22/05/2020

Amazon announces five utility-scale solar projects for global operations

Tech giant Amazon has announced five new utility-scale solar projects in China, Australia and the US to support the company’s commitment to reach 80% renewable energy by 2024, 100% renewable energy by 2030, and decarbonised operations by 2040.

Amazon’s first renewable energy project in China is a 100MW solar project in Shandong. Once complete, the project is expected to generate 128,000 MWh of clean energy annually.

Amazon’s second renewable energy project in Australia is a 105MW solar project in New South Wales. This project will have the capacity to generate 250,000 MWh of clean energy each year.

Amazon also announced two new projects in Ohio, a 200MW solar project and an 80MW solar project. Additionally, a new 130MW solar project in Virginia brings the total number of renewable energy projects in Virginia to 12...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/renewable-energy/amazon-announces-five-utility-scale-solar-projects-for-global-operations/

Conselho da CPFL Renováveis se diz favorável à OPA e saída da Bolsa

O Conselho de Administração da CPFL Renováveis manifestou-se favoravelmente à aceitação das condições da oferta pública de aquisição das ações (OPA) pelos acionistas para conversão de registro da companhia aberta na categoria “A” para categoria “B” e a saída da Bolsa. O parecer veio através de comunicado ao mercado, publicado na noite da última quinta-feira (21). A CPFL Energia marcou no começo deste mês a data para oferta pública de aquisição das ações da subsidiária de energias renováveis, e o leilão será realizado no dia 10 de junho na B3.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53135599/conselho-da-cpfl-renovaveis-se-diz-favoravel-a-opa-e-saida-da-bolsa

Projeto de testes para relés ganha prêmio de inovação em Furnas

O projeto Bancada de Testes para Relés, do colaborador Adriel Silva, da Divisão de Manutenção Eletroeletrônica de Foz de Iguaçu, foi o grande vencedor do último ciclo do programa Inova Furnas, que teve 80 ideias propostas e seis projetos finalistas. A iniciativa faz parte do programa de Reconhecimento e Recompensa, cujo objetivo é adotar práticas que estimulem a contribuição individual e de equipe para os objetivos da empresa. De acordo com Vera Lúcia Franco, Gerente de Carreira e Remuneração de Furnas, além de contribuir para a melhoria da qualidade do clima organizacional, a expectativa é estabelecer o reconhecimento formal, engajando os colaboradores à prática de comportamentos e atitudes que agreguem valor para a empresa.

Na primeira votação online da história da empresa, a decisão final contou com os votos do público, com peso de 30%, e os votos da banca de especialistas, com peso de 70%. O projeto vencedor veio atender à necessidade dos operadores de realizar testes e simulações de forma ainda mais segura. Segundo Adriel Silva, foi desenvolvida uma bancada de testes de relés digitais de sistemas elétricos de potência, aproveitando relés desativados de outros painéis...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53135503/projeto-de-testes-para-reles-ganha-premio-de-inovacao-em-furnas

Casa dos Ventos fecha venda de energia à Tivit e avança em projeto eólico de R$2,4 bi

A desenvolvedora de projetos de geração renovável Casa dos Ventos fechou um contrato privado de longo prazo para venda de energia à empresa de tecnologia Tivit, em negócio que ajuda a tirar do papel um complexo eólico no Rio Grande do Norte orçado em 2,4 bilhões de reais.

As obras da usina que atenderá o contrato começaram em abril, e a Casa dos Ventos espera assinar nas próximas semanas os últimos acordos envolvendo a produção futura da primeira fase do empreendimento, para o qual já tem planos de expansão, disse à Reuters o diretor de Novos Negócios da empresa, Lucas Araripe.

Transações envolvendo contratos privados de energia renovável no chamado mercado livre de eletricidade, no qual grandes consumidores como indústrias negociam diretamente seu suprimento, têm se tornado tendência no mundo e no Brasil, em meio à busca de empresas por investimentos em sustentabilidade e à constante queda dos custos de energia eólica e solar…

Fonte: Época Negócios

Leia mais em:

https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2020/05/epoca-negocios-casa-dos-ventos-fecha-venda-de-energia-a-tivit-e-avanca-em-projeto-eolico-de-r24-bi.html

Pandemia motiva a adoção de novos modelos de negócios pelas empresas de energia

Os setores de energia e utilities, compostos por empresas de serviços públicos, são considerados alguns dos mais resilientes diante da crise gerada pela pandemia da Covid-19. Isso porque, ao mesmo tempo em que a demanda por energia nas empresas caiu em função dos decretos de isolamento social, houve o aumento do consumo residencial, seja pelo home office ou pelo entretenimento em casa. No Brasil, o setor passou por crises anteriores como o racionamento no início dos anos 2000 e mais recentemente com a redução da oferta de eletricidade pela redução das chuvas e do nível dos reservatórios.

Porém, um estudo global da PwC revela de que forma as concessionárias de energia elétrica estão lidando com a repentina mudança no consumo e como poderão usar esse desafio para a geração de novos modelos de negócios – algo que também poderá ser usado pelas companhias brasileiras do setor. O levantamento, realizado pela PwC no Reino Unido, mostrou que houve uma queda no consumo de energia elétrica de 19% na semana do dia 6 de abril deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado...

Fonte: Amanhã.com

Leia mais em:

https://amanha.com.br/gestao/pandemia-motiva-a-adocao-de-novos-modelos-de-negocios-pelas-empresas-de-energia

Ritmo de expansão em energia renovável deve cair pela 1ª vez em 20 anos, diz IEA

O ritmo de crescimento da capacidade global em energia renovável deve ver o primeiro recuo anual em 20 anos em 2020, em meio a impactos da pandemia de coronavírus, mas a expectativa é de retomada no próximo ano, disse a Agência Internacional de Energia (IEA) nesta quarta-feira (20).

O mundo deve construir menos parques eólicos, solares e outras instalações que produzem energia limpa neste ano devido à retração na demanda dos setores comerciais e industrial e a problemas logísticos que devem atrasar projetos.

"Os países continuam a construir novas turbinas eólicas e parques solares, mas em um ritmo bem mais lento", disse o diretor-executivo da IEA, Fatih Birol.

A capacidade instalada em renováveis neste ano deve crescer em um total de 167 gigawatts, ou 13% a menos que no ano passado, segundo relatório da IEA sobre o setor. Mas a capacidade global em renováveis ainda terá uma expansão, com crescimento estimado de 6% em 2020…

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/05/20/ritmo-de-expansao-em-energia-renovavel-deve-cair-pela-1a-vez-em-20-anos-diz-iea.ghtml

Comercializadoras de energia do Brasil veem impacto de R$ 5 bilhões por Covid-19

Comercializadoras de eletricidade, que operam no mercado livre de energia, no qual grandes empresas como indústrias e shoppings negociam diretamente seu suprimento, devem sofrer impactos de cerca de 5 bilhões de reais neste ano devido ao coronavírus, disse à Reuters nesta quarta-feira um representante do setor.

Entre as principais comercializadoras do Brasil estão unidades da elétrica francesa  Engie (EGIE3), da portuguesa EDP (ENBR3) e da CPFL (CPFE3) – da chinesa State Grid -, além de subsidiárias da Copel (CPLE3), Votorantim Cemig (CMIG3).

O setor também tem empresas ligadas a bancos, como o BTG Pactual, e independentes, sem ligação com grandes grupos de energia.

As perdas previstas no segmento devem-se à forte redução do consumo de energia associada a quarentenas adotadas pelo Brasil para reduzir a propagação da Covid-19, que obrigaram o fechamento de estabelecimentos comerciais, e aos efeitos econômicos da pandemia, que reduziram o nível de atividade em diversas áreas da indústria...

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/comercializadoras-de-energia-do-brasil-veem-impacto-de-r-5-bilhoes-por-covid-19/

Venda da Copel Telecom irá impulsionar o crescimento da empresa de energia, afirma BTG

A venda do braço de telecomunicações da Copel (CPLE3), a Copel Telecom, será positiva para a empresa e ajudará o processo de aumento de patrimônio da companhia e diminuição de dívida, de acordo a análise realizada pelo BTG Pactual nesta quarta-feira (20).

A companhia de energia divulgou, na terça-feira (19), um teaser sobre o processo de venda da unidade que deve acontecer ainda em 2020.

Para os analistas João Pimentel e Fillipe Andrade, a Copel vem apresentando resultados impressionantes nos últimos trimestres e conseguindo realizar um rápido processo de desalavancagem, o que deve ser acentuado com a venda da Copel Telecom.

“Em um ambiente normal, a Copel poderia melhorar sua estrutura de capital aumentando o pagamento para pelo menos 50% (vs. 25% atuais). No entanto, devido à pandemia do Covid-19, ficaremos surpresos ao ver um pagamento maior este ano”, informou o BTG Pactual...

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/venda-da-copel-telecom-ira-impulsionar-o-crescimento-da-empresa-de-energia-afirma-btg/

Custo de socorro às elétricas será dividido entre empresas e consumidores

Uma operação montada pelo governo federal vai permitir que o setor elétrico possa tomar novos empréstimos para enfrentar os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus. O financiamento terá como garantia a conta de luz, mas os custos serão divididos entre os consumidores e as empresas.

O socorro, cujas estimativas estão entre R$ 10 bilhões e R$ 12 bilhões, será viabilizado por meio de decreto presidencial, ao qual o Estadão/Broadcast teve acesso. Ele será publicado antes mesmo da aprovação da medida provisória que permite a ajuda pelo Congresso.

O financiamento visa a cobrir custos gerados pela crise da covid-19 no setor elétrico e evitar um reajuste médio imediato de cerca de 12% no meio da pandemia. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tem acompanhado diariamente os números do setor...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/economia/custo-de-socorro-as-eletricas-sera-dividido-entre-empresas-e-consumidores/

Drone espacial vai testar coleta de energia idealizada por Asimov

Satélites de colega de energia solar

drone espacial X-37B, uma espécie de ônibus espacial em miniatura - só que não tripulado -, costuma ficar meses e até anos no espaço, em missões ultrassecretas.

Ele acaba de subir novamente, mas desta vez alguns poucos experimentos que serão feitos a bordo foram revelados.

O mais interessante deles é o primeiro teste de um sistema de energia solar que pretende captar a luz no espaço e enviar a energia para a superfície por meio de micro-ondas.

"Pelo que sabemos, este experimento é o primeiro teste em órbita de um hardware projetado especificamente para satélites de energia solar, que podem desempenhar um papel revolucionário em nosso futuro energético," disse Paul Jaffe, idealizador do experimento, chamado "módulo de antena fotovoltaica por radiofrequência", ou PRAM (Photovoltaic Radio-frequency Antenna Module)...

Fonte: Inovação Tecnológica

Leia mais em:

https://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=drone-espacial-vai-testar-coleta-energia-idealizada-asimov&id=010115200519#.XsgAZ2hKjIU

Total ganha força no mercado de energia da Espanha com compra de ativos da EDP

O grupo de energia francês Total disse nesta segunda-feira que chegou a um acordo para a compra de uma grande carteira de clientes da EDP e de duas térmicas da empresa portuguesa na Espanha, o que o torna um importante player no mercado Ibérico de eletricidade. O negócio vem em linha com a estratégia da companhia de expandir sua atuação ao mercado de eletricidade, à medida que gigantes da energia enfrentam uma crescente pressão para reduzir a exposição aos combustíveis fósseis e aumentar os negócios de baixo teor de carbono em seus portfólios. Essa é a terceira grande aquisição da Total no mercado europeu de eletricidade residencial desde 2016, após negócios na Bélgica e na França, o que faz dela uma das grandes concorrentes de antigos monopólios. As ações da Total na bolsa de Paris chegaram a subir até 6% depois do negócio e do anúncio de que a empresa recuou de um acordo para adquirir ativos da Occidental Petroleum em Gana…

Fonte: Uol

Leia mais em:

https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2020/05/18/total-ganha-forca-no-mercado-de-energia-da-espanha-com-compra-de-ativos-da-edp.htm