19/10/2020

Siemens Energy unveils new AI-driven cybersecurity service

Managed Detection and Response (MDR) is powered by Eos.ii to help small and medium-sized energy companies defend critical infrastructure against cyberattacks.

MDR’s technology platform, Eos.ii, leverages AI and machine learning methodologies to gather and model real-time energy asset intelligence.

This allows Siemens Energy’s cybersecurity experts to monitor, detect and uncover attacks before they execute. Armed with actionable insights from MDR’s technology platform, Siemens Energy’s cybersecurity experts implement precise defense measures in the company’s state-of-the-art operational technology-security operations center (OT-SOC) to defend power generation, oil and gas, renewable energy, and transmission and distribution customers.

Leo Simonovich, Head of Industrial Cybersecurity at Siemens Energy, said: “As the digital revolution transforms the energy industry, industrial operating environments are becoming increasingly vulnerable to cyberattacks.

“MDR, powered by Eos.ii, is the first AI-driven cybersecurity monitoring solution to proactively detect and prevent cyberattacks targeting critical infrastructure for all operating environments before attackers strike.”...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/cybersecurity/siemens-energy-unveils-new-ai-driven-cybersecurity-service/

Huawei apresenta 10 tendências para a fonte solar fotovoltaica para os próximos cinco anos

A Huawei apresentou ao mercado 10 tendências tecnológicas para a geração solar fotovoltaica que devem ocorrer até 2025, embaladas pela tecnologia digital em curso e pelas perspectivas que a própria fonte de energia apresenta dentro da matriz energética brasileira. A geração solar possui atualmente cerca de 6 GW de capacidade instalada, volume dividido entre usinas centralizadas e de micro e minigeração distribuída.

As 10 tendências foram o tema do quinto episódio do EnergyTech Talks, webinar derivado do Energy Solutions Show, realizado digitalmente por causa da pandemia de Covid-19. O Energy TechTalks teve a participação de Thiego Ferreira Bello, coordenador de Engenharia de Projetos Solares Brasil na Enel Green Power (EGP), Nelson Falcão, vice-presidente de Cadeia Produtiva na Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) e de Rennyo Nakabayashi, gerente de Produtos e Soluções Huawei Solar Brasil.

Essas tendências devem trazer mais protagonismo para a geração solar, avalia Rennyo Nakabayashi. “Nós falamos como tendências, mas isso já estamos aplicando”, disse Nakabayashi. Como exemplo, ele contou que já existem sistemas que permitem a comunicação de inversores com outros equipamentos de uma central, como trackers, sistemas de armazenamento e transformadores...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53150995/huawei-apresenta-10-tendencias-para-a-fonte-solar-fotovoltaica-para-os-proximos-cinco-anos

Enel assina empréstimo de € 1 bilhão vinculado à sustentabilidade

A Enel assinou nesta sexta-feira, 16 de outubro, um contrato de empréstimo vinculado à sustentabilidade (Sustainability-Linked Loan) de € 1 bilhão, com um prazo de seis anos, que foi estruturado como um club deal com vencimento em 15 de outubro de 2026. A transação foi apoiada por um sindicato de seis bancos, atuando como Lenders and Bookrunners & Mandate Lead Arrangers.

O empréstimo se destina a atender às necessidades habituais de financiamento do Grupo e segue a adoção pela Enel de uma “Estrutura de Financiamento Vinculada à Sustentabilidade”, a primeira do mundo revisada pelo fornecedor Vigeo Eiris e que apresenta toda a estratégia de financiamento vinculada à sustentabilidade em várias soluções de financiamento, integrando totalmente a sustentabilidade ao programa de financiamento global do Grupo. A estrutura está alinhada com os Princípios de Títulos Vinculados à Sustentabilidade da International Capital Market Association e os Princípios de Empréstimos Vinculados à Sustentabilidade da Loan Market Association.

O empréstimo reflete o compromisso da Enel de contribuir para o cumprimento do ODS 7.2,  de aumentar substancialmente a participação da energia renovável na matriz energética global até 2030. A assinatura do empréstimo está em linha com a estratégia financeira da Enel, que é cada vez mais caracterizada por financiamento sustentável, conforme refletido pelo objetivo de atingir uma parcela de fontes de financiamento sustentáveis na dívida bruta total igual a 43% em 2022 e 77% em 2030.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53151271/enel-assina-emprestimo-de-e-1-bilhao-vinculado-a-sustentabilidade

A Shell anunciou, no início deste mês, a formulação de uma nova estrutura de negócios para comercialização e geração de energia elétrica no Brasil. Em nota, a empresa informou que seu modelo de Comercialização e Novas Energias no Brasil contemplará a geração e armazenamento de energias renováveis e gás natural, comercialização e otimização, e vendas a consumidores finais de soluções integradas de energia com a marca Shell.

“Nossos clientes do Brasil terão acesso, com este modelo integrado, à diversidade de produtos e serviços, à escala e à presença que a Shell possui no mercado global de energia”, afirmou em nota o presidente da Shell Brasil, André Araujo.

No país, a termelétrica Marlim Azul, joint-venture entre a Shell Brasil (29,9%), o Pátria Investimentos (50,1%) e a Mitsubishi Power System (20%) é um exemplo de modelo integrado. A planta está em fase de construção e terá capacidade instalada de 565,5 megawatts (MW) tornando-se a primeira a usar o gás natural do pré-sal. Já em relação a energias renováveis, a empresa aguarda pedido para 24 outorgas de energia solar fotovoltaica em Minas Gerais, totalizando 1,1 gigawatts (GW).

A nota ainda destaca que os negócios em geração e armazenamento de energia elétrica renovável e gás natural serão liderados pelo Diretor de Novas Energias da Shell Brasil, Guilherme Perdigão, enquanto Gabriela Oliveira continua sendo responsável pelo desenvolvimento de projetos de geração de energia renováveis. Já a comercialização e a oferta de soluções integradas de energia para consumidores ficam a cargo da comercializadora Shell Energy Brasil, que opera desde 2017...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/shell-anuncia-novo-modelo-de-comercializacao-e-geracao-de-energia-eletrica-no-brasil.html

Raízen avança em biogás de cana e mira aquisições em geração distribuída

Raízen inaugurou oficialmente nesta sexta-feira uma usina de geração de energia com biogás produzido a partir de subprodutos de cana, uma tecnologia que a empresa pretende agora testar para possível aplicação também em caminhões e tratores de sua frota.

Joint-venture da Cosan com a anglo-holandesa Shell, a companhia ainda tem planos de usar esse biogás de cana para atender diretamente a demanda de clientes por eletricidade em um modelo de negócios conhecido como geração distribuída (GD), disse à Reuters o presidente da Raízen, Ricardo Mussa.

A geração distribuída tem crescido rapidamente no Brasil, principalmente com instalações que envolvem placas solares em telhados ou terrenos para atender à demanda de residências e empresas, e a Raízen buscará avançar nesse nicho, inclusive com possíveis aquisições ou parcerias, acrescentou o executivo.

Segundo Mussa, a Raízen já concluiu a implementação de seus primeiros sistemas de geração distribuída, com tecnologia solar, e pretende acelerar investimentos no setor, uma vez que acredita ter vantagem frente aos concorrentes nesse nicho devido à ampla carteira de clientes para os quais a produção das instalações de GD poderia ser vendida…

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.com/negocios/raizen-avanca-em-biogas-de-cana-e-mira-aquisicoes-em-geracao-distribuida/

Grupo Boticário: realidade aumentada com Vuzix

O Grupo Boticário adotou a solução da Vuzix, americana especializada em smart glasses e realidade aumentada, para sanar a impossibilidade de acompanhamento presencial em sua fábrica de Camaçari, na Bahia.

A responsável pelo projeto foi a Totalpower, distribuidora brasileira da marca que desenvolve softwares de suporte remoto, digitalização de processos operacionais e desenvolvimentos em realidade aumentada.

Antes da pandemia, era comum que pesquisadores da fábrica de São José dos Pinhais, no Paraná, se deslocassem até a unidade baiana para acompanhar a fabricação de produtos como perfumes, cremes, loções e maquiagens.

Com as restrições impostas pela Covid-19, esse fluxo de trabalho foi afetado diretamente. O time de inovação do grupo buscou, então, os óculos 3D — que agora estão interligados em tempo real à produção de cada item na indústria.

Através da solução, o especialista no desenvolvimento do produto, que fica no Paraná, estabelece conexão direta com o operador na fábrica, na Bahia, que recebe suporte de áudio e vídeo enquanto executa a produção, mantendo suas mãos livres....

Fonte: Baguete

Leia mais em:

https://www.baguete.com.br/noticias/15/10/2020/grupo-boticario-realidade-aumentada-com-vuzix