18/06/2021

MP da Eletrobrás pode gerar custo de R$ 84 bi a consumidor

Repleta de “jabutis” – emendas incluídas no texto original por parlamentares –, a medida provisória que viabiliza a privatização da Eletrobrás foi aprovada pelo Senado e pode resultar num custo extra de R$ 84 bilhões aos consumidores de energia elétrica. Entre outros pontos, o texto aumentou a quantidade de energia de usinas térmicas a gás que a União será obrigada a contratar. O dispositivo prevê que as usinas devem estar localizadas mesmo em locais onde não há reservas ou infraestrutura de abastecimento. Na prática, será necessário construir gasodutos para levar gás até elas, que poderão ser pagos pelos consumidores por meio das tarifas. A proposta aumenta de 6 mil megawatts (MW) para 8 mil MW o volume de energia que vai ser contratado de térmicas a gás. A alteração beneficia Estados do Sudeste, que não estavam contemplados com o texto da Câmara. Como houve mudanças por parte dos senadores na versão aprovada primeiro pelos deputados, o texto voltará à Câmara...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339454&sid=105

Banco do Brasil vai lançar 19 licitações para energia renovável até fim do ano

O Banco do Brasil (BB) vai lançar ainda este ano 19 licitações para projetos de geração distribuída de energia renovável a partir das fontes solar, eólica, biomassa e biogás. A contratação tem investimentos estimados em R$ 687 milhões e é parte da estratégia do banco para abater 100% de suas emissões de gases de efeito estufa oriundas do consumo de energia até 2024, a partir da geração renovável ou da compra de certificados.

Desde o ano passado, o BB já compensa todas as emissões geradas pela sua demanda de energia elétrica, mas a maior parte do volume foi neutralizado por meio da compra de certificados de energia renovável internacionais rastreáveis, conhecidos como I-Recs.

Em 2020, ao todo, o BB consumiu 532,8 mil megawatts hora (MWh) em energia elétrica. A compra dos certificados garantiu a neutralização de 33 toneladas de gás carbônico. Os I-Recs foram emitidos por meio da Distribuidora Digital de Energia Matrix, cujos certificados são provenientes do complexo eólico Serra da Babilônia (BA) e Baixa do Feijão (RN).

BB realizou dez licitações para compra de energia renovável, todas vencidas pela fonte solar até o momento...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339452&sid=105

Todas térmicas vão operar no ano que vem, afirma ONS

Todo o parque de geração termelétrica do país, que dispõe de 20 mil megawatts de potência (MW), deverá ser mantido em operação no próximo período chuvoso - oficialmente de novembro até abril - para afastar o risco de racionamento de energia em 2022, ano de eleição presidencial. A estratégia foi definida pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), conforme informou ao Valor  o diretor-geral do órgão, Luiz Carlos Ciocchi.

A decisão do operador, que precisará ser referendada pelo governo, parte da premissa de que as chuvas podem não chegar no tempo e na intensidade esperada. Além disso, a recuperação do nível dos reservatórios das usinas deve demorar num primeiro momento, devido às condições de solo "muito seco" deixado pelo atual crise hídrica.

“Sou uma pessoa muito otimista, mas o ONS tem que trabalhar com cenários bastante ruins. Se tiverem o mesmo cenário ruim de 2020, teremos que manter a geração térmica e os reservatórios com vazão reduzida para garantir que a água chegue”, explicou o diretor-geral...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339448&sid=105

Claro inaugura maior usina de Geração Distribuída do país movida a biogás

A Claro tem agora a maior usina em operação de Geração Distribuída (GD) do Brasil em capacidade instalada de potência. Construída e operada em Nova Iguaçu (RJ) pela RZK Energia, empresa do Grupo Rezek, é movida a biogás e tem autorização para gerar até 4,65 megawatts médios (MWm) de energia, que irão abastecer 2.991 unidades da Claro, entre torres de telefonia, datacenters e outras estruturas operacionais da companhia.

Compacta (700 metros quadrados) e com baixa emissão de ruído, a usina tem central geradora formada por um conjunto de quatro motores, que são interligados ao aterro municipal da cidade por meio de dutos. O aterro recebe diariamente 4.500 toneladas de resíduos de diversos municípios da Baixada Fluminense.

Além de reduzir os custos para o tratamento do lixo, a nova usina vai evitar que gases poluentes sejam despejados na atmosfera. A expectativa é que a operação de queima de biogás pela usina evitará a emissão de mais de 15.000 toneladas de gás carbônico por ano. Isso equivale ao plantio de 122 árvores…

Fonte: Abinee - Tele Síntese

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339431&sid=105

Visando melhorar a gestão de energia da UFSM, CPFL realiza investimento de R$ 6,5 milhões

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e a RGE, distribuidora do grupo CPFL Energia no Rio Grande do Sul, divulgaram a conclusão de três dos cinco empreendimentos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). No total, foi realizado um investimento de R$ 6,5 milhões em inovações que podem melhorar a gestão de energia da UFSM.

O conceito de “Campus Inteligente” foi incorporado em um dos investimentos. O projeto, além de realizar o monitoramento em tempo real do consumo de energia, também controla a iluminação com objetivo de melhorar o uso de usina de geração solar fotovoltaica instalada no campus da universidade em 2018. O empreendimento poderá proporcionar uma economia de R$ 150 mil por ano para o campus.

Outro empreendimento concluído foi uma plataforma de inteligência computacional para a atuação de redes elétricas em tempo real, com maior foco em regiões rurais. Com a tecnologia, é possível identificar e restaurar com maior rapidez os episódios de interrupção, assegurar uma operação mais eficiente e melhorar a qualidade do fornecimento ao consumidor…

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/empresas-de-energia-solar/visando-melhorar-a-gestao-de-energia-da-ufsm-cpfl-realiza-investimento-de-r-65-milhoes.html

Subestação a gás da Usina São Paulo recebe equipe chinesa para inspeção

Os integrantes da equipe chinesa Chint Electric Co, fabricante dos equipamentos do circuito elétrico da subestação a gás (GIS), que está sendo construída na Usina São Paulo, chegaram ao Brasil para o início da montagem das peças que estão sendo utilizadas. Essa é considerada uma das etapas mais críticas do projeto, desde o seu início, em maio de 2020.

Segundo a empresa, os trabalhos continuam em ritmo acelerado, no entanto, foram adotados alguns procedimentos de acesso à sala da GIS durante a montagem para não comprometer os serviços e haver a necessidade de retrabalho. O ambiente precisa estar o tempo todo limpo, com controle de umidade e com a circulação de pessoas restringida. Nos últimos dias, foram entregues diversos equipamentos, como para-raios, seccionadoras, transformadores de corrente e de potência, buchas, estruturas metálicas de sustentação, retificadores, bancos de baterias, entre outros.

Com investimentos na ordem de R$ 40 milhões, a nova subestação de energia da Usina São Paulo deve entrar em funcionamento no próximo semestre oferecendo mais confiabilidade no fornecimento de energia para a usina.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53177352/subestacao-a-gas-da-usina-sao-paulo-recebe-equipe-chinesa-para-inspecao

Lewandowski revê liminar e libera privatização da CEEE, empresa de energia do RS

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), reviu liminar que ele próprio havia concedido para obrigar a CEEE, empresa gaúcha de energia elétrica, a patrocinar contribuições previdenciárias de seus servidores. Na prática, a nova decisão libera em definitivo a desestatização, já que esse era considerado o último empecilho desse processo.

A controladora aprovou neste ano a venda do controle acionário do ativo de transmissão pelo valor mínimo de R$ 1,69 bilhão. Em fato relevante comunicado ao mercado nesta quarta-feira, a CEEE informou que o prazo para entrega das propostas vai até 12 de julho, enquanto a sessão pública do leilão está prevista para o dia 16, exatamente daqui a um mês.

Em abril, Lewandowski havia atendido a um pedido do PDT. O partido alegava que a lei de 2019 que autorizou a privatização da companhia não a desobrigava do patrocínio de planos de previdência complementar, nem condicionava a transferência do pagamento para o orçamento público...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339403&sid=105

MP desperta preocupações sobre planejamento e modernização

O acréscimo no Senado de novos dispositivos à MP da Eletrobras que ampliam o alcance de medidas polêmicas aprovadas na Câmara  suscitou preocupações no setor elétrico em relação ao futuro do planejamento e ao processo de modernização. O projeto de conversão da Medida Provisória 1031 foi aprovado nesta quinta-feira pelos senadores e segue para revisão final dos deputados, em sessão prevista para a próxima segunda-feira, 21 de junho.

O presidente da Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia, Mário Menel, resumiu a impressão negativa com o texto final da MP, ao afirmar que ela representa uma sinalização muito ruim para o setor e uma interferência do Legislativo no papel da Empresa de Pesquisa Energética. “Nós ficamos com uma empresa que tem técnicos, tem inteligência para fazer um planejamento baseado em parâmetros técnicos, e ela foi ‘bypassada’ por uma determinação do Congresso Nacional, sem base em estudos técnicos”, destacou o executivo…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53177447/mp-desperta-preocupacoes-sobre-planejamento-e-modernizacao

Lisarb assina contrato para quatro UFVs com a Raízen no Brasil

A desenvolvedora de projetos fotovoltaicos Lisarb Energy assinou contratos de arrendamento de 20 MW de potência para novos parques solares com a Raízen, prevendo quatro novas plantas solares de 5 MW, duas no Rio de Janeiro, uma em Goiás e outra no Distrito Federal.

A empresa de origem inglesa afirmou que espera concluir e colocar os ativos em funcionamento até março de 2022, por meio de investimentos de US$ 20 milhões e expectativa de criar pelo menos 200 empregos. As novas usinas solares irão gerar 38.700 MWh a cada ano durante os 15 anos de duração dos acordos. A Lisarb já garantiu terrenos para desenvolvimento de 3 GW no Brasil.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53177073/lisarb-assina-contrato-para-quatro-ufvs-com-a-raizen-no-brasil

Mitsubishi Electric e Siemens Energy firmam parceria para zerar emissões

A Mitsubishi Electric, empresa de fabricação, comercialização e venda de equipamentos elétricos e eletrônicos, e a Siemens Energy, empresa de soluções para o setor de Energia, assinaram um Memorando de Entendimento para desenvolverem em conjunto um estudo de viabilidade de soluções de comutação com potencial de aquecimento global zero, substituindo o gás de efeito estufa em sistemas de alta tensão.

O projeto, segundo a empresa, conta com o desenvolvimento de um disjuntor de tanque morto de 245kV que será capaz de acelerar a disponibilidade de soluções de comutação de alta tensão que não prejudiquem o clima. Ambos os parceiros continuarão a fabricar, vender e fazer a manutenção de soluções de interruptores independentemente.

A Mitsubishi Electric e a Siemens Energy desenvolvem soluções de comutação de alta tensão e têm trabalhado no desenvolvimento de soluções sem a utilização do hexafluoreto de enxofre (SF6), considerado o gás de efeito estufa mais potente do mundo, passando a usar como isolante uma mistura pura de nitrogênio e oxigênio, denominada Clean Air, a fim de contribuir para objetivos globais de neutralidade de carbono…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53176909/mitsubishi-electric-e-siemens-energy-firmam-parceria-para-zerar-emissoes

Energia solar: mudança na lei pode deixar conta de luz (ainda) mais cara

No ano em que o preço da energia elétrica deve disparar, tudo que os brasileiros querem é um alívio na conta de luz. Para a maioria da população, as notícias não são boas: a falta de chuvas deixou o reservatórios das usinas hidrelétricas vazios, o que vai exigir o acionamento de outras fontes de geração de energia mais caras. Na pior das hipóteses, pode haver um racionamento.

No entanto, para aproximadamente 500 mil consumidores brasileiros, essa não deve ser uma grande preocupação. Quem produz energia em casa, como em paineis solares, é isento da incidência de impostos ou de encargos (inclusive os das bandeiras tarifárias, que indicam um custo extra quando o preço de geração elétrica sobe).

Em 2012, o governo federal decidiu criar um estímulo para a produção individual de energia, chamada de geração distribuída. À época, os paineis solares (tipo mais comum de estrutura para essa geração) custavam caro, e por isso foi criada uma "contrapartida" para quem fizesse tal investimento…

Fonte: Invest Exame

Leia mais em:

https://invest.exame.com/mf/energia-solar-mudanca-na-lei-pode-deixar-conta-de-luz-ainda-mais-cara