13/10/2021

Celg T deve ser disputada por grandes grupos

O Estado de Goiás realiza amanhã o leilão de venda do braço de transmissão de energia da Celg, quase cinco anos depois da privatização da antiga distribuidora estatal. O ativo, que terá 100% de suas ações alienadas pelo preço mínimo de R$ 1,1 bilhão, tem sido estudado por grandes grupos do setor elétrico, que enxergam nele uma possibilidade de consolidação.

Inicialmente marcado para maio, o certame acabou sendo adiado para o segundo semestre. Houve mudanças tanto do cronograma, quanto do próprio escopo da privatização - a empresa passou por uma reestruturação societária, com o objetivo de segregar seus ativos de transmissão dos de geração. Essa reestruturação atendeu a pedidos de investidores interessados na licitação.

Controlada pela CelgPar, do governo goiano, a Celg T detém três concessionárias de transmissão. Ao todo, seu portfólio conta com 755 quilômetros de linhas e 12 subestações próprias, que representam uma receita anual permitida (RAP) de aproximadamente R$ 216,4 milhões. Após a cisão, a Celg T ficou com patrimônio líquido de R$ 1,052 bilhão...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=342367&sid=105

Novos óculos de Realidade Virtual da HTC revelados antes de tempo

Acredita-se que a HTC poderá revelar novos óculos de Realidade Virtual já esta semana mas, enquanto a empresa não faz o anúncio oficial, uma fuga de informação permite-nos ter acesso aos primeiros detalhes.

De acordo com o site Protocol, a nova proposta da HTC para a Realidade Virtual dá pelo nome de Vive Flow e parece ser um dispositivo mais leve que não precisa ser ligado a um computador nem ao telemóvel. Acredita-se que esta é a resposta da HTC ao Quest 2 da Oculus mas, diz a publicação, o Vive Flow terá um chip menos poderoso e será sobretudo para consumo de entretenimento.

O Vive Flow está alegadamente equipado com um sistema de duas dobradiças, sistema de áudio espacial, lentes ajustáveis e sistema de arrefecimento ativo. Está também equipado com Bluetooth que, ao ligar-se a um telemóvel, permite usar o Vive Flow como um comando.

Por fim, é indicado que o HTC Vive Flow começará a ser vendido no início de outubro, com o período de pré-compra a ter início no dia 15 de outubro. Quanto ao preço, o Vive Flow poderá ser adquirido por 499 dólares - cerca de 431 euros...

Fonte: Notícias ao Minuto

Leia mais em:

https://www.noticiasaominuto.com/tech/1850708/novos-oculos-de-realidade-virtual-da-htc-revelados-antes-de-tempo

Hidrogênio terá papel fundamental na agenda de transição energética

É consenso no mercado de energia que o hidrogênio terá papel estratégico para a descarbonização da matriz energética global. No Brasil, as diretrizes do Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2) já deram um forte indicativo de que serão necessários investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) para ampliar o conhecimento técnico-científico e suprir as lacunas tecnológicas, que possibilitem a estruturação da cadeia produtiva do hidrogênio no país.

O Lactec – centro de referência para o mercado de energia em tecnologia e inovação – já tem mobilizado sua equipe de pesquisadores em torno do tema e promoveu, na última semana, o debate “Hidrogênio Energético: PNH2, cases e oportunidades”, que se constituiu no 8º episódio do Energy Tech Talks, do Canal Energia, by Informa Markets. Além de um especialista do Lactec, o webinar contou com a participação de representantes do Ministério de Minas e Energia (MME) e da Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren)...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53189869/hidrogenio-tera-papel-fundamental-na-agenda-de-transicao-energetica

Thyssenkrupp aposta na produção de hidrogênio em grande escala

A Thyssenkrupp anunciou na semana passada a expansão para 5 GW da capacidade de produção anual de hidrogênio verde, por meio da participação em três projetos de pesquisa do governo da Alemanha. O trabalho envolve produção industrial, uso e integração de sistemas, com a fabricação em série de eletrolisadores de água em grande escala (projeto H2Giga), produção offshore de combustíveis sintéticos, amônia verde, metanol verde e metano sintético (H2Mare). Além do transporte do combustível e tecnologias de conversão, como craqueamento de amônia (TransHyDE).

Em nota, a empresa explica que a ideia é expandir sua liderança tecnológica em toda a cadeia de valor de produtos químicos verdes até 2025. Como mostrou a Agência CanalEnergia em reportagem de maio desse ano, o governo alemão está investindo pesado, cerca de 9 bilhões de euros, em parcerias para o desenvolvimento de tecnologias ligadas ao hidrogênio, e enxerga no Brasil um grande parceiro na produção do energético para exportação…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53190008/thyssenkrupp-aposta-na-producao-de-hidrogenio-em-grande-escala

Intersolar Europe: de robôs que limpam painéis automaticamente a sistemas agrivoltaicos

A Intersolar Europe completou 30 anos em grande estilo. Entre os dias 6 e 8 de outubro, a feira realizada em Munique, Alemanha, contou com quatro setores expositivos e apresentação de diferentes produtos e serviços.

O evento, que teve como foco a energia solar em combinação com o armazenamento, contou com a presença do Canal Solar no local. A feira abordou temas como mobilidade, sistemas de energia inteligentes, tecnologias inovadoras e novos modelos de negócio.

A Intersolar Europe também ofereceu workshops e palestras realizadas por participantes renomados no setor solar internacional. Os participantes da feira puderam ver de perto a aceleração do setor solar no mundo e suas tendências.

Destaques da Intersolar Europe

Dentre as inovações, foram apresentados sistemas agrivoltaicos e flutuantes. Outro destaque foi o lançamento de módulos tipo N, apresentados por fabricantes como Risen, LONGi e JA Solar...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/intersolar-europe-de-robos-que-limpam-paineis-a-sistemas-agrivoltaicos/

Fronius vende seu primeiro inversor híbrido GEN24 no Brasil

O inversor híbrido GEN24 teve sua primeira venda registrada no Brasil. Lançado no começo do ano no mercado brasileiro, o equipamento foi disponibilizado pela fabricante Fronius no primeiro semestre de 2021. A comercialização e a distribuição foi realizada pela distribuidora de soluções tecnológicas Horus. 

Segundo Ráiney Soares, gerente de Produto Solar da empresa, o inversor híbrido foi despachado para Sinop (MT) nesta semana. “Estamos bem felizes por sermos o primeiro distribuidor do Brasil a vender o GEN24 da Fronius”, comentou.

“A energia solar fotovoltaica tende a crescer muito mais do que já está crescendo. A Horus, junto com a Fronius, já está preparada para atender essas demandas com estoque a pronta entrega”, completou.

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/fronius-vende-seu-primeiro-inversor-hibrido-gen24-no-brasil/

Nova sede da Enel RJ vai consumir 40% menos de energia

A nova sede da Enel RJ, na região da zona portuária do Rio de Janeiro, vai consumir cerca 40% menos de energia que a sede antiga, em Niterói. Em cerimônia de inauguração do novo espaço, na última quinta-feira, 8 de outubro, a diretora de Serviços e Segurança Patrimonial, Flavia Baraúna revelou ainda que a empresa instalará no Aqwa Corporate – novo endereço da companhia – três vagas com recarga para veículos elétricos, por meio da subsidiária Enel X. “O projeto trouxe eficiência e otimização de custos”, revela.

O espaço também terá a certificação WELL, com foco no bem estar das pessoas. De acordo com a diretora, essa certificação é a maior com este foco. “Ela coloca a pessoa dentro do escritório no centro de todas das propostas que fazem”, explica a diretora. Os espaços devem observar aspectos como qualidade do ar, água, alimentação, iluminação natural e conforto.

De acordo com o Country Manager da Enel no Brasil, Nicola Cotugno, a nova sede é a materialização de um conceito de bem estar e saúde em uma forma diferente de trabalhar. “Não podemos esquecer que encontrar e se relacionar diretamente é um ponto de força, é um valor”, aponta. Outro aspecto ressaltado pelo executivo foi a presença da empresa na zona portuária, região da capital que tem se revitalizado e crescido nos últimos anos. O local está previsto para aproximadamente 1.400 colaboradores, mas a previsão é de uma ocupação diária ao redor de 1.000 pessoas. Um modelo de trabalho híbrido está sendo criado.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53189866/nova-sede-da-enel-rj-vai-consumir-40-menos-de-energia

Marcelo Coelho, em sua coluna de 29 de setembro, vaticina que os óculos de realidade virtual (que ele não sabe dizer se experimentou ou não num shopping, tempos atrás) entrarão para a coleção de bobagens que a humanidade experimenta e abandona, como caçar pokémons ('atividade' que gerou US$ 1,2 bilhão só em 2020) ou aventurar-se pelo hoje ultrapassado Second Life— enfim, mais uma tecnologia que não pegou. Nós, que temos os tais oculus e começamos a investigar suas possibilidades, não somos tão taxativos.

E imaginamos qual teria sido a reação de Coelho diante do aparelho que fazia videochamadas apresentado pela AT&T numa feira de tecnologia em 1964 e que começou a ser vendido em 1970. Ou ao usar o primeiro telefone celular, em outubro de 1983. Era o "tijolo", como foi apelidado: o DynaTAC da Motorola pesava quase um quilo. Custava o equivalente a US$ 10 mil de hoje e as chamadas eram cobradas a 50 centavos o minuto.

Como em outros equipamentos tecnológicos, os celulares diminuíram de tamanho, peso e preço e aumentaram absurdamente suas aplicações. Depois do ano 2000, passaram a ser conectados à internet móvel pelo 3G...

Fonte: Uol

Leia mais em:

https://www.uol.com.br/tilt/colunas/pedro-e-paulo-markun/2021/10/05/as-vezes-precisamos-trocar-a-lente-para-enxergar-alem-do-futuro-incerto.htm