16/09/2020

Solatio Energia Livre anuncia investimento de mais de R$ 1 bilhão em energia solar distribuída

A espanhola Solatio Energia Livre anunciou um investimento de R$ 1 bilhão em energia solar distribuída em Minas Gerais até 2023. Serão construídos até 100 parques de 5 megawatts (MW) de potência cada, visando ao atendimento a residências e pequenos estabelecimentos comerciais mineiros.

O CEO da empresa, Walter Fróes, destaca que pelo menos R$ 150 milhões já foram investidos no segmento, desde o ano passado, para a implementação de seis usinas que já se encontram em operação. Dentre os principais projetos em andamento que irão injetar energia limpa e mais barata para consumidores de praticamente todo o estado de Minas Gerais estão as usinas de Uberlândia, São Sebastião do Paraíso, Patos de Minas, Três Corações, Varginha...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/solatio-energia-livre-anuncia-investimento-de-mais-de-r-1-bilhao-em-energia-solar-distribuida.html

Revisão da NBR 5410 abrangerá instalações em vias públicas

Quando se fala de eletricidade, o primordial é a segurança. Por isso existe uma série de normas e recomendações oferecidas para os profissionais desta área. Entre elas, em especial, existe a NBR 5410, que estipula as condições adequadas para o funcionamento usual e seguro das instalações elétricas de baixa tensão, ou seja, até 1.000 V em tensão alternada e 1.500 V em tensão contínua. 

A NBR 5410, que é aplicada principalmente em instalações prediais e residenciais, está passando por um processo de revisão. Segundo o engenheiro eletricista Paulo Barreto, da Barreto Engenharia, uma das mudanças do novo texto proposto será na parte de seleção de condutores...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/978-revisao-da-nbr-5410-abrangera-instalacoes-em-vias-publicas

Abradee calcula impacto econômico de até R$ 6 bi com pandemia

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica calcula entre R$ 5 bilhões e R$ 6 bilhões o desequilíbrio econômico provocado pela pandemia nas empresas. O atendimento a essa reivindicação pela Agência Nacional de Energia Elétrica representa, no entanto, um impacto tarifário médio calculado pelas próprias distribuidoras entre 2,5% e 3%, no momento em que a Aneel tem procurado restringir aumentos de tarifa.

As empresas querem incluir na avaliação dos pedidos de reequilíbrio contratual as perdas da Parcela B, o aumento da parcela das receitas irrecuperáveis provocado pela limitação dos mecanismos de controle da inadimplência durante o estado de calamidade pública e a sobrecontratação de energia. O presidente da Abradee, Marcos Madureira, calcula que esses três fatores respondam cada um por um terço do impacto econômico da crise sanitária...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53147433/abradee-calcula-impacto-economico-de-ate-r-6-bi-com-pandemia

Solarian fecha contrato para mais três usinas no interior de SP

A Solarian Energy assinou na última segunda-feira (14) mais três contratos para construção de parques fotovoltaicos no interior de São Paulo. As usinas abastecerão 220 farmácias instaladas nas áreas de concessão da CPFL Paulista e da Elektro, totalizando 10,4 MW de potência nas cidades de Andradina, Guarantã e Pirangi, informa o CEO da empresa, Edgard Franco.

Os empreendimentos irão demandar R$ 38 milhões em investimentos, a serem realizados em parceria com um fundo estrangeiro, com a estimativa de aumentar a capacidade de geração da companhia em 65%, agregando mais 21.454 MWh anuais ao seu portfólio, que está com outras três implementações de UFVs em andamento. A conclusão das obras é prevista para o início de 2021.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53147228/solarian-fecha-contrato-para-mais-tres-usinas-no-interior-de-sp

Engie fará leilões para comprar energia renovável em contratos de longo prazo

Engie Brasil Energia (EGIE3) vai realizar dois leilões eletrônicos para a compra em contratos de longo prazo da produção futura de usinas de geração renovável, como parques eólicos e solares, informou a companhia nesta terça-feira.

Os certames, agendados para 13 e 15 de outubro, acompanham nova tendência no mercado de energia do Brasil, com empresas como as estatais Cemig (CEMIG4) e Copel (CPLE3) passando a realizar mais recentemente concorrências privadas para adquirir energia de usinas a serem construídas por terceiros.

A empresa do grupo francês Engie, que é líder entre agentes privados de geração no Brasil, não informou quanto pretende contratar em energia nas licitações, que selarão contratos de fornecimento de 15 anos e de 5 anos...

Fonte: Money Times

Leia mais em:

https://www.moneytimes.com.br/engie-fara-leiloes-para-comprar-energia-renovavel-em-contratos-de-longo-prazo/

Créditos tributários podem reduzir tarifa de energia 10,53 p.p. em 2021

Os créditos tributários decorrentes de apurações cobradas a maior dos consumidores devem ter um impacto no fluxo de caixa das concessionárias de distribuição de aproximadamente R$ 51,2 bilhões. Segundo levantamento feito pela TR Soluções, empresa de tecnologia aplicada ao setor elétrico, esses créditos tributários são decorrentes de processos judiciais que versam sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Pasep e da Cofins nas contas de luz.

Caso esses créditos sejam devolvidos aos consumidores na íntegra via tarifas ao longo dos próximos cinco anos, haverá, em média, uma redução de 10,53 pp nos reposicionamentos tarifários em 2021. Nos anos seguintes, haverá praticamente uma manutenção dessa redução. Mas, a partir de 2026, com o término das reversões, as tarifas voltariam à condição atual, daí a diferença positiva expressiva de 12,41 pp...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53147255/creditos-tributarios-podem-reduzir-tarifa-de-energia-1053-p-p-em-2021

Engie fecha parceria para construção de sete usinas fotovoltaicas

A Engie, uma das maiores geradoras privadas de energia do Brasil, fechou uma parceria com a BC Energia, especializada em empresa de geração renovável, para a implantação de sete usinas solares.

As plantas, que destinam-se à modalidade de GD (geração distribuída) fotovoltaica, serão construídas nos estados de Goiás e Minas Gerais e no Distrito Federal. A capacidade total das usinas será de 10,8 MWp.

De acordo com a empresa, as usinas adicionarão 21 GWh/ano à capacidade de geração de energia instalada da BC Energia, que chegará a 35,5 GWh em 2021.

Das sete unidades, três serão construídas em Goiás, que somarão mais 4,6 MWp no estado. Já no DF serão construídas duas plantas, que, juntas, terão 3 MWp. E mais outras duas serão implantadas em Minas Gerais...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/974-engie-fecha-parceria-para-construcao-de-sete-usinas-fotovoltaicas

Terceira parcela da conta covid chega às distribuidoras

A terceira parcela do repasse da conta covid foi liberada pela nesta segunda-feira, 14 de agosto. A operação, conforme a regra, é feita pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, que repassa os valores para as distribuidoras impactadas pelo cenário de isolamento social. A parcela soma R$ 890,5 milhões e considera os valores dos termos de adesão para o período e os montantes remanescentes das transferências anteriores. O pagamento ocorreu conforme informações publicadas no Despacho nº 2.640, da Agência Nacional de Energia Elétrica.

Ao todo, a CCEE já repassou R$ 13 bilhões às companhias que aderiram à medida, o que corresponde a 88% do total da operação que será direcionado até janeiro de 2021.

Por apresentar pendência na Aneel, a CEA (AP) permanece sem receber os montantes contratados pela conta covid. Este fator, explica a câmara em nota, junto com a declaração de ativos pelas distribuidoras inferior aos que constam nos termos de adesão, provoca o acúmulo R$ 461 milhões de saldo remanescente para o próximo mês...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53147158/terceira-parcela-da-conta-covid-chega-as-distribuidoras

AES finca o pé no Brasil com foco em inovação e sustentabilidade

As duas mensagens que a AES Corp. enviou ao mercado brasileiro ao se defender de duas investidas de fusão feitas pela Eneva neste ano são, primeiro, que a corporação não tem planos de deixar o Brasil e, segundo, que a AES Tietê está totalmente comprometida em gerar lucro investindo em tecnologias com impactos socioeconômicos e ambientais positivos.

“Não adianta ter lucro gerando impacto negativo para a sociedade. Queremos ser uma empresa lucrativa sendo uma empresa com impacto positivo”, afirmou o presidente da AES Tietê, Ítalo Freitas, em Live promovida pelo jornal Valor Econômico nesta segunda-feira, 14 de setembro.

O executivo fez questão de destacar que a AES Tietê foi alvo de duas ofertas hostis por uma empresa “com alta pegada de carbono” e que, ao rejeitar a oferta, a AES Corp. (controladora) confirmou sua posição de ofertar ao mercado brasileiro uma “energia que gera impacto positivo para a sociedade”...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53147123/aes-finca-o-pe-no-brasil-com-foco-em-inovacao-e-sustentabilidade

Uso de renováveis é caminho sem volta, aponta BP

O mundo caminha para um crescimento sem precedentes no uso de fontes renováveis. Foi assim que o economista-chefe da BP, Spencer Dale, definiu a tendência global para o período dos próximos 30 anos em termos de expansão energética. Em todos os três cenários que compõem a versão 2020 do BP Energy Outlook, a curva é de crescimento no uso das novas fontes e de queda em combustíveis fósseis.

A velocidade dessas mudanças será determinada pela adoção – ou não – de políticas de incentivo às renováveis. Dale citou fontes como a eólica, solar, biomassa e a geotermal como as protagonistas para essa expansão, sendo que as duas primeiras estão na liderança desse processo. Esse panorama apresentado pela BP via internet tem como premissa a perspectiva de que a demanda global de energia cresce, impulsionada pelo aumento da prosperidade e dos padrões de vida no mundo emergente. Ele citou a eletrificação dos sistemas e mobilidade com destaque na impulsão desse consumo...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53147117/uso-de-renovaveis-e-caminho-sem-volta-aponta-bp