30/09/2020

Governo de São Paulo sugere privatização da elétrica Emae

O Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização do Estado de São Paulo decidiu recomendar ao governador João Doria (PSDB-SP) a privatização da empresa estadual de geração de energia Emae.

Em comunicado na noite de terça-feira, a companhia informou que o conselho recomendou que o governo autorize a Secretaria de Fazenda e Planejamento a “contratar estudos e serviços necessários à alienação das ações de titularidade da administração pública estadual na Emae”.

A empresa de energia opera ativos hidrelétricos no Estado de São Paulo, incluindo a hidrelétricas Henry Borden, na serra do Mar, e a pequena usina (PCH) Pirapora, em Pirapora do Bom Jesus, além de possuir uma termelétrica arrendada à Petrobras...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/economia/governo-de-sao-paulo-sugere-privatizacao-da-eletrica-emae/

Expansão do setor elétrico acumula 3,4 GW até setembro

De acordo com dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), o Brasil acumula uma expansão de 3.389,07 MW em potência instalada em 2020. Até metade de setembro, 99 usinas foram incorporadas ao setor elétrico.

O maior volume foi verificado no mês de março, com 1,6 GW em capacidade. Já fevereiro teve o maior número de usinas implantadas, com 30 centrais.

Desde abril, com o início das medidas de enfrentamento à pandemia da Covid-19, foram incorporadas 59 plantas, que somaram 1,3 GW. Em setembro, foi registrado o segundo menor volume autorizado, com 103,14 MW, ficando atrás apenas de janeiro que registrou seis usinas e 42,52 MW de capacidade...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/1034-expansao-do-setor-eletrico-acumula-3-4-gw-ate-setembro

Multinacional com sede em SC investe R$ 2,5 bilhões em parque eólico

A multinacional europeia Statkraft, que tem sede brasileira em Florianópolis, anuncia que vai investir R$ 2,5 bilhões no complexo eólico Ventos de Santa Eugênia, na Bahia. A implantação terá início em janeiro do ano que vem, as primeiras turbinas eólicas serão instaladas em 2022 e a finalização está programada para 2023. O empreendimento vai gerar 519 MW, mais do que a potência instalada da empresa no país atualmente, que está em 450 MW.

A primeira etapa do projeto terá 14 parques eólicos com 91 turbinas de 5,7 MW, que serão fabricadas pela empresa Nordex, do Nordeste. O complexo Ibipeba fica próximo dos parques eólicos que a empresa tem na Bahia, denominados Macaúbas, Novo Horizonte e Seabra, que juntos têm potência de 95 MW...

Fonte: NSC Total

Leia mais em:

https://www.nsctotal.com.br/colunistas/estela-benetti/multinacional-com-sede-em-sc-investe-r-25-bilhoes-em-parque-eolico

Pesquisadores do Instituto de Nanoenergia e Nanosistemas de Pequim, na China, conseguiram desenvolver um tipo de turbina eólica que gera energia a partir de uma brisa muito leve. As turbinas que costumamos ver, são caras, difíceis de instalar e de contruir, e ainda precisam de certa velocidade do vento para produzirem energia, e é o motivo de precisarem ser colocadas em locais altos ou com muito vento. Dentro dessas torres existe um gerador, do tipo dínamo, que funciona pela força da rotação das pás. Porém nessa nova iniciativa, as pás são trocadas por fitas de plástico, nas quais mexem com o vento, e se afastam uma da outra, produzindo um movimento que gera energia. Nesse caso em 5.79 km/h elas produzem energia que no caso das pás, precisaria de no mínimo 14.3 km/h. Outra vantagem, é que as micro estruturas conseguem ter uma perda muito menos de energia na transformação do vento, mais de 10x menos que a solução maior. Por enquanto só existe a prova de conceito, mas futuramente poderá ter algo mais significativo para o mundo real.

Fonte: Jornal de Brasília

Leia mais em:

https://jornaldebrasilia.com.br/blogs-e-colunas/bsbtek/cientistas-chineses-conseguem-desenvolver-uma-micro-turbina-eolica/

Brasil começa discussão sobre precificação de carbono no setor elétrico

O Brasil introduziu a questão das mudanças climáticas nas discussões sobre política energética e um dos temas no radar do governo é o uso de mecanismos de precificação de carbono no setor elétrico, disse nesta terça-feira o presidente de um órgão estatal de planejamento.

O chefe da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Thiago Barral, citou o avanço de um programa estatal de certificados de descarbonização para fomentar o setor de biocombustíveis, o RenovaBio, e apontou que uma medida provisória recente poderá abrir caminho para mecanismos semelhantes para elétricas.

"Com a MP 998, a gente já dá um passo inicial no sentido de também já trazer essa discussão para o setor elétrico, mas olhando para o setor como exportador de descarbonização, de certificados de descarbonização", disse Barral, ao participar do evento online Enase, do Canal Energia...

Fonte: Extra - Globo

Leia mais em:

https://extra.globo.com/noticias/economia/brasil-comeca-discussao-sobre-precificacao-de-carbono-no-setor-eletrico-24667313.html

Venda da Eletrobras é prioridade, diz ministro de Minas e Energia

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse nesta terça-feira (29) que o projeto de privatização da Eletrobras e a lei que estabelece o novo mercado de gás são as prioridades atuais da pasta.

Ao discursar na abertura do encontro anual dos agentes do setor elétrico, o ministro afirmou que a privatização da estatal vai ter tratamento especial no CNPE (Conselho Nacional de Política Energética).

“A Eletrobras segue como prioridade no ministério em relação a pauta de capitalização. Esse processo possibilitará a constituição de uma grande corporação brasileira no setor de energia, como as diversas que existem atuando no mundo e no Brasil, disse o ministro.

O projeto de lei de privatização da Eletrobras, encaminhado ao Congresso Nacional pelo governo, em novembro de 2019, enfrenta resistência por parte do Senado, em razão do papel estratégico da empresa em diversas regiões do país. A Eletrobras é responsável por 30% da geração de energia no país e por 50% da transmissão, sendo o maior ator do país nesse segmento…

Fonte: R7

Leia mais em:

https://noticias.r7.com/economia/venda-da-eletrobras-e-prioridade-diz-ministro-de-minas-e-energia-29092020

Governo crê em aprovação do PLS 232 ainda este ano

O Ministério de Minas e Energia acredita que o PLS 232 seja aprovado ainda este ano. Segundo a secretária-executiva da pasta, Marisete Dadald, o ministro Bento Albuquerque tem interagido com o Congresso Nacional que tem sinalizado que o projeto deverá ser aprovado ainda este ano. Atualmente, a matéria está no Senado Federal e se aprovado irá para a Câmara dos Deputados.

Com isso, afirmou a número 2 do MME em sua participação na edição 2020 do Enase, “o ano de 2021 será um momento especial”, referindo-se à continuidade de tomada de medidas que estão contidas no projeto e sua implementação.

A secretária-executiva afirmou que há um conjunto de leis na pauta do Congresso e que o governo colocou como prioridades. Dentre estas, explicou, está o PLS 232. E reforçou que o MME tem recebido indicativos de que há o reconhecimento de que o projeto traz temas importantes para o setor. “Há de fato a sinalização do Congresso em dar continuidade e levar o PLS 232 para apreciação no Plenário do Senado e assim possa seguir para a Câmara”, afirmou, ressaltando que o próprio mercado também está mostrando junto aos parlamentares a importância desse projeto para a modernização do setor...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://canalenergia.com.br/noticias/53149144/governo-cre-em-aprovacao-do-pls-232-ainda-este-ano

Landis+Gyr lança novas versões de medidores inteligentes

A fabricante Landis+Gyr anunciou que ampliará sua oferta de medidores inteligentes para os segmentos comercial e industrial a partir de outubro, com o lançamento de três novas variantes do medidor série E650 de segunda geração. Segundo a companhia, a atual versão do produto já tem mais de 10 mil unidades instaladas no país.

A empresa indica que esses medidores são projetados para cobrir uma ampla gama de requisitos e aplicações. As novas versões Trend, Select e Prime substituirão a linha anterior, conforme as necessidades de uso. O primeiro é destinado a pequenos comércios e indústrias, micro e mini sistemas de geração distribuída, balanço energético e tarifa branca.

Já o E650 Select é indicado para médias indústrias e comércios, com foco no controle da demanda. Por sua vez, a versão E650 Prime é a mais completa, agregando todas as tecnologias e abrangendo todos os públicos das versões anteriores.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53148844/landisgyr-lanca-novas-versoes-de-medidores-inteligentes

Plano da China de neutralizar emissões até 2060 deve implicar em aumento de investimentos em fontes renováveis

O plano da China de neutralizar emissões até 2060 deve implicar em aumento de investimentos em fontes renováveis, como a solar e a eólica, mobilidade elétrica e tecnologias de armazenamento de energia, avalia a consultoria Wood Mackenzie. País anunciou a ambição durante discurso do presidente Xi Jinping na 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

“Com esse anúncio, o maior emissor de carbono do mundo finalmente altera sua posição de responsabilidade limitada na redução de emissões globais para assumir uma clara liderança no combate às mudanças climáticas”, avaliou o diretor de pesquisas da Wood Mackenzie, Alex Whitworth. “O presidente Xi também declarou que a China atingirá o ápice de emissões antes de 2030. Com o maior mercado de energia do mundo, o país atualmente responde por 20% das emissões globais.”...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/plano-da-china-de-neutralizar-emissoes-ate-2060-deve-implicar-em-aumento-de-investimentos-em-fontes-renovaveis.html