17/09/2021

Landis+Gyr Investe R$ 3 milhões em P&D para duplicar capacidade de testes em redes

A Landis+Gyr investiu R$ 3 milhões em sua área de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no Brasil, com o objetivo de duplicar sua capacidade de ensaios EMC (compatibilidade eletromagnética) em seus equipamentos e dispositivos.

Segundo a empresa, o objetivo é trazer novos produtos e soluções para o mercado de energia, incluindo a integração de medidores inteligentes e dispositivos de inteligência distribuída em redes AMI (infraestrutura de medição avançada) e IoT existentes.

Em nota, o vice-presidente e Country Manager para a América do Sul da Landis+Gyr, Oscar Villalobos, afirmou que o investimento vai gerar oportunidades no mercado de distribuição de energia elétrica no país e na América do Sul.

“Ao aprimorar nossas capacidades, esse investimento trará grandes benefícios para nossos clientes, que cada vez mais podem contar com a Landis+Gyr como parceira para a evolução de seus negócios em AMI, através de soluções robustas, confiáveis e seguras”.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53187340/landisgyr-investe-r-3-milhoes-em-pd-para-duplicar-capacidade-de-testes-em-redes

Siemens Energy conecta países com energia sem fronteiras

Ernest Nkusi tem esse tipo de energia. Ele é o mentor de um dos projetos que estão criando um mundo melhor para as gerações futuras: o Nemo Link da Siemens Energy. Este empreendimento inovador está interligando as redes de energia elétrica do Reino Unido e da Bélgica.

O ambicioso projeto Nemo Link é o orgulho e a alegria de Nkusi. Fornecer eletricidade confiável e segura à todas as pessoas é a sua missão de vida, algo muito desafiador no atual cenário. De acordo com as estatísticas mais recentes do Banco Mundial, cerca de 940 milhões de pessoas não têm acesso à eletricidade, o que corresponde a 13% da população mundial.

Com a ajuda de uma equipe de profissionais de referência, o time da Siemens Energy concretizou o que antes era um sonho: fazer a energia circular bidirecionalmente entre dois países – neste caso, o Reino Unido e a Bélgica – o que abriu as portas para uma distribuição mais eficiente de energia, além de garantir um fornecimento altamente confiável a preços melhores em dois dos países mais demandantes de eletricidade da Europa...

Fonte: CNN Brasil

Leia mais em:

https://www.cnnbrasil.com.br/branded-content/nacional/siemens-energy-conecta-paises-com-energia-sem-fronteiras/

Alta busca por kits causa temor de desabastecimento

Diante do risco de apagões ou racionamento de energia, bem como os recorrentes reajustes na conta de luz – em função da crise hídrica – cresceu o número de brasileiros que estão procurando reduzir os gastos com eletricidade por meio da fonte solar.

Portanto, em meio a essa alta de consumidores que estão apostando em fontes sustentáveis, empresas integradoras estão registrando aumento na procura por kits fotovoltaicos e relatando riscos por um possível desabastecimento.

Como é o caso da Renew Energia. De acordo com Eduardo Nicol, CEO da companhia, houve um aumento de cerca de 20% na quantidade de leads chegando por diversos canais de venda.

“Além disso, notou-se um crescimento ainda maior em clientes que nos procuraram no passado, que não fecharam o negócio, e agora estão retornando para novo orçamento”, disse Nicol. “A pressa pelo fechamento também cresceu entre as propostas que temos na rua”, completou...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/alta-busca-por-kits-causa-temor-de-desabastecimento/

ANEEL confirma energia solar como prioridade para o próximo biênio

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) promoveu, na manhã desta quinta-feira (16), um webinário com o objetivo de esclarecer mais informações a respeito da Agenda Regulatória da entidade para o biênio de 2022 e 2023.

Ao ser questionado pela reportagem do Canal Solar, Rodrigo Fernandes Braga Coelho, chefe de gabinete do diretor-geral da Agência, afirmou que o estudo de valoração dos atributos da GD (Geração Distribuída) solar será priorizado e levado em consideração.

“A Agência vai tratar da questão da geração distribuída e da regulamentação dos itens remanescentes daquilo que não foi possivelmente tratado no projeto de lei (PL 5829), que foi aprovado na Câmara (dos Deputados), e agora está indo para o Senado”, disse.

Coelho ressaltou, contudo, que a Agência aguarda a aprovação da proposta no Congresso Nacional e a sanção presidencial para “imediatamente regulamentar os pontos tratados em lei e aqueles que não foram tratados, mas que cabem somente à agência reguladora”, frisou…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/aneel-confirma-energia-solar-como-prioridade-para-o-proximo-bienio/

Absolar acredita que energia solar fotovoltaica seria a melhor opção para encarar crise hídrica

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) considera que a atual crise hídrica que o país está enfrentando corrobora o papel da energia solar como alternativa para fortalecer e diversificar o abastecimento de energia elétrica.

Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da Absolar, defende que o governo deveria incentivar a energia solar. “O Governo Federal deveria incentivar a energia solar fotovoltaica a pedir à população para economizar energia elétrica”, afirma Koloszuk.

“As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos atualmente, duas das principais responsáveis pelo aumento tarifário sobre os consumidores”, completa...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-solar/absolar-acredita-que-energia-solar-fotovoltaica-seria-a-melhor-opcao-para-encarar-crise-hidrica.html

Evento de clima e energia reúne grandes especialistas do setor

As condições de tempo e clima influenciam diretamente o setor de energia, desde os processos de planejamento de geração, até a operação e manutenção de hidrelétricas, complexos eólicos e solares, distribuidoras e transmissoras de energia. Isso porque no Brasil e na maior parte do mundo os ativos que compõem o setor elétrico estão expostos às interferências de tempo e clima, além de ter o vento, água e sol como um dos grandes aliados na geração de energia.

Nesse contexto as mudanças climáticas, podem impactar no comportamento das variáveis meteorológicas e consequentemente no planejamento e operação do setor elétrico nacional.

"Os diversos extremos climáticos ocorridos em todo o mundo mostram a importância da resiliência climática ser considerada nas decisões do planejamento, comercialização e operação do setor. O risco climático deixou de ser exceção e passou a ser regra. É fundamental incorpora-lo nas decisões de investimento e gestão de riscos", comenta Luiz Barroso, Presidente da PSR...

Fonte: Terra

Leia mais em:

https://www.terra.com.br/noticias/climatempo/evento-de-clima-e-energia-reune-grandes-especialistas-do-setor,19c1b48fd1837c5df4042fd6bddc5880md6878db.html

Enel Rio investe R$ 36 milhões em subestação e LT em Casimiro de Abreu

A Enel Rio anunciou na última quarta-feira, 15 de setembro, a retomada das obras da Subestação Casimiro e de uma linha de transmissão que alimentará a unidade. A solenidade contou com a presença do Governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, do prefeito da cidade, Ramon Gidalte, do Diretor-Geral da Aneel, André Pepitone, da Presidente da Enel Rio, Anna Paula Pacheco e do Diretor de Infraestrutura e Redes da Enel Brasil, Gino Celentano. A companhia irá investir cerca de R$ 36 milhões nestas obras.

Localizada próximo ao Parque de Exposições Henrique Baptista Sarzedas, a nova SE terá capacidade Instalada de 16 MVA e, além de abastecer cerca de 18 mil clientes, atenderá à crescente demanda por energia na região, contribuindo para aumentar a confiabilidade do sistema e vai melhorar o fornecimento em Casimiro de Abreu e nas cidades vizinhas, como Barra do Sana e Rocha Leão.

Nesta etapa de trabalho, serão construídas a casa de comando, as estruturas de concreto e as bases para equipamentos. Também será realizada a instalação de um transformador com capacidade de 16 MVA, a montagem do barramento e todo o cabeamento necessário para a operação da unidade. A construção da linha de transmissão que alimentará a subestação está prevista para ser iniciada ainda em dezembro deste ano...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53187173/enel-rio-investe-r-36-milhoes-em-subestacao-e-lt-em-casimiro-de-abreu

Segunda maior termelétrica do Brasil entra em operação comercial no RJ

A partir desta quinta-feira, 16 de setembro, a termelétrica UTE GNA I inicia operação comercial. O despacho foi assinado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizando a operação da usina, que será a segunda maior térmica em operação no Brasil com capacidade instalada de 1.338,30 megawatts (MW).

O empreendimento GNA – Gás Natural Açu é uma joint venture formada pela Prumo Logística, BP, SPIC Brasil e Siemens. A usina de ciclo combinado movido a Gás Natural Liquefeito (GNL) está localizada no Porto do Açu, no município de São João da Barra, no Rio de Janeiro, e deve contribuir para a garantia do atendimento de energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Na última reunião da diretoria da Aneel, que ocorre todas às terças-feiras, o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, comentou o fato.

“Uma usina de grande porte (…) na região sudeste do Brasil, justamente aquela que tem os reservatórios das usinas hidrelétricas castigados com a longa estiagem. Então um grande bloco de geração vem se somar a todo esforço que está sendo feito para enfrentar esse período de escassez hídrica”, disse...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53187250/segunda-maior-termeletrica-do-brasil-entra-em-operacao-comercial-no-rj

Risco de apagão é imenso, avalia diretor do Instituto Escolhas

A crise hídrica não era esperada ou não tinha como ser prevista? Foi com essa provocação e afirmando que o risco de apagão nesse ano e em 2022 é “imenso” que o diretor executivo do Instituto Escolhas, Sergio Leitão, iniciou sua apresentação no segundo Warm Up do Enase 2021, na manhã desta quarta-feira, 15 de setembro.

Sem negar que o país já vive um racionamento de energia, Leitão demonstrou preocupação com a lentidão do governo em agir e lançar as medidas de conscientização e contenção do consumo nos diferentes segmentos da economia, numa crise que já se avizinha desde 2012 com a diminuição dos níveis dos reservatórios e com o ápice acontecendo em 2014.

Segundo Leitão, o setor precisa aprender a não ter uma rotina de tensões vide os três casos nos últimos 21 anos, entendendo o que aconteceu para sair de uma gestão de crise e passar para uma gestão de risco, avaliando permanentemente a operação e o planejamento do setor elétrico brasileiro...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53187175/risco-de-apagao-e-imenso-avalia-diretor-do-instituto-escolhas