top of page

17/05/2024

Crise na indústria eólica brasileira impulsiona busca por mercado americano

A crise da indústria de energia eólica brasileira, que persiste desde meados de 2022, está fazendo com que os fabricantes nacionais de equipamentos comecem a olhar o mercado dos Estados Unidos como uma possibilidade de retomar os lucros.
Com dificuldades de fechar novos contratos nos últimos dois anos, o Brasil viu um desmonte em sua cadeia de suprimentos com empresas anunciando paralisação ou hibernação de suas linhas de produção, demissões e até a saída do mercado brasileiro.
Por outro lado, os benefícios oferecidos pelo Inflation Reduction Act (IRA), pacote verde do governo de Joe Biden que garante investimentos na agenda climática voltada a atrair recursos para energia limpa, têm chamado a atenção das companhias. O Valor noticiou com exclusividade que a multinacional catarinense WEG produzirá turbinas eólicas em território americano motivada pelo IRA…

Fonte: Abinee – Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=361094&sid=105

Delta Energia capta R$ 250 mi para 20 usinas fotovoltaicas de GD compartilhada

O Grupo Delta Energia divulgou nesta sexta (17/5) a captação de R$ 250 milhões com a estruturação de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) de geração distribuída para construir 20 usinas solares nos estados de SP, RJ, MS e DF.
A estruturação dos CRIs foi coordenada pelo Banco Modal, da XP Inc., e pela One Corporate e é considerada a maior de GD do Brasil.
A operação teve uma demanda total, durante todo o período de captação, de R$ 737 milhões, quase quatro vezes à oferta inicial. Os investidores institucionais representaram 66% das ordens no processo de bookbuilding.
Fabio Fukuda, responsável pela operação na XP, explica que o impacto nas taxas foi significativo, chegando a uma redução de até 1,2% a.a.
O papel tem a duração de até 8 anos e poderá ser negociado no mercado secundário. Os recursos do financiamento serão destinados à construção de 20 usinas solares fotovoltaicas voltadas à micro e minigeração distribuída (MMGD)...

Fonte: Epbr

Leia mais em:

https://epbr.com.br/delta-energia-capta-r-250-mi-para-20-usinas-fotovoltaicas-de-gd-compartilhada/

Aneel cria comissão para serviços terceirizados

A Aneel aprovou a criação da Comissão Permanente de Acompanhamento da Terceirização (CPAT) dos serviços continuados de mão de obra. O objetivo do órgão será analisar, compartilhar, deliberar e divulgar informações e dados relativos ao assunto, mantendo-se alinhado ao planejamento estratégico para subsidiar o processo decisório da diretoria colegiada da Agência.
A comissão será integrada por servidores e lideranças da Assessoria de Gestão Institucional, Chefia de Gabinete do Diretor-Geral, Secretaria Geral, Superintendência de Gestão Administrativa, Financeira e de Contratações, Superintendência de Gestão de Pessoas e Superintendência de Gestão Técnica da Informação.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53279181/aneel-cria-comissao-para-servicos-terceirizados

Auren compra AES Brasil; negócio cria 3ª maior geradora de energia do País

A Auren Energia, empresa controlada pelo grupo Votorantim e pelo fundo canadense CCP Investments, anunciou ontem a aquisição da geradora AES Brasil, após dois meses de negociações. Com o aquisição, a companhia se torna a terceira maior geradora de energia do País, com 8,8 gigawatts de capacidade, e se consolida como a maior comercializadora.
A receita líquida das empresas combinadas será de cerca de R$ 9,6 bilhões (com base nos balanços de 2023), um aumento de 55% sobre o faturamento anual da Auren, informou a geradora em comunicado. O Ebitda (sigla em inglês para lucro operacional, antes do pagamento de juros, impostos, depreciações e amortizações) passará de R$ 1,8 bilhão para R$ 3,5 bilhões.
De acordo com o comunicado, os acionistas da AES Brasil “terão três opções para a conclusão da transação: a conversão quase total de suas ações em papéis da empresa combinada, a conversão de suas ações em caixa e uma opção intermediária”.
A relação de troca ficou estabelecida em 0,762 ação da AES Brasil para cada ação da Auren...

Fonte: Abinee – O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=361065&sid=105

Exclusivo: Itaipu vai gastar R$ 1,9 bi para bancar reforma de linha de transmissão da Eletrobras

A hidrelétrica de Itaipu Binacional vai anunciar, nos próximos dias, que investirá R$ 1,9 bilhão para fazer a modernização da linha de transmissão de corrente contínua (HVDC, na sigla em inglês) sob responsabilidade de Furnas, subsidiária da Eletrobras, por meio de um convênio de cooperação técnica e financeira, apurou o Valor.
O sistema de transmissão começou a operar em 1984 exclusivamente para escoar a energia de Itaipu até os centros consumidores e é fundamental para a segurança energética do Brasil. O empreendimento é formado por duas linhas de 600 quilovolts (kV), com extensão de aproximadamente 810 quilômetros, entre as subestações deFoz do Iguaçu (PR) e Ibiúna (SP).
O ofício do Ministério de Minas e Energia (MME), a qual o Valor teve acesso, mostra que isso é uma determinação do Plano de outorgas de transmissão de energia elétrica (Potee) e apontou a necessidade de modernização e revitalização de uma série de equipamentos, já que o empreendimento ultrapassou a vida útil...

Fonte: Abinee – Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=361064&sid=105

Isa Cteep conclui modernização da linha de transmissão de Bauru – Bariri

A Isa Cteep concluiu a modernização da linha de transmissão de 138 kV entre Bauru e Bariri, no estado de São Paulo. Com o investimento Aneel de R$ 42,5 milhões, a obra de reforço teve sete torres de transmissão substituídas e 37,8 quilômetros de cabos condutores foram instalados.
De acordo com a companhia, a renovação – que atendeu uma demanda por ampliação do escoamento das usinas hidrelétricas do médio Tietê e de biomassa – permitiu elevar a confiabilidade do sistema e aumentar o atendimento local de energia por parte da indústria, incluindo a ceramista, com a finalidade de ampliar a produção de suas fábricas, contribuindo, significativamente, para o desenvolvimento econômico da região.
No projeto, os cabos condutores foram substituídos por um modelo termorresistente, com núcleo de fibra de carbono em vez de alumínio, o que possibilitou a instalação alcançar 206 MVA de capacidade de transmissão e escoamento de energia em uma das principais regiões de Bauru...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53279080/isa-cteep-conclui-modernizacao-da-linha-de-transmissao-de-bauru-bariri

UHE Sinop renova Licença de Operação pelos próximos 5 anos

A Sinop Energia obteve da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Mato Grosso (SEMA-MT) a renovação da licença de operação da Usina Hidrelétrica (UHE) Sinop para os próximos cinco anos. O pedido para continuidade das atividades da UHE foi subsidiado por relatórios técnicos de acompanhamento de todos os programas ambientais, atendimento às condicionantes legais e realização de um workshop com os técnicos da SEMA-MT.
A Sinop Energia destacou estar feliz com a renovação da licença e em seguir gerando energia, contribuindo para o sistema interligado nacional e gerando diversos benefícios para o país. De acordo com a Lei Complementar nº 592/2017, Art. 31, § 5º, a renovação da licença ambiental deve ser requerida com antecedência mínima de 120 dias antes da expiração de seu prazo de validade, fixado na respectiva licença, sendo automaticamente prorrogado até a manifestação definitiva do setor técnico competente da SEMA-MT...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53279046/uhe-sinop-renova-licenca-de-operacao-pelos-proximos-5-anos

Aneel confirma resultado do primeiro leilão de LTs de 2024

A diretoria da Aneel homologou o resultado do primeiro leilão de transmissão de 2024, confirmando a habilitação das vencedoras dos 15 lotes de empreendimentos ofertados. O certame realizado em 28 de março, em São Paulo, teve deságio médio de 40,78% em relação à receita máxima permitida.
Foram contratados empreendimentos nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins, com investimentos previstos de R$ 18,2 bilhões. Os projetos somam 6.464 km de linhas de transmissão e subestações com capacidade de transformação de 9.200 MVA.
Confira as vencedoras do leilão:
•    Eletronorte – Lotes 1,3,5 e 9EDP 
•    Energias do Brasil S.A.– Lotes 2 e 3
•    FIP Development Fund Warehouse – Lotes 4,6 e 14
•    EDP Trading Comercialização e Serviços de Energia S.A – Lote 7
•    Brasiluz Eletrificação e Eletrônica Ltda. – Lote 8
•    Cox Brasil S.A. – Lote 10
•    Consórcio Paraná IV (Mega Energy Participações Ltda. , com 8,5%; Enermais Energia Ltda., com 8,5%; Interalli Holding e Participações Ltda. com 80% e AMG Participações em Energia Ltda., com 3% ) – Lote 11
•    Energisa Transmissão de Energia S.A. – Lote 12
•    Consórcio Olympus XVII ( Alupar Investimento S.A., com 99,9998% e Infra II Investment S.A.com 0,0002%) – Lote 15

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53279058/aneel-confirma-resultado-do-primeiro-leilao-de-lts-de-2024

Otimização de centro de operação trará economia de 40% para Furnas

A Eletrobras inaugurou o novo Centro de Operação Rio de Furnas, que integra, na Subestação de Jacarepaguá, as atividades de teleassistência e telecomando de instalações de geração e transmissão situadas em São Paulo, Rio de Janeiro e regiões do Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo. Com a readequação, o Centro de Operação São Paulo, que funcionava na Subestação Campinas, teve suas atividades encerradas.
Até meados do ano passado, a subsidiária contava com cinco centros do tipo, consolidados agora em apenas dois. Além do CO Rio, a empresa conta com o CO Minas. A expectativa é que a reconfiguração represente economia anual de até 40% nos custos gerais em comparação à antiga estrutura. Em junho, o projeto completará a sua última fase ao direcionar as atividades do Centro de Operação do Sistema, localizado na SE Grajaú (RJ), também para os centros mencionados acima...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53279057/otimizacao-de-centro-de-operacao-trara-economia-de-40-para-furnas

Aeris Energy pretende focar nos mercados americano e europeu

A Aeris Energy vê o mercado americano e europeu como uma oportunidade para os próximos cinco anos. Segundo o CEO da companhia, Alexandre Negrão, em 2023, os dois mercados foram responsáveis por 23 GW de capacidade instalada de geração eólica e esse mercado vai atingir os 50 GW em até cinco anos. “Nós vamos ter uma grande demanda de energia eólica nos próximos anos e vai haver uma restrição contra o maquinário chinês devido a barreiras tarifárias. E diante deste cenário, nós vamos ter uma oportunidade de exportação muito forte tanto para a América do Norte quanto para a Europa “, disse.
Em teleconferência realizada com investidores nesta quarta-feira, 15 de maio, o executivo afirmou que a companhia está preparada para capturar essa demanda. “Já temos conversas com clientes atuais e novos para exportação para esses países. Estamos também estudando a possibilidade de produção local nos Estados Unidos, pois como todos sabem existe um benefício enorme para a produção local de pás por lá, só que na prática hoje eu tenho espaço dentro da Aeris para fabricar essa pá aqui”, explicou. Ele afirmou que vão priorizar primeiro a exportação e aquilo que não conseguirem capturar como exportação vão estudar uma possível entrada no mercado americano e europeu, que são estratégicos para a Aeris nos próximos cinco anos...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53278988/aeris-energy-pretende-focar-no-mercado-americano-e-europeu

Entidades do setor de energias renováveis criam associação nacional

Nesta quarta-feira (15), conforme anunciado no evento Canal Conecta, aconteceu, em Recife (PE), a fundação da ANER (Associação Nacional das Entidades Representativas de Energias Renováveis).
A instituição objetiva fortalecer os movimentos estaduais do setor e criar um modelo de gestão, planejamento e crescimento baseado em trabalho de médio a longo prazo.
A Associação reunirá órgãos representativos da matriz energética brasileira, lideranças do poder público dos estados de Pernambuco, Maranhão, Amazonas, Alagoas, Amapá, Bahia, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte, além de instituições bancárias, distribuidoras de energia limpa, economistas e outros atores do segmento.
A ANER nasce com a participação de 800 empresários que continuam participando das associações de seus estados. 
Rudinei Miranda, presidente da recém criada instituição, propôs a união das entidades para o desenvolvimento de agenda conjunta para impulsionar o desenvolvimento de negócios e fortalecer o mercado, por meio de respaldo jurídico, político e social...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/entidades-energias-renovaveis-associacao-nacional/

bottom of page