27/07/2020

Ministro assina novas Portarias de outorgas do Leilão A-6

As novas Portarias de outorgas do Leilão A-6 de 2019 foram assinadas pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, na última quinta-feira (23). Ao todo, foram contratados 106 empreendimentos nos dois leilões de geração de energia elétrica (A-4 e A-6) realizados no ano passado, num total de 3.380 MW de potência com início de suprimento a partir de 2023 e 2025.

Das 106 usinas contratadas, 103 operam a partir de fontes renováveis, sendo que 17 são exclusivas de energia solar, somando 733,7 MW de potência.

Expansão da energia fotovoltaica

Segundo o PDE 2029 (Plano Decenal de Expansão de Energia 2029), a fonte solar deve passar dos 2% atuais para 8% em dez anos na matriz elétrica brasileira. Atualmente, existem 3.898 usinas fotovoltaicas em operação no país...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/762-ministro-assina-novas-portarias-de-outorgas-do-leilao-a-6

EDP Renováveis e Engie formam a Ocean Winds

A joint-venture anunciada no ano passado entre a EDP Renováveis e a Engie acaba de ser formalizada. As empresas criaram a Ocean Winds, que visa atender aos mercados da Europa, Estados Unidos e Ásia. A nova organização vai empregar 300 pessoas até ao final deste ano e tem como foco o desenvolvimento de projetos ligados ao setor da energia eólica offshore fixa e flutuante. A nova empresa terá sede em Madrid e será presidida por Spyros Martinis, que é também membro da comissão executiva da EDP Renováveis.

Em comunicado divulgado ao mercado informaram que a nova empresa será controlada em partes iguais por ambas as companhias, e a nova sociedade será o instrumento de investimento exclusivo para captar as oportunidades de energia eólica offshore em nível mundial, tornando-se num dos cinco principais operadores mundiais, ao combinar a capacidade industrial e de desenvolvimento da EDP Renováveis e da Engie...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/edp-renovaveis-e-engie-formam-a-ocean-winds.html

Neoenergia usa realidade virtual para concluir obra em meio a pandemia

A Neoenergia concluiu antes do prazo regulamentar mais obras de transmissão de elétrica. Foram entregues a Subestação Biguaçu, em Santa Catarina e uma linha de 147 km em 230 kV entre as subestações de Nova Porto Primavera (SP) e Rio Brilhante (MS). O comissionamento envolveu o uso de realidade virtual, conectando equipes do Brasil e da Suécia.

A subestação Biguaçu, em 525 kV, no município de mesmo nome, fez parte do lote 22 do leilão nº 005/2016, que incluiu, além ampliação do empreendimento, a implantação de um Compensador Estático de Reativos (-100/+300 MVAR), uma tecnologia para, entre outras funcionalidades, regular a tensão na rede para reduzir as variações provocadas por desligamentos ou instabilidades.

Com a conclusão da obra em meio à pandemia de Covid-19, usou a tecnologia para concluir a montagem e o comissionamento do compensador estático. Essa etapa de montagem e testes dos equipamentos, segundo a Neoenergia, é realizada por profissionais da Suécia, que não poderiam viajar ao Brasil em razão do coronavírus...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53141387/neoenergia-usa-realidade-virtual-para-concluir-obra-em-meio-a-pandemia

Brasil é listado como segundo em ranking de investimento em renováveis

Uma pesquisa feita pela British Business Energy, empresa que atua no Reino Unido, analisou dados sobre 29 países referente a empresas de energia em todo o mundo e colocou o Brasil em segundo lugar no ranking de energia renovável. O país ficou atrás apenas dos Estados Unidos, com uma pontuação de 6,5 ante os 7 do líder. Atrás vem a Índia com pontuação 6,3.

A empresa aponta que essa indústria de energia continua em crescimento e que depende fortemente de recursos finitos. Por isso, analisaram os dez principais países que estão investindo, usando parcialmente ou planejando usar energia renovável em um futuro próximo. Ainda fazem parte de cima desse ranking Hungria e Argentina.

A British Business Energy aponta ainda que a produção e a venda de energia estão crescendo. E com o aumento do consumo, os produtores e fornecedores do mundo estão tendo que pensar em métodos renováveis para se afastar dos combustíveis fósseis...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53141399/brasil-e-listado-como-segundo-em-ranking-de-investimento-em-renovaveis