27/06/2022

Huawei, HDT Energy e re(energisa) assinam acordo com foco em energia renovável

A Huawei Digital Power e a HDT Energy assinaram um contrato de 30MW com a (re)energisa. O acordo prevê a entrega de inversores inteligentes para projetos de usinas fotovoltaicas em todo o país.

“À medida que aumentamos a participação da energia renovável em diversos setores da indústria, também contribuímos para a redução do custo da geração de energia elétrica (LCOE) e o custo nivelado de armazenamento (LCOS)” disse o presidente da Huawei Digital Power no Brasil, Mason Qing.

“Somos um ecossistema de soluções para clientes em busca de redução de custos, uso de energia renovável e serviços de gestão de energia com foco no uso sustentável. Como nosso foco está sempre no cliente, nos planejamos para adquirir com antecedência os melhores equipamentos do mercado. Deste modo, nos blindamos de eventuais crises de suprimentos, sejam eles globais ou locais”, ressaltou o diretor de Engenharia e Operações na (re)energisa, Fernando Costalonga...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53216304/huawei-hdt-energy-e-reenergisa-assinam-acordo-com-foco-em-energia-renovavel

Furto de energia causa prejuízo de R$ 88 milhões em um ano

O furto de energia, por meio das ligações clandestinas conhecidas como “gatos”, geraram um prejuízo milionário, nos últimos 12 meses. Deixaram de ser arrecadados R$ 88,3 milhões de Imposto sobre Circulação de Mercadorias, Bens e Serviços (ICMS) e foram identificadas 44 mil irregularidades em todo o Estado, com a maioria dos registros na Capital e Várzea Grande.

Inclusive, a concessionária de energia estima que foram desviados 568 gigawatt-hora (GWh) e com essa quantidade, seria possível abastecer Cuiabá por quatro meses e Várzea Grande, por 10.

Os dados disponibilizados pela Energisa foram publicados no jornal A Gazeta, deste domingo (26). Conforme a empresa, os “gatos” trazem ainda outro tipo de prejuízo e de riscos, afinal, as ligações indevidas podem causar o rompimento de cabos, curtos-circuitos e incêndios...

Fonte: O Livre

Leia mais em:

https://olivre.com.br/furto-de-energia-causa-prejuizo-de-r-88-milhoes-em-um-ano

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai leiloar na próxima quinta-feira (30) 13 lotes de linhas de transmissão de energia. As empresas que obtiverem a concessão ficarão responsáveis por construir, operar e manter as linhas, que somam um total de 5.425 quilômetros e uma capacidade de 6.180 mega-volt-ampères (MVA).

O leilão vai ocorrer às 10h, na sede da B3, em São Paulo. Os contratos de concessão estão previstos para ser assinados em 30 de setembro, e as empresas vencedoras terão prazos de 42 a 60 meses para iniciar a operação comercial das linhas de transmissão. A Aneel prevê que os contratos de concessão gerem R$ 15,3 bilhões em investimentos, gerando de 31.697 empregos diretos.

Os lotes dos empreendimentos estão localizados em 13 estados: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe.

O lote de maior extensão e que deve gerar mais empregos é o de número 2, que corta os estados de Minas Gerais e São Paulo em um percurso de 1,7 mil quilômetros. O lote tem finalidade de expandir a capacidade de transmissão da região Norte de Minas Gerais e, se concretizado, deve empregar 9,8 mil pessoas…

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/invest/mercados/aneel-realiza-leilao-que-preve-ate-r-153-bilhoes-em-investimentos/

SE Lagoa Grande, da Cemig, tem previsão de conclusão para este mês

A Cemig concluirá este mês a construção de uma subestação em Lagoa Grande, no Noroeste de Minas. A instalação recebeu investimento de R$ 10,2 milhões, e vai beneficiar toda a população do município, além de reforçar o fornecimento de energia para a cidade de João Pinheiro e contribuir de maneira expressiva para o desenvolvimento da região.

A distribuidora informou que inicialmente serão acrescidos 15 MVA de potência ao sistema elétrico regional. A nova subestação traz outros benefícios, como melhoria nas condições operativas do sistema elétrico, com alívio de carga dos circuitos e eliminação de sobrecargas.

A região já recebeu no último ano outros investimentos da Cemig para ampliar a oferta de energia aos seus clientes. A SE Varjão de Minas foi energizada em novembro e a SE Serra do Salitre foi entregue no primeiro semestre. A subestação Araxá 2 está sendo ampliada. As obras das subestações Uberaba 7 e Uberlândia 8 já foram iniciadas. Além disso, diversas linhas de distribuição foram construídas para conectar essas subestações ao sistema elétrico, conferindo mais segurança em caso de necessidade operativa.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53216248/se-lagoa-grande-da-cemig-tem-previsao-de-conclusao-para-este-mes

Considerando as mudanças climáticas, a necessidade de reduzir emissões de poluentes e o cumprimento das metas estipuladas no Acordo de Paris e recentemente destacadas na COP26, o mundo inteiro espera um maior desenvolvimento das energias renováveis. Nesse sentido, o aumento da produção de hidrogênio verde é tido por muitos especialistas como o grande movimento futuro para a transição energética e que exigirá reorganização de custos e preços de produção, mas também capacidade para eletrólise.

A conclusão vem da pesquisa “produção de hidrogênio com tecnologias limpas como forma de acelerar a transformação energética na região”, conduzida pela KPMG, e que aponta o avanço desse vetor energético contribuindo para o surgimento de novos setores que o demandam, substituindo o H2 cinza e outros combustíveis poluentes.

A publicação estima que cerca de 99% do H2 produzido mundialmente seja de baixo carbono até 2050. Setores como geração de energia, amplamente dependente de fontes fósseis, e os de indústria e transporte, entre outros, devem começar a mudar suas necessidades energéticas para esse combustível nos próximos 30 anos. Outro apontamento relevante está na necessidade de aumento de iniciativas de pesquisa e desenvolvimento na área e suas aplicações potenciais...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53216231/hidrogenio-pode-acelerar-transicao-energetica-do-brasil-diz-kpmg

Siemens Energy e Air Liquide formam joint venture para a produção de hidrogênio

A Siemens Energy e a Air Liquide anunciaram a criação de uma joint venture dedicada à produção em série de eletrolisadores de hidrogênio renovável em escala industrial na Europa. Com as empresas combinando seus conhecimentos, esta parceria franco-alemã permitirá o surgimento de uma economia sustentável de hidrogênio na Europa e promoverá um ecossistema europeu para eletrólise e tecnologia de hidrogênio.

A produção deve começar no segundo semestre de 2023 e aumentar para uma capacidade de produção anual de 3 GW até 2025. A Air Liquide ficará com 25,1 por cento e a Siemens Energy deterá 74,9 por cento da joint venture, cuja criação está sujeita à aprovação das autoridades competentes. Esta joint venture será sediada em Berlim e a fábrica multi gigawatts da joint venture que produz módulos de eletrólise (“stacks”) também tem previsão de ficar sediada na capital alemã. Este complexo fornecerá módulos de eletrólise aos clientes de ambos os Grupos, voltados a atender o mercado em rápido crescimento…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53216256/siemens-energy-e-air-liquide-formam-joint-venture-para-a-producao-de-hidrogenio

A Amazonas Energia alegou que é “impossível” periciar todos os novos medidores de energia elétrica instalados em Manaus, pois o Ipem-AM (Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas), órgão técnico competente para realização de perícias, “não teria capacidade suficiente para atender uma demanda desta monta”.

A concessionária também alega que “qualquer sistema de medição, alusivo a qualquer área, pode ser acometido de falha técnica ou operacional, e isso diz respeito a telefonia, internet, consumo de água, assim como o consumo de energia, e nem por isso, em virtude de defeitos isolados e tratados, conclui-se que todo o sistema possa estar comprometido”.

As alegações constam em recurso ajuizado pela concessionária de energia no último dia 10 de junho contra a decisão do desembargador do TJAM (Tribunal de Justiça do Amazonas) Lafayette Vieira Júnior que proibiu a instalação dos novos medidores no estado. Esse recurso está sendo analisado pelo desembargador Paulo Lima...

Fonte: Amazonas Atual

Leia mais em:

https://amazonasatual.com.br/e-impossivel-ipem-periciar-todos-os-novos-medidores-diz-amazonas-energia/