top of page

24/01/2024

Geração, transmissão e distribuição lideram investimentos no país

O setor de energia é o carro-chefe dos investimentos chineses no Brasil, e recentes movimentações indicam que há uma nova agenda direcionando os recursos nesta década, com foco em carros elétricos e metais raros, duas variáveis que ganham importância com a transição energética. Entre 2007 e 2022, empresas chinesas investiram US$ 71,6 bilhões no Brasil, com o setor de eletricidade absorvendo 45,5% do volume aplicado, seguido pelas áreas de extração de petróleo (30,4%), conforme os dados mais recentes do Conselho Empresarial Brasil-China. 
As áreas de geração, transmissão e distribuição de eletricidade receberam US$ 32,5 bilhões do total de recursos vindos do país asiático entre 2007 e 2022. Três estatais centrais chinesas - State Grid, China Three Gorges e State Power Investment Corporation (SPIC) - foram as responsáveis pelos maiores projetos no Brasil. Recentes anúncios apontam que o setor de eletricidade continuará impulsionando os investimentos chineses por aqui…

Fonte: Abine - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358232&sid=105

Setor energético movimenta parceria entre Brasil e China

O setor de energia é o carro-chefe dos investimentos chineses no Brasil e recentes movimentações indicam que há uma nova agenda direcionando os recursos, com foco em carros elétricos e metais raros, duas variáveis que ganham importância com a transição energética. Entre 2007 e 2022, empresas chinesas investiram US$ 71,6 bilhões no Brasil, com o setor de eletricidade absorvendo 45,5% do total, seguido pelas áreas de extração de petróleo (30,4%), conforme os dados mais recentes do Conselho Empresarial Brasil-China.
As áreas de geração, transmissão e distribuição de eletricidade receberam US$ 32,5 bilhões dos US$ 71,6 bilhões investidos por empresas chinesas no Brasil entre 2007 e 2022. Três estatais chinesas – State Grid, China Three Gorges (CTG) e State Power Investment Corporation (SPIC) – foram as responsáveis pelos maiores projetos no Brasil. Recentes anúncios apontam que o setor de eletricidade continuará impulsionando os investimentos chineses...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=358236&sid=105

Próximo leilão de linhas de transmissão trará maior integração ao SIN

Nesta segunda-feira (22), Guilherme Zanetti, diretor do DPOTI (Departamento de Planejamento e Outorgas de Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica e Interligações Internacionais) do MME (Ministério de Minas e Energia), falou sobre as obras planejadas no primeiro leilão de transmissão do ano.
Segundo ele, as obras vão aumentar a integração das regiões Norte e Nordeste com o restante do SIN (Sistema Interligado Nacional).
“Com isso, ela é estratégica para ampliar a capacidade brasileira de geração de energia limpa e renovável, mais especificamente aquela gerada na região Nordeste. Esse é um resultado muito positivo para o Brasil, afinal o sistema elétrico necessita de expansão contínua”, afirmou Zanetti.
Thais Araújo, coordenadora-geral de Planejamento da Transmissão substituta do DPOTI do MME, apresentou o planejamento energético para os próximos 10 anos. 
“As gerações de eólicas e solares estão com expectativas de crescerem 30%, enquanto a geração por termelétricas geradas a combustível fóssil e nuclear, irão diminuir cerca de 27%”, disse a coordenadora...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/proximo-leilao-de-linhas-de-transmissao-trara-maior-integracao-ao-sin/

Eletrobras aumenta segurança operacional da SE Adrianópolis

A Eletrobras finalizou a etapa final da modernização da subestação Adrianópolis em Nova Iguaçu (RJ), com investimentos de aproximadamente R$ 70 milhões. A expectativa é que o empreendimento possibilite um incremento de R$ 10,8 milhões na receita anual permitida (RAP) da companhia.
A empresa ressalta que o objetivo é reforçar a segurança do empreendimento, operado pela Eletrobras Furnas, com capacidade de transformação de 2.580 MVA e responsável pelo abastecimento de cerca de 2,5 milhões de residências de regiões da Baixada Fluminense e do Rio de Janeiro. Para a modernização, a Eletrobras substituiu todas as unidades transformadoras da subestação e instalou o reator Trifásico RT03 13,8kV/50 MVA.
Com uma potência instalada de 2.580 MVA, Adrianópolis recebe energia gerada por usinas hidrelétricas, nucleares e termelétricas. Está interligada ao SIN através de cinco linhas de 500 kV, seis de 345 kV e oito de 138 kV. O empreendimento também exerce papel fundamental no controle de tensão através de quatro bancos de capacitores e três bancos de reatores, totalizando 620 MVAR.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53269194/eletrobras-aumenta-seguranca-operacional-da-se-adrianopolis

Aneel confirma resultado dos leilões A-1 e A-2 de 2023

A Agência Nacional de Energia Elétrica homologou o resultado dos Leilões de Energia Existente A-1 e A-2 de 2023. Os certames foram realizados de forma sequencial em 1º de dezembro do ano passado, com a negociação de contratos com início de suprimento em 2024 e 2025.
O custo médio da energia comprada pelas distribuidoras no A-1 ficou em R$ 90,97/MWh com deságio de 9,03% em relação ao preço inicial. O leilão A-2 teve valor médio de lance de R$ 117,22 /MWh, com deságio de 21,85% em relação ao preço-teto.
A oferta de energia existente é realizada anualmente e, diferentemente de outros certames do mercado regulado, tem contratos de curto prazo. A venda é feita por geradores e por comercializadores.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53269140/aneel-confirma-resultado-dos-leiloes-a-1-e-a-2-de-2023

Equinor estreia no armazenamento de energia elétrica

A Equinor anunciou, nesta segunda-feira (22/1), que entrou em operação seu primeiro empreedimento de armazenamento de energia elétrica em escala comercial, no Reino Unido. O projeto Blandford Road tem capacidade nominal de 25 MW e pode armazenar até 50 MWh de eletricidade.
O empreendimento, que pertence à Equinor, foi desenvolvido e é operado pela empresa de baterias britânica Noriker Power, da qual a norueguesa tem 45% de participação.
A unidade é composta de 150 baterias de íon-lítio e pode armazenar energia elétrica suficiente para abastecer 75.000 residências no Reino Unido por duas horas. Localizado em Dorset, está conectado à rede Southern Electric Power Distribution (SEPD).
De acordo com a empresa, já está em construção um outro empreendimento, Welkin Mill, com capacidade instalada de 35 MW/70 MWh. A expectativa é que comece a operar ainda este ano, na área da Grande Manchester, na Inglaterra...

Fonte: Epbr

Leia mais em:

https://epbr.com.br/equinor-estreia-no-armazenamento-de-energia-eletrica/

Energisa protocola pedido de oferta de ações de R$ 2 bilhões

A Energisa protocolou pedido de registro de oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias e preferenciais totalizando um montante inicialmente de R$ 2 bilhões. A oferta compreenderá a distribuição primária de, inicialmente, 78.300.000 ações ordinárias e 121.970.499 ações preferenciais.
Com relação ao preço por ação, a cotação de fechamento das Units de emissão da Companhia na B3, em 18 de janeiro de 2024, foi de R$ 49,99 por Unit, considerando que cada uma é formada por 1 ação ordinária e 4 preferenciais. Com base neste preço por ação indicativo, o montante total da oferta, sem considerar as ações adicionais, seria de R$ 2 bilhões, e, considerando a colocação da totalidade das ações adicionais, de R$ 2,5 bilhões.
A fixação do preço por ação deverá ser definida no dia 29 de janeiro e a data prevista para início de negociações das Units e ações é dia 31 de janeiro de 2024.
A oferta será realizada sob a coordenação do Itaú BBA, Bank of America, Bradesco BBI, BTG Pactual, Citi, J.P. Morgan, Santander e Scotiabank Brasil.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53269061/energisa-protocola-pedido-de-oferta-de-acoes-de-r-2-bilhoes

bottom of page