19/01/2022

Como fica a performance do setor elétrico sem a ajuda do governo

A melhora nos reservatórios das usinas hidrelétricas nos últimos meses por causa do período de chuvas pode fazer com que o socorro financeiro ao setor elétrico caia de R$ 15 bilhões para R$ 4,5 bilhões. O redimensionamento no valor da operação foi antecipado pelo Estadão/Broadcast na segunda-feira (17), mas ainda não foi oficializado.

Para especialistas, a redução do pacote de socorro é positiva no curto prazo, e sinaliza que o período chuvoso está ajudando na recuperação do caixa das empresas de distribuição de energia, o que diminui a necessidade de ajuda por parte do governo. “O que de certa forma é um problema social, para os reservatórios hídricos é uma excelente notícia. A palavra racionamento desapareceu por causa da chuva”, afirma o analista da Perfin, Marcelo Sandri.

Com a recuperação do nível dos reservatórios das hidroelétricas, parte do parque de geração de energia térmica – que estava acionado com capacidade máxima em 2021 – começou a ser desligado. O analista explica que a produção de energia via termelétricas caiu de 20 GWh (gigawatts-hora) em setembro do último ano para cerca de 11 GWh, produzidos atualmente...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=344168&sid=105

Hidrogênio verde: o próximo grande acontecimento em termos de energia para o Brasil e o mundo

O Brasil surge como um dos possíveis líderes de um futuro mercado global de hidrogênio verde, dado o seu potencial para produzi-lo em grande escala por meio de processos envolvendo fontes renováveis e agrícolas, sem prejuízo do uso de biomassa e biogás. Mais que promessa ou ficção científica, avanços regulatórios e acordos firmados neste ano mostram iniciativas já saindo do papel.

Considerado fonte de energia com grande potencial e um canal disruptivo, o hidrogênio se tornou um objetivo estratégico em grande parte do globo. Embora com desafios tecnológicos e de mercado significativos, ganhou destaque no “pós-pandemia” para promover a retomada econômica e acelerar a transição energética. Neste sentido, novas fronteiras podem ser desenvolvidas em transporte, geração de eletricidade, armazenamento de energia e processos industriais. O armazenamento de energia, por sua versatilidade, é capaz de promover o acoplamento setorial entre os mercados de combustível, elétrico, industrial e outros. Estudos indicam que isso poderia contribuir para a descarbonização da economia mundial e promoção para um mercado mais competitivo...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=344165&sid=105

Neoenergia inicia montagem do maior parque eólico do grupo no Brasil

A Neoenergia iniciou a montagem dos aerogeradores do parque eólico de Oitis, localizado entre o Piauí e a Bahia. O complexo eólico terá capacidade instalada de 566,5 megawatts (MW), o maior da companhia até então no país. A capacidade é suficiente para abastecer uma cidade com 2,7 milhões de habitantes.

Com 125 metros de altura, o equivalente a um prédio de 40 andares, os aerogeradores serão montados em duas etapas, num trabalho que dura, em média, seis dias e vai envolver cerca de 30 profissionais.

Ao todo, o projeto terá 103 turbinas, que começaram a ser entregues em dezembro. As pás foram fabricadas na China e levadas de navio até o Porto de Suape (PE), de onde seguiram em carretas até o canteiro de obras. O processo deve levar aproximadamente 60 dias e precisa ser repetido 19 vezes.

As obras foram iniciadas em novembro de 2020, três meses antes do cronograma previsto no plano de negócios da empresa. A previsão é que o projeto entre em operação ainda no primeiro semestre de 2022. Segundo a companhia, também está avançando a construção da subestação Oitis e da linha de transmissão de 70 quilômetros de extensão...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=344164&sid=105

Absolar e InvestMinas assinam acordo para desenvolvimento da fonte no estado

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica e a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais assinaram acordo de cooperação para desenvolver ainda mais a geração de energia por fonte solar no território mineiro. A iniciativa visa atrair novos investimentos para a região, gerar mais empregos e renda para a população e estimular o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios para empreendedores, além de ampliar o acesso da energia solar aos consumidores residenciais, setores produtivos, agronegócio e setor público no estado de Minas Gerais.

Dentre as prioridades de trabalho em parceria das duas entidades destacam-se: identificar empreendedores do setor solar interessados em investir no estado, compartilhar informações sobre o mercado solar mineiro, avaliar tendências de negócios e aprimorar o ambiente regulatório e legal, além de cooperar em eventos e ações conjuntas.

Para o CEO da Absolar, Rodrigo Sauaia, a entidade é parceira de longa data do estado na construção de projetos e programas públicos para o desenvolvimento da fonte solar. Ele lembra que Minas Gerais acaba de ultrapassar a marca histórica de 2 GW de potência instalada da fonte solar em operação…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53199940/absolar-e-investminas-assinam-acordo-para-desenvolvimento-da-fonte-no-estado

WEG será fornecedora exclusiva de estação de recarga de veículos da Neoenergia

A WEG será fornecedora exclusiva de estações de recarga para veículos elétricos da Neoenergia. As duas empresas anunciaram a parceria nesta quarta-feira (19/01). Os equipamentos oferecidos serão da linha WEG Electric Mobility (WEMOB), desenvolvidos e fabricados no Brasil.

Conforme as companhias, as soluções para mobilidade elétrica serão voltadas a clientes residenciais, comerciais e empresas que desejam eletrificar as suas frotas. O portfólio atenderá diversas aplicações, com produtos de configurações diferentes conforme necessidade do cliente, incluindo vistoria técnica e instalação.

O contrato entre as empresas prevê o fornecimento de estações de recarga WEMOB Wall com potência de 7,4 kW e que podem ser alimentados em redes monofásicas ou bifásicas (127 ou 220V). Esse é o modelo é direcionado para residências ou condomínios…

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/tecnologia/mobilidade-eletrica/weg-sera-fornecedora-exclusiva-de-estacao-de-recarga-de-veiculos-da-neoenergia

Enel connects over 1 million prosumers to grid network

This means that over one million energy producers/consumers are contributing to the reliability and decarbonisation of the grid systems.

The 1 million milestone is a result of increased investments in digital technologies and decentralisation and in consumer appetite for green solutions and smart services.

The announcement comes as global rollout of distributed energy resources is increasing as governments and energy stakeholders seek to reduce greenhouse gas emissions whilst ensuring energy affordability, sustainability, efficiency and reliability.

Digitalisation and automation is helping simplify the integration of the distributed resources as well their management hence consumers are inclined to adopt, according to a statement.

At the heart of successful prosumer models is an optimal data-centric business case, hence the need for innovative, secure and reliable data acquisition, management, storage and utilisation...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/distributed-generation/enel-connects-over-1-million-prosumers-to-grid-network/

Colorado utility selects Landis+Gyr for advanced metering infrastructure

The project will start with the deployment of 500 meters this year with up to 46,000 Revelo units targeted for installation by the end of 2023.

The adoption of Landis+Gyr’s Gridtsream Connect IoT platform for connectivity and the smart meters falls under efforts by the utility to modernise the city’s grid for energy system efficiency.

The smart meters will enable accurate consumer energy billing, improved consumer energy efficiency, enhanced grid reliability through real-time monitoring of grid events and enriched customer services as a result of the provision of digital services and heightened customer engagement, according to the statement.

The advanced metering infrastructure will enable Longmont Power and Communications to leverage grid automation capabilities to manage power quality and detect outages for quick responses...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/colorado-utility-selects-landisgyr-for-advanced-metering-infrastructure/

Leilão para eólicas em alto-mar pode sair em 2023

Os potenciais investidores atentos no segmento de geração eólica em alto-mar (offshore) aguardam as definições regulatórias do governo federal para começarem a corrida de novos projetos nos mares do Brasil com a segurança jurídica característica do setor elétrico.

A Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) tem pressa para que as diretrizes regulatórias de contratação de eólicas offshore saiam, já que investidores que aportam no mercado internacional se interessam pelo Brasil. A entidade ajuda na estruturação econômica e regulatória para receber os investimentos e acredita que em 2023 seja possível viabilizar o primeiro certame.

“O que fizemos em 2021 e vamos continuar fazendo em 2022 é arranjar a estrutura econômica e regulatória para receber os investimentos em offshore. Já estamos com empresas no Brasil e 46 GW de projetos em licenciamento no Ibama. Vamos estruturar para fazer leilões num futuro breve que imagino que seja em 2023”, diz Elbia Gannoum, presidente executiva da ABeeólica...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=344136&sid=105

ANEEL consolida regras de classificação das instalações, acesso e conexão ao sistema de transmissão

Na primeira reunião colegiada deste ano, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou nesta terça-feira (18/01) a consolidação da regulamentação de classificação das instalações de transmissão e de acesso ao sistema de transmissão. A decisão resultou da criação do “Módulo 2 – Classificação das Instalações” e “Módulo 5 – Acesso ao Sistema” e revisão do “Módulo 1 – Glossário” e do “Módulo 3 – Instalações e Equipamentos” das Regras de Transmissão e dos Submódulos 9.1 e 9.2 dos Procedimentos de Regulação Tarifária - PRORET.

O tema foi debatido em Consulta Pública (CP13_2020), realizada em duas fases – de 12 de março de 2020 a 10 de junho de 2020, e de 16 de dezembro de 2020 a 17 de fevereiro de 2021 – períodos em que a Agência recebeu contribuições de agentes e instituições do setor.  O processo foi relatado pela diretora Elisa Bastos e teve voto vista do diretor Hélvio Neves Guerra.

A ANEEL estabeleceu prazo de 90 dias para que o ONS envie à ANEEL proposta de alterações nos Procedimentos de Rede que contemplem o disposto na regulamentação e os aprimoramentos necessários nos procedimentos relacionados ao acesso às instalações de transmissão...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://bit.ly/3fDTgVI

Schneider e GreenYellow fecham parceria em eficiência

As francesas Schneider Electric e GreenYellow anunciaram um acordo para fornecer programas de eficiência energética totalmente financiados e prontos para uso com foco em grandes corporações internacionais. O acordo tem três anos de duração para atendimento do segmento industrial de uso intensivo de energia que tenham ambição clara de descarbonizar rapidamente sua matriz.

No escopo de trabalho, a Schneider Electric, reconhecida em 2021 como a corporação mais sustentável do mundo pelo Corporate Knights Global 100 Index, trará sua experiência em consultoria na definição de roteiros de sustentabilidade, bem como na aplicação da sua plataforma EcoStruxure Resource Advisor. A GreenYellow, por sua vez, ficará com ações de eficiência energética, de forma a assegurar a instalação de tecnologias eficientes e seu respectivo acompanhamento, comprometendo-se com garantias de desempenho. A empresa será responsável, ainda, pelo investimento, propondo programas totalmente financiados.

A GreenYellow prevê um investimento mínimo de € 100 milhões em todo o mundo. A parceria será implantada inicialmente nos 16 países onde opera na Europa, América Latina, África e Ásia, com novos países possíveis, dependendo das necessidades do cliente…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53200011/schneider-e-greenyellow-fecham-parceria-em-eficiencia

Irena: crescimento do hidrogênio trará mudanças econômicas e geopolíticas

A nova análise da Agência Internacional para as Energias Renováveis “Geopolítica da Transformação Energética: O Fator Hidrogênio”, sinaliza que o crescimento rápido da economia global do hidrogênio pode trazer grandes mudanças geoeconômicas e geopolíticas, que podem causar uma onda de novas interdependências. A análise considera que o hidrogênio está mudando a geografia do comércio energético e regionalizando as relações energéticas, causando o aparecimento de novos centros de influência geopolítica integrados na produção e uso de hidrogênio, enquanto o comércio tradicional do petróleo e gás sofre um declínio.

Direcionado pela urgência climática e os compromissos dos países com as emissões líquidas zero, a Irena estima que o hidrogênio abranja até 12% do uso energético global até 2050. O comércio em crescimento e os investimentos específicos em um mercado dominado pelos combustíveis fósseis e atualmente avaliado em US$ 174 bilhões é suscetível de fazer disparar a concorrência económica e influenciar a paisagem da política do exterior com negócios bilaterais divergindo significativamente das relações baseadas nos hidrocarbonetos do século XX...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53199817/irena-crescimento-do-hidrogenio-trara-mudancas-economicas-e-geopoliticas

Estudo sobre redução de poluentes mostra Chile, Brasil e Argentina como melhores da América do Sul

Chile, Brasil e Argentina foram os três países sul-americanos entre os 25 com melhor desempenho na corrida para o Net Zero, com base no progresso até o momento e nas iniciativas estabelecidas. O país com melhor colocação é o Chile, na 16ª colocação, com o Brasil na 18ª e a Argentina na 22ª posição. O resultado é um recorte da América do Sul do estudo global realizado pela KPMG “Net Zero Readiness Index 2021” em que foram comparados os progressos de 32 países e territórios na redução de gases de efeito estufa.

A sócia-diretora líder de ESG da KPMG na América do Sul e da KPMG IMPACT, Juanita López, comenta que em um contexto pós-COP26, tais análises são bastante relevantes. De acordo com ela, os países se comprometeram a fortalecer compromissos nacionais com as diretrizes do Acordo de Paris até o final de 2022 e, de divulgar antes da próxima edição da conferência, a atualização das metas climáticas e estratégias de longo prazo. Para ela, o cumprimento com esses objetivos exigirá o trabalho colaborativo entre governos e todos os setores da sociedade civil, principalmente do setor privado, que tem um papel fundamental para que que os países alcancem a meta estabelecida...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53199784/estudo-sobre-reducao-de-poluentes-mostra-chile-brasil-e-argentina-como-melhores-da-america-do-sul