20/09/2021

Washington utility upgrades meter data management with Siemens

TRC Companies will implement, integrate and deliver the meter data management (MDM) on the Siemens EnergyIP platform for automation of smart meter data management business processes.

The project is part of Snohomish PUD’s Connect UP programme, which is designed to prepare the utility for an AMI deployment between 2023 and 2024.

Connect UP includes upgrading substations, deploying automation devices across the distribution network and installing grid communications infrastructure and technology.

The majority of the infrastructure planned for deployment as part of Connect Up has been installed. The utility will use the remaining part of 2021 to integrate already installed infrastructure with new technologies such as the MDM and to construct a test lab for new solutions and business cases that are related to smart grids...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/data_analytics/washington-utility-upgrades-meter-data-management-with-siemens/

STI Norland inicia projetos para usinas solares no Brasil com a Nebras Power

A STI Norland, empresa de fabricação de rastreadores solares de eixo único e estruturas fixas, começou no final de março a entrega dos trackers para dois novos projetos: Francisco Sá, em Minas Gerais, e Lavras, no Ceará. Ambos os projetos são de propriedade majoritária da Nebras Power, empresa internacional de investimento em energia com sede no Catar. Juntas, as duas novas plantas irão somar 266,7 MWp.

De acordo com a empresa, para usina em Francisco Sá, a STI Norland fornecerá 2.459 trackers, que irão gerar 114,3 MWp. Já o projeto Lavras, no Ceará, contará com 3.362 trackers da STI Norland, garantindo 152,4 MWp de potência. Ao todo, os dois novos projetos somam 5.821 trackers, que já estão sendo instalados pelo país. O tracker utilizado nos projetos é o STI-H250, dual-row na configuração 1V, que oferece o melhor LCOE do mercado. Esse produto se destaca por sua adaptabilidade a módulos bifaciais, maior resistência a ventos e sua engenharia otimizada.

A comercialização da energia gerada será feita pela própria empresa detentora das plantas, que faz acordos de aluguel de parte dos espaços das usinas para empresas dos mais variados ramos, como varejo, telecomunicações, entre outras.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53187522/sti-norland-inicia-projetos-para-usinas-solares-no-brasil-com-a-nebras-power

Aggreko planeja investir em biomassa

Mais conhecida como prestadora de serviços de energia modular móvel, a companhia escocesa Aggreko decidiu ampliar sua atuação no mercado brasileiro e se tornar investidora no segmento de biogás para geração de energia elétrica.

A empresa está lançando ao mercado uma chamada para atrair projetos capazes de transformar biomassa de diferentes origens (aterros sanitários, agronegócio e indústria alimentícia, por exemplo) em biogás para geração de energia. Para a nova empreitada, reservou R$ 240 milhões - a execução de todo esse montante vai depender do resultado da chamada.

Segundo o diretor de vendas da Aggreko no Brasil, Hugo Dominguez, a iniciativa se encaixa num plano de diversificação do modelo de negócio: a companhia já oferece soluções de geração para o mercado de biogás e, agora, também quer realizar a venda da energia...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=341789&sid=105

Os fatores que fazem disparar risco de apagão no Brasil

Após sucessivos anos de poucas chuvas, os reservatórios das hidrelétricas brasileiras nas regiões Sudeste e Sul chegaram ao mês de setembro em seu pior nível histórico, abaixo mesmo do patamar de 2001, quando o país enfrentou um severo racionamento de energia.

Para especialistas ouvidos pela BBC News Brasil, esse cenário torna elevado o risco de apagões (interrupções temporárias localizadas de fornecimento), ainda mais em momentos de picos de consumo, que ficam mais frequentes com a volta do calor.

Enquanto no inverno o auge do consumo de energia se concentra no início da noite, quando escurece, com a chegada da primavera a demanda fica maior também de tarde, devido ao aumento do uso de ar condicionado.

Os dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) mostram que esse fenômeno já começou a ocorrer a partir do final de agosto. Na semana passada, o consumo de energia entre 15h e 16h chegou a superar a demanda da noite nos dias 13 e 14 de setembro…

Fonte: Terra

Leia mais em:

https://www.terra.com.br/noticias/brasil/os-fatores-que-fazem-disparar-risco-de-apagao-no-brasil,efafcc7481dc31933f6962b47ba406750rrll6co.html

Falha em Furnas provocou apagão em cidades de SP, RJ e MG

Uma falha em Rocha Leão, subestação de Furnas que fica localizada no município carioca de Rio das Ostras, foi a causa do apagão de cerca de uma hora registrado no sábado, 18, em cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Com a ocorrência, não foi possível entregar energia para a distribuidora que atende a região, a Enel, o que afetou a prestação de serviços.

Os problemas foram relatados a partir de 21h20 e teriam sido normalizados por volta de 22h30.

Subsidiária da Eletrobras, Furnas informou que está analisando as causas do ocorrido. "As proteções atuaram corretamente para isolamento da falha, causando o desligamento de todos os equipamentos dessa subestação. A equipe técnica de Furnas prontamente iniciou os procedimentos para o restabelecimento do fornecimento para a distribuidora", explicou a estatal, referindo-se à Enel, que atende o Estado do Rio de Janeiro com exceção da capital...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/brasil/falha-em-furnas-provocou-apagao-em-cidades-de-sp-rj-e-mg/

Você sabe qual é a cidade mais inteligente do Brasil?

Uma ‘Smart City’ – termo que significa cidade inteligente – é quando um município utiliza tecnologia para conectar os espaços, com o objetivo de aumentar o nível de ciência e otimizar o que acontece em todos os ambientes. Além disso, também melhora a conectividade das pessoas, principalmente quando se trata de serviços que agregam ao cotidiano.

A tendência integra IoT, IA, cloud, conectividade, blockchain, realidade virtual/mista, gameficação, e centenas de outras tecnologias para melhorar a qualidade de vida nas cidades e reduzir o impacto ambiental. As cidades inteligentes não são somente cidades mais conectadas e sim, as que tornam o uso do que é público eficiente e eficaz.

Por exemplo, não adianta projetar prédios com grandes estacionamentos, se ninguém mais possui carro e só anda de Uber. Pensando nesses pontos, São Paulo é, pelo segundo ano consecutivo, a primeira colocada no Ranking Geral do Connected Smart Cities 2021, e também entre as cidades com mais de 500 mil habitantes, além das cidades na região Sudeste...

Fonte: Olhar Digital

Leia mais em:

https://olhardigital.com.br/2021/09/14/pro/voce-sabe-qual-e-a-cidade-mais-inteligente-do-brasil/