13/07/2022

Light elege Octávio Lopes, fundador da Equatorial Energia, como novo CEO

A Light informou na noite de terça-feira que seu conselho de administração elegeu Octávio Lopes para o cargo de diretor presidente.

O executivo, que assume a companhia em dia 15 de agosto, é fundador da Equatorial Energia, companhia do setor elétrico brasileiro reconhecida pelos níveis de eficiência e capacidade de recuperação de ativos deficitários.

Lopes também atuou na companhia de private equity GP Investments e ocupou assentos em conselhos de administração de diversas empresas, entre elas Magnesita, RHI Magnesita, Gafisa, Webmotors e a própria Light. Atualmente, é CEO da Tok&Stok.

A Light buscava um diretor-presidente desde o fim de junho, quando Raimundo Nonato apresentou sua renúncia, o que levou a uma forte queda das ações da companhia.

Embora tenha sido justificada por "motivos pessoais", a saída de Nonato foi interpretada no mercado como uma evidência das dificuldades enfrentadas pela elétrica fluminense em realizar um "turnaround" bem sucedido de suas operações, principalmente em melhorar seus níveis de perdas.

Com a chegada de Lopes, Wilson Poit, que havia assumido interinamente o comando do grupo, retorna ao cargo de presidente do conselho de administração.

Fonte: Terra

Leia mais em:

https://www.terra.com.br/economia/light-elege-octavio-lopes-fundador-da-equatorial-energia-como-novo-ceo,bacc5d944123589cead50de49f3b635bne92kqz2.html

Transição para fontes de energia renovável entra de vez na pauta das empresas

O aumento da busca por energia elétrica de fontes renováveis, como eólica e solar, na esteira da redução da pegada de carbono por empresas de todos os tipos e porte, não deve deixar ninguém no escuro.

De acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e entidades do setor, a luz está verde para as fontes alternativas, pois um eventual descompasso abrangente entre demanda e oferta ou entre geração e transmissão não está no radar.

— Não temos gargalos em energias renováveis — reforça Elbia Gannoum, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica). — O que vemos nessa perspectiva de mudança climática, de transição energética, é que o Brasil tem um ativo muito valioso. Precisa aproveitar.

A CCEE admite a existência de uma “pontual” sobrecontratação de energia, resultado de uma redução da demanda nos leilões do mercado regulado, em decorrência da pandemia e do aumento da geração própria de energia por meio de fontes eólica e solar. No entanto, isso não prejudicará a transação energética, afirma Rui Altieri, presidente da CCEE...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=347559&sid=105

A Neoenergia iniciará nesta semana testes em Atibaia/SP com um medidor de energia dualchip, que vai funcionar tanto na rede móvel pública quanto na rede privativa móvel da distribuidora de energia. A empresa usará as faixas de 700 MHz e 410 MHz, respectivamente, nesse teste. A novidade foi anunciada por Ricardo Leite, superintendente de smartgrids da companhia, nesta terça-feira, 12, durante o MPN Forum, evento organizado por Mobile Time em São Paulo.

A opção por uma rede híbrida, combinando a pública e a privativa, se deve à ausência de cobertura da rede pública em toda a área de extensão da Neoenergia. “Falta uma solução de rede pública que atenda as utilities”, comentou.

Os testes fazem parte de nova fase no projeto de smartgrid da Neoenergia. A empresa utilizou temporariamente a faixa de 3,5 GHz (agora destinada ao 5G das grandes operadoras) para sua rede privativa móvel, combinada com WiMesh e powerline Communications (PLC) na última milha até os medidores…

Fonte: Abinee - Mobile Time

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=347566&sid=105

Novos valores de Receita Anual de Geração são homologados

A diretoria da ANEEL homologou, na terça-feira (12/7), o valor da Receita Anual de Geração (RAG) das usinas hidrelétricas em regime de cotas para o ciclo 2022/2023. O valor aprovado, de R$ 10,4 bilhões, representa um aumento de 7,31% em relação à receita homologada no ciclo 2021/2022. 

A Receita Anual de Geração (RAG) é o valor em Reais (R$) a que o Gerador com contrato prorrogado tem direito a receber pela disponibilização da Garantia Física de energia e de potência da usina hidrelétrica no regime de cotas de garantia física. Este valor é pago em parcelas duodécimas e sujeita a ajustes de indisponibilidade ou desempenho da geração. Ela é composta dos custos regulatórios de operação, manutenção, administração, remuneração e amortização da Usina Hidrelétrica, sendo reajustada anualmente em julho, além de sofrer revisão a cada 5 anos.

Além das usinas hidrelétricas com a alocação integral de suas garantias físicas de energia e de potência no regime de cotas, nos termos da Lei nº 12.783/2013, recebem RAG, ainda, os prestadores temporários do serviço de geração de energia elétrica, conforme a Portaria MME nº 117/2013. Por último, as concessionárias com Contratos de Concessão celebrados mediante os Leilões nº 2/2014, nº 12/2015 e nº 1/2017 também têm direito à RAG proporcional à disponibilização da garantia física no regime de cotas…

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2022/novos-valores-de-receita-anual-de-geracao-sao-homologados

A Aliança pela Mobilidade Sustentável e a BYD se unem para impulsionar o mercado de veículos elétricos no Brasil. Com isso, a partir desta semana o modelo D1 EV, primeiro veículo elétrico feito sob medida para atender o mercado de transporte por aplicativo, começa a circular na cidade de São Paulo, em fase de teste com um motorista da 99.

“Compor o rol de importantes e seletas empresas da indústria nacional na Aliança pela Mobilidade Sustentável é ratificar o propósito da BYD, atual líder de vendas de veículos elétricos no mundo. Atuamos em todos os segmentos do ecossistema de energia com emissões zero, por meio da inovação e excelência de nossos produtos. Temos um forte compromisso de atender aos motoristas parceiros da 99 e seus respectivos passageiros com soluções econômico-financeiras viáveis, visando conforto e sustentabilidade”, disse o diretor de Vendas da BYD Brasil, Henrique Antunes.

Com a adesão da BYD, a Aliança avança com o objetivo de impulsionar a infraestrutura para veículos elétricos no Brasil e, consequentemente, ampliar seu uso. “Acreditamos em um círculo virtuoso entre todos os envolvidos na Aliança para permitir que veículos de matriz energética mais limpa sejam acessíveis aos motoristas parceiros da 99 tanto em termos financeiros quanto de infraestrutura...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53218233/byd-e-alianca-pela-mobilidade-sustentavel-se-unem-para-acelerar-o-mercado-de-veiculos-eletricos

Guedes e Sachsida defendem no Senado que Brasil é atrativo a investimentos

O ministro de Minas e Energia Adolfo Sachsida ressaltou em audiência pública do Senado Federal que a conta de energia deverá cair, segundo cálculos do MME, 19,49%, na média no Brasil. Esse valor foi destacado pela pasta mais cedo em uma nota informativa onde são consideradas as mudanças legislativas nos últimos meses. Entre elas, o PL 1280, o aporte da Eletrobras na CDE e a redução do ICMS na LCP 194.

O executivo esteve presente na comissão para falar dos custos do combustível no país e participou do encontro logo após o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ambos destacaram, apesar dos ataques da oposição à situação da economia e da inflação, o fato de o país ser atrativo ao investimento externo ao apresentar uma posição de defesa ao livre mercado.

Inclusive, Guedes afirmou em sua participação a não concessão de subsídios a combustíveis fósseis por um longo período como uma forma de incentivar a transição energética no país.

“Subsídios aos combustíveis fósseis por longo tempo desestimula a transição energética, por exemplo, com o uso de fontes como a solar. Por isso baixamos os impostos sem distorcer sistema de preços e sim com a transferência de renda ao invés de subsídios”, afirmou o ministro…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53218232/guedes-e-sachsida-defendem-no-senado-que-brasil-e-atrativo-a-investimentos

Copel e Lactec criam sistema com sensores para monitorar linhas de energia à distância

Engenheiros da Copel e do Lactec desenvolveram uma nova técnica para monitorar de forma remota o desempenho de isoladores em linhas de transmissão e distribuição de energia e, assim, prevenir falhas e desligamentos na rede elétrica. Os isoladores são componentes que sustentam os cabos energizados e evitam o contato deles com o restante da estrutura da linha. Atualmente, o desempenho deles é verificado pelas equipes da Copel em inspeções presenciais.

De acordo com a Copel, para facilitar o planejamento das idas a campo, já que a empresa opera e mantém com pessoal próprio 4,6 mil km de linhas de transmissão, foi proposto um método de análise de corrente de fuga (fluxo de corrente anormal ou indesejado em um circuito elétrico) que permite monitorar à distância a condição de isoladores. Para isso, os pesquisadores da Copel e do Lactec criaram sensores que medem a corrente de fuga dos isoladores e enviam informações em tempo real para um software de supervisão também desenvolvido pela equipe do projeto. Assim, é possível diagnosticar o estado dos equipamentos remotamente para subsidiar o planejamento das intervenções na rede…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53218099/copel-e-lactec-criam-sistema-com-sensores-para-monitorar-linhas-de-energia-a-distancia

Celesc elege dois novos diretores

O Conselho de Administração da Celesc elegeu dois novos diretores da empresa. São eles, Marcos Antônio Pacheco, que passa a ocupar o cargo de diretor de Finanças e Relações com Investidores, e Marco Aurélio Gianesini, que passa a ocupar o cargo de diretor de Distribuição.

Pacheco é formado em contabilidade, com pós graduação e trabalha na Celesc desde 2004, já tendo ocupado diversos cargos gerenciais, e sido membro de Conselhos de Administração de diferentes companhias. Atualmente, ocupava posição de Gestor no Gabinete da Presidência da empresa. Já Gianesini é formado em engenharia, com pós graduação em gestão de projetos. É empregado da Celesc desde 2006, já tendo ocupado diversos cargos gerenciais. Atualmente, atuava como gerente do Departamento de Projetos e Construção do Sistema Elétrico.

A companhia destacou em comunicado que ambos os novos diretores já possuem profundo conhecimento dos direcionamentos estratégicos da empresa e passam a atuar no corpo diretivo com vistas a fortalecer o crescimento da Celesc.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53218079/celesc-elege-dois-novos-diretores