14/06/2021

Governo se reúne com grupos empresariais para discutir transição energética

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o Ministério de Minas e Energia (MME) e o Ministério das Relações Exteriores (MRE) se reuniram com associações empresariais brasileiras e dirigentes de 45 grupos privados para anunciar, no Diálogo de Alto Nível das Nações Unidas sobre Energia, as linhas de atuação do Brasil. O debate aconteceu no dia 8 de junho.

Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia, aponta que os grupos empresariais que participaram do encontro manifestaram interesse em compreender melhor o processo que está ocorrendo na Organização das Nações Unidas (ONU). “Trata-se de uma plataforma privilegiada para as empresas brasileiras apresentarem suas práticas de ESG e assumirem compromissos voluntários de descarbonização”.

“A meu ver, essa é uma demonstração inequívoca de que o setor privado brasileiro está muito sensível a esses temas e atento para as transformações em curso”, afirmou Albuquerque no dia 9 de junho durante evento on-line realizado pela FGV Energia...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/governo-se-reune-com-grupos-empresariais-para-discutir-transicao-energetica.html

Furto de energia no Rio bate recorde em ano de pandemia

Sob o emaranhado de fios, quem cruza a Avenida Areinha, na favela de Rio das Pedras, parece passear por uma via coberta. Tanto “gato” de energia elétrica — que nas mãos das milícias também virou um negócio ilegal lucrativo — não é um cenário formado da noite para o dia, mas piorou no primeiro ano de pandemia. De acordo com o último balanço da Light divulgado a investidores, as perdas não técnicas, eufemismo para designar fraudes e furtos de luz, atingiram o patamar mais alto dos últimos cinco anos. De abril de 2020 a março deste ano, foram desviados 7.134 gigawatt-hora (GWh), o suficiente para abastecer todas as casas do Espírito Santo por quase três anos.

O prejuízo é repassado aos demais usuários, o que faz do Rio um dos estados com energia mais cara do país. No caso da Light, que abastece 64% da população fluminense, mais da metade do fornecimento de baixa tensão — utilizada nas residências e pequenos comércios — é drenada pelos “gatos”. O percentual faz com que, das 27 unidades da federação, o Rio fique atrás apenas de Amazonas, Amapá e Pará em volume de repasse das perdas não técnicas...

Fonte: Extra - Globo

Leia mais em:

https://extra.globo.com/noticias/rio/furto-de-energia-no-rio-bate-recorde-em-ano-de-pandemia-25059983.html

WEG e Engie, a segunda maior do mundo no ramo de energia, concluem instalação da turbina eólica do primeiro Aerogerador Nacional

A WEG, uma das maiores fabricantes de equipamentos elétricos do mundo, e a ENGIE Brasil Energia, estão concluindo a fase mais importante do Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento “Aerogerador Nacional”, que é a montagem da turbina eólica.

Localizado no município de Tubarão, em Santa Catarina, a turbina eólica está instalada no parque experimental de pesquisa e desenvolvimento da ENGIE e é resultado de um Projeto Estratégico do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da companhia com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

O aerogerador foi projetado e construído pela WEG e a segunda etapa do projeto também contou com recursos do P&D das Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A (CELESC).

O projeto denominado “Desenvolvimento e certificação de aerogerador nacional de 4,2 MW de acoplamento direto, com gerador síncrono de ímãs permanentes e conversor de potência plena” tem por objetivo desenvolver e incentivar a tecnologia nacional em energia eólica para reduzir a dependência de outros países, por meio do fortalecimento da cadeia brasileira de fornecedores de componentes e prestadores de serviços para a fabricação e instalação de turbinas eólicas de grande porte...

Fonte: Click Petróleo e Gás

Leia mais em:

https://clickpetroleoegas.com.br/weg-e-engie-a-maior-do-mundo-no-ramo-de-energia-concluem-instalacao-da-turbina-eolica-do-primeiro-aerogerador-nacional/

Copel inicia operação de subestação no Norte do Paraná

A Copel iniciou a operação da subestação de Santa Amélia, no Norte Pioneiro, no Paraná. A SE, que teve investimento de cerca de R$5 milhões, atenderá 1.827 unidades consumidoras do município e das vizinhas Bandeirantes e Abatiá e pertence ao programa Confiabilidade Total, que prevê investimentos em tecnologia para reduzir as quedas e melhorar a confiabilidade do fornecimento em todo o Estado.

A distribuidora informou que a SE opera em 34,5 mil volts e segue modernos padrões construtivos, com iluminação em LED, operação remota e reversão automática, que permite alteração da fonte de alimentação sem a necessidade de intervenção humana. Outras duas subestação em padrões semelhantes estão em fase final de construção na região, em Salto do Itararé e Sapopema. E uma unidade de maior porte deve ficar pronta no final do ano em Joaquim Távora.

De acordo com a Copel, a subestação de Santa Amélia é a segunda a ser colocada em operação pelo programa Confiabilidade Total, que no final de maio já havia energizado uma unidade no município de Antônio Olinto, no Centro-Sul paranaense. As duas subestações têm potência de transformação de 7 MVA (megavolt-ampère), com a vantagem de atender as cargas de maneira mais próxima e assim evitar perdas no sistema.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53176423/copel-inicia-operacao-de-subestacao-no-norte-do-parana

AES Brasil conta com dois novos diretores

A AES Brasil anunciou a alteração no seu quadro de diretores com a chegada de Rodolfo Moraes Lima, que assume como diretor de Gestão de Portfólio e Estudos Energéticos, e Alessandro Gregori, que está ocupando o cargo de diretor vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores.

Rodolfo Moraes Lima é engenheiro elétrico, especializado em Gestão de Projetos, e tem o desafio de liderar o planejamento energético e suportar as decisões de curto e longo prazos para venda e compra de energia da AES Brasil.

Já Alessandro Gregori é economista pela PUC Campinas e mestre em Economia Política pela PUC São Paulo e possui mais de 20 anos de experiência no mercado. Gregori será responsável por liderar a área Financeira da companhia.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53176456/aes-brasil-conta-com-dois-novos-diretores