12/04/2021

Conforme Irena, em 2020, instalação de nova capacidade de geração renovável reporta valor recorde

De acordo com levantamento realizado pela Agência Internacional de Energia Renovável (Irena), a nova geração elétrica adicionada no mundo em 2020 totalizou 260 gigawatts (GW). A entidade aponta que, mesmo com a desaceleração econômica provocada pela pandemia da Covid-19, o volume superou as previsões e recordes obtidos anteriormente.

Em relação ao total de nova capacidade de energia, as estatísticas anuais da entidade indicam que a representatividade das renováveis passou, pelo segundo ano seguido, por um aumento significativo. Em 2020, as fontes renováveis responderam por mais de 80% de toda a nova geração elétrica acrescentada no ano, com a eólica e solar representando 91% desses sistemas.

Totalizando 78 GW, a capacidade total de energia solar fotovoltaica alcançou o mesmo patamar que a eólica devido à expansão no continente asiático em 2020. Com 11 GW e 49 GW de nova capacidade, respectivamente, Vietnã e China assinalaram grandes volumes no ano. O Japão acrescentou, aproximadamente, 5 GW, ao passo que a Coreia do Sul e a Índia contaram com 4 GW adicionados de nova geração solar. Os Estados Unidos registraram um aumento de 15 GW...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/energia-renovavel/conforme-irena-em-2020-instalacao-de-nova-capacidade-de-geracao-renovavel-reporta-valor-recorde.html

LONGi e WDC firmam parceria com foco em GD no Brasil

A WDC Networks e a fabricante de módulos e células solares LONGi Solar assinaram um acordo de fornecimento visando o mercado de geração distribuída no Brasil. O anúncio foi divulgado na semana passada pelas empresas.

Com a parceria entre as companhias, a WDC – empresa focada em Technology as a Service – vai passar a utilizar os módulos LONGi na montagem de seus geradores de energia fotovoltaicos fabricados em Extrema (MG).

“A LONGi, líder global no fornecimento de módulos solares e empresa com maior saúde financeira do segmento, conta com seus produtos HIMO-4 e HIMO-5 reconhecidos pela alta qualidade e produção de energia. Reconhecemos a altíssima qualidade das soluções da LONGi como parceiro estratégico para a fabricação dos geradores WDC Solar”, afirmou André Luiz de Paula Souza, diretor da unidade de Solar da WDC Networks...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/longi-e-wdc-firmam-parceria-com-foco-em-gd-no-brasil/

Focus Energia anuncia parceria com Cielo para venda de geração renovável

A Focus Energia anunciou nesta segunda-feira parceria com o grupo de meios de pagamento Cielo para abrir novo canal para a venda da produção de eletricidade gerada em instalações solares e pequenas hidrelétricas da companhia.

Segundo as empresas, estabelecimentos comerciais credenciados à Cielo, inicialmente em 82 cidades no Estado de São Paulo, poderão aderir a um consórcio da Focus pelo qual terão acesso à energia com ao menos 15% de desconto em relação a suas contas de eletricidade.

"A fase piloto, que começou no dia 8 de fevereiro, contempla municípios paulistas atendidos pela distribuidora Energisa. Em setembro, o projeto será expandido para mais 774 municípios de Minas Gerais atendidos pela Cemig, incluindo a região metropolitana de Belo Horizonte", disseram, em comunicado conjunto...

Fonte: Época Negócios

Leia mais em:

https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2021/04/epoca-negocios-focus-energia-anuncia-parceria-com-cielo-para-venda-de-geracao-renovavel.html

EDP tem 10 milhões para investir em startups em Portugal

A EDP tem 10 milhões de euros para investir em startups registadas em Portugal. A elétrica portuguesa, através da unidade de capital de risco EDP Ventures, prolongou a existência do fundo Cleantech FCR. A empresa está disponível para colocar entre 500 mil e dois milhões de euros em rondas de financiamento das fases seed (semente) e série A, assumindo sempre uma posição minoritária, segundo o comunicado divulgado esta segunda-feira.

Este montante está disponível para startups "com potencial de acrescentar valor e revolucionar áreas como as energias limpas, redes inteligentes, eficiência energética, mobilidade elétrica, soluções de armazenamento de energia, cibersegurança, inteligência artificial, Internet of Things, manutenção preditiva, realidade aumentada e realidade virtual, big data e advanced analytics"…

Fonte: Dinheiro Vivo

Leia mais em:

https://www.dinheirovivo.pt/fazedores/edp-tem-10-milhoes-para-investir-em-startups-em-portugal-13560218.html

Energisa utiliza helicóptero para inspeções na rede elétrica

A Energisa está investindo em tecnologia para agilizar as inspeções em sua rede. Em Minas Gerais a distribuidora conta com equipamentos modernos e um helicóptero para inspeções visuais e termográficas aéreas nas linhas, garantindo maior rapidez.

A distribuidora informou que utiliza equipamentos de alta tecnologia, com uma câmera de alta resolução acoplada ao helicóptero, sendo assim, é possível identificar desde o estágio inicial até os locais onde ações corretivas devem ser realizadas de forma programada. A câmera capta as imagens e identifica vegetação na faixa, pontos quentes em conexões, isoladores trincados, cabos partidos. As informações são enviadas para as equipes, garantindo a realização dos serviços nos locais certos e com agilidade requerida. O maior ganho da inspeção aérea é a verificação rápida do estado das linhas, que podem colocar o sistema em risco.

Segundo a concessionária, dentro do planejamento estratégico de investimento na rede, no mês de março, foram inspecionados aproximadamente 580 km de linhas de transmissão, que interligam as subestações da área de concessão da Energisa em Minas Gerais, um investimento de cerca de R$ 180 mil.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53169129/energisa-utiliza-helicoptero-para-inspecoes-na-rede-eletrica

Petrobras conclui venda de participação na Eólica Mangue Seco 1 para a V2I Energia

A Petrobras comunicou nesta sexta-feira (9) que concluiu a venda de sua participação de 49% na sociedade Eólica Mangue Seco 1 para a V2I Energia S.A, por R$ 44 milhões. A quantia inclui os ajustes previstos no contrato de compra e venda de ações.

“Essa operação está alinhada à estratégia de otimização de portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à maximização de valor para os seus acionistas”, informou a Petrobras, em comunicado.

A Eólica Mangue Seco 1 faz parte de um complexo de quatro parques eólicos (Mangue Seco 1, Mangue Seco 2, Mangue Seco 3 e Mangue Seco 4), localizado em Guamaré, no Rio Grande do Norte, com capacidade instalada total de 104 megawatts (MW).

A Eólica Mangue Seco 1 detém e opera um parque eólico com capacidade de 26 MW.

A V2I é subsidiária do Vinci Energia Fundo de Investimento em Participações em Infraestrutura, que tem como gestora a Vinci Infraestrutura Gestora de Recursos.

Fonte: Porto e Navios

Leia mais em:

https://www.portosenavios.com.br/noticias/geral/petrobras-conclui-venda-de-participacao-na-eolica-mangue-seco-1-para-a-v2i-energia

Reive Barros é escolhido para diretoria de engenharia da Chesf

Reive Barros dos Santos é o novo diretor de Engenharia da Chesf, empresa onde iniciou sua trajetória de 45 anos no setor. A decisão do conselho administrativo aconteceu no final de março e ocorre em substituição a Roberto Pordeus Nóbrega, que já havia sido eleito para a nova diretoria de Regulação e Comercialização, informa a companhia em nota.

Formado pela Escola Politécnica de Pernambuco (UPE), com mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Reive atuou em grandes empresas nas áreas de Geração, Transmissão e Distribuição, chegando a ser secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do MME, presidente da EPE e diretor da Aneel e da Associação Brasileira de Agências de Regulação (ABAR).

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53169125/reive-barros-e-escolhido-para-diretoria-de-engenharia-da-chesf

Green Yellow e KWP vão implantar solares flutuantes da Emae

A Emae selecionou as empresas GreenYellow e KWP Energia para implantação de usinas solares fotovoltaicas flutuantes no reservatório Billings, na capital paulista. Cinco empresas demonstraram interesse no processo e as duas foram habilitadas para participarem.

Para o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente de São Paulo, Marcos Penido, o projeto coloca em prática as diretrizes do estado para uso de energias renováveis. De acordo com ele, com as usinas flutuantes, a matriz energética de São Paulo é diversificada e se desenvolvem novas tecnologias gerando autonomia, economia e mais empregos.

Já o presidente da Emae, Marcio Rea, acrescenta que o projeto pioneiro resultará na ampliação da implantação desses empreendimentos inovadores. Segundo Rea, o sucesso na Billings deve abrir novas perspectivas de geração não apenas na capital como em outros reservatórios de São Paulo. A próxima etapa do projeto é definir um ou mais modelos de negócios, considerando aspectos técnicos, estratégicos e de governança.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53169051/green-yellow-e-kwp-vao-implantar-solares-flutuantes-da-emae

Varejo deve focar em realização, bem-estar e Realidade Virtual para atrair consumidor

O varejo que quer atrair o consumidor nos anos que estão por vir deve estar atento a tendências como venda de produtos por encomenda, a gamificação de experiências e a promoção de bem-estar. As marcas devem se adaptar a clientes que ocupam dois espaços em tempo integral: a casa física e o mundo digital.

É o que mostra o relatório “Future Consumer 2023”, realizado pela consultoria WGSN a partir de pesquisas feitas com pessoas do mundo todo nos últimos meses. “À medida que quebramos os limites entre o comércio físico e o digital, as marcas devem se adaptar rapidamente. Se você não encontrar seus clientes onde eles estão, outra pessoa o fará”, alerta a diretora de Insight da WGSN, Andrea Bell.

Um ano após o início da pandemia de Covid-19 e da reformulação compulsória dos negócios, as empresas agora estão buscando oportunidades no rescaldo das incertezas que ainda pairam no ar. A percepção do consumidor sobre produtos e experiências mudou, redefinindo o consumo global e as prioridades. Segundo o relatório, os efeitos da sobrecarga emocional e do anseio por dias melhores ainda ressoarão em 2023...

Fonte: Mercado e Consumo

Leia mais em:

https://mercadoeconsumo.com.br/2021/03/29/varejo-deve-focar-em-realizacao-bem-estar-e-realidade-virtual-para-atrair-consumidor/