15/01/2021

Para alcançar metas que combatem as mudanças climáticas, investimento global em energias renováveis tem que atingir, até 2050, a média anual de US$ 800 bilhões

De acordo com o estudo realizado pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA) e pela organização Climate Policy Initiative (CPI), o investimento global em fontes de energia renováveis aumentou entre 2013 e 2018, atingindo o maior número em 2017, que contou com US$ 351 bilhões investidos. Mesmo com o acúmulo de US$ 1,8 trilhão ao longo de 5 anos por parte desse investimento, os dados da pesquisa indicam que o valor não alcança o necessário para que seja possível alcançar os objetivos que visam combater as mudanças climáticas.

Para que isso seja possível, o valor aplicado em tecnologias de geração de energia sustentável precisa atingir a marca dos US$ 800 bilhões anuais até 2050. Os subsídios foram reduzidos em 2018, passando por um crescimento em 2019. Isso porque houve a diminuição dos custos desse tipo de energia, fazendo com que a capacidade total instalada siga a tendência de expansão. Entretanto, os investimentos atuais ainda não são capazes de suprir um dos objetivos, que consiste em manter o acréscimo da temperatura global em 1,5ºC até 2050...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/para-alcancar-metas-que-combatem-as-mudancas-climaticas-investimento-global-em-energias-renovaveis-tem-que-atingir-ate-2050-a-media-anual-de-us-800-bilhoes.html

Brazil’s Neoenergia implements advanced data management tool

The hyperconvergence tool is intended to optimise and automate business processes bringing cost savings to the company and improvements in the security of supply to customers.

Neoenergia claims to be a pioneer of the technology in Brazil, which is installed at the distributors Celpe in Pernambuco state, Coelba in Bahia, Cosern in Rio Grande do Norte and Elektro in São Paulo and Mato Grosso do Sul.

“The company has seen an improvement of around 40% in the performance of some processes,” says Bruno Agra, Real Time Systems and Cybersecurity Supervisor at Neoenergia, speaking of the implementation.

“With this, there is improved delivery of the services provided by the distributors through application, speed, security and resilience of the data that are used for the operation of the electricity system.”...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/data_analytics/brazils-neoenergia-implements-advanced-data-management-tool/

Cemig estuda abrir filial de comercialização de energia em São Paulo

A estatal mineira Cemig (CMIG4) informou nesta quinta-feira que estuda abrir uma filial de sua unidade de comercialização de energia elétrica em São Paulo, de olho no potencial local para negócios no chamado mercado livre de eletricidade.

A manifestação vem após um inquérito aberto pelo Ministério Público estadual (MPMG) neste ano para investigar um suposto plano da companhia controlada pelo governo de Minas Gerais de transferir sua sede.

Segundo informações do site do MPMG, as apurações miram “possíveis irregularidades praticadas pela diretoria da Cemig, que estaria com a pretensão de mudar sua sede para o Estado de São Paulo”.

A Cemig disse, em nota, que “é completamente infundada a informação de que estaria estudando a mudança de sede”...

Fonte: Abinee - O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=335651&sid=105

Segundo avaliação de Raphael Gomes, sócio de energia e recursos naturais da Demarest, a utilização de PPAs (sigla em inglês para Power Purchase Agreement) – contratos de compra e venda de energia de longo prazo – , quando voltadas para autoprodutores de energia solar fotovoltaica, torna possível a redução de gastos, previsibilidade e o cumprimento de metas ambientais.

“O consumidor quer ter custo reduzido, mas também a previsibilidade que esses PPAs de longo prazo permitem, além da preocupação com a sustentabilidade”, pontuou Gomes em participação no podcast Um Lugar ao Sol, produzido pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

“Antigamente, víamos no mercado livre os consumidores muito sensíveis a preço e custos. Mercado livre significava migrar para um mercado um pouco mais competitivo onde ele teria oportunidade de conseguir uma energia mais barata”, disse o advogado, indicando que a modalidade atende à mudança dos brasileiros em sua maneira de pensar…

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-solar/voltado-para-autoprodutores-de-energia-solar-o-modelo-de-ppa-possibilita-reducao-de-gastos-previsibilidade-e-execucao-de-metas-ambientais.html

Fronius lança inversores para o mercado brasileiro

A fabricante de inversores fotovoltaicos Fronius lançou dois novos modelos de equipamentos: o Primo GEN24 Plus monofásico e o Tauros. Segundo a empresa, eles estarão disponíveis para o mercado solar brasileiro ao longo do ano de 2021.

O inversor Primo GEN24 Plus monofásico está previsto para chegar ao Brasil ainda no primeiro trimestre de 2021, nas classes de potência de 3 a 6 kW.

Segundo a fabricantes, o equipamento oferece a opção de energia de emergência orientada pela demanda, Multi Flow Technology, refrigeração ativa, SuperFlex Design e gerenciamento de sombreamento integrado, além de disponibilizar o excesso de energia fotovoltaica para bombas de aquecimento ou mobilidade elétrica.

Com isso, uma fonte única proporciona desde a geração de energia solar até a carga inteligente otimizada fotovoltaica de veículos elétricos…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/noticias/item/1444-fronius-lanca-inversores-para-o-mercado-brasileiro

Siemens desenvolve parceira para hidrogênio verde

A Siemens Gamesa e a Siemens Energy anunciaram uma parceria com foco no desenvolvimento de uma solução para a produção de hidrogênio verde. A meta é realizar a integração total de um eletrolisador em uma turbina eólica offshore como um sistema sincronizado único para a produção. As empresas pretendem fornecer uma demonstração offshore em grande escala entre 2025 e 2026. A estimativa é de que o investimento some 120 milhões de euros.

Ao longo de um período de cinco anos a Siemens Gamesa planeja investir 80 milhões de euros e a Siemens Energy mais 40 milhões. A fabricante de aerogeradores adaptará o desenvolvimento de sua turbina eólica offshore SG14-222 DD para integrar um sistema de eletrólise nas operações do equipamento. E a Energy um novo produto de eletrólise. A solução é composta por um conjunto de eletrolisadores localizado na base da torre da turbina eólica offshore…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53160638/siemens-desenvolve-parceira-para-hidrogenio-verde

Neoenergia cria sistema para aprimorar segurança de barragens

A Neoenergia desenvolveu um sistema inteligente de gestão de Planos de Segurança de Barragens (PSBs). A iniciativa, que é um projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), regulado pela Aneel, terá o projeto piloto aplicado na Usina Hidrelétrica de Itapebi, localizada na Bahia.

Segundo a companhia, a ferramenta usa tecnologia georreferenciada e algoritmos inteligentes, unificando os processos e informações previstos nos planos de segurança em uma única plataforma, de forma a simplificar, dar agilidade e maior assertividade às ações. O projeto, que está sendo desenvolvido em parceria com o Lactec, tem como diferencial a visualização em 3D da usina, além da análise de risco com definição das ações de manutenção prioritárias.

A concessionária informou ainda que quando a plataforma estiver em uso, os técnicos poderão atualizar os dados diretamente no sistema ao fazerem as inspeções em campo com o suporte de tablets. Além do papel do colaborador, são importantes os dados fornecidos pelos equipamentos que auxiliam no monitoramento das estruturas, como pressão e nível da água e movimentações em pontos estratégicos.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53160623/neoenergia-cria-sistema-para-aprimorar-seguranca-de-barragens