16/05/2022

Investidores do mercado livre de energia - segmento em que é possível escolher seu fornecedor - ampliaram a participação nos novos projetos de geração no país. Este grupo responde por 83% do total de 45 gigawatts (GW) em potência das usinas em construção e com início de operação programado até 2026, segundo levantamento da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel).

Do total de R$ 183 bilhões que serão destinados às novas usinas até 2025, R$ 152 bilhões ficarão por conta do mercado livre. Entre os tipos de fontes, os maiores destaques são da geração solar fotovoltaica e da eólica, com a fatia de 82% dos projetos.

Os números levantados pela associação confirmam uma tendência já observada no início da pandemia da covid-19, quando a expansão da oferta de energia passou a ser puxada pelo mercado livre. Até então, este papel cabia ao “mercado regulado”, formado pelas distribuidoras, em que o consumidor não pode escolher quem vai fornecer sua eletricidade e o custo da energia é definido nos reajustes tarifários anuais...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=346373&sid=105

Para Energisa, biogás e biometano são novas apostas para mercado de energia limpa

Ter dinheiro é a parte fácil da jornada para uma empresa se tornar sustentável. Como usá-lo é que vai ditar seu sucesso. A Energisa, um dos maiores grupos de distribuição de energia do país, que atende cerca de 16 milhões de brasileiros, por exemplo, anunciou em dezembro passado investimentos de R$ 29,5 bilhões até 2026, o que representa 1,6 vez o volume de aportes de 2017 até 2021.

O foco da aplicação dos recursos está na diversificação de receitas — o segmento de distribuição deve ficar com 53% dos investimentos, enquanto geração, transmissão e outros negócios, com 47%.

Mas o que parece uma estratégia tradicional de negócio tem por trás uma preocupação em se adequar aos novos tempos, em que as fontes de energia renováveis vão ser cada vez mais demandadas e exigidas dos investidores, importadores e consumidores...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=346374&sid=105

Projeto permite construção de linhas de transmissão de energia em terras indígenas

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 275/19 permite que o presidente da República declare de relevante interesse público da União a passagem de linhas de transmissão de energia elétrica por terras indígenas. Já aprovado no Senado, o texto tramita na Câmara dos Deputados.

Pela proposta, a declaração ocorrerá sempre que não houver alternativa econômica, financeira ou socioambiental menos custosa, e será feita por meio de decreto.

O projeto é de autoria do senador Chico Rodrigues (União Brasil-RR) e visa facilitar a interligação Manaus-Boa Vista, conectando Roraima ao Sistema Interligado Nacional (SIN). A linha de transmissão tem 715 quilômetros, dos quais cerca de 123 km atravessam a terra do povo waimiri atroari...

Fonte: Câmara Legislativa

Leia mais em:

https://www.camara.leg.br/noticias/875768-projeto-permite-construcao-de-linhas-de-transmissao-de-energia-em-terras-indigenas/

UFR coloca em operação uma das maiores usinas FV do setor público nacional

Começou a operar a segunda usina fotovoltaica da UFR (Universidade Federal de Rondonópolis). Agora, a instituição conta com dois complexos de geração de energia solar com capacidade para produzir aproximadamente 220 MWh por mês.

A usina conta com um total de 3.622 módulos fotovoltaicos, dispostas em um território de 25 mil m² de área construída. A usina tem 1,81 MWp. Uma terceira pequena usina está prevista para ser instalada ainda este ano, fruto de outra chamada pública do Programa de Eficiência Energética da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Em nota, a Reitora da UFR, professora Analy Polizel de Souza, prestou homenagem à memória do amigo e colega de profissão, Renato Tillmann Bassini, falecido em 2021. O professor era vinculado ao curso de Engenharia Mecânica desde 2011 e foi o primeiro secretário de infraestrutura da UFR…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/ufr-coloca-em-operacao-uma-das-maiores-usinas-fv-do-setor-publico-nacional/

A Huawei Digital Power e a HDT Energy e a HDT Energy com a Faro Energy assinaram dois memorandos de entendimento (MOU), em Munique (Alemanha), para a comercialização de soluções inteligentes de geração distribuída no mercado brasileiro. Somados, os acordos preveem 1GW de energia limpa, livre de emissões de carbono.

A HDT Energy é uma das grandes parceiras da Huawei no Brasil, responsável pela comercialização de produtos no segmento de energias renováveis. Em mais um acordo de parceria, as empresas se comprometem a cooperar para o desenvolvimento de projetos para geração sustentável de energia, por meio das soluções de Smart PV da Huawei até o final de 2022.

O acordo de 1GW inclui todo o portfólio da Huawei, sendo destinados 500MW a projetos de usinas de geração distribuída, e 500MW para os mercados residencial, comercial e industrial. A tecnologia de inversores da Huawei, de acordo com a empresa, suporta proteção inteligente de arcos AFCI (Arc Fault Circuit Interrupter — Detector e Interruptor de Arco Elétrico), que desligam automaticamente em 0,5 segundo, garantindo a segurança dos sistemas. A inteligência artificial também está embarcada nos otimizadores e nos sistemas de armazenamento de energia string, e é capaz de melhorar o rendimento energético em 30% e o poder de armazenamento em até 15%.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53211621/huawei-hdt-e-faro-assinam-acordos-comercializar-solucoes-de-gd-no-pais

Daniel Gallo assume o comando da Renova Energia

A Renova Energia informou que terá novo comando a partir de junho deste ano. Uma semana após anunciar a troca da composição do controle acionário para a gestora Angra Partners, empresa de gestão de recursos e de prestação de serviços de assessoria financeira que administra uma carteira com ativos de cerca de R$ 1,5 bilhão, o executivo Marcelo Milliet, que conduziu todo o processo de Recuperação Judicial da companhia desde 2019, deixa o posto de CEO da organização. O cargo será ocupado pelo executivo Daniel Gallo, que é membro do Conselho de Administração da empresa.

De acordo com comunicado enviado pela companhia, Milliet é sócio da Íntegra Associados, empresa que foi contratada para modelar a recuperação da Renova. Em sua gestão, o executivo realizou a venda de ativos, reduziu a dívida da companhia, atraiu novos acionistas, realizou a captação de recursos para a garantir a continuidade das operações e concluir a construção do Complexo Eólico de Alto Sertão III — Fase A, um dos 10 maiores empreendimento eólicos da América Latina, que entrou em fase operacional este ano...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53211626/daniel-gallo-assume-o-comando-da-renova-energia

Energisa avalia oportunidades para o leilão de transmissão de 30 de junho

A Energisa deixou claro na teleconferência desta sexta-feira, 13 de maio, que pretende participar do próximo leilão de linhas de transmissão de energia que deverá ocorrer no dia 30 de junho. “Estamos avaliando as oportunidades para crescer nesse segmento e alavancar o retorno”, disse Mauricio Perez Botelho, CFO do Grupo Energisa.

De acordo com Botelho, a Energisa ainda não finalizou os estudos para o próximo certame. “Temos um lote que é bem óbvio, que é a duplicação da linha que liga o Pará ao Amapá, porém com relação aos demais não dá para dar uma posição, pois estamos vendo se vale a pena e as condições do mercado”, ressaltou o executivo.

Para o leilão A-4, que será realizado no próximo dia 27 de maio, Botelho enfatizou que a Energisa não tem pretensão de participar. “Não vamos comprar energia nesse momento, o nosso foco agora é a venda para o mercado livre”, explicou.

Por fim, com relação ao interesse pela Enel Goiás, o CFO da Energisa disse que não pode comentar, porém, afirmou que o grupo sempre tem interesse em avaliar as oportunidades.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53211652/energisa-avalia-oportunidades-para-o-leilao-de-transmissao-de-30-de-junho

A Aeris obteve um lucro líquido de R$ 1,2 milhão no primeiro trimestre de 2022, redução de 93,1% quando comparado ao 4T21. “Projetamos agora o segundo trimestre um pouco mais de 40% de crescimento nos megawatts entregues e naturalmente os resultados econômico-financeiros devem acompanhar a mesma tendência”, ressaltou em teleconferência Bruno Vilela, CEO da companhia.

O EBITDA no 1T22 atingiu R$ 54,3 milhões. De acordo com a empresa, as linhas de produção maduras geraram R$ 52,1 milhões de EBITDA, uma redução de R$ 4,4 milhões em relação ao 4T21, resultado motivado pela redução da capacidade produzida dedicada à exportação decorrente das transições de linhas de produção realizadas no 4T21. A despeito do menor volume entregue para as linhas maduras, a margem EBITDA mostrou-se resiliente atingindo 11,3% no 1T22. As linhas não maduras geraram R$ 1,3 milhões com margem de 2,0%, enquanto as unidades de negócios de serviço, tanto no Brasil quanto nos EUA, apresentaram EBITDA de R$ 0,9 milhão com margem de 11,9%. O desempenho da unidade de negócio de serviço no Estados Unidos foi negativamente afetado pela sazonalidade nesse período…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53211625/aeris-registra-lucro-liquido-de-r-12-milhao-no-primeiro-trimestre