08/09/2021

Parceria Brasil-Alemanha incentiva eficiência energética

Com o objetivo de deslanchar o mercado de eficiência energética no país, o governo lança hoje um programa para apoiar pequenas e médias indústrias na implementação de soluções que proporcionem um consumo mais racional de energia e menor utilização de combustíveis fósseis.

Chamado de “PotencializEE”, o programa é liderado pelo Ministério de Minas e Energia e foi estruturado em parceria com a GIZ - Agência Alemã de Cooperação Internacional - e o Senai-SP. A iniciativa conta com recursos da ordem de R$ 110 milhões, proporcionados pelo Ministério do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha e da União Europeia.

A proposta, que começou a ser concebida em 2017, é oferecer suporte técnico e crédito acessível para que pequenas empresas possam apostar em ações de eficiência energética, explica Marco Schiewe, porta-voz da GIZ e diretor de programa. “Num primeiro momento, o desenvolvimento vai acontecer no Estado de São Paulo, por ser a região com maior concentração de PME industriais no país. Mas pretendemos trabalhar no futuro a nível nacional”...

Fonte: Abinee - Valor Econômico

Leia mais em:

http://www.clipping.abinee.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=341492&sid=105

Itron Inspire 2021 goes virtual

Originally, this year’s Itron Inspire was planned as a hybrid event with both virtual and in-person components. However, due to increasing uncertainty around the COVID-19 Delta variant, and with the safety of customers, partners, and employees being the top priority, the decision was made to host Itron Inspire virtually, the company has said in a statement.

Marina Donovan, vice president of global marketing and public affairs, said the virtual event will gather industry stakeholders to exchange “ideas that help move our industry forward, especially around pressing matters such as better preparing for natural disasters and managing the influx of renewables and electric vehicles.”

“While it is disappointing that we can’t gather in person, the event will still bring together leaders from across energy, water, industrial IoT (IIoT) and smart communities to exchange ideas that help move our industry forward, especially around pressing matters such as better preparing for natural disasters, managing the influx of renewables and electric vehicles. We have an excellent lineup of speakers and thought leaders including a number of customer lead breakout sessions.”...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/event-news/itron-inspire-2021-is-now-virtual-only/

How to improve smart grid interoperability – ISGAN

The perennial challenge of interoperability in the smart grid is once again highlighted in a new discussion paper from the International Smart Grid Action Network (ISGAN).

The challenge is not the lack of adequate technical standards but the absence of governance of processes, the paper states, highlighting the lack of a central stakeholder which prevents the development of holistic and system-independent solutions and the difficulty to find a consensus between the stakeholders beyond the lowest common denominator.

Furthermore, no technical standard or key concept alone can guarantee ‘perfect’ interoperability. For example, the Common Information Model or IEC 61850 describe suitable information models for their individual scope but they do not define a context and, therefore, do not guarantee so-called ‘pragmatic’ interoperability...

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-grid/how-to-improve-smart-grid-interoperability-isgan/

UK Power Networks tests fault warning systems

The installation, part of a £435,000 ($604,000) innovation trial by UK Power Networks, has been done at two sites in the southeast of England and is being expanded to a total of 20 sites in the region.

The Smart Cable Guard is a sensor-based digital monitoring platform to detect and locate faults and weak spots in underground power cables.

The technology is said to be sensitive enough to detect electrical disturbances lower than the power of a standard mobile phone charger on an industrial electricity cable that serves around 5,000 properties. When a disturbance is detected, engineers can be alerted to its presence with its location to within a few metres to enable timely replacement.

The Smart Cable Guard project follows results from the company’s collaboration with SP Energy Networks, which has placed Radiometric Arc Fault Location devices on its network. These RAFL devices locate the position of arcing faults on overhead lines…

Fonte: Smart Energy

Leia mais em:

https://www.smart-energy.com/industry-sectors/smart-grid/uk-power-networks-tests-fault-warning-systems/

A capacidade solar em operação no Brasil chega a 10 GW

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) indicou que, somados os segmentos de geração distribuída (GD) e geração centralizada, o Brasil chegou a marca de 10 GW de potência operacional fotovoltaica. Em 2020, o país tinha 7.785 MW de potência instalada. Agora a GD é de 6.532 MW, e a geração centralizada é de 3.468 MW.

Desses números, mais de 1.803 MW foram instalados em 2021 no que tange à geração distribuída. O avanço expressivo ocorreu devido à, especialmente, retomada dos leilões de energia nova e aos projetos fotovoltaicos do Ambiente de Contratação Livre (ACL), os quais foram paralisados durante a pandemia.

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) afirma que mais de 51,3 bilhões de reais foram investidos no setor. A geração de empregos chegou a quase 300 mil postos de trabalho. No quesito tributário, cerca de 14,4 bilhões de reais foram arrecadados. Por fim, na questão ambiental, foram constatadas mais de 10 milhões de toneladas de CO2 evitadas...

Fonte: Portal Solar

Leia mais em:

https://www.portalsolar.com.br/blog-solar/geracao-distribuida/a-capacidade-solar-em-operacao-no-brasil-chega-a-10-gw.html

Go Solar firma parceria para trazer módulos de alta potência ao Brasil

A Go Solar, pertencente à Golden Distribuidora, firmou uma parceria com a fabricante Sunova para trazer para o mercado brasileiro módulos solares de alta potência para projetos residenciais e comerciais. 

De acordo com a empresa, o objetivo do acordo é ampliar o fornecimento de equipamentos fotovoltaicos no país, a partir da oferta de novas tecnologias desenvolvidas no setor internacional.

“Fizemos uma longa pesquisa para selecionar um parceiro de módulo que nos proporcionasse a mesma qualidade das grandes marcas globais. E a proposta da Sunova está alinhada ao que estamos desenvolvendo na otimização dos geradores fotovoltaicos ofertados no Brasil”, afirmou Jean Tremura, diretor da Go Solar.

“Buscamos painéis de maior potência que se adéquam às linhas de inversores. Assim, o integrador poderá contar com maior geração de energia, elevada qualidade e muita competitividade no custo”, ressaltou...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/go-solar-firma-parceria-para-trazer-modulos-de-alta-potencia-ao-brasil/

Busca por corte de gastos aquece mercado solar de franquias

A alta na conta de luz, em função do agravante da crise hídrica no Brasil, fez com que o número de brasileiros, que estão procurando reduzir os gastos com eletricidade por meio da fonte solar, crescesse nos primeiros sete meses do ano.

Além disso, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha, 90% dos brasileiros querem gerar a própria energia, seja por meio de painéis fotovoltaicos ou por outras fontes renováveis. Esse percentual era de 77% em 2014.

Com este número crescente de consumidores que estão apostando na sustentabilidade, aumenta a possibilidade de modelos de negócios para os diferentes tipos de empreendedores, como o setor de franquias de energia solar.

De acordo com Lyana Bittencourt, CEO do Grupo Bittencourt – consultoria especializada no desenvolvimento, gestão e expansão de redes de negócios e franquias – o franchising tem sido uma opção para escalar esses negócios por meio de parceiros estratégicos e franqueados. Alguns modelos começam a surgir no mercado, e um exemplo, é a franquia home-based, tendência que permite operar todo o negócio diretamente da própria casa...

Fonte: Canal Solar

Leia mais em:

https://canalsolar.com.br/busca-por-corte-de-gastos-aquece-mercado-solar-de-franquias/

Audiência virtual discutirá consolidação de Regras de Comercialização

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) promoverá na quinta-feira (9/9), às 10h, a Audiência Pública n.° 025/2021 para discutir a consolidação de normas relativas às “Regras de Comercialização”. A audiência será transmitida ao vivo pelo canal da ANEEL no YouTube.

Interessados em fazer exposição durante o evento virtual devem encaminhar os seus vídeos até as 12h do dia 8/9/2021, seguindo as orientações indicadas aqui.

O tema em questão, indicado no item 68 da Agenda Regulatória da ANEEL 2021/2022, trata de atos sem alteração de mérito, tornando dispensáveis as etapas de Consulta Pública e Análise de Impacto Regulatório (AIR).

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://bit.ly/3h3UvP1

Agosto obteve a maior expansão de 2021. Usinas solares chegam a 2,1% da matriz elétrica

Boas notícias nesses tempos de escassez hídrica: o mês de agosto teve um pico de usinas geradoras liberadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL para operação comercial, com acréscimo de 795,98 megawatts (MW) de potência instalada. Trata-se do maior quantitativo em 2021, até o momento, um pico de entrada em geração que não se via desde o início da operação da usina termelétrica Porto de Sergipe I, em Barra dos Coqueiros/SE, com capacidade de geração de 1.551 MW, em março de 2020 (naquele mês, a expansão na matriz energética foi de 1.605,93 MW).

Desses quase 800 MW de potência acrescida em agosto, cerca de 80% foram provenientes de fontes eólica, hídrica e solar, e 282,635 MW se referem a usinas eólicas entregues antes do estabelecido no cronograma da outorga. Com as liberações desse mês, as usinas solares fotovoltaicas alcançaram a marca de 2,10% do total da capacidade de operação, com 3.730 MW confirmados pela fiscalização da ANEEL...

Fonte: Aneel

Leia mais em:

https://bit.ly/3yLeQ1H

Vivo inaugura usinas de GD no RJ

A Vivo inaugurou em Quissamã (RJ) duas novas usinas no modelo de geração distribuída de fonte solar fotovoltaica. As plantas foram construídas e são operadas pela Athon Energia, uma das empresas parceiras da Vivo no projeto em GD. As Usinas Quissamã 100 e 200 contam juntas com 4,8 mil painéis solares, em área de 10 hectares e capacidade de 2 MW e atenderão as unidades consumidoras da Vivo no Rio de Janeiro, como lojas, estações rádio base e escritórios.

Com estas novas centrais, já são três plantas em GD inauguradas no estado. A primeira, de biogás, iniciou a operação em 2020, em São Pedro da Aldeia, junto ao aterro de Dois Arcos, em parceria com o Grupo Gera. Nos próximos meses, o Rio de Janeiro receberá mais cinco usinas da Vivo, totalizando 8 plantas geradoras, sendo cinco de fonte solar, duas de biogás e uma de fonte hídrica, nas cidades de Campos dos Goytacazes, Paracambi, Itaguaí, Miguel Pereira e Mombaça. As unidades em Quissamã geraram 90 empregos durante a construção. Já na fase de operação serão 12 postos de trabalho...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53186111/vivo-inaugura-usinas-de-gd-no-rj

Climatempo apresenta: “Novo Relatório do IPCC: Quais os impactos no setor elétrico nacional?”

Diante de um cenário de crise hídrica no Brasil e de temperaturas extremas que vem ocorrendo ao redor do mundo, o novo boletim mensal da Climatempo, que já está disponível na Biblioteca do Portal Canal Energia, traz como tema “Novo Relatório do IPCC: Quais os impactos no setor elétrico nacional?”

O IPCC, uma organização internacional criada em 1988, tem como principal objetivo auxiliar os governos mundiais na tomada de decisão com informações científicas sobre o clima e as mudanças climáticas. O órgão tem milhares de membros espalhados por 195 países, contribuindo de forma voluntária e sem viés político para o desenvolvimento do relatório. O papel da organização é analisar e avaliar artigos científicos publicados que são relevantes para o melhor entendimento das mudanças climáticas que vem ocorrendo e seus consequentes impactos.

Um dos questionamentos, segundo a Climatempo, é em relação ao aquecimento global e em que proporção as atividades antropogênicas (efeito da humanidade) e os efeitos naturais (atividade solar e vulcânica) eram responsáveis pelo aquecimento global que vem sendo observado e sinalizado pelos relatórios anteriores do IPCC...

Fonte: Canal Energia

Leia mais em:

https://www.canalenergia.com.br/noticias/53186113/climatempo-apresenta-novo-relatorio-do-ipcc-quais-os-impactos-no-setor-eletrico-nacional