25/11/2020

Setor de energia passará por revolução digital no País

Os hábitos do consumidor mudaram e precisam ser levados cada vez mais em consideração pelas empresas quando se fala em experiência e fidelização. No setor energético, as distribuidoras estão atentas a esse movimento para que consigam ser assertivas na oferta de serviços e rápidas na resolução de problemas.

Essa foi uma das ponderações trazidas para o debate durante o Meet Up de Energia “Da Geração à Entrega de Energia ao Consumidor: A Revolução Digital e o seu Impacto no Setor Energético”, promovido pelo Futurecom Digit@l Week.

O webinar reuniu Bruno Cecchetti, diretor de Tecnologia de Rede e Inovação da Enel Brasil; Marcos Camillo, superintendente de Tecnologia da Informação da Copel; Heron Fontana, superintendente de Smart Grid da Neonergia; José Roberto Paim Neto, head de Excelência Empresarial da CPFL Energia; Alberto Rodrigues, gerente de soluções da Nokia; Vanessa Vieira, CTO da Ericsson; José Francisco Sobral, consultor sênior da Ciena, e Francisco Costa de Menezes, diretor da Huawei...

Fonte: Diário do Comércio

Leia mais em:

https://diariodocomercio.com.br/negocios/setor-de-energia-passara-por-revolucao-digital-no-pais/

Brasil atinge marca histórica de 7 GW em energia solar fotovoltaica

O Brasil acaba de atingir um marco histórico. Segundo levantamento realizado pela ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), o país alcançou 7 GW de potência operacional da fonte solar, em usinas de grande porte e pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos.

“A energia fotovoltaica cresce, aceleradamente, porque reduz as despesas das famílias, comércio, serviço e da indústria. Chegamos a 7 GW, metade da usina hidrelétrica de Itaipu”, disse Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR.

“No entanto, estamos apenas começando. O Brasil possui, por exemplo, cerca de 410 mil UCs (unidades consumidoras) abastecidas por energia solar fotovoltaica para uma população de cerca de 210 milhões de habitantes. Para efeito de comparação, a Austrália conta com 8 milhões de habitantes e já tem 2 milhões de UCs abastecidas por solar. Lá, continua expandindo, e isso mostra também o potencial de crescimento no nosso país”, ressaltou Koloszuk...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/1265-brasil-atinge-marca-historica-de-7-gw-em-energia-solar-fotovoltaica

EDP Brasil partners with Embraer to develop battery technologies for electric aviation

The multinational EDP, through its EDP Smart division, has committed to a financial contribution for the acquisition of energy storage and battery charging technologies for Embraer’s all-electric demonstrator aircraft project.

The prototype, which is already in development, is scheduled to complete its inaugural flight in 2021.

The investment is part of the cooperation agreement signed by both companies to advance their shared knowledge of energy storage and battery charging technologies for aviation – one of the main challenges of the project.

The partnership aims to investigate the applicability of high voltage batteries for the electric propulsion systems of small aircraft, in addition to evaluating the main operating characteristics, such as weight, efficiency and power quality, thermal control and management, cycling loading and unloading and operational safety...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/electric-vehicles/edp-brasil-partners-with-embraer-to-develop-battery-technologies-for-electric-aviation/

A AES Tietê anunciou nesta terça-feira, 24 de novembro, que passará a adotar o nome AES Brasil no país. A geradora é uma das maiores no setor e tem ativos hídricos, eólicos e solares. Mas as novidades não ficam apenas na mudança de nome. O CEO da empresa Ítalo Freitas Filho, também anunciou o lançamento da Energia+, uma plataforma digital de migração para o ACL destinado a médios e pequenos consumidores elegíveis ao Mercado Livre. O executivo enfatizou ainda o posicionamento estratégico da empresa de apostar no ambiente de contratação livre, atuando em todos os seus segmentos de consumo com energia renovável e oferecendo produtos inteligentes. “O objetivo é ser a primeira opção no mercado livre de energia”, afirma.

O executivo da AES Brasil conta que o diferencial da Energia+ é que ela não é apenas uma plataforma de migração voltada para a comercialização de energia, mas sim que ajuda o cliente a consumir energia de uma forma mais eficiente e inteligente. A empresa se aproveita da expertise que já tem devido as suas próprias usinas, em que já lida com aspectos como sistemas de análise de risco, hidrologia e meteorologia. “Vamos colocar isso em uma plataforma e ofertar para os nossos clientes, é isso que trazemos para a plataforma”, avisa Freitas Filho…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53155167/aes-tiete-passa-a-se-chamar-aes-brasil-e-lanca-plataforma-digital

Conselho da Light elege nova diretora da companhia

A Light informou que seu Conselho de Administração elegeu Carla Ferreira Medrado como nova diretora da companhia, após reunião realizada na última segunda-feira, 23 de novembro. A executiva esteva até então à frente da Diretora Corporativa de Gente e Gestão da Equatorial Energia, onde iniciou sua trajetória em 2008. Anteriormente, exerceu cargos na TIM Brasil, Coca-Cola, Recofarma, Basf e Cisper.

Graduada em Administração de Empresas pelo CIESA, mestre em Gestão Empresarial pela UTAD, em Portugal e pós-graduada em Gestão de Pessoas pela FGV, Carla possui experiência em áreas administrativas, como finanças, contabilidade, suprimentos, logística e recursos humanos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53155122/conselho-da-light-elege-nova-diretora-da-companhia

Enel investirá 5 bilhões de euros no Brasil até 2023

O Brasil continua a ser o principal destino dos investimentos da Enel no plano que contempla aportes de 2021 a 2023. Para esse período a empresa manteve o nível de capex em mais de 5 bilhões de euros, cerca de 50% do destinado a toda a América Latina.

A empresa não detalhou a perspectiva de aplicação desses recursos em entrevista coletiva promovida nesta terça-feira, 24 de novembro, em decorrência do evento anual Capital Markets Day, que este ano ocorreu de forma virtual. Apesar disso, o CEO da empresa, Francesco Starace, disse que hoje a empresa olha mais para geração do que para ativos em distribuição.

Contudo, quando questionado sobre os processos de venda de concessionárias de distribuição que estão em andamento por aqui, disse que a empresa deve avaliar as distribuidoras à venda.

“Hoje nossa posição é de adicionar mais geração ao nosso portfólio, mas olhamos os ativos, que devem fazer sentido. Nem todos são interessantes para nós por conta de sua localização geográfica no país”, afirmou ele. “Mas olhamos tudo que estiver disponível, mas nem sempre é interessante por conta da expectativa irrealista da parte que quer vender o ativo”, acrescentou o executivo…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53155156/enel-investira-5-bilhoes-de-euros-no-brasil-ate-2023

Enel: America Latina é região que mais aumentará resultado até 2023

A América Latina deverá ser o local do mundo que mais aumentará sua representatividade no resultado global da Enel. A empresa projeta nesta região o maior incremento percentual no resultado Ebitda da companhia. A estimativa é de que neste ano encerre em 25% do resultado global, já em 2023 é esperado um índice de 33%. Na Itália, a estimativa é de redução de 44% para 38%, na Ibéria de 24% para 19%.

Esse crescimento, mostram as projeções da Enel, derivam do incremento na participação do Ebitda global da empresa tanto em redes quanto na geração renovável. De um total estimado de 8 bilhões de euros neste ano, a região deverá representar 23% desse valor e em 2023, quando o Ebitda projetado alcançar 9,5 bilhões de euros, responder por 36% do total. Se essas projeções se confirmarem a América Latina ultrapassa a Iberia, ficando atrás apenas da Itália.

Em geração renovável a participação deverá aumentar de 42% sobre os 4,7 bilhões de euros deste ano, para 44% do Ebitda de 6,5 bilhões de 2023 nessa unidade de negócios. Em geração convencional e comercialização aumenta de 17%, de um valor global de 2,1 bilhões de euros para 31% de um total de 1,2 bilhão de euros…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53155115/enel-america-latina-e-regiao-que-mais-aumentara-resultado-ate-2023