top of page

27/03/2024

Equatorial Piauí realiza mais de 109 mil inspeções por furto de energia em 2023

A Equatorial Piauí realizou em 2023 mais de 109 mil inspeções em unidades consumidoras com o intuito de coibir o furto de energia, que é considerado crime previsto no código penal brasileiro (Art. 155 e 171). As vistorias são ações permanentes viabilizadas pela Distribuidora para o combate ao uso irregular de energia. As operações são resultado da análise diária, utilizando técnicas de inteligência agregada ao uso de equipamentos de monitoramento remoto para acompanhamento do consumo das unidades consumidoras, selecionando os alvos para fiscalização.
“Periodicamente, realizamos inspeções nas unidades consumidoras e, constatando a irregularidade, de imediato são adotadas as medidas para regularização, coibindo, assim, a prática do furto de energia. Só em 2023, realizamos mais de 109 mil inspeções, que resultaram em 33 mil irregularidades identificadas. Na prática, a cada 10 fiscalizações realizadas, encontramos irregularidades em 3. Reforçamos que o furto de energia é crime e pode causar diversos prejuízos ao fornecimento de energia elétrica e aumento no valor da fatura dos consumidores usam a energia de forma regular”, informa Conrado Calado, Executivo de Recuperação de Energia da Equatorial Piauí…

Fonte: Equatorial Energia

Leia mais em:

https://pi.equatorialenergia.com.br/2024/03/27/equatorial-piaui-realiza-mais-de-109-mil-inspecoes-por-furto-de-energia-em-2023/

Redes subterrâneas: Aneel prorroga Tomada de Subsídios

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prorrogou a Tomada de Subsídios que questiona a viabilidade de redes subterrâneas. Inicialmente, o prazo seria até a última segunda-feira, 25. Com a dilação, as contribuições podem ser enviadas até 9 de abril, no site da autarquia.
A Tomada em questão (nº 002/2024) busca “obter subsídios para avaliar a necessidade de intervenção regulatória associada ao aumento da resiliência do sistema de distribuição e de transmissão a eventos climáticos extremos “. A implementação de redes subterrâneas é questionada como uma das alternativas.
A nota técnica colocada em discussão destaca que as distribuidoras possuem ampla liberdade na escolha do tipo de rede a ser adotada na regulação atual e o percentual de redes subterrâneas ainda é reduzido, principalmente por conta do custo...

Fonte: Abinee - Tele.Síntese

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359677&sid=105

Postes: Aneel adia proposta para avaliar novas contribuições técnicas

Em reunião nesta manhã, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), prorrogou o prazo de vistas à proposta de aprimoramentos da regulamentação relativa ao compartilhamento de postes entre os setores de distribuição de energia elétrica e de telecomunicações. A decisão foi unânime, em bloco.
Este é o segundo adiamento desde que o processo foi suspenso em outubro do ano passado e envolve o pedido de novas contribuições técnicas (saiba mais abaixo).  
Em 23 de janeiro, a diretoria concedeu prazo adicional de oito reuniões para que o autor do voto-vista, Fernando Luiz Mosna, retornasse com o processo para deliberação. Com isso, as conclusões teriam de ser apresentadas até esta terça-feira, 26, mas o diretor pediu mais tempo, de praxe, mais oito reuniões. 
A proposta foi formulada conjuntamente entre a Aneel e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), após consulta pública, e precisa da aprovação unânime de ambas autarquias. O Conselho Diretor da Anatel deu o aval, e o relator da Aneel, Hélvio Guerra, também apresentou voto favorável, só que não recebeu o apoio da maioria...

Fonte: Abinee - Tele.Síntese

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359646&sid=105

Petrobras vai iniciar estudos sobre geração no mar

A Petrobras vai dar início a estudos sobre eólicas offshore no país. O segmento é um dos que interessam à companhia no âmbito da transição energética. Um dos estudos envolve a realização de projetos-pilotos em dois Estados. Outro envolve simulações internas do desempenho da Petrobras em futuros leilões de áreas. 
Segundo o diretor de transição energética e sustentabilidade da Petrobras, Mauricio Tolmasquim, a companhia pretende instalar dois aerogeradores marinhos, um no Rio Grande do Norte e outro no Rio de Janeiro, próximo ao Porto do Açu, que fica no norte do Estado. O objetivo é ganhar experiência e conhecimento no tema e se preparar para quando chegar o momento de viabilizar os projetos. 
A empresa possui cerca de 30 gigawatts (GW) cadastrados no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Após participar do Brazil Offshore Wind Summit, Tolmasquim afirmou que os aerogeradores serão parte de um projeto de pesquisa e desenvolvimento (P&D), inteiramente tocado pela companhia, com previsão de implantação concluída em 2029...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359667&sid=105

Novo leilão de transmissão deve ter Eletrobras e disputa acirrada

O Ministério de Minas e Energia e a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) realizarão na 5ª feira (28.mar.2024) o 1º leilão de transmissão de energia elétrica de 2024. A sessão pública está marcada para às 10h, na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo).
Segundo apurou o Poder360, especialistas do mercado avaliam que o certame deve ter disputa acirrada e participação de grandes empresas do setor. A principal expectativa é por lances da Eletrobras, que confirmou interesse em lotes ofertados.
Esse será o 3º leilão de transmissão realizado no atual governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) –foram duas licitações em 2023. Na nova disputa, a expectativa é contratar R$ 18,2 bilhões em investimentos para a construção de 6.464 km de linhas e subestações com 9.200 MW em capacidade de transformação.
Serão ofertados 15 lotes. A maioria dos empreendimentos visa a expandir a rede básica do Nordeste para possibilitar o pleno escoamento das usinas já contratadas na região e fazer frente à expectativa de contratação de elevados montantes de energia provenientes de novos empreendimentos de produção renovável, com destaque para as usinas eólicas e solares...

Fonte: Poder 360

Leia mais em:

https://www.poder360.com.br/energia/novo-leilao-de-transmissao-deve-ter-eletrobras-e-disputa-acirrada/

BYD implantará nove usinas solares em parceria com Raízen Gera Desenvolvedora

A BYD firmou parceria com a Raízen Gera Desenvolvedora, joint venture entre a Raízen e o Grupo Gera dedicada a projetos de geração distribuída, para ampliar a capacidade de geração de energia limpa. A aliança envolve a utilização da expertise da greentech em Full EPC (Engenharia, Compras e Construção, em português) nos processos de desenvolvimento de um projeto que engloba nove plantas solares fotovoltaicas .
As usinas estão distribuídas em Betânia, Boa Viagem e Amontada, no Ceará; Fazenda São João e Goytacazes, no Rio de Janeiro; Ceará Mirim, no Rio Grande do Norte; e Santarém, no Pará. Já em construção, as plantas devem começar a gerar energia no mês de maio. Com um pico representativo de potência, a capacidade total do projeto é de 26,5 MW, o que corresponde ao abastecimento mensal de energia de 5.500 residências, mais de 27 mil pessoas, considerando um gasto médio de 600 kWh/mês de cada unidade consumidora...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274304/byd-implantara-nove-usinas-solares-em-parceria-com-raizen-gera-desenvolvedora

ANEEL autoriza repasse de recursos da CCC a fornecedores da BBF para evitar apagões

A diretoria da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) autorizou, nesta terça-feira (26), o repasse direto dos custos com combustível – por meio da CCC (Conta de Consumo de Combustíveis) – para os fornecedores de óleo diesel da empresa BBF (Brasil Biofuels).
A decisão tem como objetivo evitar que haja uma suspensão do fornecimento de energia para cerca de 110 mil consumidores que vivem em localidades isoladas nos estados do Acre, Rondônia, Amazonas e Roraima.
Atualmente, a BFF é dona de mais de 20 usinas de energia na região Norte. A empresa, contudo, alega não ter caixa para pagar seus fornecedores, devido a uma grave crise financeira.
Durante a reunião da ANEEL, os diretores destacaram que a situação econômica atravessada pela companhia é “insustentável” e que a solução proposta pela Agência é temporária, uma vez que ela tem como objetivo evitar que um risco iminente de falta de combustível culmine no desabastecimento de energia nas localidades atendidas pela BBF...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/aneel-repasse-ccc-fornecedores-bbf-apagoes/

N5X: nova bolsa de energia iniciará negociações no segundo trimestre

A N5X, uma nova plataforma de negociação de energia elétrica no Brasil, está programada para iniciar suas operações no segundo trimestre deste ano. Até lá, geradoras, distribuidoras, instituições financeiras e comercializadoras de energia já podem se cadastrar.
A N5X oferece aos participantes do Mercado Livre de Energia a oportunidade de formalizar contratos de energia dentro da plataforma, o que promete trazer mais segurança e agilidade aos processos de negociação entre clientes e fornecedores.
De acordo com Dri Barbosa, CEO da N5X, o objetivo da nova bolsa é impulsionar o mercado de energia. “Queremos aumentar a liquidez no mercado de energia do Brasil, seguindo a evolução pela qual passaram países já liberalizados. Ouvimos o mercado, buscamos a melhor experiência do trader e desenvolvemos a nova plataforma N5X, que vem facilitar e dar mais segurança e transparência às negociações”, diz a executiva.
A N5X conta com o apoio de acionistas como o Venture Builder, um fundo de investimento independente da B3, e a Nodal (subsidiária americana do Grupo EEX, maior bolsa de energia do mundo)...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/n5x-nova-bolsa-de-energia-iniciara-negociacoes-no-segundo-trimestre/

Em dois meses, mais de 4,4 mil consumidores decidiram pelo Mercado Livre de Energia

O ritmo de migração para o Mercado Livre de Energia continua acelerado no Brasil. Nos primeiros dois meses deste ano, 4.403 consumidores já notificaram sua intenção de deixar o mercado regulado entre 2024 e 2025. 
De acordo com dados atualizados pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e apurados pelo Canal Solar, somente em fevereiro, 2.244 unidades escolheram a liberdade de selecionar seu fornecedor de energia.
O relatório de migração potencial revela que um total de 19.035 consumidores planejam ingressar no ACL (Ambiente de Contratação Livre) entre 2024 e 2025. Desse contingente, 94,66% (18.018) são unidades com consumo inferior a 500 kW, classificadas como clientes varejistas. 
As distribuidoras que mais perderam clientes são Copel (Paraná), Enel SP (São Paulo), Celesc (Santa Catarina), CPFL Paulista (São Paulo), Cemig (Minas Gerais), RGE (Rio Grande do Sul), Neoenergia Elektro (São Paulo), ENEL CE (Ceará) e Light (Rio de Janeiro)...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/dois-meses-consumidores-mercado-livre-energia/

Elevar energia alcança reconhecimento internacional em ESG

A Elevar Energia foi reconhecida pelo Latin American Quality Institute como "Empresa Brasileira do Ano 2024", destacando sua gestão de negócios e práticas reconhecidas pelo instituto através do “Modelo Q – ESG – O Diferencial Competitivo do Futuro”. A empresa busca contribuir não apenas em prol de seus interesses comerciais, mas também para o bem-estar das comunidades e a preservação do meio ambiente por meio de suas práticas ESG. Isso inclui o compromisso com a transparência, governança e compliance em todas as operações relacionadas à energia,
O Latin American Quality Institute é uma organização privada sem fins lucrativos, fundada na Cidade do Panamá em 2001, com o propósito de incentivar e apoiar a competitividade das empresas e organizações latino-americanas. Controla programas de reconhecimento para promover a eficácia dos sistemas empresariais. A LAQI (Latin American Quality Institute) é signatária dos projetos Global Compact e PRME (Principles for Responsible Management Education), ambos da Organização das Nações Unidas, e tem sede na Cidade do Panamá, Panamá...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359609&sid=105

Impacto da GD deve ser incluído nas perdas não técnicas das distribuidoras

A Agência Nacional de Energia Elétrica estuda incluir o impacto da micro e minigeração distribuída sobre o mercado de baixa tensão no cálculo das perdas não técnicas das distribuidoras. A proposta envolve o reconhecimento na tarifa da energia compensada de GD, da mesma forma como foi feito no cálculo das perdas técnicas nos processos tarifários de 2023. Os efeitos, segundo a Aneel, serão diferenciados por área de concessão.
As alternativas regulatórias de tratamento do tema vão ser discutidas em consulta pública, de 28 de março a 12 de maio. A Aneel já tinha realizado uma tomada de subsídios para tratar do aprimoramento dos dados do balanço energético para apuração das perdas de energia, sondando também o mercado sobre a possibilidade de homologação das perdas não técnicas sobre o mercado de baixa tensão medido.
A opção considerada a mais adequada pela Aneel deduz a energia injetada do cálculo da energia requerida para o mercado BT da distribuidora, considerando o valor medido no cálculo das perdas comerciais. Ela envolve alterações nos Procedimentos de Regulação Tarifária e nas planilhas de cálculo dos processos de reajuste e de revisão...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274371/impacto-da-gd-deve-ser-incluido-nas-perdas-nao-tecnicas-das-distribuidoras

Abraceel: 19 mil empresas vão ingressar no mercado livre

Até o dia 29 de fevereiro, cerca de 19.046 empresas já informaram às distribuidoras que vão migrar para o mercado livre de energia em busca de preços mais baixos e melhores serviços, o que ocorrerá ao longo de 2024 e 2025, segundo dados da Aneel levantados pela Associação Brasileira de Comercialização de Energia. Desse total, 18.027 unidades consumidoras (95%) são empresas de menor porte, com demanda menor de 500 kW, beneficiadas pela Portaria 50/2022.
A Abraceel considera que o ritmo de migração de consumidores do ambiente regulado para o mercado livre de energia está acelerado e que esse movimento deve se intensificar conforme os demais consumidores recebem informação sobre funcionamento e benefícios de poder escolher o fornecedor de energia. Segundo o presidente-executivo da entidade, Rodrigo Ferreira, o mercado livre é sinônimo de preços mais baixos, mas também de melhores serviços, inovação, eficiência e sustentabilidade, o que atende anseios dos consumidores de energia...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274330/abraceel-19-mil-empresas-vao-ingressar-no-mercado-livre

Light registra lucro líquido de R$ 49 milhões no quarto trimestre de 2023

A Light terminou o quarto trimestre de 2023 com lucro líquido de R$ 49 milhões, uma alta em relação ao prejuízo de R$ 619 milhões registrado no mesmo período do ano anterior. No ano, o resultado ficou em R$ 255 milhões.
O ebitda ajustado foi de R$ 619 milhões, um acréscimo em relação aos R$ 53 milhões registrados um ano antes. A receita líquida da companhia chegou a R$ 3 bilhões no 4T23, uma alta de 18% em relação ao mesmo período de 2022. No ano, a receita apresentou R$ 14 bilhões, uma alta de 5,1%.
Já o resultado financeiro ficou R$ 130 milhões, uma queda de 61% em relação aos R$ 337 milhões do ano de 2022. Em 2023, o resultado ficou em R$ 721 milhões, uma baixa de 58%.
Por fim, a despesa operacional ficou em R$ 3,3 bilhões, uma alta de 1,5% em relação ao mesmo período do ano anterior quando atingiu os R$ 3,2 bilhões. No acumulado do ano, o resultado ficou em R$ 12 bilhões, uma queda de 0,2%.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274256/light-registra-lucro-liquido-de-r-49-milhoes-no-quarto-trimestre-de-2023

UHE Jirau usa aplicativo digital em atividades de campo

As equipes de serviço da Operação e Manutenção da Usina Hidrelétrica Jirau implementaram em suas atividades de campo em 2023, o aplicativo Despacho Digital de Serviço (DDS). Essa iniciativa, que marcou a fase 2 do projeto, seguiu uma série de treinamentos intensivos ministrados às equipes envolvidas na Operação e Manutenção (incluindo as áreas da elétrica, mecânica e proteção digital), Engenharia Civil e seus respectivos empregados de empresas terceirizadas.
O projeto nasceu em 2020, em sua primeira fase, momento de maturação do escopo, onde a área de Tecnologia e Informação alinhou as expectativas e necessidades das áreas técnicas e iniciou o desenvolvimento do aplicativo com o objetivo de otimizar o despacho e realização das atividades de campo, reduzindo os riscos operacionais e de acidentes, aprimorando a logística dos trabalhos.
Todo o processo de gestão das atividades, distribuição das ordens de serviços, mapeamento de perfil de trabalho, gestão da disponibilidade de técnicos em operação e monitoramento de certificações são realizadas através da interface. No aplicativo, segundo a companhia, também é possível gerir a produtividade das equipes, o que auxilia na tomada de decisão de maneira dinâmica e assertiva...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274172/uhe-jirau-usa-aplicativo-digital-em-atividades-de-campo

Tolerância de consumidor com apagões prolongados não existe mais, alerta Feitosa

A mudança no comportamento do consumidor de energia elétrica e os eventos extremos tem enviado sinais que não podem ser ignorados pelo regulador, empresas e formuladores de políticas públicas, na avaliação do diretor-geral da Aneel, Sandoval Feitosa. O dirigente cobrou na semana passada uma mudança de postura das concessionárias de distribuição, para compatibilizar as necessidades do consumidor com as obrigações previstas nos contratos de concessão.
“Nós não podemos, no momento atual, conviver com a realidade que estamos tendo. A tolerância do consumidor para interrupções prolongadas de energia elétrica simplesmente não existe mais”, afirmou Feitosa, durante a entrega do Prêmio Aneel de Satisfação do Consumidor na última sexta-feira, 22 de março. A insatisfação dos clientes tem piorado a avaliação do índice Iasc, apurado anualmente pela agência, especialmente com grandes concessionárias...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53274187/tolerancia-de-consumidor-com-apagoes-prolongados-nao-existe-mais-alerta-feitosa

bottom of page