13/04/2022

Chesf investe R$ 33 milhões em Teresina II

A Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco), uma das maiores transmissoras do Brasil, energizou nesta terça-feira (12) o quarto banco de autotransformadores de alta tensão 500kV/230kV da Subestação Teresina II, localizada na capital do Piauí.

O investimento foi de cerca de R$ 33 milhões. Com isso, foi reforçado o Sistema Interligado Nacional para transmissão de energia entre as regiões.

Atualmente, essa subestação é uma das mais importantes para a transmissão de energia elétrica produzida por grandes hidrelétricas do Norte para todo o país.

Segundo a Chesf, a obra evita a sobrecarga nas unidades, em caso de ocorrência, o que permite mais confiabilidade no fornecimento de energia, com incremento de 30% de potência no sistema Chesf...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/chesf-investe-r-33-milhoes-em-teresina-ii/

Solar foi a fonte renovável com maior adição global de energia em 2021

Novos dados divulgados, nesta segunda-feira (11), pela IRENA (Agência Internacional de Energia Renovável) mostram que as energias limpas continuam a crescer e ganhar impulso em todo mundo, apesar das incertezas globais.

De acordo com a Agência, até o final de 2021, a capacidade mundial de geração renovável totalizou 3.064 GW, aumentando o estoque de energia renovável do planeta em 9,1%.

Embora a energia proveniente de hidrelétricas represente ainda a maior parte da capacidade total de geração renovável, com 1.230 GW, as Estatísticas de Capacidade Renovável da IRENA 2022 mostram que as fontes solar e eólica continuaram a dominar a nova capacidade de geração.

Juntas, ambas as tecnologias contribuíram com 88% para a participação de toda a nova capacidade renovável em 2021. A capacidade solar liderou com um aumento de 19%, seguida pela eólica, que aumentou sua expansão em 13%...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/solar-foi-a-fonte-renovavel-com-maior-adicao-global-de-energia-em-2021/

ANEEL aprova novos critérios no mercado de energia

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou, nesta terça-feira (12/4), a emissão de resolução normativa que estabelece critérios de entrada, manutenção e saída de agentes no mercado de energia. As novas normas foram criadas para o aperfeiçoamento de mecanismos de segurança do mercado de energia elétrica. A aprovação ocorre após consulta pública (CP nº 51/2021), que recebeu 179 contribuições de 25 agentes, entre 18 de agosto e 17 de setembro de 2021.

Destinado a tornar mais efetivo  o rol de exigências para obtenção de autorização de comercializadores junto à ANEEL, o tema foi sugerido pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) por meio de notas técnicas encaminhadas à Agência. A autorização para comercialização de energia encontra-se regulamentada por meio da REN nº 678, de 2015 (atualmente consolidada na REN nº 1.011, de 2022).

A Resolução Normativa reforça o processo de aprovação e de acompanhamento das comercializadoras ao longo do período de suas operações por meio de avaliações periódicas de relatórios que comprovem a boa saúde financeira das empresas...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://www.gov.br/aneel/pt-br/assuntos/noticias/2022/aneel-aprova-novos-criterios-no-mercado-de-energia

Enel fecha com BEI crédito de € 600 mi para projetos renováveis no Brasil, Peru e Colômbia

A Enel, o Banco Europeu de Investimento, por meio de sua filial de desenvolvimento EIB Global, e a seguradora financeira italiana SACE estão apoiando o desenvolvimento de programas de energia renovável e eficiência energética no Brasil, na Colômbia e no Peru por meio de linhas de financiamento sustainability-linked para mitigar os efeitos causados pelas mudanças climáticas. O BEI forneceu à Enel um formato de financiamento que prevê um escopo multipaís, multinegócios e multimoedas de até € 600 milhões , o equivalente a mais de US$ 650 milhões, apoiado pela garantia da SACE.

O acordo representa a primeira operação da EIB-SACE e o maior financiamento do banco para uma entidade do setor privado fora da Europa. Os projetos financiados com este escopo devem gerar cerca de 2.307 GWh de energia limpa por ano, o equivalente ao consumo anual de 1,32 milhão de residências.

Como parte do acordo, a Enel Green Power Peru recebeu US$ 130 milhões, destinados à implantação de projetos eólicos e solares fotovoltaicos de quase 300 MW no país. O valor remanescente dos US$ 600 milhões apoiará o crescimento dos investimentos sustentáveis do Grupo Enel no Brasil e na Colômbia por meio de projetos de geração de energia renovável e distribuição de energia…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53208206/enel-fecha-com-bei-credito-de-e-600-mi-para-projetos-renovaveis-no-brasil-peru-e-colombia

Roubo de cabos de cobre na região metropolitana de BH trazem prejuízos à Cemig

O furto de cabos de cobre é um crime que tem gerado grande número de ocorrências na Região Metropolitana de Belo Horizonte e causado transtornos para as empresas públicas que ofertam serviços essenciais à sociedade, como a Cemig e Copasa. Nos últimos três anos, entre 2019 e 2021, a Cemig teve cerca de 20 quilômetros de cabos de cobre da sua rede subterrânea furtados no hipercentro de Belo Horizonte, ocasionando um prejuízo financeiro estimado  em R$3,3 milhões. No ano passado, a média era de nove furtos de cabos por mês e, agora, neste início de ano, é de 11 furtos de cabos por mês. Nos últimos meses, ações criminosas desta natureza provocaram a interrupção da energia, colocando em perigo centenas de pessoas em hospitais da cidade e deixando sem água consumidores de algumas regiões.

Em março, uma ocorrência de tentativa de furto de cabos em uma galeria subterrânea, registrada no Hospital das Clínicas, na Região Hospitalar da capital mineira, causou um curto-circuito no cabeamento interno e atingiu a rede subterrânea da Cemig…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53208138/roubo-de-cabos-de-cobre-na-regiao-metropolitana-de-bh-trazem-prejuizos-a-cemig

Alsol e Vision avançam com a negociação de 3 empresas

A Energisa informou que a Alsol e a Vision Sistemas confirmaram o cumprimento das condições precedentes que foram estabelecidas para a consumação da aquisição do grupo das sociedades que detém projetos de unidades de geração fotovoltaica em desenvolvimento. O preço de aquisição pago pela Alsol é de R$ 6.942.618,76

O negócio acrescenta à Energisa a possibilidade de ser responsável pela operação de até 33 novas unidades de geração distribuída por fonte solar, que, ao final da implementação dos respectivos projetos, poderão adicionar até 110,2 MWp ao portfólio da Alsol. Estão nessa transação a Renesolar, Flowsolar e Carbonsolar. Entre as condições está incluída a aprovação, sem restrições, do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

Ainda estão pendentes da verificação de condições precedentes a aquisição da SPE Vision Solar I, Vision Francisco Sá, Vision Itaobim, UFV Vision IV Curvelo , SPE Vision V Almenara, UFV Vision VI Arcos 2,5 MW, SPE UFV Vision VII Mateus Leme 2,4 MW e Vision VIII Iguatama 2,4 MW...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53208094/alsol-e-vision-avancam-com-a-negociacao-de-3-empresas

Sterlite Power recebe autorização para operar o Projeto Borborema

A Sterlite Power Brasil, empresa que desenvolve projetos de transmissão de energia, recebeu a Licença de Operação (LO) para o Projeto Borborema, localizado na Paraíba. O documento, emitido pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente do Governo da Paraíba (Sudema), autoriza a empresa a iniciar as atividades a partir de maio de 2022, aproximadamente 10 meses antes do previsto pela companhia.

Em comunicado, a empresa destacou que o Projeto Borborema é importante porque vai ampliar a capacidade de atendimento à região metropolitana da capital João Pessoa, cujo sistema elétrico está próximo a esgotamento, tanto da capacidade das linhas de transmissão quanto das subestações. A Licença de Operação atesta a viabilidade ambiental do empreendimento e autoriza o início da prestação do serviço de transmissão de energia elétrica.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53208071/sterlite-power-recebe-autorizacao-para-operar-o-projeto-borborema

Enel SP investe mais de R$ 1,6 bi em 2021

A Enel SP investiu mais de R$ 1,6 bilhão no fortalecimento do sistema elétrico, valor 63,5% superior ao investido em 2020. Desde que assumiu a distribuidora, em 2018, foram mais de R$ 4 bilhões investidos principalmente na modernização, automação e ampliação da capacidade da rede elétrica, com foco na melhoria contínua da qualidade do serviço para os mais de 7,4 milhões de clientes atendidos pela companhia.

A Enel informou que este ano vai avançar ainda mais na automação, com a instalação de mais de 3,2 mil equipamentos de automação de rede, e iniciará um projeto piloto com um novo tipo de cabo compacto ainda mais resistente a interferências externas na rede. Outra ação importante e contínua é o monitoramento do crescimento urbano das regiões. A distribuidora tem um plano consistente de investimento em expansão e modernização do sistema elétrico, trazendo tecnologias de ponta e evoluindo na transformação digital da rede.

De acordo com a empresa, o compromisso com os investimentos contínuos resultou em uma evolução nos indicadores de qualidade. Na comparação de 2021 com 2020, houve uma redução de 10% no DEC (duração das interrupções) e 5,2 % no FEC (frequências das interrupções).

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53208064/enel-sp-investe-mais-de-r-16-bi-em-2021

Plano decenal de energia estima 37 GW de geração distribuída no Brasil em 2031

O cenário referência do Plano Decenal de Energia (PDE 2031) estima 37 GW de potência instalada na micro e minigeração distribuída (MMGD), beneficiando pouco mais de quatro milhões de unidades de geração no Brasil em 2031. Atualmente, a modalidade possui 10 GW operacionais.

Conforme o estudo, elaborado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e lançado oficialmente na última quinta-feira (07/04), a tecnologia solar fotovoltaica mantém-se como a principal fonte no segmento, respondendo por cerca de 93% de toda essa expansão.

A projeção representa um aumento de cerca de 20% em relação ao PDE 2030. Nesse cenário, a geração distribuída, em conjunto com a autoprodução, representará 17% da matriz elétrica, estimada em 275 GW ao final do horizonte decenal.

A EPE indica que a MMGD deve contribuir com aproximadamente 7% da carga nacional. O estudo também analisou a competividade de baterias atrás do medidor, assinalando que o custo desse equipamento ainda é elevado no Brasil, dificultando a sua entrada no período decenal...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/operacao-e-expansao/planejamento/plano-decenal-de-energia-estima-37-gw-de-geracao-distribuida-no-brasil-em-2031