22/02/2021

New NIST smart grid framework released

The focus in this latest edition of the document is a push on interoperability, with the prospect of the smart grid becoming more of a plug-and-play ecosystem.

Interoperability remains underdeveloped, according to the authors, who say that despite the significant grid modernisation that has occurred, the proliferation of technology and associated standards has only modestly improved interoperability.

Moreover, the expansion of distributed energy resources and other technologies, along with changing customer expectations, have complicated the interoperability challenge.

Interoperability is defined as “the capability of two or more networks, systems, devices, applications, or components to work together, and to exchange and readily use information – securely, effectively and with little or no inconvenience to the user.”

As such, the smart grid will be a system of interoperable systems, i.e. different systems that will be able to exchange meaningful, actionable information in support of the operation of the grid...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-grid/new-nist-smart-grid-framework-released/

Entenda por que a conta de energia deve ficar mais cara em 2021

A crise em decorrência da pandemia de Covid-19 levou muitos setores a acumular saldo negativo no último ano, incluindo o de energia. A consequência deve ser o aumento da cobrança ao consumidor em 2021. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já adiantou, no último dia 10 de fevereiro, que a conta de luz dos brasileiros deve subir, em média, 13% este ano.

O Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico do Estado do Ceará (Sindienergia-CE) explica os fatores que devem levar impacto ao bolso do consumidor. O principal deles é a crise sanitária, que gerou uma reação em cadeia.

A pandemia fez com que a demanda de energia residencial aumentasse, por conta da maior permanência das pessoas em suas casas, ressalta o presidente do Sindienergia-CE, Luís Carlos Queiroz.

"Além da questão de que as concessionárias tiveram que evitar o corte dos clientes inadimplentes durante a pandemia, o que exigiu muito do fluxo de caixa dessas empresas e, mesmo com o programa de apoio do Governo, isso afetou em algumas operações, fazendo com que o custo dessa operação elevasse e tivesse que, em algum momento, chegar à ponta final da cadeia, ao consumidor de energia. Por isso que nós veremos nos próximos meses e talvez até nos próximos anos um aumento de conta de energia considerável”, explica...

Fonte: Diário do Nordeste

Leia mais em:

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/negocios/entenda-por-que-a-conta-de-energia-deve-ficar-mais-cara-em-2021-1.3049474

Nos próximos quatro anos, fontes renováveis poderão ser responsáveis por um terço da matriz elétrica dos EUA

Segundo estudo da organização Sun Day Campaign, dentro dos próximos quatro anos, as fontes renováveis poderão responder por 30% da matriz elétrica dos Estados Unidos. Em 2020, de acordo com os números da agência reguladora Federal Energy Regulatory Commission (FERC), a geração solar fotovoltaica ultrapassou o gás natural, sendo responsável por quase um terço (29,7%) de nova capacidade instalada do país.

Em seu relatório mensal mais recente, a FERC indicou que foram instalados mais de 8,543 MW de capacidade solar fotovoltaica nos EUA no ano passado, excedendo os 6,259 MW de geração adicional de gás natural. Com 13,626 MW, quase metade do total obtido em 2020, a fonte eólica foi a que mostrou maior volume de novas instalações.

No final de 2020, um conjunto de grandes empreendimentos fotovoltaicos foram ligados à rede, abarcando cinco plantas na Flórida, que somam 372.5 MW, e uma usina de 225 MW da Engie no Texas...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/nos-proximos-quatro-anos-fontes-renovaveis-poderao-ser-responsaveis-por-um-terco-da-matriz-eletrica-dos-eua.html

EDP cria unidades para explorar hidrogênio verde e armazenamento

O Grupo EDP anunciou nessa sexta-feira, 19 de fevereiro, o lançamento de duas unidades de negócio, H2 Business Unit (H2BU) e EDPR NA, que irão explorar o potencial do hidrogênio verde e sistemas de armazenamento de energia, prevendo atingir uma capacidade de 1 GW no período de cinco anos.

Na visão do grupo português, esses mercados representam um dos eixos para crescimento da companhia nos próximos anos, não só pensando na sustentabilidade ambiental, mas também na redução de custos que se tem verificado, esperando-se que atinja a competitividade no decorrer desta década.

A H2BU será liderada por Ana Quelhas, até então diretora de Planejamento Energético da empresa, que pretende focar os seus esforços de desenvolvimento de oportunidades junto a setores promissores como a indústria do aço, química, refinarias e cimentos, bem como transportes pesados de longo curso. Os mercados prioritários serão os Estados Unidos e a Europa, alavancando no pipeline de renováveis e ativos existentes e complementando as soluções de descarbonização oferecida aos seus clientes…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53164102/edp-cria-unidades-para-explorar-hidrogenio-verde-e-armazenamento

Governo anuncia demissão do presidente da Petrobras

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na noite desta sexta-feira (19) a nomeação do general Joaquim Silva e Luna para substituir o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. Diretor-geral brasileiro de Itaipu, Silva e Luna também vai ocupar vaga no Conselho de Administração da empresa.

A demissão de Castello Branco é resultado da crise aberta com a críticas feitas por Bolsonaro ao executivo, em razão dos aumentos de preços dos combustíveis. O presidente disse ontem que faria mudanças na Petrobras e anunciou a isenção de impostos federais sobre gás de botijão e óleo diesel.

A estatal anunciou um novo reajuste a partir de hoje nos preços da gasolina e do diesel, que ficaram 10,2% e 15,1% mais caros, acumulando altas de 34,7% (gasolina) e 27,7% (diesel) em 2021. Os aumentos acompanham a recuperação dos preços internacionais do petróleo.

Para o  mercado, a dispensa do executivo só poderá ser feita com a aprovação do Conselho de Administração da estatal. Ainda não há indicação de quem ocupará o cargo de Silva e Luna em Itaipu.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53164128/governo-anuncia-demissao-do-presidente-da-petrobras