22/04/2020

Eneva encerra negociações com AES Tietê para oferta de combinação de ativos

A Eneva informou em comunicado ao mercado na última terça-feira, 21 de abril, que encerrou as tratativas com a AES Tietê sobre a proposta para a operação de combinação de ativos. De acordo com a empresa, a operação não deve prosseguir em meio a uma disputa entre os direitos dos acionistas  donos de ações preferenciais da Tietê e os interesses do acionista controlador, a AES Holdings Brasil. Ela não reconheceria o direito de voto dos acionistas preferenciais, segundo o comunicado da Eneva. Essa atitude foi considerada irregular pela geradora térmica por na visão dela, descumprir compromisso de adesão ao Nível 2 da B3. A Tietê havia anunciado a recusa da oferta, mas se deixou aberta a uma nova rodada de negociação.

A correspondência da AES Holdngs dizia que após consultar especialistas em direito brasileiro, ficava claro para ela que a operação não poderia ser implementada sem o aval da maioria dos titulares das ações ordinárias da companhia. Dizendo reconhecer o direito de voto restrito dos acionistas preferenciais em determinadas matérias, ela diz que esse direito não pode fazer com que a maioria dos acionistas com direito a voto se curve a maioria dos sem direito a voto... 

Fonte: canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53132798/eneva-encerra-negociacoes-com-aes-tiete-para-oferta-de-combinacao-de-ativos

Aneel libera mais R$ 432 milhões para preservar a liquidez do setor elétrico

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou o uso de R$ 432,4 milhões (referentes a sobras de encargos de transmissão de energia elétrica) para aliviar os custos de consumidores cativos e livres durante os meses de abril, maio e junho. Esta é mais uma ação do regulador para poupar os consumidores de custos extraordinários decorrentes da pandemia de Covid-19, gerar liquidez no mercado e evitar inadimplência sistêmica sobre a cadeia no setor elétrico.

A primeira parcela (abril) será no valor de R$ 144,2 milhões, com 90% do montante beneficiando as distribuidoras e 10% os consumidores livres. A liberação desses recursos alivia as despesas de custeio do uso da transmissão. Apenas em abril, a medida representa um desconto de 16% nos custos com encargos de transmissão para os consumidores do mercado cativo e livre. Para os próximos meses, a desoneração do encargo poderá ser maior ou menor a depender da entrada em operação das instalações que estão previstas para o período...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53132732/aneel-libera-mais-r-432-milhoes-para-preservar-a-liquidez-do-setor-eletrico

Quer emprego? Setor de energias renováveis é imune ao coronavírus

O setor de energia renovável poderia criar mais de um milhão de empregos por ano se os países investirem o suficiente para cumprir as metas globais de redução de emissões de poluentes, segundo a Agência Internacional de Energias Renováveis.

Usinas de energia solar, eólica e outras formas ecológicas de energia podem gerar 42 milhões de empregos até 2050 se as nações gastarem mais agressivamente para limitar o aumento da temperatura média global, prevê a organização conhecida como Irena.

Os governos não devem relaxar esses esforços, mesmo que a poluição do ar tenha diminuído em alguns lugares devido ao impacto do coronavírus sobre a atividade econômica, declarou a agência sediada em Abu Dhabi no relatório divulgado nesta segunda-feira...

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/coronavirus-nao-detem-geracao-de-empregos-em-energia-renovavel/

Wall Street cai com setor de energia sob pressão de baixa do petróleo

A queda nas ações de empresas do setor de energia pressionava Wall Street nesta segunda-feira, com os preços do petróleo em colapso em um início de uma semana repleta de balanços corporativos e dados econômicos que provavelmente sublinharão os danos causados pelo surto de coronavírus.

O índice de energia do S&P 500 perdia 2,8% e estava no caminho da sexta queda em sete sessões, à medida que o contrato do petróleo dos Estados Unidos sofria um tombo de 35%, para seu menor nível desde 1998, devido ao excesso de oferta.

Exxon Mobil e Chevron recuavam mais de 3%, entre as maiores perdas no índice Dow Jones.

Todos os principais subíndices do S&P 500 operavam em baixa, mas os declínios do Nasdaq eram limitados por Amazon.com e Netflix, consideradas 'ações de quarentena', com isolamentos generalizados alimentando demanda por streaming online e entrega de mantimentos em domicílio. "Em grande medida a sessão de hoje é uma devolução de alguns ganhos anteriores, pois as pessoas estão tentando avaliar se levará seis meses, nove meses ou 12 meses até que a economia volte ao normal", disse Dev Kantesaria, gestor de portfólio do hedge fund Valley Forge Capital Management...

Fonte: Extra - Globo

Leia mais em:

https://extra.globo.com/noticias/economia/wall-street-cai-com-setor-de-energia-sob-pressao-de-baixa-do-petroleo-24383340.html

Enel suspende leitura presencial de medidores de energia por causa da pandemia de coronavírus em SP

Por causa da pandemia de coronavírus, a Enel, empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica em São Paulo, suspendeu a leitura presencial nos medidores. A orientação é de que os consumidores façam a própria leitura durante esse período. Para quem não fizer a leitura o valor cobrado será a média dos últimos 12 meses.

“Nós indicamos sempre a autoleitura. É a melhor forma, porque é o consumo real do cliente”, disse Danusa Correa, representante da Enel.

Segundo a Enel, o procedimento pessoal da leitura é simples e rápido. As explicações estão nos canais digitais da empresa, tanto no aplicativo, quanto na agencia virtual.

“E para quem não tem aptidão com os canais digitais ou está sem internet pode ligar no nosso 0800 e também passar o numero do medidor”, afirmou Danusa...

Fonte: G1 - Globo

Leia mais em:

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/04/20/enel-suspende-leitura-presencial-de-medidores-de-energia-por-causa-da-pandemia-de-coronavirus-em-sp.ghtml