15/07/2022

CPFL usa a tecnologia para evitar fuga de energia elétrica

As novas tecnologias adotadas pela CPFL para evitar fuga de energia inibem interrupção no fornecimento, bem como garantem a segurança dos consumidores e profissionais. É o que afirma o coordenador de operações de campo da companhia, Rogério Joaquim Silva dos Passos. Há um ano, a empresa aderiu a equipamentos de ultrassom capazes de medir os ruídos das redes residenciais e das ruas. Além disso, há dois anos, aprimorou os termovisores usados para o monitoramento da temperatura dos sistemas.

Os aparelhos de ultrassom identificam, por meio de sinais inaudíveis ao seres humanos, defeitos não visíveis a olho nu. Assim, é possível detectar falhas causadas por baixa isolação de componentes. Ainda possibilita a descoberta de problemas internos em transformadores, redes subterrâneas e outros locais sem acesso visual.

A partir dessa análise, determina-se o nível da situação e se a manutenção na rede deve ser urgente ou não. Por ter um laser virtual, o recurso também proporciona maior assertividade na origem do problema. Conforme passos, o equipamento é usado em manutenções regulares, permitindo o diagnóstico de adversidades com rapidez...

Fonte: Jornal Cruzeiro

Leia mais em:

https://www.jornalcruzeiro.com.br/sorocaba/noticias/2022/07/697101-cpfl-usa-a-tecnologia-para-evitar-fuga-de-energia-eletrica.html

Geração térmica fóssil tem aumento de 177% no Brasil

Um estudo publicado, na semana passada, pelo Iema (Instituto de Energia e Meio Ambiente) revela que em vinte anos a geração térmica fóssil teve um aumento de 177% no Brasil , crescendo de 30,6 TWh em 2000 para 84,8 TWh em 2020.

De acordo com o órgão, as emissões de gases de efeito estufa no setor elétrico aumentaram 90% no período.

O levantamento também destaca que oito das dez usinas termelétricas do país que mais emitiram CO2 tinham o carvão como fonte provedora de energia.

Para o Iema, os dados acendem um alerta para o planejamento energético nacional, onde as termelétricas a combustíveis fósseis ganharam espaço como alternativas imediatas à crise hídrica e o risco de racionamento de energia.

Os números também indicam que o Brasil tem andado na contramão daquilo que preveem os principais países do mundo: reduzir as emissões e atingir a neutralidade de carbono até 2050 para conter os avanços e as consequências do aquecimento global...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/geracao-termica-fossil-tem-aumento-de-177-no-brasil/

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) indicou o primeiro recorde de geração eólica instantânea de 2022. De acordo com o Operador, dados apontam que a fonte foi responsável por produzir 14.167MW de energia no dia 08 de julho, sendo suficiente para atender todo o Nordeste, durante um minuto, e ainda sobrar mais de 23,2%.

Ainda segundo o ONS, a força do vento ganhou a companhia dos raios solares. Na terça-feira, 12, às 10h28, foi registrada a geração instantânea de 2.963MW, montante equivalente a 27,5% da demanda de todo o subsistema Nordeste daquele minuto.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53218653/eolica-registra-14-167-mw-o-primeiro-recorde-de-geracao-instantanea-do-ano

Iberdrola wins 1700km+ Brazil power line project

Neoenergia won two of the 13 lots offered: one, 1,707km, the longest project offered in the auction, between the states of Minas Gerais and São Paulo, Brazil. The company also won the 291km contract in the state of Mato Grosso do Sul.

According to the regulator, the investment in these projects will amount to around €1 billion ($1 billion) and will create more than 11,000 jobs during construction.

The project aims to expand the transmission capacity of the northern region of Minas Gerais, to accommodate the renewable energy generated in the region.

The larger project consists of three 500kV lines, plus a 440kV line. A new 500kV New Bridge 3 substation will also be built.

The second foresees the construction of 291km of lines in nine municipalities in the state of Mato Grosso do Sul, with two 230kV lines and sections and a 230/138kV Paraíso 2 – 2×150 MVA substation.

The objective is the integration of the small hydroelectric power plants Fundãozinho, Areado and Bandeirante and the connection of the distribution in the Paraíso region. The timeframe estimated by the regulator for completion is 48 months and around 1,250 new jobs are expected during construction…

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/regional-news/central-and-latin-america/iberdrola-wins-1700km-brazil-power-line-project/

The partnership hopes to enhance capabilities for the planning, operations and maintenance of power networks at grid operators by combining Esri’s mapping and spatial analytics software and Siemens’ electrical topology expertise.

Esri’s geodata will be combined with Siemens’ modelling and simulation software to boost the creation of a holistic digital twin of the grid for planning, simulation and real-time operations to accelerate the energy transition.

The companies are aiming to upgrade the data flow between applications for increased planning accuracy and for better operations of the distribution grid. Their objective is to improve the admission of Distributed Energy Resources (DER) to the grid and thereby expedite net zero.

“With the strategic partnership, Siemens and Esri will jointly innovate in the grid software space by bringing together the best of our two worlds,” stated Sabine Erlinghagen, CEO Grid Software at Siemens Smart Infrastructure.

Jeff Rashid, global director for Infrastructure at Esri, added: “Combining a major source of data such as GIS with Siemens’ grid modelling and simulation software will significantly elevate the quality of grid models for utilities...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/energy-grid-management/siemens-partners-with-gis-software-provider-to-level-up-grid-planning/

Congresso Nacional derruba os dois vetos ao marco legal da geração distribuída

O Congresso Nacional decidiu pela derrubada dos dois vetos presidenciais ao marco legal da geração distribuída (GD), sancionado em janeiro por meio da Lei 14.300. Após ser incluída oito vezes na ordem do dia, finalmente os dois itens foram apreciados em sessão conjunta desta quinta-feira (14/07). Votaram pela rejeição dos dois dispositivos 373 deputados federais e 62 senadores, contra 37 deputados federais e 3 senadores favoráveis à manutenção dos vetos.

Dessa forma, o marco legal da GD corresponde ao texto aprovado pela Câmara dos Deputados em dezembro do ano passado. A derrubada dos vetos não altera os prazos estabelecidos pela lei, como a regra de transição.

O primeiro veto era o parágrafo 3 do artigo 11, que excluía unidades flutuantes de geração fotovoltaica de uma restrição para dividir centrais geradores em unidades de menor porte para se enquadrar nos limites de potência para microgeração ou minigeração distribuída.

O segundo veto presidencial foi referente ao artigo 28, que definia a minigeração distribuída como projetos de infraestrutura de geração de energia elétrica, para o enquadramento em programas de crédito e incentivo, como o Fundo de Investimento em Participações em Infraestrutura (FIP-IE) e o Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura (REIDI)…

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/politica/legislativo/congresso-nacional-derruba-os-dois-vetos-ao-marco-legal-da-geracao-distribuida

Enel SP identifica mais de 34 mil irregularidades no primeiro semestre de 2022

A Enel SP informou que constantemente realiza ações de combate às fraudes e furtos de energia em toda a área de concessão. No primeiro semestre de 2022, a distribuidora realizou aproximadamente 278 mil inspeções em sua área. Segundo a companhia, um levantamento interno apontou que com as ações desenvolvidas foi possível identificar 34.197 irregularidades nos seis primeiros meses do ano, um aumento de 62,3% em relação às 21.061 fraudes encontradas no mesmo período de 2021. Com isso, a Enel Distribuição São Paulo conseguiu recuperar 66,34 GWh de energia, o que representa um crescimento de 25,4% frente aos 52,9 GWh de volume de energia recuperado no mesmo período do ano passado.

O volume de energia recuperado pela distribuidora no primeiro semestre seria suficiente para abastecer cerca de 336.855 residências por um ano com consumo médio mensal de 150/kWh. Entre os principais fatores que explicam o aumento do número de fraudes identificadas estão mudanças em procedimentos operacionais internos, a ampliação das inspeções e a piora na condição socioeconômica, agravada pelos impactos negativos da pandemia de Covid19.

Com o objetivo de inspecionar instalações comerciais como bares, restaurantes e casas noturnas, em que o acesso é mais complexo durante o período comercial, a concessionária disponibilizou uma equipe dedicada para atuar exclusivamente no período noturno. Apenas nos primeiros seis meses do ano, foram realizadas cinco ações, com 438 inspeções, que resultaram na identificação de 325 irregularidades.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53218497/enel-sp-identifica-mais-de-34-mil-irregularidades-no-primeiro-semestre-de-2022

Vibra lança fundo de R$ 90 milhões para startups de energia limpa e mobilidade

A Vibra Energia, maior distribuidora de combustíveis do País, vai criar um fundo de venture capital com aporte inicial de R$ 90 milhões para a compra de participações em startups voltadas ao desenvolvimento de soluções para transição energética, mobilidade e pagamentos que possam ser integradas aos negócios da companhia no futuro.

A companhia pretende colocar o capital de risco em um universo de oito a doze empresas nacionais ou estrangeiras em estágio inicial ou mais estruturado, as fases “seed” e “serie A”, no jargão do mercado. Também está na mira da distribuidora de combustíveis a participação em cotas de outros fundos setoriais, inclusive internacionais, para acessar empresas do Vale do Silício, nos Estados Unidos, e de Israel.

Plano é ter participações entre 20% e 30%

O vice-presidente de tecnologia e digital da Vibra, Aspen Andersen, afirma que não há faixas definidas: o investimento pode vir abaixo de R$ 1 milhão para negócios precoces e chegar a dezenas de milhões no caso de iniciativas mais maduras, validadas pelo mercado. “Vamos optar por participações ao redor de 20%, 30% no máximo, porque queremos que o empreendedor mantenha engajamento”, diz…

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=347582&sid=105