10/12/2021

Setor elétrico ambiciona fazer mais negócios com dados coletados

Com o bairro da Vila Olímpia, em São Paulo, totalmente sensorizado, a Enel distribuidora visa identificar novos modelos de negócios a partir da coleta de dados e atender melhor os seus clientes. Mas para isso, é preciso sinergia entre as empresas de diversos setores no planejamento das ações, afirma o responsável pela operação da empresa no Brasil, Rosario Zacaria, em sua participação no debate sobre o tema  no 5x5 Tec Summit Energia, nesta quarta-feira, 8.

Segundo ele, o objetivo é colocar em uma única plataforma dados coletados por medidores inteligentes, segregados em silos para gerar novos modelos de negócios. “Precisamos ficar muito atentos ao desenvolvimento futuro do 5G, da arquitetura da coleta de dados porque o risco é de criarmos infraestruturas redundantes, mostrando que não estamos trabalhando sinergicamente”, alerta Zacaria. Ele disse que é preciso tirar vantagens desse momento de inovação aberta, que agiliza novos conceitos e modelos de negócios...

Fonte: Abinee - Convergência Digital

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=343608&sid=105

Copel colhe resultados do programa de rede inteligente

Com um programa de rede inteligente rodando, a Copel começa a colher resultados da iniciativa, como a redução do tempo que o consumidor fica desligado por ano em 48%. A afirmação é do gerente da distribuidora Tiago Santana, que participou nesta quarta-feira, 8, de debate da no 5X5 Tec Summity. Segundo ele, o programa vai atingir 1,6 milhão de consumidores do serviço.

Os medidores atuais serão substituídos por medidores digitais, que se comunicam diretamente com o Centro Integrado de Operação da Distribuição da Copel, facilitando o controle desde a subestação até o consumidor final. Sem custo para o cliente, essa tecnologia permite leitura de consumo à distância e autonomia para o cidadão monitorar seu consumo em tempo real por aplicativo.

Ao contrário do piloto da Enel, instalado em um bairro populoso em São Paulo, a Vila Olímpia, a inciativa da distribuidora paranaense atinge grandes áreas do campo. Segundo Santana, o projeto tem grande impacto na produção agrícola do estado...

Fonte: Abinee - Mobile Time

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=343619&sid=105

Exportações de produtos GTD devem crescer 9% em 2021, estima Abinee

A projeção é que as exportações de produtos elétricos e eletrônicos para a área de Geração, Transmissão e Distribuição de Energia registrem um aumento de 9% em 2021, na comparação com 2020, chegando ao valor de US$ 657 milhões. O total de exportações de eletroeletrônicos teve um aumento de 26%, indo a US$ 5,6 bilhões. Na listra dos produtos mais exportados do setor, estão motores e geradores, que registraram aumento de 31%, indo a US$ 515 milhões e Transformadores, com aumento de 36% e US$ 160 milhões.

Já nas importações, a área de GTD tem uma projeção de um aumento de 54%, com US$ 3,3 bilhões. No total, as importações registaram alta de 26%, com US$ 39,4 bilhões. Dentre os produtos mais importados, estão os semicondutores, componentes para telecomunicações, módulos fotovoltaicos e componentes para informática. Em 2021, a projeção indica que a Ásia, com exceção do Oriente Médio, será a região com maior volume de exportações, de US$ 28,7 bilhões...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53196141/exportacoes-de-produtos-gtd-devem-crescer-9-em-2021-estima-abinee

SP recebe evento gratuito para gestoras do setor de energia no Brasil

Alexandre Schwartsman, economista e ex-diretor do Banco Central, participa com outros especialistas do mercado internacional e do setor elétrico

O primeiro evento totalmente voltado para gestoras do setor de energia no Brasil, presencial e gratuito ocorre no próximo dia 13 de dezembro, a partir das 9h, no auditório da Amcham Brasil, em São Paulo, com especialistas do mercado internacional e do setor elétrico. Todos os protocolos de saúde e segurança contra o coronavírus serão adotados e, por isso, as vagas são limitadas. Denominado ‘2W Experience Day - Gestoras’, o encontro é organizado pela 2W Energia, uma cleantech que está democratizando o acesso à energia renovável no Brasil, com uma rede que conta com mil agentes autônomos e possui a maior plataforma de vendas do mercado, que conecta a geração renovável ao consumidor final.

Entre os palestrantes convidados estão o economista e ex-diretor do Banco Central, Alexandre Schwartsman, para falar de macroeconomia e o criador da Easy Taxi, Singu e G4 Educação, Tallis Gomes, que vai abordar os desafios de empreender, além de especialistas do setor para debater regulação, clima, tecnologia e abertura de mercado…

Fonte: Segs

Leia mais em:

https://www.segs.com.br/eventos/323475-sp-recebe-evento-gratuito-para-gestoras-do-setor-de-energia-no-brasil

InvestSP e Absolar firmam acordo para acelerar a fonte solar no estado de SP

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) e a Agência Paulista de Promoção de Investimento e Competitividade (InvestSP) assinaram acordo de cooperação para acelerar a fonte solar no estado de São Paulo.

Conforme as partes, a iniciativa visa atrair novos investimentos na região, gerar mais empregos e renda para a população e estimular o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios para empreendedores, além de ampliar o acesso da energia solar.

A parceria envolve identificar empreendedores do setor solar interessados em investir no estado, compartilhar informações sobre o mercado solar paulista, avaliar tendências de negócios e aprimorar o ambiente regulatório e legal.

O CEO da Absolar, Rodrigo Sauaia, destacou que a entidade é parceira de longa data de São Paulo na construção de projetos e programas públicos para o desenvolvimento da fonte solar. “Este acordo com o governo paulista amplia a colaboração em prol do desenvolvimento social, econômico e ambiental da região”.

O vice-presidente executivo da InvestSP, Torquato Jardim, afirmou que o desenvolvimento econômico de São Paulo respeita o meio ambiente. “Iniciativas assim contribuem com esse objetivo e reforçam a agenda ESG no Estado, o que tende a se tornar um importante diferencial competitivo para atrair novos investimentos”.

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/noticias/politica/executivo/investsp-e-absolar-firmam-acordo-para-acelerar-a-fonte-solar-no-estado-de-sp

ISA CTEEP INVESTIRÁ CERCA DE R$500 MILHÕES POR ANO ATÉ 2030 EM SP

A Isa Cteep deve investir até R$ 500 milhões em reforços e melhorias no Estado de São Paulo até o ano de 2030. O presidente da companhia, Rui Chammas, em entrevista exclusiva à Agência CanalEnergia, contou que o plano da transmissora visa o investimento em tecnologia e digitalização para dar mais segurança e robustez ao sistema.

A companhia é responsável por 33% da energia transmitida no Brasil, mas tem seus trabalhos bastante focados no Sudeste e mais ainda em São Paulo, já que transmite quase 100% da energia do Estado. Segundo o executivo, os investimentos de reforços e melhorias têm sido crescentes, já que a empresa saiu de valores de investimentos que estavam na faixa de R$ 150 milhões em 2018 para um novo patamar três vezes superior.

“O planejamento para o ano que vem, considerando o que nós temos aprovado e planejado na Aneel, é crescer até o final da década e investir pelo menos uma média de R$ 450 milhões a R$ 500 milhões por ano nesses ativos do Estado de São Paulo até 2030”.

O executivo afirma ainda que a companhia tem um portfólio aprovado no plano de autorizações da Aneel de R$ 2,8 bilhões em reforços e melhorias. “Deste total, R$ 450 milhões vamos realizar o ano que vem. São 258 projetos já aprovados pelo regulador e a maior parte deles acontecem nos anos de 2022, 2023 e 2024, indo até 2026”...

Fonte: Abrate

Leia mais em:

https://abrate.org.br/isa-cteep-investira-cerca-de-r500-milhoes-por-ano-ate-2030-em-sp/

O Mercado de Energia Elétrica no Brasil

A pandemia trouxe dificuldades e obstáculos à economia mundial. No caso brasileiro, além das dificuldades globais, tivemos uma desvalorização acentuada do real frente ao dólar.

Esta conjunção de fatores superiores, dentre outros pontos, levaram a economia brasileira à 12° colocação no ranking das nações em 2020.  No passado recente já fomos a 7° economia no mundo.

Tomando como base o ano de 2020 o consumo de energia elétrica no Brasil alcançou 475.647, 61 GWh.

De pronto, observamos que o grau de desenvolvimento econômico e população são fatores definidores na questão do consumo de energia elétrica.

Analisando o consumo nacional por setores da economia encontramos uma supremacia do setor industrial seguido pelo residencial, conforme detalhado no quadro abaixo, do menor consumo para o maior consumo em 2020:...

Fonte: Folha PE

Leia mais em:

https://www.folhape.com.br/colunistas/pernambuco-economico/o-mercado-de-energia-eletrica-no-brasil/28516/