15/05/2020

MME classifica projetos de transmissão como prioritários no Acre e Bahia

O Ministério de Minas e Energia aprovou como prioritário o projeto para implementação de 673 quilômetros em linhas de transmissão no Acre, entre os municípios de Sena Madureira, Cruzeiro do Sul, Feijó, Manoel Urbano, Bujari, Tarauacá e a capital Rio Branco. A iniciativa refere-se ao Lote 11 do Leilão nº 02/2019, vencido pela Transmissora Acre, controlada pelos investidores Zopone Engenharia e Comércio e Sollo Participações.

O período de execução para as obras das LTs Rio Branco I/Feijó, Feijó/Cruzeiro do Sul e da subestação Feijó em 230 kV e 69 kV, iniciou em março deste ano e vai até 2025, com os empreendimentos angariando R$ 580,4 milhões em investimentos livre dos encargos PIS/PASEP e Confins, já que foram também enquadrados junto ao Regime Especial para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi) do governo, o que representou isenção de R$ 55,6 milhões...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53134806/mme-classifica-projetos-de-transmissao-como-prioritarios-no-acre-e-bahia

Interrupções de energia elétrica registram queda no Brasil

A qualidade dos serviços prestados pelas distribuidoras de energia elétrica vem melhorando a cada ano no Brasil e atingiu recentemente os melhores índices já conquistados. É o que apontam os indicadores de duração (DEC) e frequência (FEC) das interrupções no fornecimento de energia elétrica apurados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Os dados apontam que em 2019, em média, o fornecimento de energia elétrica permaneceu disponível por 99,85% do tempo.

Em 2019, o resultado para o indicador que afere a duração das interrupções do fornecimento (DEC) chegou ao menor valor histórico e revelou que os consumidores ficaram, em média, 12,77 horas sem energia. O dado revela uma redução de 3,33% em relação ao ano anterior, quando o resultado foi de 13,21 horas em média, e um alinhamento muito próximo à meta regulatória estabelecida pela ANEEL, que é de 12, 5 horas. Quanto ao indicador que apura a frequência das interrupções, o FEC, também houve melhora acentuada em 2019, e os consumidores contaram com 6,64 interrupções, em média. Uma redução de 6,61% em relação a 2018, e, neste caso, superando a meta regulatória da ANEEL que foi de 9,25...

Fonte: Terra

Leia mais em:

https://www.terra.com.br/noticias/dino/interrupcoes-de-energia-eletrica-registram-queda-no-brasil,6b970918c700910354cea96d57768f30aqu5hk6i.html

Contrapartida do governo preocupa grupos de distribuição de energia

Os principais grupos de distribuição de energia do Brasil revelaram preocupação com a proposta a ser apresentada pelo governo.

A princípio, o plano de apoio ao setor elétrico deve ser apresentado até o fim desta semana.

De acordo com as companhias, há uma preocupação com o risco de desequilíbrio econômico-financeiro das concessionárias, segundo o Valor.

Dessa maneira, Enel, Neoenergia, Energisa, Light, Equatorial, EDP e CPFL Energia encaminharam carta ao Ministério de Minas e Energia.

Primeiramente, o texto dos grupos de distribuição de energia revela preocupações quanto a proposta a ser apresentada.

De acordo com a carta, umas das preocupações do setor é uma contrapartida do governo presente no texto.

Segundo as distribuidoras, o governo vai exigir que as distribuidoras não façam pedidos de redução de volumes contratados.

Além disso, as cias também não poderão limitar as distribuições de dividendos em caso de inadimplemento intrassetorial.

E, por fim, também deverão renunciar ao direito de discutir essas questões em juízo ou em arbitragem...

Fonte: Eu Quero Investir

Leia mais em:

https://www.euqueroinvestir.com/contrapartida-do-governo-preocupa-grupos-de-distribuicao-de-energia/

Empréstimo para apoiar elétricas envolverá até R$12 bilhões

Uma operação em avaliação no governo para apoiar distribuidoras de energia devido aos impactos da pandemia de coronavírus sobre o setor deverá envolver empréstimos de até 12 bilhões de reais às elétricas, segundo as estimativas atuais, disseram à Reuters três fontes com conhecimento do assunto.

As concessionárias de distribuição têm pleiteado um pacote de ajuda estatal devido à forte queda do consumo e ao aumento da inadimplência dos consumidores, associados a medidas de isolamento adotadas no país para combater o vírus e à queda de renda da população.

Executivos de elétricas apontaram cálculos segundo os quais precisariam de entre 15 bilhões e 17 bilhões de reais para enfrentar as turbulências causadas pelo vírus sem deixar de cumprir compromissos com outros elos da cadeia do segmento, como geradores e transmissoras...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.abril.com.br/economia/emprestimo-para-apoiar-eletricas-envolvera-ate-r12-bilhoes/

Presidente da CEEE confirma privatização no fim do ano

O presidente do Grupo CEEE, Marcos Soligo, confirmou que a privatização da estatal gaúcha deverá acontecer no quarto trimestre do ano. A Agência CanalEnergia já havia revelado a disposição do governo gaúcho em fazer a venda ainda este ano. No webinar “Conversa com CEOs – Desafios do setor elétrico pós-pandemia” realizado pela Delta Energia, o executivo contou que a pandemia de Covid-19 não está atrapalhando as etapas do processo, que pode ser realizado em home office. “Não havia motivo de parar”, disse. O faturamento da CEEE-D caiu cerca de 14% após a pandemia e a inadimplência da distribuidora pulou de 3% para 11%.

O executivo reforçou a importância da privatização, uma vez que a CEEE-D não goza de boa saúde financeira, sem conseguir sequer recolher o ICMS para o governo estadual. “Isso é uma vergonha, ela precisa de uma reestruturação urgente. É uma empresa insolvente”, critica. As subsidiárias de geração e transmissão também serão privatizadas. Soligo acredita que a empresa privada terá um desempenho condizente com o potencial da sua área de atuação...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53134721/presidente-da-ceee-confirma-privatizacao-no-fim-do-ano