11/06/2021

Entenda as diferenças entre GD compartilhada, remota, condominial e junto à carga

A geração distribuída (GD) consiste no segmento em que o consumidor de energia realiza o investimento do próprio sistema de geração de eletricidade em um imóvel, como residências, comércios ou pequenas indústrias. Essa modalidade está em rápido avanço no Brasil, visto que os usuários comprovam os seus benefícios econômicos, financeiros e ambientais. No período entre janeiro e junho, 105 mil novos sistemas foram instalados, totalizando 1 gigawatt em cinco meses de 2021. Nesta semana, o país deve alcançar 6 GW instalados em sistemas de geração distribuída em atividade.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que determina as regras do setor elétrico no país, foi responsável por fazer isso tudo acontecer, inovando ao desenvolver uma série de normas na Resolução Normativa n.°482/12. Assim, desde que seja obtida por meio de fontes renováveis (eólica, biomassa ou solar), o consumidor é capaz de produzir sua própria energia...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/geracao-distribuida/entenda-as-diferencas-entre-gd-compartilhada-remota-condominial-e-junto-a-carga.html

Projeto eólico de R$ 3 bilhões da Enel entra em operação comercial no Piauí

A  Enel Green Power Brasil iniciou hoje a operação comercial do parque eólico Lagoa dos Ventos, no estado do Piauí. A entrada do projeto ocorre em um momento em que o país passa por uma das maiores crises hídricas da história, o que levou o Operador Nacional do Sistema Elétrico a emitir um alerta de que diversas usinas podem enrar em colapso.

A construção da unidade de 716 MW, localizada nos municípios de Lagoa do Barro do Piauí, Queimada Nova e Dom Inocêncio, envolveu um investimento de cerca de R$ 3 bilhões.

O parque eólico Lagoa dos Ventos é composto por 230 turbinas eólicas e será capaz de gerar mais de 3,3 TWh por ano, o que equivale ao consumo de 1,6 milhão de residências. Enfileiradas, as turbinas têm uma extensão 10 vezes maior que a ponte Rio-Niterói...

Fonte: Abinee - O Globo

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339246&sid=105

Equatorial busca negócios em geração renovável

Tradicional no segmento de distribuição de energia, a Equatorial está se preparando para fortalecer sua presença na área de geração, com foco nas fontes renováveis, principalmente a solar. Esse é mais um passo numa estratégia muito mais ampla da companhia, que vê a possibilidade se tornar uma “multi-utility”, agregando mais serviços a seu portfólio, como o de saneamento.

“A liberalização do mercado de energia é algo natural, uma empresa como a Equatorial precisa se mexer. Com a CEEE-D [distribuidora adquirida neste ano], vamos chegar a quase 10 milhões de clientes. Surgem outras oportunidades. Podemos ser uma empresa ‘multi-service’. Já entendemos isso e estamos nos movimentando”, disse ontem o presidente da companhia, Augusto Miranda, em participação na Live do Valor...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339211&sid=105

Capitalização da Eletrobras deve levantar R$ 25 bilhões, diz Limp

A capitalização da Eletrobras deverá ocorrer no primeiro bimestre de 2022 e levantar recursos privados da ordem de R$ 25 bilhões, disse ontem o presidente da estatal, Rodrigo Limp, em sua primeira entrevista no cargo.

 Segundo o executivo, a projeção leva em conta o que a Eletrobras precisará pagar ao Tesouro Nacional, como bônus de outorga pelos novos contratos de concessão das suas usinas hidrelétricas. Ele ponderou, no entanto, que o valor final da operação ainda depende de estudos tocados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela própria empresa.

“A questão da bonificação da outorga é um parâmetro que foi considerado, mas há outro, que é a premissa de que a operação tenha tamanho suficiente para que a União tenha seu controle reduzido a menos da metade. Caso não seja suficiente, ainda é prevista a possibilidade de alienação de ações da União, mas esse não é o cenário mais provável”, afirmou ao Valor…

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=339210&sid=105

Equatorial Energia anuncia compra de E-Nova, de energia solar, por R$ 7,5 mi

A Equatorial Energia anunciou a aquisição, por meio de sua subsidiária Equatorial Geração Distribuída, da E-Nova por R$ 7,5 milhões. Segundo o site da empresa comprada, a E-Nova é pioneira em energia solar no Brasil, líder no Maranhão e uma das cinco maiores do Nordeste. O contrato foi fechado com João Victor Mapurunga Caracas, Guilherme de Carvalho Farias e Felipe Simões Freitas e Silva.

“A operação contribuirá para acelerar a atuação da companhia em um novo segmento de mercado, com foco em oferecer soluções técnicas em eficiência energética e geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis, inclusive por meio da geração distribuída, o que permitirá a companhia avançar em sua estratégia de criação de valor”, aponta o fato relevante da Equatorial.

Será realizada uma assembleia geral extraordinária para deliberar sobre a emissão de bônus de subscrição em favor dos vendedores da E-Nova, exercíveis até o 6º (sexto) aniversário da data do fechamento do contrato e que poderão corresponder até 5% do capital social da sociedade caso sejam exercidos.

Fonte: Isto É Dinheiro

Leia mais em:

https://www.istoedinheiro.com.br/equatorial-energia-anuncia-compra-de-e-nova-de-energia-solar-por-r-75-mi/

Siemens Energy and Mitsubishi Electric partner on new high-voltage switching solutions

According to Siemens Energy, in most of the world’s substations, sulfur hexafluoride (SF6) – the most potent greenhouse gas in the world with a potential for global warming roughly 23,500 times greater than CO2, – is still the insulating gas of choice.

The demand for alternatives is growing as operators seek future-proof technologies that significantly reduce the carbon footprint of their systems. Furthermore, regulations to reduce or prohibit the use of fluorinated gases in the electrical industry are being reviewed and implemented in various parts of the world.

In response to this, both companies will research methods for scaling up the application of clean-air insulation technology to higher voltages. They’ll start with a 245-kV dead-tank circuit breaker that will speed up the availability of climate-neutral high-voltage switching solutions for customers around the globe…

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/energy-grid-management/siemens-energy-and-mitsubishi-electric-partner-on-new-high-voltage-switching-solutions/

Com investimento de R$ 3 bi, Enel Green Power inicia operação de parque eólico

A Enel Green Power Brasil, subsidiária do Grupo Enel, deu início a operação comercial do parque eólico Lagoa dos Ventos. A construção da unidade de 716 MW, que contou com investimento de cerca de 3 bilhões de reais, está localizada nos municípios de Lagoa do Barro do Piauí, Queimada Nova e Dom Inocêncio, no estado do Piauí.

Segundo a companhia, o parque eólico Lagoa dos Ventos, que agora está em operação, é composto por 230 turbinas eólicas e será capaz de gerar mais de 3,3 TWh por ano, evitando a emissão de mais de 1,9 milhão de toneladas de CO2 na atmosfera. Da capacidade instalada total da planta, 510 MW foram conquistados pela Enel Green Power no leilão A-6, em dezembro de 2017, e estão apoiados por contratos de fornecimento de energia de 20 anos para um pool de distribuidoras que operam no mercado regulado, enquanto a produção dos 206 MW restantes será fornecida ao mercado livre para venda a clientes comerciais, alavancando a presença integrada da Enel no país…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53176306/com-investimento-de-r-3-bi-enel-green-power-inicia-operacao-de-parque-eolico

Italianas se unem para oferecer soluções de smart cities no Brasil

Enel X, Leonardo e TIM, três importantes empresas italianas e globais nos setores de energia, mobilidade elétrica, tecnologias, conectividade e segurança cibernética, assinaram na última quarta-feira, 9 de junho, um Acordo de Intenções para oferecer soluções conjuntas a um modelo de cidades inteligentes para o Brasil.

Cada companhia desenvolverá e fornecerá capacidades fundamentais no âmbito de projetos comuns no campo de transporte, conectividade, transformação digital e energia, oferecendo soluções conjuntas para uma e-cidade conectada.

Além de contribuir de forma eficiente para trazer mais proteção, segurança e qualidade de vida aos cidadãos em suas atividades diárias, o objetivo da iniciativa é impulsionar tecnologias que permitam às cidades, indústrias e residências aumentarem a segurança, entregando produtos e serviços que impulsionem a expertise da indústria brasileira…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53176142/italianas-se-unem-para-oferecer-solucoes-de-smart-cities-no-brasil

Schneider traz painel verde para média tensão para mercado brasileiro

A Schneider Electric anunciou o painel de distribuição de energia SM Air Set, que já está disponível no mercado brasileiro. O lançamento acontece no Innovation Summit 2021, principal evento anual da empresa, que acontece nesta quinta-feira, 10 de junho. O produto, voltado aos consumidores em média tensão, é considerado “verde” ao utilizar somente ar puro e vácuo, ao invés de hexafluoreto de enxofre, um dos gases de efeito estufa listado no protocolo de Kyoto.

De acordo com Julio Martins, vice-presidente da Schneider Electric no Brasil, esse é mais um avanço da empresa em suas ações de sustentabilidade para redução gradual da emissão de carbono, permitindo que os usuários aproveitem ao máximo os recursos digitais para extrair o valor dos dados sem comprometer o meio ambiente. Martins destaca que a nova oferta é um modelo ambientalmente superior de uma das linhas mais populares da Schneider Electric para distribuição elétrica secundária, a SM6…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53176155/schneider-traz-painel-verde-para-media-tensao-para-mercado-brasileiro

Sob ritmo da transição energética, Schneider quer manter crescimento no Brasil

A Schneider Electric quer manter um forte ritmo de crescimento no Brasil em 2021. Em coletiva realizada nesta quarta-feira, 09 de junho, o vice presidente de Energy da Schneider no Brasil, Júlio Martins, revelou que a empresa vê um grande potencial na transição energética, com a grande inserção de renováveis que acontece no país. De acordo com ele, o forte da empresa está na parte de inteligência e controle, com soluções capazes de entregar eficiência e gestão da energia. “Quando a gente olha o potencial a ser explorado, as nossas ferramentas colaborativas, vê um potencial enorme. É por aí que a gente acredita e vai continuar investindo e crescendo bastante”, explica. A Schneider está no Brasil há 74 anos.

Segundo o executivo, a pandemia potencializou mudanças na forma com lidamos com a energia, como alterações nos pontos de consumo, migrando para as casas das pessoas. Para ele, há no Brasil dados animadores de aumento de inserção de renováveis. Martins também vê na criação da figura do prosumidor oportunidades na digitalização, como gestão e controle, áreas que a empresa tem expertise. Para ele, as tecnologias digitais possibilitarão uma operação mais eficiente e sustentável. A empresa promete um novo painel de média tensão, livre de gás SF6…

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53176154/sob-ritmo-da-transicao-energetica-schneider-quer-manter-crescimento-no-brasil