28/07/2021

Apesar dos avanços para a redução da emissão de poluentes, meta do G-20 está longe de ser alcançada

Embora os governos do G-20 tenham anunciado compromissos climáticos ambiciosos para atingir as metas do Acordo de Paris, esses mesmos países continuaram fornecendo suporte para carvão, petróleo, gás e energia a partir de combustíveis fósseis, incluindo US$ 3,3 trilhões entre 2015 e 2019.

A preços de hoje, essa soma poderia financiar 4.232 GW em novas usinas de energia solar, segundo dados levantados pela BloombergNEF no Climate Policy Factbook.

As nações do G-20 cortaram coletivamente o financiamento de combustíveis fósseis em 10% de 2015 a 2019, com oito países membros fazendo progressos notáveis ​​na redução de seus subsídios aos combustíveis fósseis em 10% ou mais, sendo eles: Argentina, Alemanha, Itália, Arábia Saudita, África do Sul, Coreia do Sul, Turquia e o Reino Unido...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/apesar-dos-avancos-para-a-reducao-da-emissao-de-poluentes-meta-do-g-20-esta-longe-de-ser-alcancada/

UK reaches 13 million SMETS smart meter milestone on DCC network

The milestone was reached when an electric smart meter was installed for a consumer of Octopus Energy in Morecombe in Lancashire on 21 July, 2021. The milestone increased the number of SMETS 1 smart meters to 4,544,271 and of SMETS 2 smart meters to 8,479,949.

The project is part of the UK government’s efforts to ensure that some 50 million smart meters are installed to help consumers make more informed energy usage decisions that would enable them to reduce their energy bills.

In addition, SMETS smart meters allow customers to switch energy retailers in search of better deals in line with the government’s efforts to encourage competition, innovation and better customer services within the country’s energy market.

For grid operators, the smart meters will provide them with real-time data which they can use to optimise the management of distributed energy assets and their maintenance...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/uk-reaches-13-million-smets-smart-meter-milestone-on-dcc-network/

O cenário atual oferecido pelos cientistas do clima não permite muitas divergências. A realidade no centro do Brasil, entre partes do Sudeste e do Centrooeste, indica que as chuvas escassas vieram para ficar. O que faz com que, no curto prazo, a dependência do sistema energético nacional em relação às termoelétricas – usinas essenciais, mas que também poluem o ambiente em comparação com as fontes hidrelétrica, eólica e solar – seja enorme.

“Está claro que houve uma redução nas chuvas na região central do Brasil e a tendência é que esse processo se agrave mais nos próximos anos”, afirma Pedro Côrtes, professor do Programa de Pós-graduação em Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente da USP. O que ocorre, explica o pesquisador, está muito relacionado com o desmatamento amazônico...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=340434&sid=105

Vantagens do mercado livre de energia vão além do preço

A migração de consumidores para o mercado livre de energia neste ano segue batendo recordes, estimulada pela elevação nos preços do ambiente regulado. A disparada do IGP-M, que corrige parte das tarifas, o aumento nos encargos e também o reajuste da Bandeira Vermelha patamar 2, com o acionamento das termelétricas, pesam no bolso do consumidor cativo. Diante desse cenário, os benefícios do mercado livre vão muito além do preço menor e podem ser potencializados com a customização dos contratos para que se encaixem nas demandas do consumidor.

Instituições que possuem demanda instalada a partir de 500 kw podem fazer portabilidade de sua conta e escolher o seu fornecedor. A redução no valor pago pela energia, ao migrar para o mercado livre, fica entre 25% e 30%, com impacto importante na competitividade das empresas. Mas a decisão de deixar o mercado cativo implica, ainda, em outros fatores…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=340433&sid=105

Agência aprova audiência pública sobre normas para Comercialização de Energia Elétrica e Mercado Atacadista de Energia

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou nesta terça-feira (27/7) a realização de audiência pública no próximo dia 13 de agosto para o aperfeiçoamento da proposta de consolidação das normas relativas à Convenção de Comercialização de Energia Elétrica e Mercado Atacadista de Energia (MAE).

A audiência pública será virtual, e poderá ser acompanhada pelo canal da ANEEL no YouTube (https://www.youtube.com/user/aneel ). As contribuições no evento irão subsidiar a elaboração de resolução normativa para a Convenção de Comercialização de Energia Elétrica.

O aperfeiçoamento atende ao decreto 10.139/2019, que tornou obrigatória a revogação expressa de normas consideradas revogadas tacitamente ou cujos efeitos tenham se exaurido no tempo. Para a elaboração de nota técnica, a Agência analisou 42 atos para promover a atualização em terminologias, melhoria dos comandos regulatórios e simplificação da linguagem.

Em seu voto, o diretor-relator Hélvio Guerra afirmou que, apesar de não haver alteração de mérito na proposta, considerou que afeta significativo número de agentes setoriais e, por isso, “é importante debatermos com a sociedade e com os agentes a proposta ora analisada”.

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://bit.ly/3f2K4u2

Santander capta R$ 780 mi para financiar painéis solares para pessoas físicas e PMEs

O banco Santander Brasil captou R$ 780 milhões da International Finance Corporation (IFC), Grupo Banco Mundial. Esse fundo tem como objetivo uma linha de crédito específica para aquisição de painéis solares para pessoas físicas e também pequenas e médias empresas (PMEs).

O objetivo é alavancar o programa de financiamento de energias renováveis e apoiar soluções de energia fotovoltaica como alternativas à conexão de diferentes negócios e residências na tradicional rede elétrica do País. O projeto vai auxiliar na diversificação da matriz energética e contribuir para a redução do uso de combustíveis fósseis.

“Contar com intermediários financeiros privados, como o Santander, que desempenham papel essencial no fornecimento de financiamento, é fundamental para ampliar o acesso ao crédito em todo o país”, disse em nota o gerente geral da IFC no Brasil, Carlos Leiria Pinto...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53181764/santander-capta-r-780-mi-para-financiar-paineis-solares-para-pessoas-fisicas-e-pmes

Eletronuclear declara vencedor da licitação para obras em Angra 3

A Eletrobras informou na última sexta-feira, 23 de julho, que Eletronuclear declarou o consórcio composto por Ferreira Guedes, Matricial e ADtranz vencedor da licitação que marcará a retomada das obras da usina nuclear de Angra 3, no âmbito do Plano de Aceleração do Caminho Crítico. O lance vencedor foi de R$ 292 milhões, o que representa um deságio de aproximadamente 16% em relação ao valor de referência estabelecido pela Eletronuclear.

Segundo comunicado, a partir do dia 26 de julho, o licitante que manifestou a intenção de recorrer, tem cinco dias úteis para apresentar as razões do recurso, ficando os demais intimados para, caso queiram, apresentar contrarrazões em igual número de dias. Após o fim da fase recursal da licitação, as empresas integrantes do consórcio vencedor serão submetidas a uma avaliação de compliance, antes de o processo ser encaminhado à autoridade competente para homologação. Em seguida, as companhias devem ser convocadas para assinar o contrato num prazo de 10 dias úteis, prorrogável por igual período. Depois da assinatura, iniciarão a mobilização do canteiro de obras de Angra 3, de forma que a construção da usina possa ser reiniciada ainda em 2021…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53181570/eletronuclear-declara-vencedor-da-licitacao-para-obras-em-angra-3