top of page

13/05/2024

Primeira voadeira elétrica faz viagem inaugural no Xingu

A viagem inaugural da primeira voadeira elétrica da região Amazônica aconteceu na última quinta-feira, 09 de maio, em Altamira, no Pará. O transporte de passageiros por meio de embarcação movida a energia elétrica é um projeto iniciado em 2022 pela Norte Energia, concessionária da Usina Hidrelétrica Belo Monte, com a Universidade Federal do Pará (UFPA). O objetivo é contribuir para a descarbonização do Xingu, a partir do desenvolvimento de baterias nacionais para propulsão elétrica, e substituir combustíveis fósseis, como gasolina e óleo diesel, por fonte de energia limpa.
Segundo a Norte Energia, a voadeira é um transporte comum e usado há décadas para deslocamentos de famílias e pescadores na região Amazônica. Com o protótipo construído pela companhia, a intenção é deixar a tecnologia como legado para que, num futuro não tão distante, as voadeiras elétricas sejam uma realidade acessível para a população do Xingu. As embarcações batizadas Poraquê I e II, em alusão ao peixe elétrico, têm sua versão desenvolvida por especialista em engenharia Naval da UFPA com a área de Sustentabilidade da empresa…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53278583/primeira-voadeira-eletrica-faz-viagem-inaugural-no-xingu

OhmConnect combines with Google’s Nest Renew to form virtual power plant firm

Renew Home, a residential virtual power plant (VPP) service, has launched out of the combination of Google’s Nest Renew service and OhmConnect, which the new company says brings together millions of customers across the nation.
Renew already controls nearly 3GW of electrical energy use, and is planning to expand to 50GW by 2030 – approximately 25% of the total VPP growth recently projected by the U.S. Department of Energy (DOE). DOE projects that by tripling the scale of VPPs, we could meet 10-20% of peak electricity demand by 2030 – which would avoid $10 billion in grid costs.
Renew Home was backed by a $100M investment from majority owner Sidewalk Infrastructure Partners (SIP).
“The marriage of Nest’s innovative approach to managing energy use in the home with OhmConnect’s customer-focused grid services platform will be transformational,” said Renew Home CEO Ben Brown. “With our industry-leading partners, Renew Home will be able to coordinate the home energy use of millions of customers to help catapult us into a 100% clean energy future.”...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/energy-grid-management/ohmconnect-combines-with-googles-nest-renew-to-form-virtual-power-plant-firm/

Investimento na indústria renovável cresce 70% no mundo em 2023

Investimentos na indústria de energia renovável atingiram US$ 200 bilhões no mundo em 2023, um avanço de mais de 70% sobre 2022, representando cerca de 4% do crescimento do PIB global, mostra relatório da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês.) O levantamento foca em cinco tecnologias essenciais do setor:  solar fotovoltaica, eólica, baterias, eletrolisadores e bombas de calor.
Conforme a IEA, os aportes na fabricação de equipamentos de energia solar mais do que dobraram no ano passado, enquanto investimentos na manufatura de baterias incrementaram em 60%.
Como resultado, a capacidade de produção de painéis solares já está em linha com o que será necessário para atender a meta de descarbonização projetada pela agência. Quando incluídos os projetos anunciados, a capacidade de fabricação de células de baterias atende 90% da demanda necessária para o objetivo de descarbonização ao final da década.
O relatório também mostra que cerca de 40% dos investimentos na indústria de energia limpa em 2023 foram destinados a linhas que entrarão em operação em 2024. Para baterias, essa parcela sobe para 70%...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/mercado/internacional/investimento-na-industria-renovavel-cresce-70-no-mundo-em-2023

Energia nuclear volta ao centro do debate − e Brasil pode assumir posição estratégica

A combinação da preocupação com segurança energética e descarbonização tem levado o mundo a “redescobrir” a energia nuclear, com diversos países decidindo virar a página de polêmicas que rondam essa matriz e investindo em planos de construção e expansão de plantas atômicas.
Um dos entusiastas da ampliação do uso desta fonte de energia no Brasil, o ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque argumenta que o País ocupa posição privilegiada na nova conjuntura global e deveria explorar seu potencial com um olhar estratégico para o futuro, combinando outras fontes limpas em desenvolvimento ao uso da energia nuclear, sem descartar o consumo de petróleo e gás.
Para ele, o investimento em usinas nucleares teria papel decisivo na construção de uma “independência energética” no Brasil, a partir da diversificação de fontes, em um contexto de acirramento dos conflitos geopolíticos e maior demanda internacional pela descarbonização – cenário em que o País conta com vantagens competitivas naturais por dispor de uma matriz muito mais limpa do que a média...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/politica/energia-nuclear-volta-ao-centro-do-debate-mundial-e-brasil-pode-ter-posicao-estrategica/

Até 50 mil unidades consumidoras de energia “desaparecerem” no RS, estima CPFL

A CPFL estima que entre 30 mil a 50 mil unidades consumidoras de energia elétrica de sua distribuidora gaúcha RGE “desapareceram” com as inundações no Rio Grande do Sul, onde milhares estão desalojados com suas casas destruídas e cidades inteiras estão embaixo d’água, disse o CEO da companhia à Reuters.
Segundo Gustavo Estrella, essa é a maior tragédia humanitária com a qual a empresa já se deparou, embora o número total de clientes que estão agora sem energia no Estado seja inferior ao registrado em outras ocasiões. A RGE chegou a ter 700 mil unidades sem luz em um forte temporal em janeiro, ante os 300 mil registrados no pior momento do evento atual.
“Não é que a casa alagou, não existe mais casa. Algumas cidades, principalmente do Vale do Taquari, vamos ter uma situação como essa, de clientes que vamos religar à medida que a casa ficar pronta… Terá que haver uma reconstrução da cidade para que depois a gente venha com a energia”, disse o executivo em entrevista à Reuters...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/mercados/ate-50-mil-unidades-consumidoras-de-energia-desaparecerem-no-rs-estima-cpfl/

Mercado Livre de Energia já é maior do que o regulado em dois estados

O ano de 2024 começou com a possibilidade de todos os consumidores brasileiros do Grupo A (Alta Tensão) migrarem do ACR (Ambiente de Contratação Regulada) para o Mercado Livre de Energia.
Tal mudança já atraiu milhares de empresas de médio e pequeno porte – como indústrias, redes de serviço e varejo – interessadas na possibilidade de negociarem a compra de sua própria energia, por meio de contratos bilaterais de curto, médio ou longo prazo, com os fornecedores de sua preferência. 
Devido a esta abertura, o que tem se visto no país é um crescimento gradativo do Mercado Livre de Energia em relação ao ambiente regulado, onde quem define os preços praticados e realiza o fornecimento da energia são as próprias distribuidoras.
Nesta semana, dados publicados pela ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) revelam que hoje mais de um terço do consumo de energia elétrica no Brasil (cerca de 37,2%) já é proveniente do Mercado Livre de Energia, conforme ilustra a imagem abaixo:...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/mercado-livre-energia-crescimento-brasil/

Brasil teve R$ 8 bilhões em investimentos no primeiro trimestre de 2024

Durante o primeiro trimestre de 2024, o investimento no Brasil em instalações de GD (geração distribuída) chegou a marca de R$ 8 bilhões de acordo com dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).
De acordo com o levantamento promovido pelas instituições, de janeiro a março deste ano, houve a instalação de cerca de 200 mil novos sistemas. Além disso, quase 250 mil UCs (unidades consumidoras) se beneficiaram dessas novas instalações.
As novas conexões geraram cerca de 60 mil empregos – diretos e indiretos – em todo o Brasil.
No trimestre foram adicionados pouco mais de 2 GW de capacidade no segmento de GD. O estado que adicionou mais potência foi São Paulo – que recentemente ultrapassou a marca de 4 GW instalados em GD – com 368 MW. Além disso, Minas Gerais e Paraná foram os outros estados que adicionaram mais de 200 MW no período...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/brasil-8-bilhoes-investimentos-primeiro-trimestre/

Light acerta acordo preliminar com ‘bondholders’

A Light enviou comunicado ao mercado na última quinta-feira, 9 de maio, informando que assinou um acordo preliminar (term sheet) com um grupo de credores (bondholders) detentores de títulos da dívida da Light Sesa e Light Energia no mercado internacional. O acordo abrange 41,13% dos títulos do endividamento total no âmbito desses títulos.
De acordo com o comunicado, o acordo – que está sujeito à negociação e celebração dos documentos definitivos entre as partes – representa mais uma etapa significativa no processo de equacionamento das dívidas do grupo.
No fim de abril, o conselho da Light aprovou novo plano de recuperação judicial. Desde maio de 2023, a companhia está em RJ por conta de dívida de R$ 11 bilhões, puxadas pela difícil situação da distribuidora.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53278555/light-acerta-acordo-preliminar-com-bondholders

bottom of page