top of page

11/03/2024

Usina de Itaipu alcança produção recorde de 3 bilhões de megawatts-hora

A usina Itaipu Binacional alcançou no sábado, 9, a produção de 3 bilhões de megawatts-hora (MWh) desde que começou a funcionar em 1984. Operada por Paraguai e Brasil, a hidrelétrica teria capacidade para abastecer todo o mundo por 43 dias e se tornou a maior geradora de energia limpa e renovável do planeta.
De acordo com a Itaipu, “esse montante (3 bilhões de megawatts-hora) dificilmente será superado nas próximas décadas por qualquer outra hidrelétrica.”
O volume de energia de Itaipu também poderia abastecer o Brasil por 5 anos e 11 meses.
Atrás de Itaipu, está a usina de Três Gargantas, na China, que gerou 1,66 bilhão de MWh até 2023.
A usina de Itaipu foi inaugurada em 5 de maio de 1984 e só alcançou a marca de 1 bilhão de MWh produzidos em junho de 2001. Em 2012, alcançou a produção de 2 bilhões de MWh…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359242&sid=105

Ciclo de investimento em energia será de R$ 225 bilhões até 2026

Depois de atrair US$ 35 bilhões (cerca de R$ 175 bilhões) em investimentos já contratados para a descarbonização em 2023, o Brasil se prepara para um novo ciclo de aportes bilionários entre este ano e 2026. O setor de energia vai demandar cerca de R$ 225 bilhões em novos investimentos para viabilizar a expansão da geração de eletricidade e redes de transmissão para fazer chegar energia a todas as regiões do país. 
O levantamento foi feito pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculado ao Ministério de Minas e Energia (MME), a pedido do Valor, e mapeou os principais investimentos anunciados e os previstos que serão necessários para atender as necessidades do país. 
Para viabilizar a expansão da geração do cenário de referência do Plano Decenal de Expansão (PDE), até o ano de 2031, estima-se que, quase R$ 192 bilhões devem ser captados até o fim de 2026...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359240&sid=105

Pernambuco recuperou energia desviada em 2023 suficiente para suprir Olinda por seis meses, diz Neoenergia

Ações de prevenção e combate a desvios de energia realizadas pela Neoenergia Pernambuco levaram à recuperação recorde de cerca de 195 milhões de quilowatts-hora (kWh), entre janeiro e dezembro de 2023. 
O número é 28% superior ao mesmo período de 2022. O montante de energia é suficiente para abastecer a cidade de Olinda por seis meses.
Para alcançar esses resultados, foram realizadas ações como inspeções e regularização de clientes, com o uso de soluções inovadoras, como analytics e sensores inteligentes.
"A tecnologia nos permite agir de forma estratégica e assertiva, combatendo desvios com mais eficiência, seja com foco em consumidores residenciais ou empresariais. Além de permitirem a recuperação de energia, essas ações permitem que as pessoas tenham acesso aos serviços com ainda mais qualidade e segurança", afirma o gerente de recuperação de energia da Neoenergia Pernambuco, Hugo Cézar...

Fonte: Diário de Pernambuco

Leia mais em:

https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/vidaurbana/2024/03/pernambuco-recuperou-energia-desviada-que-supria-olinda-seis-meses.html

Estudo da Wood Mackenzie revela três cenários para transição energética

Reduzir as emissões globais de gases tóxicos na atmosfera para níveis pré-industriais e alcançar a neutralidade de carbono representam um dos maiores desafios para a humanidade.
Essa é a principal conclusão apresentada por um novo estudo realizado pela Wood Mackenzie, ‘Serviços de transição energética’ , que cita três rotas diferentes com grandes ambições para que o mundo alcance  a tão sonhada transição energética
Cenário mais provável
O primeiro cenário citado no estudo é o “Cenário mais provável”, que incorpora a evolução das políticas atuais e o avanço tecnológico que ocorrerão no futuro. “Os projetos de captura CCUS (Carbon capture – captura de carbono) e de hidrogênio de baixo carbono entram em fase de execução” afirmou o estudo. “Contudo, a sua contribuição para a redução das emissões é limitada nesta década porque a economia ainda não funciona sem subsídios”, completou...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/estudo-da-wood-mackenzie-revela-tres-cenarios-para-transicao-energetica/

Light convoca Assembleia Geral de Credores

A Light informou que a 3ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro determinou, nos autos da recuperação judicial da Companhia, a convocação da Assembleia Geral de Credores para o dia 25 de abril de 2024, em primeira convocação, e em 03 de maio de 2024, em segunda convocação, bem como a publicação do edital correspondente e demais providências de praxe.
Vale lembrar que no dia 12 de maio de 2023, a Light S.A. comunicou ao mercado, via fato relevante, o ajuizamento do pedido de Recuperação Judicial perante a 3ª Vara Empresarial, o qual foi deferido no dia 15 de abril de 2023.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272787/light-convoca-assembleia-geral-de-credores

Quais estados do Brasil produzem mais energia eólica?

De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), hoje o Brasil possui 1.039 parques eólicos e existem mais de 11.000 aerogeradores em operação. Sendo que a capacidade instalada em operação comercial e em teste chega a 31 GW. Ao todo já são 12 estados com operações dessa fonte limpa, mas quais são os melhores estados para produzir energia eólica, afinal? Será que há uma região com maior destaque?
A verdade é que os bons ventos do nordeste lideram esse ranking, sendo uma das melhores regiões para o investimento. Descubra agora o top três entre os estados que fazem parte da indústria eólica brasileira capaz de ajudar no enfrentamento até mesmo da emergência climática...

Fonte: Olhar Digital

Leia mais em:

https://olhardigital.com.br/2024/03/10/ciencia-e-espaco/quais-estados-do-brasil-produzem-mais-energia-eolica/

Governo marca leilão de reserva de energia e inclui hidrelétricas

O Ministério de Minas e Energia publicou portaria nesta 6ª feira (8.mar.2024) autorizando a abertura de consulta pública sobre um leilão de reserva de energia. A disputa será no dia 30 de agosto e será destinada à contratação de potência elétrica de usinas de geração novas e existentes com o objetivo de garantir o fornecimento de energia elétrica no país. Eis a íntegra da portaria 774 de 2024 (PDF – 252 kB).
O governo estabeleceu que o leilão, além de contratar potência de usinas termelétricas como é habitual, também terá a participação de hidrelétricas. Empreendimentos hídricos terão contratação assegurada em uma das modalidades da disputa, atendendo a um pleito desses geradores, que ficaram de fora do leilão de 2021. Neste ano, há um temor de agentes do setor quanto aos níveis dos reservatórios das hidrelétricas no período seco...

Fonte: Poder 360

Leia mais em:

https://www.poder360.com.br/energia/governo-marca-leilao-de-reserva-de-energia-e-inclui-hidreletricas/

Petrobras poderá disputar leilão de capacidade com térmicas

A Petrobras analisará a sua participação no próximo leilão de reserva de capacidade na forma de potência, cujas diretrizes foram colocadas em consulta pública nesta sexta-feira 08 de março. A empresa acredita que suas térmicas que estão descontratadas poderão participar do certame que é previsto para ser realizado em 30 de agosto.
O diretor executivo de Transição Energética e Sustentabilidade, Maurício Tolmasquim, classifica como uma possibilidade concreta da empresa disputar o certame com as usinas existentes. E os planos da empresa ainda envolvem mais uma UTE a ser construída no Gaslub. Contudo, destacou ele em entrevista sobre os resultados da empresa, essa última não deverá ficar pronta a tempo de acordo com as diretrizes do MME.
“Essa não daria tempo, entraria depois do prazo, mas para os leilões futuros pode ser viabilizada”, disse ele...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272729/petrobras-podera-disputar-leilao-de-capacidade-com-termicas

MME abre consulta com diretrizes do leilão para contratação de potência

O Ministério de Minas e Energia abriu consulta publica até 28 de março com as diretrizes do Leilão de Reserva de Capacidade para contratação de potência, a partir de empreendimentos de geração novos e existentes. O certame está previsto para 30 de agosto desse ano.
A minuta de portaria publicada no Diário Oficial desta sexta-feira, 8 de março, estabelece que o montante total contratado será definido pelo MME, com base em estudos da Empresa de Pesquisa Energética e do Operador Nacional do Sistema Elétrico. O objetivo é garantir a continuidade do fornecimento de energia elétrica, para atendimento à necessidade de potência do Sistema Interligado.
O leilão vai negociar contratos de reserva de capacidade (CRCAPs) de empreendimentos termelétricos novos ou existentes, sem inflexibilidade operativa. E de projetos de ampliação da capacidade instalada de usinas hidrelétricas existentes, despachadas centralizadamente e que não foram prorrogadas ou licitadas nos termos da Lei nº 12.783, de 2013...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272677/mme-abre-consulta-com-diretrizes-do-leilao-para-contratacao-de-potencia

Matriz elétrica nacional ultrapassa os 200 GW de capacidade instalada

A matriz elétrica brasileira atingiu 200 GW de potência centralizada. De acordo com dados da Aneel, 84,25% são de fontes renováveis e 15,75% de não renováveis, sendo 1% de nuclear. O último despacho foi da usina fotovoltaica Boa Sorte I, localizada em Paracatu (MG), com 44,1 MW. Atualmente as três maiores tecnologias limpas são hídrica (55%), Eólica (14,8%) e Biomassa (8,4%). Já as fontes fósseis correspondem ao Gás Natural (9%), Petróleo (4%) e Carvão Mineral (1,75%).
Neste ano foram 2 GW liberados para operação comercial. A previsão de crescimento até dezembro é de 10,1 GW, o que representaria o segundo maior avanço anual já verificado pela Agência desde sua criação em 1997, atrás apenas do crescimento de 10,3 GW em 2023.
Micro e minigeração distribuída acumula 27,7 GW
Outro crescimento na oferta vem da micro e minigeração distribuída (MMGD). São mais de 2,4 milhões de sistemas conectados à rede de distribuição de energia elétrica, com potência instalada superior a 27,7 GW. E mais de 3,5 milhões de unidades consumidoras utilizam os excedentes e os créditos da energia gerada nos sistemas instalados...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272569/matriz-eletrica-nacional-ultrapassa-os-200-gw-de-capacidade-instalada

bottom of page