19/07/2021

PSE&G signs 10-year advanced metering deal with Landis+Gyr

As part of the ten-year deal signed by the two companies, Landis+Gyr will provide the utility with some 2.3 million advanced meters, network infrastructure, and software and services.

The deal is part of the utility’s Clean Energy Future programme designed to accelerate the adoption of advanced technologies capable of helping PSE&G to enhance grid management and customer services, and to reduce its carbon intensity.

As part of the programme, PSE&G will be investing $1 billion to help customers improve their energy efficiency, $700 million in smart meters, and in electric vehicles initiatives.

The advanced meters will enable the energy provider to ensure revenue protection through accurate consumer energy billing. By accessing real-time data regarding consumer energy usage, PSE&G will be able to provide its customers with personalised services that can help them reduce their energy usage and costs. This in turn would result in improved customer services...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/pseg-signs-10-year-advanced-metering-deal-with-landisgyr/

Mercado livre de energia vive recorde

O mercado livre de energia elétrica, no qual os consumidores escolhem os fornecedores, viveu uma transformação na pandemia. Depois de uma desaceleração no começo de 2020, as companhias que fornecem serviços para a migração de clientes do mercado cativo para o ambiente de contratação livre (ACL) viram uma alta na demanda nos últimos meses.

A atenção à pauta ASG (ambiental, social e de governança) intensificou a busca de consumidores por fontes de energia limpa, o que favorece esse mercado. Com isso, o Balcão de Comercializadora de Energia Elétrica (BBCE), plataforma de negociação eletrônica de contratos de energia, registrou recorde de negociações no primeiro semestre deste ano.

De janeiro a junho de 2021, foram negociados pela BBCE 188.943 (gigawatts hora) GWh, alta de 35% em relação ao mesmo período de 2020, num volume financeiro de R$ 29,1 bilhões. “Em apenas um semestre negociamos 20% do que foi transacionado em nossos sistemas em nove anos”, disse o presidente da BBCE, Carlos Ratto...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=340203&sid=105

A CPFL Energia (SA:CPFE3) arrematou a transmissora de energia gaúcha CEEE-T, após oferecer uma proposta de R$ 2,670 bilhões pelo ativo, um ágio de 57,13% em relação ao pedido inicial de R$ 1,699 bilhão. Essa é a segunda privatização feita pela gestão Eduardo Leite (PSDB) à frente do governo do Rio Grande do Sul.

A abertura de envelopes, ontem, na sede da B3 (SA:B3SA3), em São Paulo, contou com ofertas das empresas Isa Cteep, CL RJ 004, MEZ Energia e Companhia Técnica de Comercialização de Energia e Infraestrutura em Energia Brasil, confirmando o prognóstico de forte competição pelo ativo, que é considerado a joia da coroa entre as estatais gaúchas. O valor final da operação, porém, ficou abaixo dos R$ 3 bilhões esperados pela gestão Leite.

Além da CPFL, outras companhias de grande porte eram cotadas para participar da disputa: ISA Cteep (SA:TRPL4), Taesa (SA:TAEE11), Alupar (SA:ALUP11), CPFL e Eletrosul, além dos fundos de investimentos canadenses Canada Pension Plan Investment Board e o Caisse de dépôt et placement du Québec (CDPQ)...

Fonte: Investing

Leia mais em:

https://br.investing.com/news/stock-market-news/cpfl-compra-transmissora-de-energia-gaucha-por-r-26-bi-893910

Nova parceria para geração de energia solar: Unipar e Atlas Renewable Energy

A parceria para geração de energia a partir de placas fotovoltaicas contempla a operação de um complexo com capacidade instalada de até 239 MW solares, no município de Pirapora, região Norte de Minas Gerais. O acordo prevê um PPA de longo prazo de parte da energia com a própria Unipar.

O projeto “Lar do Sol Casablanca II” fornecerá o equivalente de energia a 261,662 residências, de acordo com o consumo médio das famílias brasileiras. Além disso, o parque vai evitar a emissão de aproximadamente 40,500 toneladas métricas de CO2 por ano. Este cálculo é baseado no protocolo Green House Gases (GHG), uma metodologia desenvolvida pelo World Resources Institute que segue índices usados pelo Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC). Esse montante de CO2 que deixará de ser emitido é o equivalente a tirar 16.200 carros das ruas de São Paulo (SP).

Para Maurício Russomanno, CEO da Unipar, o acordo reflete o compromisso da empresa com o futuro do País e a sustentabilidade do negócio. “Mais um movimento em busca de soluções sustentáveis que melhoram os esforços da companhia na busca por matrizes de energia a partir de fontes renováveis, garantem o acesso ao insumo essencial para a operação e geram maior competitividade por meio da autoprodução…

Fonte: Inforchannel

Leia mais em:

https://inforchannel.com.br/2021/07/19/nova-parceria-para-geracao-de-energia-solar-unipar-e-atlas-renewable-energy/

Com alta na conta de luz, energia solar conquista consumidores

O acupunturista Julyo Ganiko decidiu montar a sua casa do zero na região de Guarulhos, na Grande São Paulo. Comprou um imóvel antigo e percebeu que, para a residência ficar ao seu gosto, era melhor destruir e construir tudo de novo. Uma de suas preocupações era com a questão da eletricidade: ele queria que tudo na sua casa fosse movido por energia elétrica, até mesmo o fogão. Com receio de ter de pagar uma conta alta lá na frente, começou a pesquisar sobre a energia solar. Decidiu instalar painéis solares na residência de 220 metros quadrados de área construída, que ficou pronta em 2019, onde mora com a mulher e os dois filhos. O investimento foi de 25 mil reais.

"Hoje, pago 70 reais na minha conta de luz todos os meses. Conversando com pessoas que moram próximas e que têm hábitos de consumo parecidos, elas gastam mais de 300 reais", afirma Ganiko.

Com o aumento do custo de energia, é provável que os vizinhos do acupunturista vejam a conta subir ainda mais. No fim de junho, foi anunciado o reajuste de 52% para a taxa extra embutida nas contas de luz, a chamada bandeira vermelha 2. Por causa disso, os brasileiros deverão pagar, em média, 8,12% mais, segundo os cálculos do economista André Braz, coordenador dos Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV)...

Fonte: Invest Exame

Leia mais em:

https://invest.exame.com/esg/com-alta-na-conta-de-luz-energia-solar-conquista-consumidores