28/04/2021

Setor elétrico aposta em diversificação

Diante de uma mudança impulsionada pela digitalização, descentralização e descarbonização, a inovação tem ganhado importância na agenda das empresas do setor elétrico.

Além de buscar mais eficiência reduzindo custos, as concessionárias estão de olho em novos serviços e modelos de negócios frente a um consumidor que, com o avanço da geração distribuída solar e das redes inteligentes, passa a também atuar como minigerador. As empresas também estão atentas a oportunidades em mobilidade elétrica e iluminação pública. Um vetor são investimentos feitos dentro do programa de Pesquisa & Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica, em que se investe 0,5% da receita operacional líquida em inovação...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=337999&sid=105

Plano da Cemig é vender participações em outras empresas de energia, diz presidente

A Cemig planeja vender participações que possui em outras empresas de energia, como parte dos esforços para tornar a sua operação mais rentável, afirmou o presidente da companhia, Reynaldo Passanezi Filho. Ao mesmo tempo, a companhia vai reforçar investimentos em sua operação principal, de geração e transmissão de energia em Minas Gerais, com aporte de R$ 22,5 bilhões nos próximos cinco anos.

“Fizemos uma revisão do nosso planejamento estratégico. Decidimos focar no nosso core e desfocar em investimentos que não são essenciais”, afirmou Passanezi. A revisão do planejamento foi feita com a Bain & Company e contempla mais de 80 planos de ações, envolvendo todas as áreas da companhia...

Fonte: Valor Investe

Leia mais em:

https://valorinveste.globo.com/mercados/renda-variavel/empresas/noticia/2021/04/28/plano-da-cemig-vender-participaes-em-outras-empresas-de-energia-diz-presidente.ghtml

EDP Brasil: investimentos em energia solar podem gerar bons resultados no médio prazo

O foco da Energias do Brasil (ENBR3) no segmento solar é positivo e pode trazer bons resultados à companhia no médio prazo, afirmou o Safra.

Em evento online com investidores, a empresa compartilhou sua meta de 1 GW de capacidade nas usinas solares até 2025. Considerando que sua capacidade atual em instalações solares é de 50 MW, o plano da Energias do Brasil parece audacioso.

“Vemos essa estratégia como positiva, uma vez que a companhia também planeja reduzir sua exposição a ativos hidrelétricos, dada a sua percepção de aumento de riscos hidrológicos”, comentou o analista Daniel Travitzky, em relatório divulgado ontem.

Para bater a meta, a companhia quer investir R$ 10 bilhões no país até 2025. Do montante total, aproximadamente R$ 3 bilhões serão dirigidos a negócios em geração solar...

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/edp-brasil-investimentos-em-energia-solar-podem-gerar-bons-resultados-no-medio-prazo/

Brasil pode abrir mercado de energia e beneficiar blockchain e mineração

A proposta inicial de mudanças para a implementação de um mercado livre de energia deve começar a ser redigida em junho de 2021, informou o Ministério de Minas e Energia.

O texto é parte de um plano para modernizar a legislação do setor elétrico brasileiro, que também é composto por um projeto de lei enviado pelo governo federal e que, no momento, está em tramitação no Congresso.

Uma das consequências almejadas pelas propostas é a criação de um mercado livre de energia, que permitiria que empresas com alta demanda pudessem negociar a compra de energia e o preço diretamente com fornecedores que possuam excedente disponível.

Em junho, a pasta deve receber um estudo preliminar da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) contendo um passo a passo para o processo…

Fonte: Finanças Yahoo

Leia mais em:

https://br.financas.yahoo.com/noticias/brasil-pode-abrir-mercado-energia-115500529.html

Espírito Santo ultrapassa 7 mil conexões operacionais de energia solar no setor de geração distribuída

Conforme dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o Espírito Santo alcançou 7.037 conexões operacionais de geração solar distribuída. O levantamento da entidade aponta que aproximadamente 8.049 consumidores possuem sistemas fotovoltaicos instalados em pequenos terrenos e telhados, dispersos por todos os 78 municípios do território capixaba.

Esses dados colocam o Espírito Santo entre os vinte estados brasileiros com maior potência instalada da fonte solar fotovoltaica na própria produção de energia. O estado conta com 93,2 megawatts (MW) em atividade em indústrias, comércios, residências, prédios públicos e propriedades rurais…

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/geracao-distribuida/espirito-santo-ultrapassa-7-mil-conexoes-operacionais-de-energia-solar-no-setor-de-geracao-distribuida.html

Eletron Energy adota SAP Business One

A Eletron Energy, empresa especializada em soluções de energia, adotou o SAP Business One HANA cloud. O prazo de implantação considerando todas as etapas de planejamento, configurações e entrada em produção foi de cinco meses, realizado em parceria com a ALFA Sistemas parceiro Gold SAP.

Segundo a Eletron Energy, sua visão é focada em três linhas de atuação: gestão, comercialização e geração de energia direcionada para livre distribuição, proporcionando eficiência e previsibilidade aos negócios., sempre com transparência e ética. Com sede no Recife, o Grupo Eletron Energy é formado por outras 29 empresas.

Uma das principais questões que levou a Eletron Energy a optar pelo SAP Business One foram as dificuldades relacionadas aos controles internos e a estruturação para suportar a evolução do negócio...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://canalenergia.com.br/noticias/53170855/eletron-energy-adota-sap-business-one

Romeu Zema quer privatizar Cemig

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse que quer privatizar estatal Cemig. Zema acrescentou que a operação não precisaria envolver uma venda completa da companhia até o final de sua administração e que o estado pode ser um “mero acionista”.

“Gostaria que durante minha gestão a empresa venha a ser privatizada. Talvez não vendida, mas que ela receba um aporte de capital e que o Estado, que sempre fez interferências indevidas na empresa, perca o controle”.

A afirmação foi feita durante o 26º Encontro Anual da Cemig com o Mercado de Capitais. “Desejo que a Cemig seja privada e o estado seja um mero acionista”.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53170952/romeu-zema-quer-privatizar-cemig

Leilões de energia nova são qualificados no PPI

Os leilões de energia nova A-3, A-4 e A-5 foram qualificados na última terça-feira, 28 de abril, no Programa de Parcerias de Investimentos. Os certames vão ofertar contratos de suprimento com início de entrega da energia nos anos de 2024, 2025 e 2026, respectivamente.

O A-3 e o A-4 são direcionados a empreendimentos eólicos, solar e térmicos a biomassa e estão previstos para 25 de junho. Foram cadastrados na Empresa de Pesquisa Energética para os dois certames 1.841 projetos, com 66 GW de oferta.

O A-5 esta marcado para 30 de setembro e é direcionado a projetos hidrelétricos; termelétricos a biomassa, resíduos sólidos urbanos (RSU), carvão mineral nacional e gás natural; eólicos e solares fotovoltaicos. O cadastramento de empreendimentos na EPE vai até 20 de maio.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53170945/leiloes-de-energia-nova-sao-qualificados-no-ppi

BYD Energy lança módulo fotovoltaico monocristalino de 400Wp

A BYD começou a produzir módulos monocristalino 400Wp em sua fábrica em Campinas (SP). A companhia informou que as novas células fotovoltaicas possuem 22,6% de eficiência, sendo possível produzir os módulos de 400Wp sem alteração de tamanho do módulo ou realizar qualquer tipo de adaptação na linha de produção. O benefício para o cliente final é um produto mais eficiente, que gera mais energia, contendo o mesmo tamanho e dimensões em comparação com similares importados vendidos no Brasil.

A BYD destacou que a fabricação deste módulo no Brasil é um progresso não apenas para a empresa, mas para todos os clientes, que serão atendidos com uma excelente performance e um produto mais adaptado ao clima e as necessidades do mercado brasileiro. Com demanda aquecida, a BYD registrou um crescimento de mais de 40% na comercialização dos módulos no segundo semestre de 2020...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53170635/byd-energy-lanca-modulo-fotovoltaico-monocristalino-de-400wp

Plano estratégico da EDP Brasil prevê R$ 10 bi em investimentos até 2025

A EDP Brasil prevê uma taxa de crescimento anual composta de 8% a 10% para o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) em seu plano estratégico até 2025.

A companhia elétrica espera que o segmento de distribuição de energia represente 39% do Ebitda em 2025, participação ligeiramente superior aos 35% atuais.

Ao longo dos próximos anos, o grupo também espera maior contribuição no Ebitda dos segmentos de transmissão (de 13% para 18%) e geração solar e comercialização (de 6% para 10%). Na outra direção, deverão ter menos participação no Ebitda a geração convencional (de 26% para 21%) e a térmica (de 20% para 12%)…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=337974&sid=105

Leilão da Celg GT é adiado para o segundo semestre

A CelgPar, controladora da Celg GT, decidiu adiar para o segundo semestre deste ano o seu leilão de privatização, que estava previsto para ser realizado no dia 13 de maio. Em comunicado enviado ao mercado nesta segunda-feira, 26 de abril, a empresa alegou que os investidores interessados pediram mais prazo para análise das informações e documentos da operação, além de exame para a viabilidade de segregação dos ativos de transmissão e dos ativos de geração. A nova data ainda será definida.

Outro motivo para o adiamento foi a resolução 2.846/2021 da Agência Nacional de Energia Elétrica, que acolheu de modo parcial os pleitos da Celg GT sobre as revisões de receitas de contratos de transmissão prorrogados nos termos da Lei n° 12.783/2013…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53170729/leilao-da-celg-gt-e-adiado-para-o-segundo-semestre