top of page

13/03/2024

Brasil precisa dobrar investimentos para liderar transição energética, diz BNDES

Em evento promovido pela consultoria Clean Energy Latin América (Cela), a diretora de Infraestrutura e Mudança Climática do BNDES, Luciana Costa, enfatizou a necessidade de o Brasil dobrar o volume de investimentos para se posicionar como líder global na transição energética.
Costa destacou que o Brasil possui vantagens competitivas que podem ser aproveitadas para liderar a transição energética global. A matriz energética brasileira é 47% renovável, com 88% da matriz elétrica proveniente de fontes limpas, como ahidrelétrica, eólicas e solares. Isso coloca o país em uma posição privilegiada em relação aos países da OCDE, que têm uma matriz energética mais dependente de combustíveis fósseis.
“No ano passado, o Brasil investiu um pouco mais de R$ 200 bilhões em infraestrutura, mas precisamos investir R$ 400 bilhões por ano, considerando tanto o setor público quanto o privado”, ressaltou…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=359285&sid=105

Cemig estreia na autoprodução de energia, negocia mais contratos para complexos solares

A Cemig começará a entregar seus primeiros projetos de autoprodução de energia em maio e já negocia contratos da modalidade com clientes potenciais somando 300 megawatts (MW) médios, disse nesta quarta-feira o vice-presidente de comercialização da companhia, à Reuters.
O primeiro contrato de autoprodução firmado pela Cemig foi com a rede de atacarejo Mart Minas, que passará a produzir 20 MW em duas usinas solares do complexo fotovoltaico Jusante, em construção pela Cemig em São Gonçalo do Abaeté (MG).
Projetos de autoprodução, no qual o consumidor de energia geralmente compra uma fatia ou investe no empreendimento, têm impulsionado a geração de energia renovável no Brasil, com as companhias buscando descarbonizar suas operações.
O acordo, que envolveu 108 milhões de reais em investimentos nos parques solares, suprirá cerca de um terço do consumo total de energia do grupo Mart Minas em lojas em Minas Gerais e Rio de Janeiro...

Fonte: Uol

Leia mais em:

https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2024/03/13/cemig-estreia-na-autoproducao-de-energia-negocia-mais-contratos-para-complexos-solares.htm

Santander compra 70% da América Gestão de Energia

O Santander Brasil anunciou a aquisição de 70% da América Gestão de Energia, braço de consultoria e gestão da holding América Energia. Com a operação, diz a instituição financeira que não revelou o valor da operação, o portfólio de produtos e serviços oferecidos aos clientes abastecidos pelo mercado livre e cativo de energia se completa. E dessa forma o banco se consolida como uma das principais empresas de soluções no mercado de energia.
A América conta com mais de 20 anos de atuação, fazendo a gestão estratégica e operacional de energia para consumidores e geradores dos mais diversos portes, nos mercados livre e cativo, incluindo contratação de energia, geração distribuída e autoprodução. Entre as soluções aos clientes estão a gestão estratégica e operacional de energia para consumidores e geradores no mercado livre e cativo, estruturação e gestão de autoprodução e geração distribuída, gestão de gás natural no mercado cativo e livre. Bem como a assessoria na projeção de tarifas de energia e gás para elaboração de budget e análises e monitoramento de consumo em tempo real...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53273054/santander-compra-70-da-america-gestao-de-energia

PSR: leilão de reserva poderia ter mais produtos e clareza na disputa

O leilão de reserva de capacidade, que deve acontecer em 30 de agosto desse ano trouxe como grande novidade a inserção do produto hidrelétrica para 2028. Mas o alcance do leilão poderia ser mais abrangente. Na concepção do líder em Assuntos Regulatórios da PSR, Jairo Terra, seria muito mais interessante considerar outras tecnologias como baterias e as UHEs reversíveis como integrantes da competição de soluções que podem se mostrar mais viáveis nos períodos de contratação. No caso em questão são sete anos para o produto das UTEs e 15 anos para as hídricas.O certame, que teve consulta pública divulgada na última sexta-feira (8), prevê a participação de capacidade de expansão dessas UHEs com poços vazios em suas estruturas e não apenas as térmicas.
“Seria o momento para trazer mais neutralidade tecnológica, apesar do aprimoramento trazer as UHEs para esse leilão. Poderia ser ampliado para as usinas cotistas, com algumas dessas soluções atualmente bem pensadas”, avalia o especialista. Para ele, pelo lado da demanda, é preciso que se defina melhor as necessidades do sistema em condições de despacho e forma de aferição dos produtos, o que não se encontra na atual portaria. “Para viabilizar oferta e suprir as necessidades do sistema é importante uma definição clara do produto, horas de duração do despacho, momento e como viabilizar tudo”, acrescenta...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272920/psr-leilao-de-reserva-poderia-ter-mais-produtos-e-clareza-na-disputa

ANEEL quer que satisfação do consumidor tenha peso na conta de luz

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) abriu uma consulta pública com o objetivo de buscar soluções que contribuam para o aumento da satisfação dos consumidores das distribuidoras de energia elétrica. 
A proposta sugere a criação de um componente chamado “Satisfação do Usuário” a ser incorporado ao cálculo da conta de luz, de modo que um desempenho insatisfatório de uma distribuidora – apurado pela ANEEL junto aos consumidores por meio de pesquisa nacional e outros indicadores – se reflita em uma redução do valor da tarifa. 
Pela proposta do regulador, a satisfação do consumidor – medida pelo indicador “Iasc” – se tornaria um dos componentes do cálculo do “Fator X”, um indicador que mede a eficiência das distribuidoras de energia e determina repasses de eventuais ganhos aos consumidores por meio de redução direta de tarifas.
Em 2022, só 0,02% das unidades consumidoras brasileiras alcançaram um Iasc acima de 70, valor regulatório mínimo de uma faixa que vai até 100. Para quase 60% dos consumidores, o Iasc ficava abaixo de 60...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/aneel-satisfacao-consumidor-conta-luz/

Projeto de Lei quer vedar distribuidoras de atuar em GD

O deputado federal Delegado Marcelo Freitas (União Brasil/MG) apresentou um Projeto de Lei que altera a lei 14.300/2022. A ideia é a de vedar que as concessionárias e permissionárias de distribuição atuem na micro e minigeração distribuída, bem como suas controladas, coligadas ou controladoras.
Caso a proposta fosse aprovada da forma que está as empresas com atividades em GD deverão “regularizar a situação” em até seis meses a partir da publicação da lei. Ou seja, a lei estabelece que essas empresas saiam desse segmento.
De acordo com a justificativa do texto apresentado na segunda-feira, 11 de março, a criação de subsidiárias de geração distribuída por parte das distribuidoras de energia elétrica ou de suas controladoras pode criar situações de conflito de interesse, monopólio e competição desleal e ocupar espaços que deveriam ser reservados a pequenos geradores...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272935/projeto-de-lei-quer-vedar-distribuidoras-de-atuar-em-gd

Isa Cteep recebe licença de operação para subestação Caxias Norte

A Isa Cteep recebeu a licença de operação emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), do Rio Grande do Sul, para a subestação Caxias Norte, que é uma das maiores subestações de transmissão de energia no Estado, com 195 mil m² de área instalada, sendo 77 mil m² de área energizada. O novo empreendimento integra o Projeto Minuano, que também contemplará a construção de 115 km de linhas de transmissão.
Com 2.700 MVA de potência, a nova subestação contribuirá com o aumento da flexibilidade e a confiabilidade do sistema de transmissão da Serra Gaúcha, assim como a ampliação da disponibilidade de energia e potência para indústrias locais, fomentando o desenvolvimento econômico, tecnológico e social na região.
Arrematado no Leilão de Transmissão nº 02/19, realizado pela Aneel, o empreendimento tem Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 48,3 milhões (ciclo 2023/2024). O investimento previsto pelo regulador é superior a R$ 681 milhões e o prazo de entrega é março de 2025. E durante todo o

período da obra, será utilizada mão de obra local com previsão de contratação de 1.363 profissionais diretos e indiretos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272850/isa-cteep-recebe-licenca-de-operacao-para-subestacao-caxias-norte

CEEE Equatorial inaugura SE e aplica mais R$ 12 mi em melhorias na rede

A CEEE Equatorial vai inaugurar nessa terça-feira, 12 de março, a nova subestação Salso, localizada entre as cidades de Santa Vitória do Palmar e Chuí, extremo sul do estado. A obra de 11 meses contou com investimento de R$ 16 milhões que, aliado aos demais já realizados pela concessionária, garante mais confiabilidade e segurança para o fornecimento de energia e o desenvolvimento de aproximadamente 40 mil clientes e a produção arrozeira na região, que demanda bastante energia no período de irrigação.
Com a nova unidade de 25 MVA, a companhia afirma ter infraestrutura para atender plenamente esse mercado regional pelos próximos dez anos, pelo menos. Foram construídos também quatro novos alimentadores e uma nova rede trifásica de 16,6 km, com 320 novos postes de concreto, num aporte planificado em R$ 1,7 milhão...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272805/ceee-equatorial-inaugura-se-e-aplica-mais-r-12-mi-em-melhorias-na-rede

Autoprodução impulsiona contratos de longo prazo de energia renovável no ACL, aponta CELA

O volume de contratos de longo prazo de energia renovável (solar e eólica) no ACL foi impulsionado pelos projetos de autoprodução no país, segundo estudo divulgado pela consultoria CELA (Clean Energy Latin America). Dos 23 contratos de longo prazo celebrados no último ano, 20 foram alocados no modelo de autoprodução de energia no ACL.
O estudo mostra que os PPAs celebrados em 2023, que são contratos de longo prazo entre consumidores e geradores de energia renovável que comercializam no mercado livre, equivalem a 969 megawatts médios (MWmédios) contratados, um crescimento de 63% em relação ao ano anterior, quando foram registrados um patamar de 594 MWmédios. Este aumento é especialmente devido a entrada no estudo de três geradores importantes com dados de PPAs assinados em 2023, que não participaram da pesquisa da CELA em anos anteriores.
Segundo a CEO da CELA, Camila Ramos, nos últimos dois anos houve uma maior aposta no mercado livre em projetos de autoprodução, modalidade que viabilizou praticamente todos os PPAs ao longo 2023, inclusive com avanço no modelo de negócios de arrendamento de usinas...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53272828/autoproducao-impulsiona-contratos-de-longo-prazo-de-energia-renovavel-no-acl-aponta-cela

bottom of page