28/06/2021

Equatorial avança para o Norte e mira novos negócios

Num intervalo de pouco mais de três meses, a Equatorial Energia comprou duas concessionárias de distribuição, uma empresa de geração distribuída solar - a E-Nova -, e não pretende parar por aí. A companhia continua analisando novas oportunidades de crescimento, mesmo depois de ter agregado ao portfólio ativos complexos no Amapá e no Rio Grande do Sul e avançado num novo segmento de atuação.

“Temos caixa robusto, nossas linhas de transmissão acabaram de se tornar operacionais, vão gerar mais caixa. Também nossa relação com o mercado, com os bancos comerciais e de fomento, nos permite pensar [em expansão]. E no saneamento, já demos sinais bem claros que realmente temos interesse”, afirmou o presidente da Equatorial, Augusto Miranda, em coletiva de imprensa na sexta-feira, após o grupo ter vencido o leilão de privatização da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA)...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339699&sid=105

Distribuidora avalia novo posicionamento estratégico para longo prazo

A mudança na base de acionistas da BR, com a saída definitiva da Petrobras do capital da companhia, ocorre num momento em que a distribuidora traça um reposicionamento para o longo prazo. A expectativa da empresa é divulgar o novo plano estratégico no início do segundo semestre, mirando as oportunidades de negócios geradas pela transição energética para uma economia de baixo carbono.

A BR é, hoje, uma empresa ainda muito dependente do tradicional segmento de rede de postos e quer aumentar a presença em outras áreas, como a comercialização de energia elétrica, gás natural e etanol. A empresa já tem uma base de 18,5 mil clientes corporativos e quer se valer de sua proximidade no segmento B2B para oferecer novos produtos para além dos derivados de petróleo.

Para liderar esse novo momento, a BR trouxe para a presidência Wilson Ferreira Jr.. O executivo assumiu a companhia em março e traz, na bagagem, décadas de experiência no setor elétrico, segmento onde atuou no comando da CPFL e, mais recentemente, da Eletrobras...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339698&sid=105

Neoenergia implanta equipamentos em subestações

A Neoenergia está implantando dois compensadores síncronos em subestações integrantes do Lote 14 (Leilão Aneel 004/2018) em construção no Rio Grande do Sul. A companhia destacou que os equipamentos, voltados a reforçar a estabilidade, qualidade e confiabilidade ao serviço, são os primeiros do tipo que a companhia irá operar no Brasil.

As instalações dos equipamentos, de acordo com a Neoenergia, acontecem nas subestações Marmeleiro 2, de tensão em 525 kV, e Livramento 3, em 230 kV, localizadas em Santa Vitória do Palmar e em Santana do Livramento, respectivamente. A expectativa é que as obras durem até setembro de 2021. Cada equipamento pesa cerca de 262 toneladas, com dimensões de 4,1 m (comprimento), 5,6 m (largura) e 4,6 m (altura). Para que ele seja fixado na base, somente a fundação possui cerca de 3 metros de profundidade.

Segundo a Neoenergia, o compensador síncrono é um equipamento que tem o papel de fazer regulações de tensão e de potência dentro da subestação. Isso significa que, a depender da demanda no momento, ele pode absorver ou fornecer potência reativa ao sistema. Assim, por exemplo, durante o período da madrugada, quando a demanda é baixa, o compensador absorve a energia advinda do Sistema Interligado Nacional, enquanto no horário de pico, o compensador atua de maneira a fornecer mais energia reativa, suprindo a necessidade do sistema e regulando os níveis de tensão.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53178436/neoenergia-implanta-equipamentos-em-subestacoes

Migratio Energia se associa à Abraceel

A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) passou a contar com mais uma empresa em seu quadro com a chegada da Migratio e assim, atingiu a marca de 104 associadas. Atuando há 20 anos no mercado de energia, suas associadas respondem por 83% do market share em volume comercializado no mercado livre.

Segundo a Migratio, o objetivo é realizar uma gestão completa em energia. E ressalta que em 2018, estruturaram o departamento de trading com foco na demanda dos consumidores e nos últimos dois anos tem se consolidado na comercialização de energia incentivada com 100% de desconto na TUSD.

A associação destacou que sua atuação tem se baseado em permanentes diálogos com as mais diversas esferas de poder, principalmente, a governamental, em busca de uma legislação que possibilite o avanço na liberdade energética do país e lembra que de janeiro a junho deste ano oito instituições se filiaram.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53178420/migratio-energia-se-associa-a-abraceel

Frente Parlamentar de Recursos Naturais e Energia é aprovada no Senado

O Senado Federal aprovou a criação da Frente Parlamentar de Recursos Naturais e Energia (FPRNE) com a finalidade de promover debates e iniciativas a respeito de políticas públicas e outras medidas que estimulem o uso sustentável de recursos para geração e consumo responsável.

Segundo a Resolução nº19, publicada no Diário Oficial da União nessa sexta-feira, 25 de junho, a Frente será integrada por parlamentares do Senado e da Câmara dos Deputados, que deverão reunir-se preferencialmente nas dependências do Senado mas podendo, por conveniência, valer-se de outro local em Brasília ou em alguma unidade da Federação.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53178353/frente-parlamentar-de-recursos-naturais-e-energia-e-aprovada-no-senado

Equatorial arremata CEA em leilão de lance único

A Equatorial Energia arrematou mais uma concessão de distribuição no país. Dessa vez, a companhia ficou com a amapaense CEA. Foi o único interessado no ativo na Região Norte do país. O índice que compõe o lance de deságio na flexibilização da outorga foi de zero. Ou seja, o lance mínimo de R$ 50 mil e investimentos de R$ 500 milhões mais a dívida de R$ 1,2 bilhão.

De acordo com Leonardo Cabral, diretor de Privatizações do BNDES, o impacto total para o estado do Amapá é de um benefício de R$ 4 bilhões considerando os investimentos que serão feitos pela nova controladora da distribuidora, a assunção da dívida, a arrecadação do estado e o investimento que deverá ser efetuado. Ele lembrou ainda que o processo foi iniciado ainda em 2018 e que foi mais longo do que o normal por conta das dificuldades com o endividamento da companhia...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53178446/equatorial-arremata-cea-em-leilao-de-lance-unico

Leilão A-5 termina com preço de R$ 172,39/ MWh e deságio de 45,79%

O leilão A-5, realizado nesta sexta-feira, 25 de junho, terminou com preço médio de R$ 172,39/ MWh e deságio de 45,79%. Foram transacionados R$ 1.455.323.827,25 em 8.442.043,2 MWh. O certame, que durou cerca de duas horas, teve mais uma vez a Petrobras como única vendedora de energia, com Cubatão, por R$ 172,39. A estatal já havia sido a única a viabilizar contratos no leilão A-4, que foi realizado na manhã desta sexta. A receita fixa será de R$ 34.146.363,51 por ano. Foram negociados 642 lotes de 0,1 MW med cada.

As distribuidoras que compraram energia foram Equatorial Pará, com 4.121.109,665 MWh e a Equatorial Maranhão, com 4.320.933,535 MWh.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53178437/leilao-a-5-termina-com-preco-de-r-17239-mwh-e-desagio-de-4579

Microinversor ou inversor string: qual é a melhor escolha para o projeto solar?

O microinversor e o inversor string são os tipos de inversores mais comuns no mercado solar fotovoltaico. Ambos são indicados para uso comercial, residencial e industrial. Apesar dos aparelhos possuírem funcionamento similar dentro de um projeto de geração de energia, cada um tem suas características específicas.

O principal aspecto do microinversor consiste no fato de que ele é menor do que o inversor string. Além disso, ele pode ser instalado atrás do painel fotovoltaico sem que sejam necessárias obras de infraestrutura, como abrigos separados voltados para os equipamentos.

Também usado para converter a corrente contínua (CC) do painel em corrente alternada (CA), o inversor string se difere por ser maior e sustentar potências maiores em somente um equipamento...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/inversor-solar/microinversor-ou-inversor-string-qual-e-a-melhor-escolha-para-o-projeto-solar.html

Plano Safra 2021/2022 vai impulsionar a energia solar

O aumento do volume de recursos no Plano Safra 2021/2022, com foco no pequeno e médio produtor e com ênfase na sustentabilidade, foi bem avaliado por profissionais e entidades do setor de energia renovável, em especial a solar.

Geovani Reis Magalhães, CEO da GSE Group Energia e Automação, destaca que o lançamento deste plano é sempre algo muito aguardado pelos proprietários rurais e que os valores somados neste novo ciclo, visando o setor de renováveis, veio num momento em que os empresários mais precisavam.

“O Plano Safra 2021/2022 está prometendo bastante nesse momento em que buscamos formas de incentivar o agronegócio. É um plano que sempre chama atenção dos produtores, por causa dos prazos de pagamentos estendidos de até 12 anos”, disse…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/plano-safra-2021-2022-vai-impulsionar-a-energia-solar/