23/03/2022

Energisa (ENGI11) cria marca e agrupa forças com “(re)energisa” para crescer em mercados não regulados

A Energisa (ENGI11) anunciou nesta quarta-feira a criação de uma nova marca para reforçar sua aposta na oferta de soluções energéticas a clientes corporativos, um mercado que vem ganhando relevância e deverá receber investimentos bilionários do grupo até 2026.

Batizada de “(re)energisa”, a marca reúne os atuais veículos de investimento da elétrica nas áreas de geração renovável (Alsol), comercialização de energia (Energisa Comercializadora) e serviços de operação, manutenção e automação (Energisa Soluções), que hoje atuam separadamente.

A ideia é concentrar todos os negócios num só ecossistema, no conceito de “one-stop-shop”, para fortalecer a oferta dessas soluções a empresas de pequeno a grande porte.

“Essa marca vem forte para competir no mercado e elevar a atual participação dos negócios não regulados dos atuais 8% para 25% do Ebitda do grupo em 2026… eles (negócios não regulados) serão a força motriz do crescimento a partir de agora”, disse à Reuters Roberta Godói, vice-presidente de Soluções Energéticas e líder da (re)energisa...

Fonte: Trade News

Leia mais em:

https://tradenews.com.br/energisa-engi11-cria-marca-e-agrupa-forcas-com-reenergisa-para-crescer-em-mercados-nao-regulados/

A reforma do setor elétrico é uma das mais relevantes da pauta econômica

Nunca esteve tão presente no cenário político o tema da abertura do mercado de energia para todos os consumidores do Brasil. O fato é que, atualmente, apenas 0,029% dos 87 milhões de consumidores são livres no País. Os demais são consumidores cativos, sendo as distribuidoras de energia obrigadas por lei a comprar energia para eles. Os que são livres respondem por 35% do consumo de eletricidade e, com isso, fica evidente que esse mercado está acessível a apenas grandes empresas.

O presidente Jair Bolsonaro, durante a sessão solene de abertura do Congresso Nacional, elencou o Projeto de Lei (PL) 414/2021, já aprovado no Senado, chamado de portabilidade da conta de luz, como um dos três temas de maior interesse para o Governo Federal e para o Brasil em 2022. O setor espera que o projeto seja votado na Câmara nos próximos 15 dias... 

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=345321&sid=105

Copel negocia parceria para leilão de transmissão

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) planeja disputar o próximo leilão de linhas de transmissão, marcado para junho. A empresa tem negociado com parceiros para participar em consórcio da concorrência de três blocos, localizados no Sudeste do país.

“Neste leilão, os lotes ofertados ficaram bastante grandes, com investimentos acima dos R$ 5 bilhões. Então a ideia é participar em consórcio para termos mais competitividade e sem usar muito da nossa capacidade de investimento. Vamos estudar no detalhe os lotes 1, 2 e 3, para levarmos ao menos um deles”, disse o presidente do grupo, Daniel Slaviero.

No fim do ano passado, a empresa travou uma disputa acirrada com a Taesa pelo contrato de uma linha de transmissão entre Paraná e São Paulo, mas a concorrente acabou levando o ativo. “Queremos ser competitivos, mas vamos até o limite de nossa disciplina de capital”, disse ele...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=345323&sid=105

Whirlpool, dona de marcas como Brastemp e Consul, avança em energia limpa

A americana Whirlpool, fabricante de produtos da linha branca e dona de marcas como Brastemp e Consul, deu mais um passo em direção às metas de sustentabilidade. A companhia acaba de receber certificação internacional que atesta 100% do uso de energia limpa - como eólica, solar e hidrelétrica - em duas de suas três fábricas no Brasil.

Com isso, a empresa deixará de emitir 6 milhões de toneladas de CO2 em 2022, uma redução de 31% em relação ao nível do ano anterior. A iniciativa se enquadra na meta global da companhia de alcançar a neutralização das emissões de carbono em 2030.

A nova certificação passou a valer em janeiro para as fábricas de Manaus (AM) e Rio Claro (SP). A unidade de Joinville (SC) só alcançará a marca de 100% de uso de energia limpa em 2024. Hoje, o índice é de 85%. O escritório do grupo, na capital paulista, já havia sido certificado em novembro…

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=345324&sid=105

Guerra deixa a transição energética mais distante

No fim da COP26 (sigla para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas), em Glasgow, em novembro, os negociadores tiveram a frágil sensação de que haviam obtido progressos. Mais de 80% das emissões do mundo haviam sido cobertas por promessas dos governos para atingir a neutralidade de carbono - quando a quantidade de gases causadores do efeito estufa adicionada à atmosfera é igual à retirada.

Mas, passados quatro meses do encontro na Escócia, o quadro mundial da energia mudou muito - e não no rumo que negociadores da COP queriam.

O acordo final entre 197 países trazia o compromisso de dar fim aos subsídios aos combustíveis fósseis, apesar da ferrenha discussão que irrompeu sobre se o carvão deveria estar sujeito a um abandono gradual ou apenas a uma diminuição gradual no uso. De qualquer forma, o rumo a seguir estava claro, segundo o presidente da COP26, Alok Sharma. “Os países estão dando as costas ao carvão”, disse. “O fim do carvão está à vista.”…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=345279&sid=105

SolarEdge lança inversor trifásico de 120 kW no Brasil

A SolarEdge, fabricante de inversores fotovoltaicos e desenvolvedora de tecnologias Smart Energy, lançou no Brasil um novo inversor trifásico com tecnologia Synergy e capacidade de até 120 kW. Projetado para aumentar a lucratividade de instalações UFV de larga escala, o equipamento SE-120K permite o sobredimensionamento de até 150% para maximização da geração de energia em comércios e indústrias.

A solução inclui retificador noturno de Potencial de Degradação Induzida (PID) para evitar a degradação da performance dos módulos que pode levar à redução da produção energética ao longo do tempo. Outro recurso é o de pré-comissionamento, que permite aos instaladores validar completa e automaticamente os componentes do sistema a partir de seus smartphones, antes da conexão à rede. Isto acelera significativamente o processo de instalação, sinalizando e resolvendo quaisquer potenciais problemas de cabeamento ou conectividade com antecedência...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53205799/solaredge-lanca-inversor-trifasico-de-120-kw-no-brasil

CPFL inicia construção de subestação de R$ 110 mi no RS

A CPFL anunciou que começará a construção da subestação Cachoeirinha 3 nessa quarta-feira, 23 de março, marcando o início dos investimentos do braço de Transmissão da empresa após ter assumido o controle da CEEE-T em outubro do ano passado. Serão investidos R$ 110 milhões no empreendimento destinado a melhorias e ampliação da rede elétrica na Região Metropolitana de Porto Alegre.

O montante faz parte do valor de R$ 1,5 bilhão em investimentos previstos para os próximos cinco anos no Rio Grande do Sul. A nova SE ficará no bairro Águas Mortas, em Cachoeirinha, num terreno de 50 mil m², dos quais 15 mil m² de área construída. O ativo contará com três bancos transformadores monofásicos, totalizando nove equipamentos e uma fase reserva. A capacidade total de transformação será 495 MVA.

Cerca de 700 mil clientes de Cachoeirinha, Canoas, Gravataí e outras cidades da Grande Porto Alegre serão diretamente beneficiadas.  A previsão é de que as obras sejam concluídas em maio de 2023. Até lá a previsão da empresa é que a construção deva gerar cerca de 530 empregos diretos e indiretos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53205849/cpfl-inicia-construcao-de-subestacao-de-r-110-mi-no-rs

GE assina contrato de 9 anos para modernização da UHE São Simão

A divisão de Hydro da GE Renewable Energy assinou um contrato com a SPIC Brasil para liderar o projeto de modernização das seis turbinas e serviços auxiliares da hidrelétrica São Simão. Localizada na divisa de Minas Gerais e Goiás, entre os municípios de Santa Vitória (MG) e São Simão (GO), a usina totaliza 1.710 MW, energia suficiente para abastecer 6 milhões de residências.

O escopo do contrato prevê o fornecimento de equipamentos, geradores e sistemas auxiliares, além de toda a engenharia de projeto e integração, montagem e comissionamento. Além da atuação da companhia, o projeto contará com o apoio da Powerchina, empresa que integra o consórcio liderado pela GE para a iniciativa, responsável pelo fornecimento dos sistemas BOP elétricos e mecânicos, SDSC e hidromecânicos.

A execução tem duração prevista de nove anos, contemplando todo o ciclo. As etapas de aquisição de componentes e fabricação de equipamentos acontecerão na unidade da fabricante em Taubaté (SP) e em fornecedores parceiros, gerando oportunidades para outras empresas que atuam na indústria hidrelétrica e um impacto positivo para a cadeia produtiva do setor no Brasil e fora do país.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53205861/ge-assina-contrato-de-9-anos-para-modernizacao-da-uhe-sao-simao

Aneel aprova doação da Usina do Gasômetro a Porto Alegre

A Eletrobras foi autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica a doar usina termelétrica de Porto Alegre (RS), conhecida como Usina do Gasômetro, à prefeitura da capital gaúcha. Antes de fazer a transferência, a estatal terá de consultar a União sobre um eventual interesse pelas instalações do empreendimento, que são consideradas inservíveis para o setor elétrico.

A UTE está na lista de Bens da União sob Administração (Busa) da Eletrobras. Ela era explorada pela Companhia Estadual de Energia Elétrica e foi encampada em 1977, mas teve a administração, guarda e posse dos bens e instalações mantidos com a própria CEEE, por meio de convênio entre as duas estatais.

Em 1982, a Eletrobras cedeu o direito de uso das instalações por tempo indeterminado ao município de Porto Alegre. Em agosto do ano passado a prefeitura entrou com pedido de doação do imóvel, que vai integrar o projeto de revitalização da orla do rio Guaíba.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53205883/aneel-aprova-doacao-da-usina-do-gasometro-a-porto-alegre

China crescerá em energia renovável para equilibrar segurança energética

A China pretender aumentar a geração de energia renovável, manter a produção de petróleo e expandir a produção de gás natural, à medida que busca equilibrar a segurança energética e alcançar suas metas de mudança climática.

A China, o maior emissor de gases de efeito estufa do mundo, disse que sua emissão de carbono atingiria o pico em 2030, e que tem a meta de alcançar a neutralidade de carbono até 2060.

“Aceleraremos o ajuste da estrutura energética e promoveremos ao mesmo tempo a segurança do fornecimento de energia e a transformação para baixo carbono”, disse a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma em comunicado na terça-feira.

A China manterá a produção anual de petróleo em 200 milhões de toneladas, o equivalente a 4 milhões de barris por dia, e aumentará a produção anual de gás natural para mais de 230 bilhões de metros cúbicos (bcm) até 2025, ante 205 bcm em 2021...

Fonte: Isto É

Leia mais em:

https://istoe.com.br/china-crescera-em-energia/

Ipem multa Amazonas Energia em R$ 400 mil por problemas em medidores

O Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem) multou a concessionária Amazonas Energia em R$ 400 mil. A multa é resultado de uma vistoria em medidores de energia.

Segundo o Ipem, foram analisados 2.032 medidores convencionais, dos quais 36 foram reprovados, o que gerou três autos de infração com o valor da multa.

A Amazonas Energia terá um prazo de dez dias para apresentar defesa junto ao Ipem pelos medidores reprovados nesse mês de março. A concessionária ainda não se posicionou sobre a multa.

Segundo a concessionária de energia, existem mais de 950 mil medidores convencionais instalados em residências. E o Ipem continua fiscalizando a capital e o interior do estado, o que gerou irregularidades em Manaus, e nos municípios de Presidente Figueiredo e Tefé…

Fonte: G1 

Leia mais em:

https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2022/03/22/ipem-multa-amazonas-energia-em-r-400-mil-por-problemas-em-medidores.ghtml

Inteligência artificial reduz chamados improcedentes na CPFL Energia

Diariamente, as distribuidoras da CPFL Energia atendem chamados de consumidores para solucionar falhas no fornecimento. As interrupções têm causas diversas, que nem sempre dizem respeito ou são responsabilidade da empresa. Exemplos frequentes são os casos de oscilações pontuais no fornecimento (piscas) ou problemas elétricos internos da unidade consumidora como disjuntor desarmado.

Essas solicitações improcedentes geram prejuízos à distribuidora em função do deslocamento de equipe para atendimento de uma ocorrência que, na prática, não se confirma, desta forma, com mais de 10 milhões de clientes na carteira, a CPFL Energia iniciou em 27 de outubro de 2017 um projeto com a Radix – empresa especializada em tecnologia e engenharia –, projeto desenvolvido no âmbito do programa de P&D ANEEL, com o objetivo de reduzir custos e riscos causados por chamadas indevidas.

A Radix desenvolveu um Sistema de Inteligência Artificial para filtrar e otimizar o processo, classificar todas os chamados (solicitações de atendimento de clientes), destacar os que têm alta chance de ser improcedentes e priorizar o tratamento dos chamados procedentes...

Fonte: TI Inside

Leia mais em:

https://tiinside.com.br/22/03/2022/inteligencia-artificial-reduz-chamados-improcedentes-na-cpfl-energia/

Neoenergia anuncia empréstimo para desenvolver projetos renováveis no Brasil

A Neoenergia anunciou ter firmado um empréstimo de 200 milhões de euros junto ao Banco Europeu de Investimento (BEI) para o financiamento de projetos de energia renovável no Brasil. ​Conforme a empresa, a transação permitirá a construção dos parques eólicos de Chafariz e Oitis e o projeto solar de Luzia, desenvolvidos na região Nordeste do País.

O vice-presidente do BEI, Ricardo Mourinho Félix, responsável pelas operações na América Latina, afirmou que, em janeiro, a instituição lançou um novo ramo de desenvolvimento, o BEI Global, que reforçará as atividades fora da União Europeia. “O acordo celebrado realça as prioridades do BEI no Brasil e na América Latina, ajudando a promover o crescimento económico sustentável e inclusivo, ao fomentar o investimento produtivo.”

O presidente da Neoenergia, CEO Mario Ruiz-Tagle afirmou que o investimento no setor de energia impacta diretamente em um futuro mais verde. “O setor financeiro tem um papel essencial na mobilização do capital necessário para desenvolver projetos sustentáveis, assim como para assegurar que as atividades da empresa serão responsáveis e em linha com as melhores práticas dentro das dimensões ESG.”...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/negocios/empresas/neoenergia-anuncia-emprestimo-para-desenvolver-projetos-renovaveis-no-brasil