29/04/2022

Brasil pode ser exportador em energia renovável, diz Enel

O presidente da Enel Brasil, Nicola Cotugno, acredita que o Brasil tem potencial para exportar energia renovável e tecnologias relacionadas a esse setor. O executivo lembrou, em conversa com jornalistas na sede da companhia no Rio de Janeiro, na manhã de ontem, que o desenvolvimento do setor de energia eólica no Brasil, por exemplo, se deu com a produção de equipamentos no país.

“O Brasil tem um papel regional, é o país com mais capacidade de desenvolver indústrias na região. Baterias, por exemplo, também poderiam ser produzidas no Brasil, por que só ficar na China? É uma grande oportunidade para o desenvolvimento econômico do país e das empresas que estão aqui se colocar no amanhã. Ser ativo na transição energética é importante para desenhar o futuro”, apontou.

Cotugno reconheceu que o país tem forte potencial para exportar energia renovável, por meio, por exemplo, do hidrogênio verde, que pode ser produzido a partir da geração de energia eólica em alto-mar (offshore), e exportado em navios. Apesar disso, a Enel Brasil não vislumbra investir nos segmentos de eólica offshore e hidrogênio verde por enquanto, diz Cotugno...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=346021&sid=105

Ecori Energia Solar fecha maior pedido da SolarEdge no Brasil

A Ecori Energia Solar realizou o maior pedido da SolarEdge no Brasil. A compra garantirá disponibilidade de dezenas de milhares de otimizadores de potência e de milhares de inversores. A Ecori foi a responsável por trazer a tecnologia de inversores simplificados com otimizadores de potência da empresa israelense para o país há pouco mais de quatro anos.

De acordo com a Ecori Energia, esse pedido alavanca o estoque e, certamente, outras compras nesse porte serão realizadas ainda este ano. O pedido atual também reforça o posicionamento da Ecori de sempre priorizar a segurança como valor inalienável para o mercado de geração distribuída no país.

Desde dezembro de 2017, a Ecori distribui os produtos da SolarEdge no Brasil. A empresa foi a primeira a trazer a marca para o mercado fotovoltaico brasileiro. Logo em seguida, uma equipe da Ecori visitou a SolarEdge em Israel para conhecer e aprender sobre o sistema durante um treinamento de três dias. Atualmente, a Ecori oferece toda a linha SolarEdge em seu portfólio.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53209743/ecori-energia-solar-fecha-maior-pedido-da-solaredge-no-brasil

Energisa pretende transformar Zona da Mata de MG em hub tecnológico

O Grupo Energisa lançou na última quarta-feira, 27 de abril, o Rio Pomba Valley na Zona da Mata de Minas Gerais. O projeto tem como objetivo oferecer qualificação profissional com habilidades de mercado para criação de um ecossistema de empreendedorismo e inovação, base para fomentar o surgimento de um hub tecnológico na região.

“Este é apenas o primeiro passo, que tem como base a educação e geração de oportunidades para então impulsionar um ecossistema de criatividade e inovação na região da Zona da Mata. Aproveitando-se de um ecossistema com universidades, instituições de ensino profissionalizantes e de um grande histórico de empreendedorismo e criação, o Rio Pomba Valley nasce para suprir uma demanda que tem na tecnologia sua essência”, destaca Ricardo Botelho, CEO do Grupo Energisa.

Diante deste cenário, já no próximo dia 03 de maio serão abertas as inscrições para o curso de Tecnologia da Informação (TI). De acordo com a companhia, serão selecionadas 40 pessoas, entre 18 e 49 anos, para aulas em parceria com o SESI Nacional, FIEMG e SENAI. A capacitação está prevista para iniciar em junho em modelo híbrido (online e presencial)...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53209671/energisa-pretende-transformar-zona-da-mata-de-mg-em-hub-tecnologico

WEG aposta que mercado de geração solar deverá seguir aquecido no Brasil

A WEG destacou nesta quinta-feira, 28 de abril, em sua teleconferência com analistas que os números do 1º trimestre tiveram um impacto positivo devido ao aumento da demanda de geração solar. De acordo com André Menegueti Salgueiro, diretor de finanças e relações com investidores, a mudança de regulação favoreceu o crescimento do segmento.

“Esperamos que o ano de 2022 seja de destaque para a geração solar no Brasil e o mercado deverá seguir aquecido”, disse Salgueiro. Contudo, o diretor disse que como o projeto de energia solar é de ciclo curto não dá para avaliar e dizer que o segmento continuará em expansão em 2023. O relatório da WEG mostrou que a busca por fontes de energia renovável foi um dos motivos do crescimento de receita no Brasil. A WEG reportou um aumento de 23,5% em seu lucro líquido, para R$ 943,9 milhões.

Além disso, o diretor da empresa mostrou que o crescimento deverá ser contínuo e sustentável devido ao Motion Drives, energias renováveis e transmissão e distribuição. As margens são saudáveis, porém com o cenário global instável e mudanças no mix de produtos vendidos…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53209764/weg-aposta-que-mercado-de-geracao-solar-devera-seguir-aquecido-no-brasil

Autoridades governamentais do setor elétrico deram um importante passo para o avanço e consolidação do mercado livre de energia no Brasil, onde o aperfeiçoamento dos modelos computacionais de formação de preço é um tema estratégico.

Em abril, o Grupo Técnico Metodologia da Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico (CPAMP) realizou workshop com os agentes para apresentar as deliberações em relação às metodologias propostas no Ciclo 2021/2022, bem como as análises das contribuições recebidas na Consulta Pública MME 121/2022.

Foi aprovada a implementação da metodologia PAR(p)-A, considerando a média dos últimos 12 meses, aprimorando o processo de geração de cenários hidrológicos. A Abraceel, em sua contribuição à comissão, chamou atenção para o comportamento do PAR(p)-A em momentos de grande variabilidade de cenários hidrológicos. A CPAMP respondeu que estudos futuros poderão servir para adotar aprimoramentos, como a incorporação de variáveis climáticas nos modelos de otimização…

Fonte: Abraceel

Leia mais em:

https://abraceel.com.br/blog/2022/04/comissao-governamental-que-estuda-formacao-de-preco-da-energia-apresenta-melhorias-em-metodologias/

Energie Wasser leverages Nokia’s fibre solution to deliver smart metering services

Nokia’s 7360 ISAM FX series high-capacity fibre access nodes support GPON and XGS-PON (passive optical network) technologies to deliver augmented performance and capacity to meet the needs of residential and business customers.

The solution is ready for evolution to 25G PON and software-defined access networks (SDAN), which aim to futureproof the network.

As Lucerne’s energy services company, ewl has delivered a modernised infrastructure for the network’s approximately 12,000 buildings, which are all connected to fibre for high-quality broadband services and smart metering, including water and electrical power measurement.

In addition to providing these services to businesses and residential customers, not just within Lucerne but also to its suburbs, ewl aims to empower new economic opportunities and market competition...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/energie-wasser-leverages-nokias-fibre-solution-to-deliver-smart-metering-services/

A Aker Solutions, empresa norueguesa que presta serviços de engenharia e manutenção e fornece equipamentos submarinos à indústria de petróleo e gás, vê o Brasil como uma região relevante na busca por descarbonização e maior segurança no suprimento global de energia nos próximos anos, depois da pandemia e da guerra na Ucrânia. De acordo com o presidente global da Aker, Kjetel Digre, o país é um importante lugar para se desenvolver tecnologias que vão ajudar a reduzir o conteúdo de carbono na produção de petróleo e gás.

Na primeira visita ao Brasil cerca de dois anos depois de assumir o cargo, o executivo norueguês explica que a companhia vislumbra a possibilidade de auxiliar a desenvolver a indústria de geração eólica em alto-mar no país para otimizar o uso de energia em projetos de produção de óleo e gás. Hoje, ainda não há iniciativas de geração no mar a partir dos ventos em operação no Brasil, mas a Aker presta serviços a projetos nesse segmento na Europa e Estados Unidos. “Será um mercado interessante no Brasil. Há muitas oportunidades para usar tecnologias existentes, mas também para criação de novos negócios nessa área. São grandes operações, com diferentes componentes, o que vai gerar muita atividade local”, diz o executivo…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=345990&sid=105

Itaipu assinará contrato de US$ 649 mi para modernização da usina

O processo de modernização da UHE Itaipu (Brasil/Paraguai, 14.000 MW) terá um marco importante nesta sexta-feira, 29 de abril. Será assinado o contrato entre a empresa binacional e o Consórcio CMI, vencedor da licitação para execução dos serviços de atualização tecnológica da usina. O contrato é da ordem de US$ 649 milhões, com valor convertido à época da apresentação da proposta é de R$ 3,7 bilhões.

A modernização compreende a avaliação e substituição de equipamentos e sistemas de supervisão, controle, proteção, monitoramento, medição e suas respectivas interfaces com os processos de geração, subestações, vertedouro, os equipamentos auxiliares da barragem e da casa de força. Equipamentos pesados, como turbinas e geradores, não são substituídos, pois têm um ciclo de vida maior.

Segundo a geradora, os sistemas e equipamentos elétricos e eletrônicos, projetados para durar 30 anos, já operam há quase 40 e muitos estão tecnologicamente obsoletos, sem sobressalentes no mercado ou cujo fabricante já não existe mais...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53209658/itaipu-assinara-contrato-de-us-649-mi-para-modernizacao-da-usina