25/02/2022

Planos da Isa Cteep avançam apesar do cenário difícil

Apesar do tombo de 64% no lucro líquido no quarto trimestre de 2021, totalizando R$ 133,4 milhões, a transmissora Isa Cteep fechou o ano energizando dois projetos arrematados nos leilões de transmissão, obteve autorização para fazer o primeiro banco de baterias associadas ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e a primeira subestação digital em Lorena (SP).

Ao Valor, o diretor presidente, Rui Chammas, e a diretora financeira, Carisa Portela, disseram que apesar do cenário macroeconômico de incertezas que persistes, aumentando as despesas financeiras principalmente com a alta de juros, a gestão do período conseguiu aplicar importantes recursos e fazer as entregas propostas, o que preservou os ganhos dos acionistas.

“Tivemos uma disciplina em custos que cresceram menos do que a inflação. Por outro lado, tivemos dois pontos que prejudicaram nossos resultados: o primeiro ponto é a decisão da Aneel de reperfilar a RBSE [Rede Básica Sistema Existente], que cria uma redução dos pagamentos no curto prazo, mas cria valor no tempo. O segundo ponto é o incremento das taxas de juros, que penaliza um pouco o custo financeiro da companhia”, afirma...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=344877&sid=105

LG anuncia saída de negócio de módulos fotovoltaicos

A LG Electronics anunciou que encerrará o negócio de módulos fotovoltaicos. Conforme a empresa, a decisão ocorre em um momento em que as incertezas do mercado global continuam aumentando em razão de uma série de fatores, incluindo a intensificação da competição de preços e o aumento de custos de matéria-prima.

A companhia afirmou que manterá o suporte para clientes que já possuem os equipamentos por um determinado período após o fechamento da operação estar completo. O encerramento da produção está previsto para 30 de junho de 2022.

A LG Business Solutions subsidiária que opera o negócio de módulos, reorganizará seu portfólio para os segmentos de tecnologia da informação (T.I) e displays de informações. A companhia afirma que se concentrará em outros setores em crescimento, como sistemas de armazenamento e soluções de gerenciamento de energia.

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/tecnologia/equipamentos-fv/lg-anuncia-saida-de-negocio-de-modulos-fotovoltaicos

GoodWe e as tendências do mercado de energia solar para 2022

A GoodWe prevê um ano de crescimento para o setor de energia solar mundial. A fabricante de inversores fotovoltaicos prevê melhorias devido à diminuição dos problemas com a cadeia de suprimentos.

Shen Rong, vice-presidente da companhia, avalia que o ano de 2022 será um ano de oportunidade para o mercado e que estarão voltados aos projetos de P&D (Pesquisa e desenvolvimento) para o setor fotovoltaico.

Atualmente, a empresa possui forte atuação na Europa e no mercado brasileiro o crescimento da companhia chegou a 100%.

A marca reconhece que esse ano o foco será em P&D, para levar confiança dos produtos para todos os clientes, além de sistemas inteligentes para o gerenciamento de energia para construir soft power, que será uma das competências fundamentais da empresa...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/goodwe-e-as-tendencias-do-mercado-de-energia-solar-para-2022/

Distribuidoras querem mais flexibilidade na gestão de contratos

O estudo que a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica apresentou ao governo com suas propostas para modernização do setor elétrico tem como maior preocupação a questão da abertura de mercado e os efeitos nos custos que ficarão para o mercado regulado. O foco da entidade é de que a medida seja orientada para mais competição, fator que não ocorre atualmente e que as concessionárias possam ter maior poder de gestão de seus contratos.

Segundo o diretor de Regulação da Abradee, Ricardo Brandão, que participou do CanalEnergia Live desta quinta-feira, 24 de fevereiro, se as concessionárias tiverem mais ferramentas para evitar sua sobrecontratação os encargos ficam menores aos consumidores que ficarem no mercado regulado.

“A tarifa mais cara no cativo aumenta o incentivo para os consumidores migrarem e assim menos consumidores ficam para dividir a conta desses encargos levando mais consumidores a buscarem o ACL, é a conhecida espiral da morte”, explicou Brandão. “Não somos contra a abertura do mercado, faz parte da modernização e da transição energética, mas como toda abertura tem que ser orientada pela eficiência que é um dos pontos do estudo com foco e como tratar os legados”, acrescentou…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53203593/distribuidoras-querem-mais-flexibilidade-na-gestao-de-contratos

Usiminas e Canadian Solar firmam parceria em solar fotovoltaica

A Usiminas anunciou na última quarta-feira, 23, parceria com a Canadian Solar, para autoprodução de 30 MW médios de energia renovável por 15 anos a partir de 2025. Esse volume representa cerca de 12% do da energia consumida pela companhia. A energia será produzida em parque solar fotovoltaico a ser instalado em Luziânia (GO).

A construção do parque solar tem investimento estimado em R$ 1,35 bilhão e está prevista para começar no primeiro trimestre de 2024. O projeto entrará em operação comercial em janeiro de 2025. Este é o primeiro PPA  assinado diretamente entre a Canadian Solar e um cliente industrial sob uma estrutura de autoprodução no Brasil.

A companhia informou que desde a década de 70 já investe na geração de energia por meio do reaproveitamento dos gases residuais de processos na usina de Ipatinga (MG) e com o novo investimento, além dos ganhos ambientais e aumento da autoprodução para seu próprio consumo, prevê ainda redução dos custos de energia.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53203564/usiminas-e-canadian-solar-firmam-parceria-em-solar-fotovoltaica

Abradee apresenta propostas para a modernização do setor

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica apresentou ao Ministério de Minas e Energia um estudo com propostas para a modernização do setor. Esse trabalho foi realizado nos últimos meses pela entidade juntamente com as consultorias PSR, Sigla Sul e i4 Economic Regulation. Segundo a associação, a iniciativa pretende apontar os direcionamentos regulatórios e de mercado do setor.

A reunião que marcou essa entrega dos resultados deste trabalho ocorreu nesta quarta-feira, 23 de fevereiro. Além do presidente da Abradee, Marcos Madureira e do diretor de Regulação, Ricardo Brandão, estavam presentes pelo MME, o secretário de Energia Elétrica Christiano Vieira, e demais membros da pasta.

O estudo de modernização, descreve a Abradee, envolve três pilares centrais do processo de modernização do setor elétrico brasileiro. O primeiro é a abertura do mercado livre, tratando da gestão dos contratos legados. O segundo versa sobre a separação de fio e energia, com a distinção entre as atividades de distribuição e comercialização regulada. Já o terceiro é sobre a inserção dos Recursos Energéticos Distribuídos, tratando de aspectos além da ampliação da GD...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53203489/abradee-apresenta-propostas-para-a-modernizacao-do-setor

PT pede suspensão da privatização da Eletrobrás no STF

O PT entrou com mandado de segurança nesta terça no STF para suspender a privatização da Eletrobrás.

Também nesta terça, a gigante de energia fez uma assembleia geral extraordinária com seus acionistas para discutir a sua futura capitalização, num primeiro passo para tirar o governo do controle acionário.

O PT alega na ação inércia do TCU em analisar denúncias encaminhadas pela Câmara dos Deputados sobre o processo de desestatização da Eletrobrás. Segundo o partido, o tribunal ignorou as solicitações dos parlamentares e autorizou a continuidade dos trâmites de privatização.

“As denúncias encaminhas ao TCU pelo Congresso Nacional são o exercício constitucional da casa legislativa de fiscalização sobre o procedimento de desestatização da Eletrobrás, sendo dever do TCU apreciar as denúncias antes de qualquer consolidação de venda da estatal”, sustenta o PT, que pede que o processo de privatização seja suspenso até o tribunal de contas apurar as denúncias relatadas.

Fonte: Veja

Leia mais em:

https://veja.abril.com.br/coluna/radar/pt-pede-suspensao-da-privatizacao-da-eletrobras-no-stf/