil: a Receita Federal do Brasil (RFB), o Login Único (Gov.Br), o SIORG, o ComprasNet e os Correios (ECT).
A realização do cadastro é obrigatória para agentes setoriais, potenciais agentes, pessoas contratadas ou que tenham interesse em celebrar contrato de fornecimento de bens ou serviços com a ANEEL, conselhos de consumidores de energia elétrica e outras pessoas físicas e jurídicas que queiram usar os serviços digitais da Agência. Não será necessário, contudo, realizar o cadastro institucional para registrar reclamações, pedidos de informações, dúvidas, sugestões e elogios de consumidores de energia elétrica. Essas demandas são feitas por meio do Sistema de Gestão de Ouvidoria (SGO), apartado do CDA2...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2024/novo-cadastro-institucional-da-aneel-sera-lancado-nesta-segunda-feira-25

Eletronuclear busca capital com os acionistas para estender vida útil de Angra 1 por 20 anos

A Eletronuclear busca apoio financeiro de seus acionistas - a Energia Nuclear e Binacional S.A. (ENBPar) e Eletrobras - para estender a vida útil da usina Angra 1 por mais 20 anos, investimento estimado em R$ 3 bilhões, e para concluir Angra 3, ao custo previsto de R$ 20 bilhões. 
A licença de operação da Angra 1, que completa 40 anos neste ano, termina em dezembro - os aportes, incluindo impostos, são necessários para estender a capacidade por mais duas décadas. 
Já o projeto da usina nuclear de Angra 3 se arrasta desde os anos 1980 e parou por conta da crise econômica da década perdida e de denúncias de corrupção. Até o momento, foram investidos R$ 7,8 bilhões e são necessários quase o triplo desse valor para colocá-la em pé. Já foram realizados 67% da obra civil. Se concluída, a usina terá uma capacidade instalada de 1,4 GW...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359504&sid=105

Fiscalização em distribuidoras apura recusa de conexão de GD

A Agência Nacional de Energia Elétrica iniciou fiscalização na Neoenergia Coelba (BA), Cemig (MG), CPFL Paulista (SP), Elektro (SP) e RGE (RS), que são acusadas por micro e minigeradores de dificultar o acesso à rede, alegando inversão de fluxo de potência. As cinco distribuidoras tiveram o maior número de reclamações relacionadas ao tema, em enquete realizada pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica com seus associados.
Na Coelba e na Cemig, o processo será conduzido pela Superintendência de Fiscalização da Aneel. Uma inspeção está sendo feita in loco esta semana na concessionária que atua na Bahia, enquanto na de Minas Gerais a fiscalização está prevista para maio.
CPFL Paulista e Elektro serão fiscalizadas pela Arsesp, a agência reguladora do estado de São Paulo, ambas com visitas agendadas para março. A RGE , que atua no Rio Grande do Sul, também terá fiscalização in loco da agência gaúcha Agergs, entre o fim do mês de março e o início de abril...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273883/fiscalizacao-em-distribuidoras-apura-recusa-de-conexao-de-gd

Setor de GD reage a suspeita de venda ilegal de créditos levantada pelo TCU

O segmento de GD reagiu à determinação do Tribunal de Contas da União para que a Agência Nacional da Energia Elétrica se manifeste em 15 dias sobre indícios de possível comercialização ilegal de créditos de energia na micro e minigeração distribuída. Executivos da Absolar e da ABGD defenderam o modelo de geração compartilhada e afirmaram que se houver alguma prática nesse sentido, ela é resultante da ação de uma minoria.
Um despacho assinado no último dia 13 pelo ministro Antônio Anastasia autoriza a unidade técnica responsável pelos processos do setor elétrico no TCU a ouvir a Aneel sobre as suspeitas de irregularidades levantadas pelos auditores na contratação de GD por assinatura. O documento também pede uma avaliação da agência sobre a possibilidade de o TCU exigir a elaboração de um plano de fiscalização em 60 dias, para identificar e aplicar penalidades por descumprimento do marco legal da GD (Lei 14.300), além da apresentação em 80 dias de uma proposta para regulamentar o tema...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273813/setor-de-gd-reage-a-suspeita-de-venda-ilegal-de-creditos-levantada-pelo-tcu

Inmetro coordena estudo para otimizar medições de biometano

O Inmetro está coordenando um estudo colaborativo com 10 cilindros de biogás para averiguar os resultados dos analisadores de gases e de cromatógrafos. O objetivo é entender se esses métodos se comprovam como intercambiáveis e se podem ser utilizados como aferição, para no caso uma mudança ou adequação dos padrões regulatórios. A informação foi passada pela pesquisadora do Laboratório de Análises de Gases, Cristiane Augusto, durante evento realizado pela Associação Brasileira do Biogás (ABiogás) e apoiado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) para tratar das oportunidades e desafios do setor de biogás e biometano.
Cristiane disse que a diretoria de metrologia cientifica do Instituto está buscando promover melhorias como no método de medição do biometano, que é extremamente caro e que muitas vezes prejudica a viabilidade econômica dos projetos. E que é preciso uma portaria conjunta entre a Instituição e o ANP para questões envolvendo controles de vazão, como de composição...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273771/inmetro-coordena-estudo-para-otimizar-medicoes-de-biometano

ANEEL impulsiona a inovação no setor elétrico com foco no hidrogênio

Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) está prestes a dar um grande passo em direção à inovação no setor elétrico brasileiro. A Chamada Estratégica de Projeto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PDI) n.º 23, com foco no "Hidrogênio no Contexto do Setor Elétrico Brasileiro", foi aprovada pela diretoria colegiada da ANEEL na 7ª Reunião Pública de Diretoria, em 12 de março de 2024. O movimento reforça o compromisso da ANEEL com a transição energética e o desenvolvimento tecnológico sustentável.
A documentação completa da Chamada está disponível na Biblioteca Virtual da ANEEL. Acesse aqui.
Contexto e Importância
Em resposta às orientações do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) e alinhada com o Programa Nacional do Hidrogênio (PNH₂), a ANEEL está direcionando esforços para fomentar o uso de hidrogênio como vetor energético. O hidrogênio, especialmente quando produzido a partir de fontes renováveis, apresenta-se como uma alternativa promissora para a descarbonização da economia brasileira...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2024/aneel-impulsiona-a-inovacao-no-setor-eletrico-com-foco-no-hidrogenio

bottom of page