13/08/2021

CPFL avalia novas aquisições nas áreas de transmissão e geração

A CPFL Energia segue atrás de novas oportunidades de crescimento via aquisições e novos projetos mesmo após a compra dos ativos de transmissão da gaúcha CEEE por R$ 2,67 bilhões. Ao Valor, o CEO da elétrica, Gustavo Estrella, disse que a companhia poderá avaliar as privatizações do braço de geração da CEEE e da goiana Celg -T, além de lotes dos próximos certames de transmissão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Arrematada no mês passado, a CEEE-T tornará a CPFL mais competitiva no segmento de transmissão. “Precisávamos de algo que nos desse escala nesse negócio, era importante ter um ativo grande e de peso para podermos olhar os ativos menores de forma mais eficiente”, afirma Estrella. Com a aquisição, a elétrica passa a ter o controle de pouco mais de 6 mil km de linhas de transmissão e mais 72 subestações...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=340839&sid=105

O Brasil já tem 22 projetos para geração de energia eólica em alto-mar em estudo, que somam uma capacidade instalada de 40 gigawatts (GW), segundo o superintendente adjunto de planejamento de geração de energia da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Gustavo Pires.

Nesse contexto, avance no desenvolvimento de uma regulação para a fonte até o final do ano e realize, em breve, um leilão para projetos nesse segmento, na visão da presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Elbia Ganoum. O Brasil ainda não tem projetos do tipo.

“O cenário atual é favorável para a realização de leilões para geração eólica em alto-mar, mas precisamos de um ambiente que seja amigável para os investidores. Temos grandes companhias globais que querem investir aqui”, disse Elbia, durante seminário on-line organizado pelo Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), em parceria com o Consulado do Reino dos Países Baixos...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=340793&sid=105

O PL 5829, que visa a criação do Marco Legal da GD (geração distribuída) no Brasil, deverá ser votado na próxima terça-feira (17) e, com isso, ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ainda em 2021.

Foi o que afirmou Bárbara Rubim, vice-presidente de Geração Distribuída da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), nesta quinta-feira (12), durante o segundo dia de palestras do 10º Fórum de Geração Distribuída da Região Centro-Oeste, em Cuiabá (MT).

A executiva participou da mesa de negociações que viabilizou a proposta no Congresso Nacional e disse também que a maior crise hídrica dos últimos 91 anos foi o principal fator que culminou no acordo entre profissionais do setor elétrico e parlamentares para que o Marco Legal da GD seja votado...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/marco-legal-da-gd-devera-ter-sancao-presidencial-em-2021/

Confira as projeções para o mercado fotovoltaico no 2º semestre

“Esperamos uma aceleração do mercado fotovoltaico neste segundo semestre. Está sendo bem perceptível, dado a tudo que foi represado durante o período pandêmico”. É o que afirmou Kirk Bardini, chefe de vendas da WEG Solar.

O executivo – que participou nesta quarta-feira (11) do Fórum Regional de Geração Distribuída Centro-Oeste, que começou ontem (11) e termina hoje (12) em Cuiabá (MT) – comentou a respeito das projeções para o setor em 2021 e destacou a importância da integração da solar com o armazenamento de energia.

“Conforme as coisas andarem com a parte de regulamentação, vamos ter neste ano a possibilidade de vender as baterias em forma comercial para sistemas on-grid. Penso que isso vai ser de fato um grande passo”, disse…

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/confira-as-projecoes-para-o-mercado-fotovoltaico-no-2o-semestre/

Scottish Power and Siemens to deploy 450k smart meters in North England

The utility has selected Siemens Managed Applications and Services as a partner for the three-year rollout programme.

The project will move Scottish Power a step closer to its goal of equipping its five million consumers with smart meters, in line with a UK government mandate for all utilities to install advanced meters for their entire consumer base. Today, the UK has managed to install smart meters to 45% of its customers, with the aim to ensure that 50 million metering points have an advanced meter, according to a statement.

Installation for Scottish Power customers in North England is expected to begin in August for consumers. The project covers North-West, North-East and Yorkshire.

The smart meter programme, which is part of the UK’s digital transformation and energy transition initiatives, will enable consumers to control and reduce their energy spend and utilities to optimise grid management, speed up the deployment of renewable energy, and the adoption of distributed energy resources whilst reducing carbon emissions...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/scottish-power-and-siemens-to-deploy-450k-smart-meters-in-north-england/

Equatorial fala em avançar na GD com projetos de maior porte

A Equatorial Energia pretende avançar na geração distribuída nos estados onde o grupo detém concessões de distribuição, tanto na linha da telhados quanto na de fazendas solares. O crescimento virá da combinação da estrutura do grupo, que já atua no segmento, com a atuação de uma de suas mais recentes aquisições, a E-Nova Instalação e Manutenção. A empresa foi comprada em junho pela subsidiária Equatorial Geração Distribuída por R$ 7,5 milhões.

Para o CEO da Equatorial Energia, Augusto Miranda, é natural que por uma questão de estratégia a empresa pense nas áreas onde ela já detém concessões para depois pensar em outros estados. “Essa companhia já atua no segmento lá no Maranhão. O foco prioritário dela era no rooftop, mas, com essa integração com a Equatorial e a capacidade da gente de fazer projetos de maior porte, como fazendas solares, trazendo clientes de grande porte, já é uma realidade”, disse o executivo nesta quinta-feira, 12 de agosto, em teleconferência da apresentação de resultados do segundo trimestre...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53183593/equatorial-fala-em-avancar-na-gd-com-projetos-de-maior-porte

A Neoenergia acaba de iniciar a operação comercial de uma nova subestação e dois trechos de linhas de transmissão que somam 169 quilômetros de extensão, em Mato Grosso do Sul. O projeto, arrematado no lote 4 do leilão 005/2016, está sendo entregue com um ano de antecipação em relação ao prazo estabelecido pela Aneel.

A nova subestação, Dourados 2 (230/138 kV), possui uma área efetiva de construção de 22 mil metros quadrados, contando com dois transformadores com potência de 150 MVA. Um dos trechos de linhas de transmissão entregues é o que vai da subestação Rio Brilhante até Dourados 2, com tensão em 230 kV e 290 torres. A outra linha é a Dourados-Dourados 2 (230 kV), com 120 torres instaladas. As subestações Rio Brilhante e Dourados passaram por obras de ampliação para receber as novas linhas de transmissão, também já concluídas...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53183541/subestacao-e-linhas-de-transmissao-sao-entregues-pela-neoenergia-no-ms

Taesa avalia compra da Celg-T e mira próximos leilões

Em teleconferência ao mercado nessa quinta-feira, 12 de agosto, o CEO da Taesa, André Moreira, reafirmou a posição da companhia como consolidadora no mercado de transmissão e que está avaliando todas as oportunidades no radar, como nos próximos leilões do governo, em dezembro e no começo de 2022, na venda da Celg-T, prevista para outubro, além de oportunidades no mercado secundário.

“Cada leilão é um jogo novo e temos aprendido muito com os movimentos e evoluções significativas dos últimos certames, em que chegamos a ser a segunda oferta em três lotes, o que para nós é muito significativo”, comentou o executivo.

Segundo Moreira, as lógicas das últimas competições trazem algumas premissas a serem rediscutidas no planejamento estratégico, o que é feito regularmente, mas descarta o ingresso ou atenções da empresa para novos segmentos fora de seu core business…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53183496/taesa-avalia-compra-da-celg-t-e-mira-proximos-leiloes