17/12/2021

Leilão para novos linhões de energia atrai investidores

O leilão de linhas de transmissão de energia, segundo de 2021, que será realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) hoje na sede da B3, deve atrair investidores, ter bastante concorrência e forte deságio, além da expectativa de investimento de R$ 2,9 bilhões.

Os cinco lotes no edital ficam nos Estados do Amapá, Bahia, Minas Gerais, Paraná e São Paulo e devem injetar 902 quilômetros em linhas ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e 750 megavolt-ampères (MVA) em capacidade de transformação de subestações.

Os lotes têm chamado a atenção de gigantes do setor. A Isa Cteep tem como estratégia o crescimento em projetos de leilão e está de olho no lote 4, uma subestação de 500 kV Estreito (MG) - Compensações Síncronas.

Outro lote de importância é o 5, no Amapá, que consiste em uma nova subestação para o Estado - chamada Macapá III, que vai se conectar à subestação Macapá - e em uma linha de transmissão de 10 quilômetros. A Hitachi Energy costuma participar dos certames em parceria com investidores para fornecimento de equipamentos e instalações e forneceu transformadores da subestação que incendiou no Amapá. Como já conhece o desafio logístico, está atenta a oportunidades...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=343890&sid=105

Aneel realiza leilão de transmissão de energia nesta sexta com expectativa de forte competição

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza nesta sexta-feira às 15h (horário de Brasília), na sede da B3, leilão de linhas de transmissão de energia, o segundo de 2021. A expectativa é de investimento de 2,9 bilhões de reais.

Os cinco lotes no edital ficam nos Estados do Amapá, Bahia, Minas Gerais, Paraná e São Paulo.

Os empreendimentos somam 902 quilômetros de linhas, além de três subestações de energia com 750 megavolt-ampères (MVA) em capacidade de transformação. Entre as companhias que já declararam intenção de participar da disputa, estão ISA Cteep, Taesa, Alupar, Engie Brasil e Copel. O leilão também pode ser uma oportunidade para elétricas que vêm buscando ampliar sua exposição ao segmento de transmissão, como EDP Brasil e Energisa.

A transmissora Alupar diz ver uma mudança significativa no cenário para o segmento, com turbulências na cadeia de fornecedores –principalmente construtoras — e aumento dos custos das matérias-primas...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/mercados/aneel-realiza-leilao-de-transmissao-de-energia-nesta-sexta-com-expectativa-de-forte-competicao/

Usinas solares flutuantes: estado da arte no mundo e potencial no Brasil

As usinas solares fotovoltaicas flutuantes são uma das tendências crescentes na geração fotovoltaica. Em 2018, a capacidade instalada acumulada de usinas solares flutuantes ultrapassou a marca de 1 GW e analistas projetam um crescimento ainda mais significativo nos próximos anos.

A principal vantagem das usinas solares flutuantes é o fato de não necessitarem de um novo terreno para acomodar os módulos fotovoltaicos, tornando este conceito especialmente atraente para áreas em que a terra é escassa e a área de água está disponível.

Exemplos são ilhas como a Cingapura, país que mais tem investido no desenvolvimento da expertise nesta tecnologia, e países com grandes barragens hidrelétricas como China, Japão ou Coréia. A presença de infraestrutura elétrica em barragens e a possibilidade de injetar energia in-situ na rede diretamente é vista como especialmente atraente.

Os defensores da tecnologia costumam citar uma série de benefícios adicionais, incluindo a redução de perdas por evaporação pela cobertura da água com módulos fotovoltaicos e a melhora da qualidade da água pela redução do crescimento excessivo de algas...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/opiniao/opiniao-tecnologia/usinas-solares-flutuantes-estado-da-arte-no-mundo-e-potencial-no-brasil

GWEC apresenta diretora do programa para mulheres na indústria eólica

O Conselho Global de Energia Eólica (GWEC) anunciou Jeanette Gitobu como diretora do Programa de Liderança Global Women in Wind da associação, que objetiva estimular a inserção de mulheres na indústria e no mercado de energia eólica. Gitobu é premiada praticante de energia renovável e ex-integrante do mesmo programa, tendo trabalhado anteriormente como desenvolvedora de projetos na Windlab.

Morando atualmente em Nairobi, no Quênia, Jeanette foi reconhecida por seu trabalho pelo Ministério de Energia do país como uma líder no setor de energia por meio do avanço de sua carreira e resultados que trouxeram mudanças em seu espaço e na sociedade. Foi premiada pelo Instituto de Energia Jovem como Profissional de Energia do Ano de 2021, além do Prêmio de Realização Feminina da McKinsey em 2020.

No cenário de questões globais que exigem uma liderança forte e uma força de trabalho qualificada, ela afirmou que poucas áreas são tão críticas quanto a transição para um sistema de energia sustentável. O CEO da GWEC, Ben Backwell, disse que à medida que a Women in Wind entra em seu quarto ano de operação, a nomeação de Jeanette como diretora marca uma mudança para uma nova fase do programa…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53196993/gwec-apresenta-diretora-do-programa-para-mulheres-na-industria-eolica

Câmara aprova PL 5829 e texto segue para sanção do presidente

O Marco Legal da GD (Geração Distribuída), proposta apresentada pelo relator do PL 5829 (Projeto de Lei n.º 5829/2019), foi aprovado na Câmara dos Deputados nesta quinta-feira (16).

O texto agora segue para sanção do presidente da República – ele terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar o texto, parcial ou integralmente.

A votação, em turno único, foi unânime, segundo o relator da proposta, o deputado Lafayette de Andrada (Republicanos/MG). “Eu saio muito satisfeito com essa aprovação por unanimidade”, celebrou o parlamentar logo após a votação.

De autoria do deputado Silas Câmara (Republicanos/AM), o texto visa a criação do Marco Legal da GD (geração distribuída) no Brasil, atribuindo à ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) a responsabilidade de considerar atributos técnicos, ambientais e sociais no cálculo de compensação da energia…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/camara-aprova-pl-5829-e-texto-segue-para-sancao-do-presidente/

Cemig inicia construção de SE em Uberaba

A Cemig deu início à construção de uma nova subestação em Uberaba. As obras foram iniciadas este mês e têm como objetivo aumentar a disponibilidade de energia para atender os atuais e novos clientes de Uberaba e dar mais segurança operativa ao sistema elétrico da região.

Segundo a distribuidora, a SE Uberaba 7 está recebendo R$ 21,2 milhões em investimentos e tem previsão de conclusão no final do próximo ano. A instalação prevê estrutura modular híbrida, com duas entradas de linha de distribuição em 138 kV, 14 saídas de alimentadores em média tensão e 50 MVA (mega-volt-ampere) de capacidade de fornecimento, disponibilizando energia suficiente para atender cerca de 50 mil residências.

Além dessa obra, o empreendimento prevê a construção de trechos de linhas de distribuição para interligar a nova instalação ao sistema elétrico. Já a subestação Uberaba 3, localizada no Distrito Industrial 1, está recebendo adequações em seu sistema de proteção e motorização de chaves, entre outras melhorias.

A instalação da SE Uberaba 7, de acordo com a Cemig, garantirá o fornecimento adequado de energia elétrica para cerca de 150 mil consumidores no município de Uberaba e região, beneficiando aproximadamente 340 mil pessoas com a melhoria na qualidade do fornecimento e aumento da oferta do serviço de eletricidade na região.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53196962/cemig-inicia-construcao-de-se-em-uberaba

EDP tem novo diretor vice-presidente para distribuição

A EDP informou ao mercado que, em reunião do Conselho de Administração da companhia, realizada em 06 de dezembro de 2021, foi aprovada a eleição de Luiz Otavio Assis Henriques para o cargo de Diretor Vice-Presidente de Distribuição, com efeitos a partir de 01 de janeiro de 2022, em acumulação ao seu atual cargo de Diretor Vice-Presidente de Geração, Transmissão e Trading, e em substituição a João Manuel Brito Martins, que assumirá novas funções no Grupo EDP, em Portugal.

No comunicado, a EDP Brasil agradece a João Manuel Brito Martins pela contribuição, profissionalismo e dedicação dispensados à companhia desde 2011, exercendo os cargos de Diretor de Sustentabilidade, Inovação e Estratégia; Diretor de Distribuição e Comercial na EDP Espirito Santo e, recentemente, como Diretor Presidente da EDP São Paulo e da EDP Espiríto Santo.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53196980/edp-tem-novo-diretor-vice-presidente-para-distribuicao

5G cria oportunidades no setor elétrico

A chegada da rede 5G ao Brasil em 2022 abre um novo leque de oportunidades para o setor elétrico no país, apontam especialistas. O 5G vai permitir conexões mais rápidas e um tráfego maior de dados, possibilitando, assim, o surgimento de serviços que exigem aplicações em tempo real e de tempo de resposta quase imediato.

Uma das tendências no setor de energia com a chegada do 5G é o maior estímulo à adoção das redes inteligentes (“smart grids”), que permitem a medição à distância dos dados de consumo. As “smart grids” aplicam recursos digitais e de tecnologia da informação no sistema de distribuição de energia. Com isso, será possível monitorar em tempo real o consumo e identificar problemas na rede, além de acionar dispositivos para evitar desligamentos.

“O 5G vai possibilitar o tráfego de um número maior de dados. A maior velocidade e segurança possibilita a adoção dessas redes virtuais, sem exigir grandes investimentos em infraestrutura por parte da indústria”, explica o gerente da companhia de engenheira e tecnologia CAS Tecnologia, Octavio Brasil...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=343871&sid=105

ONS descarta racionamento e apagão em 2022

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) afastou as chances de racionamento de energia e de um apagão em 2022, dentro do atual cenário hidrológico do país, disse ontem o diretor-geral da entidade, Luiz Carlos Ciocchi. Segundo ele, com a melhora do regime de chuvas a expectativa é que o despacho termelétrico caia em dezembro, embora ainda se mantenha em patamares elevados.

“Risco [de racionamento] sempre existe, é parte intrínseca do negócio, mas se estivermos falando da questão do efeito hidrológico, no cenário que temos hoje não vemos nenhuma possibilidade com relação a um racionamento ou apagão causado por questões hídricas [em 2022].”

No horizonte até maio de 2022, a previsão do ONS é que o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, por exemplo, alcance 58% de armazenamento nos reservatórios - ante os 20% registrados no final de novembro…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=343872&sid=105

Indicadores de performance do ONS são aprovados pela Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou os indicadores e as metas de desempenho do Programa de Performance Organizacional do Operador Nacional do Sistema Elétrico para o período de janeiro de 2022 a dezembro de 2023. A resolução da Aneel estabeleceu 12 indicadores a serem cumpridos nos próximos dois anos, em vez dos 15 apurados até agora.

O programa de desempenho envolve o pagamento de bonificação aos funcionários do ONS, sendo 50% do valor pelo cumprimento de metas de eficiência operacional definidas pela Aneel e 50% pela própria organização.

Estudos relacionados à criação de um indicador de Gestão Orçamentária para medir a eficiência e a eficácia da gestão econômico-financeira do ONS serão realizados pelas superintendências de Fiscalização Econômica e Financeira e de Regulação dos Serviços de Geração da agência. O resultado do trabalho será apresentado no ciclo 2024/2025.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53196865/indicadores-de-performance-do-ons-sao-aprovados-pela-aneel

Norma regulamenta política de cibersegurança de empresas do setor

Após dois anos de discussão, a Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou a regulamentação sobre a política de segurança cibernética a ser adotada pelos agentes do setor. A resolução traz as diretrizes gerais e o conteúdo mínimo para as políticas das empresas, baseados nas experiências e nas boas práticas do setor, que tem sido alvo cada vez mais frequente de ataques virtuais.

De acordo com a Aneel, grande parte das companhias do setor elétrico já cumpre as disposições da norma, que busca reduzir o risco da ocorrência de incidentes envolvendo sistemas e infraestruturas críticas.

A norma considera a necessidade de implementação de políticas de segurança compatíveis com o porte da empresa e a obrigatoriedade de comunicação pelas companhias de situações de crise em segurança cibernética, assim como de compartilhamento entre os agentes e o órgão regulador de ocorrências relevantes.

Também trata de procedimentos relacionados à gestão da segurança, como, por exemplo, a segmentação de redes de operação da rede de TI e da Internet, ações de resposta rápida para contenção de incidentes, avaliação e tratamento de riscos…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53196782/norma-regulamenta-politica-de-ciberseguranca-de-empresas-do-setor

ANEEL, MME e CCEE realizam primeiro Leilão de Reserva de Capacidade na terça (21), às 10h

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), promovem na próxima terça-feira (21/12) o primeiro leilão para contratação de reserva de capacidade do País. Participarão do certame empreendimentos de geração novos e existentes, em um total de 132 projetos cadastrados, que somam 50.691 megawatts (MW) de potência.

Está prevista também a contratação de energia elétrica na modalidade quantidade, associada à geração das usinas termelétricas que se sagrarem vencedoras nas negociações do produto capacidade, desde que respeitem o limite de inflexibilidade anual de até 30%.

A definição de diretrizes para o processo está fundamentada na Portaria Normativa nº 20/GM/MME, de 16 de agosto de 2021, com base nas alterações no marco legal promovidas pela Lei 14.120, de 1º de março de 2021, bem como do Decreto nº 10.707, de 28 de maio de 2021, que regulamentou a contratação de reserva de capacidade na forma de potência.

O público poderá acompanhar a situação dos lotes pelo site www.ccee.org.br. Mais informações sobre o certame podem ser consultadas em: bit.ly/3oB1v9i.

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://bit.ly/3pZjhDL