13/12/2019

Cosan adquire comercializadora de energia Compass por R$ 95 milhões

A Comercializadora de Gás S.A, da Cosan Logística (CSAN3), adquiriu a comercializadora de energia Compass e as empresas associadas a ela pelo valor de R$ 95 milhões. A informação foi divulgada na noite da última quarta-feira (11).

A operação também envolve a Compass Comercializadora de Energia, Compass Energia e a Compass Geração, de acordo com a ata de reunião do conselho de administração da Cosan.

O contrato da negociação foi assinado junto a Marcelo Parodi e Ritchie Guder, sócios da Compass, segundo a ata divulgada pela empresa.

Sobre a Compass. A comercializadora de energia Compass foi criada em 2009. A empresa opera com compra e venda de contratos no mercado livre de eletricidade. Nesse cenário, grandes indústrias negociam seu suprimento com os geradores e as comercializadoras. A compra da empresa feita grupo Cosan acontece em meio a um momento bom para o mercado livre de eletricidade. A unidade de negócios tem registrado uma grande expansão no número de comercializadoras de energia em operação...

Fonte: Suno

Leia mais em:

https://www.sunoresearch.com.br/noticias/cosan-adquire-comercializadora-de-energia-compass-por-r-95-milhoes/

As concessionárias de energia elétrica querem dominar também a energia solar

As concessionárias sempre dominaram a produção e a distribuição de energia elétrica, contando sempre com o subsídio dos governos estaduais e do Governo Federal e tendo o consumidor final como "patrocinador": se for necessário comprar gás de um país vizinho para movimentar uma termelétrica, a tarifa aumenta. Na hora de ampliar as linhas de distribuição, o Governo financia a obra.

O serviço é um dos campeões de reclamações em instituições como o Procon e as 38 distribuidoras de energia elétrica com ações ativas na Bolsa de Valores faturaram R$ 8 bilhões no terceiro semestre deste ano, 157% a mais que no mesmo período do ano passado.

No momento em que o setor de produção de energia solar se organiza por iniciativa de empresários independentes, cresce e atrai cada vez mais adeptos, as concessionárias tentam se recuperar do atraso em relação a países mais desenvolvidos que há décadas já investem na produção de energia mais limpa, barata e sustentável, e voltam a sua atenção para este setor...

Fonte: Terra

Leia mais em:

https://www.terra.com.br/amp/noticias/dino/as-concessionarias-de-energia-eletrica-querem-dominar-tambem-a-energia-solar,7dce0e8db3d480dc25f50650d5eb742ffnss297r.html

CPI da Energia conclui investigações e aponta irregularidades em relatório no AC

Após seis meses de investigações, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) divulgou o relatório com os resultados nesta quinta-feira (12), durante reunião na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), em Rio Branco.

O documento apontou algumas irregularidades na incidência do ICMS e na aferição por média de estimativa de consumo. Com isso, a CPI expediu algumas recomendações para a Energisa, à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e para o governo do Acre.

“Identificamos irregularidade no que diz respeito a incidência do ICMS, que incide sobre todos os tributos que já são cobrados, como a taxa de uso e transmissão, e acreditamos que isso significa uma bitributação. Também identificamos problemas na aferição por estimativa, um abuso desse mecanismo, apesar de autorizado pela Aneel, que a empresa vinha fazendo essa prática de forma abusiva”, explicou o relator da CPI, deputado Daniel Zen...

Fonte: G1

Leia mais em:

https://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2019/12/12/cpi-da-energia-conclui-investigacoes-e-aponta-irregularidades-em-relatorio-no-ac.ghtml

São Paulo começa em janeiro testes de geração solar flutuante na represa Billings

O governo do Estado de São Paulo deu importante passo para consolidar a tecnologia de energia solar, contratando a implantação da primeira fase do projeto de geração fotovoltaica flutuante, através da Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. (Emae).

O projeto deve ocupar uma área de mil metros quadrados no reservatório, e a previsão é que sua montagem em instalação já se inicie em janeiro. A estimativa é que no prazo de 90 dias se inicie a fase de testes dos equipamentos.

A Emae realizou um concurso público, e o consórcio vencedor para a primeira etapa do projeto de geração solar flutuante é composto pelas empresas brasileiras Sunlution e KWP Energia.

Todo o sistema de geração solar flutuante será 100% produzido pela Sunlution em São Paulo, inclusive painéis solares que serão produzidos pela BYD, em sua fábrica de Campinas.

Nesta primeira etapa, o consórcio vencedor vai instalar para testes uma usina solar flutuante de 100 KWp (sigla de “quilo-watt pico”) na represa Billings, já em janeiro de 2020. O potencial da represa para geração solar flutuante pode ultrapassar 100 MWp…

Fonte: Diário do Poder

Leia mais em:

https://diariodopoder.com.br/sao-paulo-comeca-em-janeiro-testes-de-geracao-solar-flutuante-na-represa-billings/