top of page

10/05/2024

Copel coloca à venda 13 usinas de pequeno porte

A Companhia Paranaense de Energia (Copel) deu um novo passo em seu programa de rotação de ativos e colocou à venda 13 usinas de pequeno porte, que, somadas, totalizam 118,7 megawatts de capacidade instalada. A expectativa da companhia é de concluir a venda desses ativos até o primeiro trimestre de 2025. Ao Estadão/Broadcast, o presidente da empresa, Daniel Slaviero, afirmou que as usinas têm energia incentivada e podem interessar a autoprodutores ou a investidores que focam ativos de geração de energia com até 30 megawatts de potência.
“Não vamos liquidar ativos, vamos desinvestir desde que tenha geração de valor”, afirmou. Em relação à distribuidora de gás natural, Slaviero afirmou que tem recebido propostas pelo ativo, mas evitou cravar um tempo específico para concluir a venda.

Fonte: Abinee – O Estado de SP

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=360878&sid=105

Eletrobras mantém interesse nos leilões de transmissão

Após apresentar os resultados trimestrais na noite de quarta-feira (8), a Eletrobras sinalizou, na teleconferência com analistas ontem (9), que mira novos leilões de transmissão e que articula uma solução com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Ministério de Minas e Energia sobre a dívida que tenta cobrar da Amazonas Energia. No pregão, as ações ordinárias da Eletrobras fecharam em queda de 1,74%, cotadas a R$ 38,11. 
Com os leilões de transmissão de 2022, 2023 e 2024, a companhia tem uma Receita Anual Permitida (RAP) associada de R$ 2,1 bilhões. Só no primeiro trimestre deste ano, a Eletrobras adquiriu os lotes 1, 3, 5 e 9 no primeiro leilão de transmissão realizado pela Aneel, com investimento (capex) previsto pela agência de R$ 5,6 bilhões e uma RAP associada de R$ 590 milhões. “Temos disposição e apetite para participar dos leilões de transmissão de setembro, mas vamos avaliar a nossa capacidade”, disse o vice-presidente executivo de estratégia e de desenvolvimento de negócios da companhia, Élio Wolff...

Fonte: Abinee – Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=360876&sid=105

Energisa Tocantins Transmissora recebe liberação do ONS

O Operador Nacional do Sistema Elétrico emitiu o Termo de Liberação das funções de transmissão da Energisa Tocantins Transmissora de Energia II S.A (ETT II). Esta importante etapa, segundo a Energisa, foi concluída com antecipação de 5 meses em relação ao prazo regulatório estabelecido para 30 de setembro de 2024. Além da antecipação, o custo do projeto ficou dentro do previsto.
A ETT II é resultado da vitória da Energisa no lote 4 do Leilão 001/2021 e representa mais uma realização em parceria com a (re)energisa. A empresa destacou a sinergia operacional com a ETT I, energizada em dezembro de 2022, o que demonstra a eficiência e a integração dos projetos. A entrada em operação da ETT II contribuirá para o fortalecimento da posição no segmento de transmissão e contribuirá para a melhoria da qualidade dos serviços prestados aos clientes.

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53278475/energisa-tocantins-transmissora-recebe-liberacao-do-ons

Presidente da Enel Brasil não acredita em rompimento de concessão em SP

Recentemente o Ministério de Minas e Energia abriu um processo disciplinar junto a Aneel contra a EnelSP, devido a sequência de falta de energia na capital paulista. Segundo o presidente da Enel no Brasil, Antonio Scala, o rompimento dessa concessão não deverá acontecer, pois a companhia está cumprindo todos os requerimentos do contrato. “Isso não significa que não queremos investir recursos e dinheiro para melhorar mais a qualidade do serviço. A situação contratual é robusta e estamos trabalhando e investindo num plano para entregar isso aos clientes”, disse.
Questionado sobre um possível novo apagão em São Paulo, Scala declarou que a Enel está trabalhando em algumas frentes. “Estamos apostando na melhora do plano de contingência, que já foi implementado no começo desse ano, melhorando as ferramentas do prognóstico meteorológico, incrementando a capacidade de atendimento comercial e cliente e melhorando a comunicação com os clientes. Também estamos trabalhando em toda a manutenção preventiva, inspeções da rede e implementação de ações corretivas e neste ano esta em curso o plano de poda, que pretendemos fazer mais de 60 mil podas, quase o dobro do que foi realizado no ano passado”, explicou...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53278464/presidente-da-enel-brasil-nao-acredita-em-rompimento-de-concessao-em-sp

Eletrobras (ELET3) vê como solução para Amazonas Energia a troca de controlador

O problema vem desde antes da privatização da Eletrobras (ELET3). Mas agora parece que a companhia já não vê outra solução a não ser a troca do controlador.
É o que ficou manifestado na teleconferência de resultados do 1T24 da ex-estatal, realizada nesta quinta (9), quando o tema Amazonas Energia veio à tona.
Segundo o CEO Ivan Monteiro, a Eletrobras tem um total de R$ 10 bilhões a receber da distribuidora. A não contabilização no 1T24 de R$ 432 milhões no caixa da empresa por conta de inadimplência recente teve impacto negativo relevante no balanço, de acordo com a companhia.
“A gente está adotando todas as providencias de natureza jurídica, cobrando os nossos créditos que tão inadimplidos. Há um conjunto de interlocuções com a Aneel e com o MNE (Ministério de Minas e Energia)”, comentou o CEO...

Fonte: Infomoney

Leia mais em:

https://www.infomoney.com.br/mercados/eletrobras-elet3-ve-como-solucao-para-amazonas-energia-a-troca-de-controlador/

Parceria impulsionará projetos de GD, soluções híbridas e de retrofit no Brasil

A GoodWe firmou uma parceria estratégica com a Aldo Solar, que será responsável pela distribuição dos inversores da fabricante no Brasil. Entre os destaques está a linha HT de 100 e de 250 kW, além dos monofásicos híbridos e de retrofit.
“Esta cooperação com a Aldo representa um marco estratégico para a GoodWe, refletindo nosso compromisso de longo prazo em expandir a nossa presença e influência no mercado brasileiro de energia solar”, disse Fabio Mendes, vice-presidente da GoodWe para a América do Sul.
“Juntos, estamos não apenas ampliando nossas capacidades de distribuição, mas também reforçando o compromisso com a inovação e sustentabilidade no setor de geração distribuída. Estamos confiantes de que essa colaboração fortalecerá nossa posição no mercado, oferecendo produtos de ponta que atendem às crescentes necessidades de energia renovável do Brasil”, ressaltou...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/parceria-projetos-gd-hibridas-retrofit/

Leilão de capacidade deve contratar 7,5 GW, aponta TR Soluções

O Leilão de Reserva de Capacidade, programado para o dia 30 de agosto, está previsto para contratar 7,5 GW de potência, conforme a análise da TR Soluções, uma empresa especializada em tecnologia para o setor elétrico. Estima-se que 4 GW serão contratados para entrega em 2027 e os restantes 3,5 GW em 2028.
As diretrizes deste leilão foram submetidas a consulta pública entre 8 de março e 26 de abril, e o MME (Ministério de Minas e Energia) atualmente está avaliando as contribuições. A expectativa é que o edital seja publicado em breve.
O objetivo desse tipo de leilão é contratar potência para o sistema elétrico, proveniente de fontes de geração termelétrica e hidrelétrica, conhecidas como fontes despacháveis.
O certame envolverá a negociação de três produtos:
•    Termelétricas sem inflexibilidade operativa, com contrato de sete anos, começando em 1º de julho de 2027;
•    Termelétricas sem inflexibilidade operativa, com contrato de quinze anos, começando em 1º de janeiro de 2028;
•    Potência hidrelétrica para 2028, incluindo ampliações não prorrogadas ou licitadas nos termos da Lei nº 12.783/2013, com contrato de quinze anos, a iniciar em 1º de janeiro de 2028...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/leilao-de-capacidade-75-gw/

Smart metering – a powerful tool to enrich the consumer experience

Information and actionable notifications can be inferred from smart meter data to enrich the consumer experience and ultimately deliver better services, write Rajesh Bansal and Harsh Mathur.
The power distribution system is witnessing a major transformation, especially regarding the high level of unpredictability due to renewable energy and electric vehicle (EV) charging.
Coupled with this, the expectations of consumers particularly about reliability and safety have increased.
Over the past 2.5 years, India’s Ministry of Power has been promoting the installation of smart meters at both the consumer and asset ends.
The plan is to install almost 250 million smart meters in the next few years at an expected cost of around ₹2.5 trillion (US$30 billion)...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-meters/smart-metering-a-powerful-tool-to-enrich-the-consumer-experience/

bottom of page