31/08/2020

ANEEL realiza discussão aberta ao público sobre a Agenda Regulatória do biênio 2021/2022 na próxima quarta-feira (2/9)

A ANEEL realizará, nesta quarta-feira, 2/9, às 11h, reunião para debater o processo de construção da Agenda Regulatória do biênio 2021/2022. Participarão do evento agentes do setor elétrico, mas o evento será aberto a todos. Na ocasião, serão apresentados o cronograma de elaboração da Agenda, destacando os principais momentos de participação da sociedade, e a metodologia adotada.
A Agenda Regulatória é um importante instrumento de planejamento que orienta a atuação da Agência e tem como principal objetivo dar previsibilidade à sociedade sobre os momentos em que será chamada a discutir os processos normativos em curso no setor elétrico.
Interessados em participar devem encaminhar e-mail para andremartins@aneel.gov.br.

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.aneel.gov.br/sala-de-imprensa-exibicao-2/-/asset_publisher/zXQREz8EVlZ6/content/aneel-realiza-discussao-aberta-ao-publico-sobre-a-agenda-regulatoria-do-bienio-2021-2022-na-proxima-quarta-feira-2-9-/656877?inheritRedirect=false&redirect=https%3A%2F%2Fwww.aneel.gov.br%2Fsala-de-imprensa-exibicao-2%3Fp_p_id%3D101_INSTANCE_zXQREz8EVlZ6%26p_p_lifecycle%3D0%26p_p_state%3Dnormal%26p_p_mode%3Dview%26p_p_col_id%3Dcolumn-2%26p_p_col_pos%3D1%26p_p_col_count%3D3

"O Sol não será taxado", afirma Bolsonaro durante inauguração de usina solar em Caldas Novas (GO)

“O Sol não será taxado”, voltou a declarar o presidente Jair Bolsonaro no sábado (29), durante inauguração de uma usina de energia fotovoltaica no município de Caldas Novas (GO). O evento contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Bento Gonçalves, do governador Ronaldo Caiado e o diretor da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), Efrain Cruz.

Em janeiro, o presidente já havia dito que, após conversas com a cúpula do Congresso, a “taxação” sobre a atividade estava “sepultada”. “Vocês devem se lembrar, há pouco tempo, de uma campanha na internet ‘Não á taxação do Sol’. Quem estava decidindo isso era a ANEEL, e as agências são independentes, as suas decisões têm que ser cumpridas. E por lá passa tudo que tenha a ver com a energia elétrica. Eu procurei o presidente da Câmara e falei que, caso a ANEEL viesse taxar o Sol eu não poderia fazer nada como presidente, mas a Câmara poderia, juntamente com o Senado, via projeto, anular, revogar a decisão da ANEEL e tive o apoio do presidente da Câmara naquele momento”, disse Bolsonaro durante o evento...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/912-o-sol-nao-sera-taxado-afirma-bolsonaro-durante-inauguracao-de-usina-solar-em-caldas-novas-go

Pandemia trava obras no setor elétrico

Com dependência pesada de equipamentos importados, produzidos em diversos países do mundo, as concessionárias que atuam na construção de usinas e linhas de transmissão de energia tiveram seus pedidos suspensos. O isolamento social também esvaziou os canteiros de obra. Houve município que baixou decreto impedindo empresas de prosseguirem com as obras.

O Estadão fez um levantamento com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para verificar qual era o cenário dessas obras no dia 1.º de março, antes da pandemia da covid-19 ser decretada pela Organização Mundial da Saúde – em 11 de março – e como estava a situação de cada um desses empreendimentos no dia 1º de julho.

Os dados mostram que o número de linhas de transmissão com cronograma atrasado cresceu 40% no intervalo de apenas quatro meses. Em março, havia 25 obras de linhas com atraso. Quatro meses depois, sob os efeitos da pandemia, 35 redes em obras já descumpriam seus cronogramas...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/mercados/pandemia-trava-obras-no-setor-eletrico/

Trina Solar lança painéis solares com potência superior a 500 W

Chinesa Trina Solar Co. produtora de painéis solares, deu a conhecer os seus mais recentes painéis solares biface Duomax V de dupla camada de vidro e os seus painéis solares Tallmax V.

Estes novos painéis solares têm um novo design, sobre uma placa de silício de 210 mm e células PERC monocristalinas, que lhes permite ter uma potência de saída superior a 500 Wp e uma eficiência modular de 21%, consolidando a liderança da empresa e a aceitação da nova era da energia fotovoltaica 5.0.

Tendo em conta os cálculos preliminares das centrais energéticas a grande escala instalada na província chinesa de Heilongjiang, comparando-os com os painéis biface convencionais de dupla camada de vidro e 410 W, o Duomax V de 500W pode diminuir o custo de equilíbrio do sistema (BOS) entre 6% a 8% e o custo de energia (LCOE) entre 3% e 4%...

Fonte: Portal Energia

Leia mais em:

https://www.portal-energia.com/trina-solar-paineis-solares/

Estudo mostra uma “matriz provável” diferente da atual

A matriz elétrica provável em um horizonte de longo prazo, considerando um consumo de energia equivalente ao dobro do registrado em 2017 no Brasil, terá aproximadamente 69 GW em usinas eólicas instaladas e 59 GW em geração solar, conclui estudo patrocinado pela organização alemã GIZ, em parceria com o Ministério de Minas e Energia e com participação da Empresa de Pesquisa Energética e do Operador Nacional do Sistema. O documento finalizado este mês e que deve ser divulgado em setembro mostra que a hidrelétrica praticamente não cresce, mas deve haver expansão térmica.

“O fato é que essa matriz tão diferente da que a gente tem hoje, consistente com a transição energética, aponta para paradigmas de operação completamente diferentes”, concluiu Marcelo Prais, Diretor de TI, Relacionamento com os Agentes e Assuntos Regulatórios do ONS, ao comentar o estudo em evento virtual do Energyear.

Ele destacou que os reservatórios das hidrelétricas, que naturalmente fazem a transferência de energia armazenada no período úmido para o período seco, vão ficar muito próximos de uma operação flat ao longo do ano. Essas usinas começam a aportar outros tipos de serviços, em complementariedade às fontes não controláveis, como são chamadas as usinas eólicas e solares...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53145421/estudo-mostra-uma-matriz-provavel-diferente-da-atual