23/12/2020

Transição Energética está nas mãos das empresas líderes de energia

A Galp e outras sete das principais empresas mundiais de energia – a bp, a Eni, a Equinor, a Occidental, a Repsol, a Royal Dutch Shell e a Total – anunciaram hoje que acordaram aplicar seis Princípios de Transição Energética à medida que desempenham os seus papéis neste desafio.

Os seis Princípios, acordados e assumidos pelas companhias, são:

Apoio público aos objetivos do Acordo de Paris: apoiar publicamente os objetivos do Acordo de Paris, incluindo a cooperação internacional como veículo para assegurar que estes objetivos possam ser alcançados com os menores custos globais para a economia.

Descarbonização da indústria: de acordo com a estratégia, ambições e objetivos individuais de cada empresa, trabalhar para reduzir as emissões das suas próprias operações e esforçarem-se por reduzir as emissões resultantes do consumo da energia, em conjunto com os seus clientes e com a sociedade. As empresas podem medir as suas contribuições com recurso à intensidade carbónica e/ou a métricas absolutas em diferentes pontos da cadeia de valor, conforme determinado pela sua abordagem...

Fonte: Jornal das Oficinas

Leia mais em:

https://jornaldasoficinas.com/pt/2020/12/23/transicao-energetica-esta-nas-maos-das-empresas-lideres-de-energia/

São Paulo faz primeiros movimentos para privatizar elétrica Emae

O governo de São Paulo abriu licitação para contratar serviços de consultoria com vistas à eventual privatização da elétrica estadual Emae, segundo publicação no Diário Oficial do Estado e edital disponibilizado ao público nesta terça-feira.

Onde estão os melhores investimentos para 2021? Descubra e saiba gerir melhor seus investimentos com o BTG Pactual Digital.

O vencedor da concorrência deverá realizar avaliação econômico-financeira da empresa, que opera um parque de hidrelétricas, e ainda se responsabilizar pela modelagem e posterior execução da venda das ações do governo paulista na companhia.

O Estado de São Paulo possui quase 40% da Emae, e 100% das ações ordinárias, com direito a voto.

Os ativos da empresa, que somavam cerca de 960 megawatts em capacidade de geração ao final de 2019, incluem a hidrelétrica Henry Borden, na serra do Mar, e a pequena usina (PCH) Pirapora, em Pirapora do Bom Jesus (SP), além de uma termelétrica arrendada à Petrobras...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/negocios/sao-paulo-faz-primeiros-movimentos-para-privatizar-eletrica-emae/

'Agronegócio foi o segmento que mais investiu em energia solar em 2020'

De acordo com Alexandre Borin, gerente comercial da Fronius do Brasil, o agronegócio é o segmento de mercado que mais cresceu e investiu em energia solar fotovoltaica em 2020.

Para o especialista, isso ocorreu devido ao aumento do faturamento das empresas ligadas à exportação e da elevação nos preços da energia elétrica devido à variação cambial. “Conversando com parceiros, eles relataram estarem com muitos projetos em cooperativas, aviários e com produtores rurais. Ou seja, estão consumindo muito mais inversores trifásicos do que monofásicos”, relatou.

“Na Fronius, por exemplo, tivemos maior crescimento nas linhas Symo e Eco, que são trifásicas. Elas não correspondem pela maioria dos negócios da empresa, no entanto, se olharmos o crescimento este ano, expandiram mais do que a linha monofásica”, destacou Borin.

Ademais, segundo ele, o agronegócio puxa o crescimento do setor fotovoltaico por possuir, por si só, uma pegada mais sustentável, seja no próprio cultivo das lavouras ou dos insumos, e pela estabilidade na geração de energia que tal segmento traz para os consumidores...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/1380-agronegocio-foi-o-segmento-que-mais-investiu-em-energia-solar-em-2020

A Eternit acaba de implementar a instalação das telhas fotovoltaicas de concreto em residências de São Bento do Sapucaí e Campos do Jordão (SP). Os projetos foram aprovados pela distribuidora dessas cidades, a Elektro. Somados os dois pilotos são cerca de 1 mil telhas. Com isso, a capacidade produtiva será em média de 400 kWh/mês. A instalação contou com a parceria da integradora SIMEPE, empresa especialista em sistemas fotovoltaicos, e da WEG para o fornecimento do inversor.

Para a residência em Campos do Jordão foram instaladas 467 telhas fotovoltaicas. A capacidade produtiva média é estimada em 590 kWh/mês. Na instalação da residência em São Bento de Sapucaí, foram utilizadas 400 telhas fotovoltaicas de 9,16 kWp , a capacidade produtiva será em média de 400 kWh/mês.

Foram cerca de dois anos trabalhando no projeto. A estimativa é de que considerando a irradiação solar da região e a orientação do telhado leste-oeste, será possível economizar até R$ 300,00 na conta de energia…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53158921/eternit-inicia-pilotos-com-telhas-fotovoltaicas

Empresa de projetos eólicos Casa dos Ventos terá comercializadora de energia

A desenvolvedora de projetos de geração eólica Casa dos Ventos se prepara para abrir uma empresa de comercialização de energia, que ficaria responsável por vender a produção de usinas do grupo e também atuaria em outras operações no mercado elétrico.

O lançamento da comercializadora está previsto para janeiro de 2021, afirmou a empresa, por meio da assessoria de imprensa.

A aposta da Casa dos Ventos ocorre num momento de forte movimentação no mercado livre de energia, ambiente no qual atuam as comercializadoras e em que grandes indústrias e centros comerciais podem negociar diretamente contratos de suprimento.

A Reuters publicou em outubro que o setor tem atraído interesse de bancos como ABC Brasil, Itaú, Daycoval e Santander, e de diversas outras empresas, o que deve fomentar a competição no ramo e mesmo operações de fusões e aquisições…

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/empresa-de-projetos-eolicos-casa-dos-ventos-tera-comercializadora-de-energia/

Italiana Enel tem autorização para iniciar operação de usinas solares no Piauí

O grupo italiano Enel Green Power, da elétrica Enel, recebeu autorização para iniciar a operação comercial de três parques de geração de energia solar no Piauí a partir desta terça-feira.

O aval foi dado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e é válido para três usinas do complexo São Gonçalo, no município de São Gonçalo do Gurguéia, de acordo com publicação do órgão regulador no Diário Oficial da União.

Os empreendimentos somam 34,5 megawwatts em capacidadade instalada cada, com um total de mais de 100 megawatts.

A Enel tem investido fortemente em energias renováveis no Brasil ao longo dos últimos anos, com foco principalmente em usinas eólicas e solares.

A Enel Green Power anunciou na semana passada o início da construção de novos projetos eólicos e solares no Nordeste com aportes estimados em cerca de 5,6 bilhões de reais.

Esses novos empreendimentos, que somarão 1,3 gigawatt em capacidade, deverão começar a operar entre 2021 e 2022.

Fonte: Época Negócios

Leia mais em:

https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2020/12/epoca-negocios-italiana-enel-tem-autorizacao-para-iniciar-operacao-de-usinas-solares-no-piaui.html

Com nova legislação e superação da covid, China aumenta investimento estrangeiro

A China alcançou em novembro o seu oitavo mês consecutivo de crescimento do investimento estrangeiro direto. Este é um sintoma importante da recuperação econômica do país asiático, após a superação da pior etapa da pandemia de covid-19. Um dos atrativos é o mercado 1,4 bilhão de consumidores.

Segundo a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do país, Wang Wenbin, "o capital estrangeiro continua fluindo para a China, o que reflete a forte confiança de outros países no crescimento econômico chinês e demonstra o progresso da China para construir ativamente um novo padrão de desenvolvimento e uma maior abertura ao mundo".

A China alcançou, no último mês, em comparação ao mesmo período do ano anterior, um crescimento de 5,5% no investimento estrangeiro direto em uso real, que atingiu 14,380 bilhões de dólares.

A abertura para o investimento vindo do exterior vem se consolidando na legislação do país. Nessa segunda-feira (21), o governo chinês emitiu o documento intitulado "Energia na Nova Era da China", que levantou as restrições à entrada de investimento estrangeiro nos principais setores da energia, incluindo carvão, petróleo, gás e eletricidade, embora tenha excluído o nuclear…

Fonte: Brasil de Fato

Leia mais em:

https://www.brasildefato.com.br/2020/12/22/com-nova-legislacao-e-superacao-da-covid-china-aumenta-investimento-estrangeiro