09/03/2020

Iberdrola acquires 100% stake in €2.4 billion French wind energy project

Iberdrola has increased its share in Ailes Marines from 70% to 100% after an acquisition deal with Avel Vor, a consortium of RES and Caisse des Dépôts.

Ailes is developing, constructing and operating the 496MW Saint-Brieuc offshore wind farm in France.

Once operational in 2023, the €2.4 billion project will produce enough clean energy to energise 835,000 consumers.

Located 16km off the coast of Brittany, the Saint-Brieuc plant will have 62 Siemens Gamesa wind turbines, each with an 8MW capacity, installed in a 75-square-km area. The turbines will have a total height of 207 meters.

Jonathan Cole, Iberdrola’s Global Managing Director for offshore wind, said: “The Saint-Brieuc project is now ready to get started on construction. All agreements are in place, the funding is secured and contracts are signed. Our detailed Industrial Plan will also support new factories and highly-skilled clean energy jobs in France. We are hoping that the final legal and administrative matters will be concluded quickly, and then this major €2.4 billion investment in a cleaner energy future will be ready to run full speed.”...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/renewable-energy/iberdrola-acquires-100-stake-in-e2-4-billion-french-wind-energy-project/

Sem fornecimento da Venezuela, custo para manter energia em RR chega a R$ 1,6 bilhão em um ano

O gasto com o abastecimento de energia a Roraima, desde que a Venezuela cortou o fornecimento há um ano, foi de R$ 1,6 bilhão, conforme estimativa do Ministério de Minas e Energia. Único no país fora do Sistema Interligado Nacional (SIN), o estado dependeu, durante anos, do país vizinho.

A Venezuela parou de enviar energia a Roraima em 7 março de 2019, após uma série de apagões históricos no país. Desde então, o fornecimento aos consumidores no estado é feito por quatro termelétricas da Roraima Energia, empresa responsável pelo serviço.

O gasto médio para manter as termelétricas locais é de cerca de R$ 107 milhões por mês. Com a Venezuela, esse montante era de R$ 62 milhões, ou seja, a energia brasileira é 72% mais cara que a importada...

Fonte: G1 - Globo

Leia mais em:

https://g1.globo.com/rr/roraima/noticia/2020/03/09/sem-fornecimento-da-venezuela-custo-para-manter-energia-em-rr-chega-a-r-16-bilhao-em-um-ano.ghtml

Huawei prevê 10 tendências para o setor de energia em 2025 e destaca convergência entre 5G e blockchain

Huawei, uma das cinco maiores fabricantes de smartphones do mundo e líder mundial na tecnologia 5G, destacou, em um comunicado encaminhado ao CriptoFácil em 9 de março, as 10 tendências para o setor de geração de energia até 2025 e reforçou a sinergia entre 5G e blockchain. Segundo a empresa, nos próximos 5 a 10 anos, a energia renovável assumirá um papel mais proeminente como principal fonte de energia para redes. A energia solar, em particular, como a forma mais notável de energia renovável, “tem um futuro particularmente brilhante”, disse a Huawei.

“Essas tendências abrangem quatro dimensões: menor custo nivelado de eletricidade (LCOE), compatibilidade com a rede elétrica, convergência inteligente, segurança e confiabilidade. As tendências visam levar ao setor as soluções inteligentes e ecológicas que vão impulsionar as tecnologias do futuro”, afirmou...

Fonte: Cripto Fácil

Leia mais em:

https://www.criptofacil.com/huawei-preve-10-tendencias-para-setor-energia-2025-destaca-convergencia-entre-5g-blockchain/

Coronavírus pode reduzir em 15% investimentos no mundo

O surto de coronavírus causará redução de 5% a 15% no investimento estrangeiro direto (IEE) no mundo, em comparação às previsões anteriores, diz relatório da ONU publicado neste domingo (8). Os setores automotivos, aviação e de energia serão os mais afetados.

“As revisões até o momento provavelmente são conservadoras”, disse a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD). “O impacto negativo do vírus provavelmente se espalhará e aumentará ainda mais.”

Das 100 empresas multinacionais supervisionadas pela UNCTAD como um barômetro econômico global, muitas estão diminuindo os investimentos nas áreas afetadas e 41 emitiram advertências sobre resultados até agora, disse a agência...

Fonte: Veja

Leia mais em:

https://veja.abril.com.br/economia/coronavirus-pode-reduzir-em-15-investimentos-no-mundo/