11/05/2020

Socorro a companhias elétricas e aéreas pode sair esta semana

Os pacotes de socorro às distribuidoras de energia elétrica e às companhias aéreas, desenhados por um consórcio de bancos coordenado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que trabalha para apoiar os setores mais afetados pela pandemia de covid-19, deverão chegar a uma definição nesta semana, apurou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Os valores do socorro deverão ficar entre R$ 10 bilhões e R$ 13 bilhões, no caso do setor elétrico, e de R$ 4 bilhões a R$ 7 bilhões, no aéreo, disseram fontes que acompanham as negociações. O apoio à fabricante de aviões Embraer corre em paralelo e não estará nessa primeira ajuda.

A definição dos primeiros pacotes de socorro setorial em meio à crise se dará nas condições a serem oferecidas às empresas. Valores e implementação dependerão do “aceite” das companhias que quiserem recorrer à ajuda, informaram as fontes...

Fonte: Exame

Leia mais em:

https://exame.abril.com.br/economia/socorro-a-companhias-eletricas-e-aereas-pode-sair-esta-semana/

Vestas passa barreira de 10 GW em um ano, aponta consultoria

Com os dados consolidados de 2019, a Vestas se tornou o primeiro fabricante de turbina eólica a instalar mais de 10 GW de capacidade em um único ano. De acordo com levantamento da consultoria Wood Mackenzie, a fabricante dinamarquesa somou 11,3 GW conectados à rede em todo o mundo, um aumento de 1,5 GW ante o ano anterior. O resultado foi alcançado com a presença em mais de 35 mercados.

Segundo a Wood Mackenzie, as instalações da empresa na região das Américas contribuíram com mais de 50% da capacidade pela primeira vez. Os avanços foram registrados nos EUA, México e Argentina.

Já a Siemens Gamesa (SGRE) subiu para a segunda posição em decorrência de seu domínio no mercado offshore de 1,9 GW no Reino Unido e alcançando mais de 1 GW de instalações onshore nos EUA e na Espanha. Em seguida aparece a GE com projetos em 24 mercados, sendo alguns destes as primeiras instalações de turbinas como na Grécia, Omã, Jordânia, Cazaquistão e Chile atingindo 8,7 GW. O aumento ficou em 60% ante 2018...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53134444/vestas-passa-barreira-de-10-gw-em-um-ano-aponta-consultoria

MME aprova incentivos fiscais para projetos renováveis

A Atlantic Energias Renováveis recebeu parecer positivo do Ministério de Minas e Energia para enquadramento das centrais eólicas Aura Queimada Nova 1 e 2 junto ao Regime Especial de Incentivos ao Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi), conseguindo assim a isenção de aproximadamente R$ 87,5 milhões com os encargos PIS/PASEP e Confins, ficando o aporte planificado em R$ 256,4 milhões.

O MME também aprovou os projetos na modalidade de produção independente, somando 59,4 MW de capacidade instalada entre 17 aerogeradores a serem instalados no município de Queimada Nova (PI). As obras iniciam em meados de 2023 e tem prazo de conclusão para dezembro de 2024.

Nos mesmos moldes, a pasta também enquadrou a implementação da pequena central hidrelétrica Cabuí, mediante a exploração do potencial hidráulico no Rio Paraibuna, na altura do município de Simão Pereira (MG). A PCH, de posse da Voltalia, prevê três turbinas, num total de 16 MW e deve ser finalizada até o final de 2024, angariando cerca de R$ 137,9 milhões sem as taxas, representando economia de R$ 14 milhões à companhia...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53134265/mme-aprova-incentivos-fiscais-para-eolicas-no-piaui-e-pch-em-minas-gerais

Rede de distribuição de energia da ENEL recebe R$ 12 milhões em tecnologias para melhorias no desempenho

A Enel Distribuição São Paulo investe R$ 12 milhões em tecnologias

Investimentos no setor elétrico da ENEL a todo vapor. A empresa, com o objetivo de melhorar a rede de alta tensão, investiu cerca de R$ 12 milhões em tecnologias para aumentar a performance no desempenho de distribuição de energia.

Confira as iniciativas:

Mapeamento digital das torres de transmissão;

Monitoramento online das subestações e transformadores;

Uso de drones para inspeção;

Instalação de 240 sensores em 26 transformadores, que informam alterações no funcionamento dos equipamentos;

Como resultado, a Enel conseguiu reduzir, entre os meses de março de 2019 e março de 2020, mais de 60% o número total de ocorrências na alta tensão. Na prática, a redução também diminuiu significativamente o impacto do fornecimento de energia aos consumidores…

Fonte: Click Petróleo e Gás

Leia mais em:

https://clickpetroleoegas.com.br/investimentos-rede-de-distribuicao-de-energia-da-enel-recebe-r-12-milhoes-em-tecnologias-para-melhorias-no-desempenho/

KPMG destaca tendências e desafios em energia frente ao cenário de pandemia

Um levantamento realizado pela KPMG faz um raio-x do atual cenário do setor de energia frente à pandemia causada pela Covid-19. O documento aponta as principais tendências e desafios do segmento e ainda mostra os padrões de retomada da indústria de energia como queda de consumo, aumento da inadimplência e paralisação de projetos de modernização.

"A extensão da quarentena e da pandemia determinará qual o tamanho do impacto no setor elétrico. A grande expectativa do mercado é na a construção de uma solução sistêmica e coordenada para a manutenção da sustentabilidade dos agentes sem sobrecarregar o consumidor final", analisa a sócia da KPMG da área de energia, Franceli Jodas.

Desafios do setor de energia elétrica:
- Impacto direto da redução do consumo de energia e aumento da inadimplência, afetando negativamente as receitas das empresas.
- Queda no consumo na contramão da necessidade de continuar a dar manutenção aos empreendimentos para garantir a segurança energética da população...

Fonte: Segs

Leia mais em:

https://www.segs.com.br/mais/economia/230007-kpmg-destaca-tendencias-e-desafios-em-energia-frente-ao-cenario-de-pandemia